Parceria
SIGMA CAMISETAS
Votação

Quem você quer entrevistar?

64% 64% [ 9 ]
36% 36% [ 5 ]

Total dos votos : 14


FORGIVENESS AND LOVE

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

FORGIVENESS AND LOVE

Mensagem por Isabela Somerhalder em Ter Out 02, 2012 10:35 pm



SINOPSE: A fic se dá depois do episodio 2x08, quando Damon diz para Elena que a ama, e depois a faz esquecer. Você já imaginou o que aconteceria se Elena simplesmente não tivesse se esquecido?

SHIPPER: Delena

CLASSIFICAÇÃO: +14 Mas cada um sabe o que lê.

RESTRIÇÕES: Álcool, sexo, palavrões... Etc.

TÓPICO DE COMENTÁRIOS: Click Aqui

Primeiro Capitulo
Segundo Capitulo
Terceiro Capitulo - Parte 1


Última edição por Isabela Somerhalder em Dom Out 07, 2012 12:11 am, editado 3 vez(es)
avatar
Isabela Somerhalder

Mensagens : 69
Data de inscrição : 29/09/2012
Idade : 24

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Love Hurts – o Amor Machuca

Mensagem por Isabela Somerhalder em Ter Out 02, 2012 11:09 pm

OBS:
Gente, essa é a minha primeira fanfic portanto a opinião de vocês é mais importante do que nunca.
Gostaria de saber também sobre a estetica do texto, tamanho dos capitulos, se vocês querem em outra cor, fon, tamanho etc.
Criticas e sujestões são sempre bem-vindas.
Desculpem algum erro de ortografia.
XOXO, e aproveitem.
---------------------------------//------------------

POV ELENA:

Eu estava ali, em frente a ele, o irmão do meu namorado, eu definitivamente sentia algo por ele, mas amor? Eu acho que não, eu espero que não, ele tentou me fazer esquecer, e uma lagrima se formou nos seus olhos, naqueles lindos olhos azuis, e escorreu pelo seu rosto, era como se ele sentisse sua pele queimar por cada centímetro que a lágrima passava. Fiquei sem ação, ele saiu em velocidade vampiresca antes que eu dissesse algo, provavelmente ele achou que ele conseguira me hipnotizar, mas, eu sempre ficava com um pequeno ramo de verbena no bolso, e nem mesmo Stefan sabia disso, talvez fosse melhor assim, se ele achasse que eu havia esquecido, eu sentia algo por Damon sempre soube disso, mas aquele sentimento era proibido e sempre seria eu não podia ficar com ele por milhares de razões. Definitivamente era melhor assim.

Meu relógio marcava 00h30min, achei melhor ir me deitar. Cobri-me, e fiquei ali, 01h00min, 02h0min, 03h00min, 04h00min, 05h00min, eu não preguei os olhos uma vez sequer durante a noite. Sabendo que não conseguiria dormir mais, me levantei, tomei um banho gelado e demorado. Sequei meus cabelos, e escolhi uma roupa casual, um jeans e uma regata roxa com um casaquinho branco. Calcei um tênis e desci, já eram 06h00min, preparei um café, afinal eu não havia dormido na ultima noite. Eu fiquei pronta bem cedo, ainda faltava muito para o inicio das aulas, mas estava atoa, então decidi passar na casa do Stefan para irmos juntos.
Cheguei a casa dele, e toquei a campainha, mas quem a abriu foi o Salvatore mais velho, com seu copo de uísque nas mãos. Algo me dizia que ele não havia dormido ainda. Ao vê-lo, senti cada um dos pelos do meu corpo arrepiarem-se, e então lembrei que Damon sequer sabia que eu me lembrava da noite passada, respirei fundo e disse com a voz mais convincente que consegui:

_Stefan está?

_No quarto – respondeu Damon com seu típico sorrisinho irônico estampado no rosto me dando passagem

Continuei meu caminho, subi as escadas, mas involuntariamente, meu corpo me levou até a porta do quarto do Salvatore errado. “Que diabos está acontecendo comigo?” –pensei, me virei voltando a caminhar até meu destino original: o quarto de Stefan.

Entrei, ele estava acabando de colocar sua camisa, fiquei na ponta dos pés e lhe dei um selinho. Ele sorriu. Pegou seus livros, e pôs a mão em minha cintura, caminhamos assim até a porta. Entramos no meu carro e fomos para a escola.

As aulas se passaram lentamente, meu primeiro horário não era com Stefan, nos despedimos e cada um foi para sua sala. Minha primeira aula era com Alaric, eu estava bem dispersa, isolada no meu próprio mundo, pensando na noite passada, “DROGA, porque Damon tinha que ser tão sexy?”-pensei. Mas eu não podia pensar nele, ele sequer sabia que eu me lembrava. Isso não podia ser mais irônico. Ele me amava e me disse, eu sabia de alguma forma que era verdade, porque eu? A cópia da sua ex, e também namorada de seu irmão que é vampiro como ele. “Quando meu mundo virou de cabeça para baixo?”, meu pensamento foi cortado com Bonnie, que estava atrás de mim, me cutucando, indicando que Alaric havia feito uma pergunta, ela me mandou uma mensagem com a resposta.

_1864 – disse confiante.

Todos me olharam e começaram a rir, até que ouvi alguém dizer que a pergunta era qual fora o 2° imperador do Brasil. Virei-me para Bonnie e lancei um olhar ameaçador.

_Isso é por você não ter aparecido no Grill ontem Elena. – ela disse brava

Eu me esquecera completamente que havia combinado com Bonnie de ir até o Grill ontem, afinal, Damon.. porque tudo tem haver com ele! O sinal tocou, assisti aula de química, matemática, e então finalmente era hora do intervalo.

Eu e Stefan sentamos juntos, comemos nenhum de nós falou muito, quase nada na verdade. Forcei alguns sorrisos, afinal, porque eu estava pensando em Damon? Eu amava Stefan, e tinha certeza disso. Eu comecei a me sentir culpada, mesmo sem ter feito absolutamente nada, eu pensei nele até quando ele me beijou antes de voltarmos para a aula. Fomos de mãos dadas até a sala, nosso próximo horário era juntos. O resto da aula foi calma, tentei me concentrar, continuava um pouco dispersa, mas nada além do normal.

Stefan me deixou em casa, Jeremy estava em Denver durante o fim de semana, o que me deixava com a casa só para mim, fiquei com preguiça de cozinhar, peguei um pouco de sorvete que tinha no congelador e fui ver um filme qualquer na televisão. Adormeci.
Acordei com a campainha, não estava esperando visitas, achei estranho, abri a porta, não tinha ninguém lá, comente uma rosa com um cartão. Era de Stefan cheirei a rosa, sorri, e li o cartão calmamente estava escrito:

“Sei que prometi ir ao baile com você esta noite, mas preciso caçar, estou a muitos dias sem me alimentar e me sinto fraco, não conseguirei chegar a tempo. Damon vai acompanha-la, desculpe, prometo recompensar depois.
Amor, Stefan”

Nem havia me lembrado do baile, mas, Damon? Como eu iria suportar a noite inteira com ele? E não podia falar nada para Stefan, afinal, ele não podia saber, na verdade nem eu deveria me lembrar.

O baile começava às 23h00min. Nesse instante já eram 20h00min, considerando que nem roupa eu havia escolhido, resolvi começar a me arrumar. Tomei um banho relaxante, coloquei um roupão, e fui ver minhas roupas. Era um baile temático, 1864, Fundadores. Tudo aquilo me lembrava de Katherine, aquele vadia controladora. Eu não tinha nada para vestir. Liguei para Damon, e ele disse que tinha alguns dos vestidos antigos de sua mãe, Katherine e etc. Ele disse que levaria um até mim nesse instante, quando desliguei o telefone me virei e lá estava Damon, sentado na minha janela, com um vestido coberto por um capa. Ele se aproximou, podia sentir a respiração dele se misturar com a minha, ele sorriu ironicamente, e abriu o vestido colocando-o sobre a cama.

Era incrivelmente lindo, tinha um espartilho preto, com detalhes bordado em vermelho e dourado, com um decote em coração e uma pequena renda na parte superior, contornando-o. Sua saia vermelha escura na parte superior e ia clareando cada vez mais, formando uma espécie de degrade. Tinha várias saias, deixando-o volumoso. Era realmente lindo.

_Obrigada Damon, é maravilhoso. – disse sorrindo

_Como você.

Levei o vestido até banheiro coloquei a saia, pus o espartilho cobrindo meu corpo e segurando-o com as mãos, eu não iria conseguir amarrá-lo sozinho, chamei Damon, ele abriu a porta com calma e disse ironicamente:

_Elena, eu transo com você, é só pedir amor.

_Ok Damon, agora você pode, por favor, ser útil e amarrar meu espartilho?

_Claro. – ele disse com seu meio sorriso

Ele se aproximou calmamente, um pouco mais do que o necessário, não me manifestei, ele abaixou a cabeça, e manteve seus lábios perto do meu ouvido e disse com seu hálito quente:

_Você está maravilhosa.

Senti meu rosto corar, e tentei dizer um obrigado o menos alterado possível, que na verdade não soou muito convincente.
Ele puxava a ‘’cordinha’’ do espartilho diversas vezes bem apertado, e no final disse:

_Você parece com Katherine.

_Isso é um elogio?- perguntei irônica.

_Sim Elena, é um elogio. -Ele disse puxando pela ultima vez. - Se me der licença, é minha vez de me arrumar. – completou saindo rapidamente pela janela.

Eu pensei no que Damon disse: “Você parece Katherine.” E decidi enrolar meu cabelo, que sabia serem umas das únicas coisas que nos diferia. Fiz cachos, e uma maquiagem sútil, adequado para a época, coloquei o colar que Stefan me deu, com verbena. Stefan, ele era o namorado perfeito, romântico, fiel, lindo. Mas por amis que e u não quisesse admitir Damon tinha uma coisa, um certo “perigo” que me deixava ainda mais ... O que eu sentia por Damon? Mais, mais apaixonada, pensei tentando admitir. Sim eu estava apaixonada por Damon Salvatore.

POV DAMON:
Cheguei em casa, Elena estava deslumbrante naquele vestido, aliás ela sempre estava deslumbrante, eu pensei que quando eu descobri que Katherine estava “morta” nunca mais me apaixonaria, mas ali estava eu um bobo apaixonado pela namorada humano do meu irmãozinho vegetariano. No inicio o que me atraíra era a semelhança física, ou mesmo só queria irritar Stefan, porém, percebi que o que Elena tem de igual à Katherine, ela tem de diferente, Elena é doce, se preocupa com aqueles que ela ama, é simpática, Elena era uma versão doce de Katherine. Existia toda aquela forma de donzela em perigo na sua vida, nos seus olhos via-se compaixão, algo que nunca vira em Katherine.

Abri o meu guarda-roupa antigo, ainda guardava algumas peças de 1864, peguei um daqueles ternos da época, que são longos atrás. Tomei um banho relaxante, coloquei-o, pus uma gravata avermelhada, que combinava com o vestido de Elena. Peguei um perfume francês, que eu quase nunca usava, ele era bom demais para a maioria das ocasiões, olhei no relógio eram 22h00min, havia combinado de buscar Elena às 22h15min, era tempo suficiente para beber um pouco, peguei uma garrafa de uísque servi um copo, e virei-o de uma só vez. Eu estava pronto.

Tirei minha Ferrari preta da garagem, uma vez havia hipnotizado uma vendedora para dá-la para mim, antes de drenar seu sangue. O sangue humano fresco, havia tanto tempo que e eu não matava alguém, tudo aquilo por Elena, sabia que ela realmente não gostava quando isso acontecia. Coloquei a chave na ignição, liguei o carro, e saí acelerando, parei na porta da casa de Elena, mais cedo, havia comprado algumas flores para ela, peguei-as, e toquei a campainha, sabia muito bem que podia pular a janela de seu quarto, como sempre, mas dessa vez iria fazer direito, iria incorporar o personagem, na verdade só seria meu “eu” humano. Elena desceu e abriu a porta, fiz uma reverencia e estiquei o braço, toquei sua mão, e disse suavemente:

_Encantado, Senhorita Gilbert. – Enquanto estendia as flores.

_Obrigado, Senhor Salvatore, igualmente – Elena disse aceitando as flores e sorrindo.

Caminhamos com os braços dados até o carro abria porta para ela, contornei o carro e entrei, liguei o carro, e só parei em frente à escola. Tínhamos chegado.

Desci, abri a porta para Elena que sorriu sutilmente, estendi a mão ela segurou minha mão e entramos todos apontavam cochichavam coisas do tipo: ”Elena não namora Stefan?” e as meninas: “ Cadê o Stefan e quem é esse gostoso com a Elena?”.

Quando chegamos, pegamos umas bebidas, Elena foi conversar com Caroline e Bonnie, eu fiquei perto delas conversando com Alaric. Consegui ouvir a conversa delas:

“_Elena cadê o Stefan e o que o Damon está fazendo aqui? - perguntavam Caroline e Bonnie ao mesmo tempo.

_Stefan precisou ir caçar e o Damon concordou gentilmente em me acompanhar, então parem meninas!”– Elena respondia milhares de vezes.
Dei um sorriso torto, encarei Elena, ela corou ao perceber que eu consegui ouvir. Começou uma música lenta, pedi licença para o Ric e fui até Elena:

_Concede-me esta dança senhorita Gilbert – perguntei sem sair do personagem

_ Claro Senhor Salvatore – Ela respondeu sorrindo

Eu levei-a até o meio da pista de dança, virei meu rosto e suspendi minha mãe, ela fez o mesmo mantendo o contato visual e centímetros entre nossas mãos, girávamos em torno de nós, giramos para o outro lado, paramos um de frente para o outro e cumprimentei-a com uma reverência, ela sorriu, coloquei minhas mãos na cintura dela, ela colocou as mãos em volta do meu pescoço, era fácil perceber a reação dela ao mais simples toque, dançamos, até que a surpreendi, levantando-a e a girando e paramos bem próximos. Ela suspirou, e virou a cara.

POV ELENA:

EU e Damon ficamos cara a cara, achei que ele fosse me beijar, virei o rosto, eu queria, mas não podia, eu estava com Stefan, e o amava. Mas tenho que admitir, que, Stefan odiava dançar, nos bailes tinha que implorar para conseguir uma simples dança, e ser convidada para dançar era realmente muito bom.

Começou uma música agitada, tipo uma discoteca. Damon se aproximou e sussurrou no meu ouvido, senti sua respiração no meu pescoço enquanto ele dizia:

_Vou te mostrar como eles faziam nos anos 70.

Pegando-me no colo e rodopiando, fazendo com que ficássemos cara a cara de novo, depois ele me parou em frente a ele e começou a abaixar e levantar o braço, como numa discoteca mesmo, aos poucos se formaram um circulo de pessoas em volta de nós que batiam palma no ritmo da música, ele me rodopiou no colo dele de novo, e perguntou de modo que só eu conseguisse ouvir:

_Confia em mim?

Movimentei a cabeça que sim. Ele abaixou-se formando um calço pro meus pés, coloquei o pé ali e fui arremessada, rodopiei no ar, caindo deitada no colo dele, ficando cara a cara com ele pela terceira vez, ele me levantou e fizemos reverencias agradecendo. As pessoas assobiavam, gritavam e aplaudia, Damon olhou para mim sorrindo e disse irônico:

_Aposto que Stefan nunca fez isso, ele mal conseguia dançar nos anos 70 numa discoteca de verdade. – Colocando um sorriso nos meus lábios, Damon realmente sabia se divertir.

Fomos pegar uma bebida e uma roda de garotas formou-se ao redor de Damon, não sabia por que mais aquilo me incomodava, mas Damon não era meu, ele era meu cunhado apenas. Um movimento involuntário fez com que eu me aproximasse do circulo empurrasse todas aquelas meninas encarasse Damon e o beijasse selvagemente, eu entrelacei meus dedos nos cabelos dele e ele pôs a mão e minha cintura, recuei um pouco e sussurrei no seu ouvido:

_Precisamos conversar.

avatar
Isabela Somerhalder

Mensagens : 69
Data de inscrição : 29/09/2012
Idade : 24

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

The Wrong, can be the right? – O certo, pode ser o errado?

Mensagem por Isabela Somerhalder em Qui Out 04, 2012 9:55 pm

Aí está pessoal, mais um capitulo.
Tentei ajustar a letra à pedido da Isaa (ficou melhor?)
O capitulo, não ficou tão grande porcausa da música, eu estava sem inspiração Neutral
É isso, boa leitura.
XOXO
--------------------//-----------------

POV Damon
O que aquela garota fazia comigo? Eu nunca me senti daquela forma nem com Katherine, ao mais sensível toque dos nossos lábios, senti um frio no abdômen, eu precisava daquilo, e o mais importante, eu vi que ela também precisava, pude sentir cada um dos pelos do seu corpo se arrepiarem ao sentir meus lábios, minhas mãos levemente mais frias passando em sua cintura, os lábios dela eram doces, tinham um gosto maravilhoso, ela se afastou o suficiente para sussurrar no meu ouvido com seu hálito quente:

_ Precisamos conversar.

A principio fiquei um pouco sem reação, até pros meus sentidos apurados de vampiro, era informação demais. Até que consegui dizer irônico como sempre:

_Você quer só conversar Elena? Tem certeza disso. - sussurrei no seu ouvido enquanto beijava seu pescoço enlouquecendo-a.
_Damon, sério, pare, precisamos conversar... – ela disse rouca.

Era mais que percebível o efeito que eu causava sobre Elena, mas oque houve para que fizesse com que ela admitisse? Ciúmes? Ao menos que... Não, era impossível, ela não se lembrara eu retirei suas memórias.

_Ok Elena, vamos conversar. – disso sério.

_Sim Damon, vamos. – ela disso me puxando para a biblioteca que estava vazia. – Eu me lembro Damon. – completou.

Não, aquilo era definitivamente impossível. Eu estava forte o suficiente, eu acabara de me alimentar. Ela tinha que estar falando de outra coisa, apesar de que se bastava juntar 2+2, não tinha outra coisa. Mas tive que perguntar:

_Lembra-se do que Elena?

_Que você disse que me ama.

Suspirei. Aquilo não fazia sentido, eu estava com o colar dela nas mãos, forte o suficiente.

_Como?

_Eu carrego mais verbena do que vocês pensam.

_Então? – perguntei com um ar um pouco triste, mas o mais compenetrado que consegui.

_Então o que Damon? Eu estou com o Stefan! – ela disse quase gritando.

_E porque me beijou Elena? – disse me aproximando. Nossas respirações já estavam partilhando do mesmo ar. – Elena, você sente algo por mim, você apenas ainda não admitiu para si mesma, mas eu não vou desistir de você Elena, sabe que eu te amo, e sabe o que precisa fazer para me possuir. – disse sussurrando bem perto de seu ouvido, pude sentir os músculos dela se contraírem. Aproximei-me ainda mais e toquei sei queixo obrigando-a a olhar em meus olhos. Elena abriu a boca para dizer algo, mas não conseguiu, ela me beijou mais uma vez. Senti o gosto adocicado dos seus lábios, enquanto nossas línguas se entrelaçavam numa sincronia perfeita, passava a mão constantemente pelo seu espartilho e parei por alguns segundos na sua cintura, era um beijo luxurioso, cheio de paixão e necessidade, Elena enroscou os dedos nos meus cabelos e me puxou para mais perto, se é que era possível. Afastei-me, Elena não iria ter os dois, ela iria ter que escolher. – Faça sua escolha Elena. – disse calmamente enquanto saia do laboratório.

POV Elena

Cada um dos meus movimentos desde que fui até Damon no meio daquelas garotas foi involuntário, mas foram meus. Damon não me pressionara.

No laboratório, podia sentir cada um dos meus poros se arrepiarem, cada musculo do meu delicado corpo de contrair, pela simples presença de Damon. Eu não consegui dizer nada, beijei-o novamente, por quê? Eu estava com Stefan e ele era o namorado perfeito o que naquele momento, na verdade não era nada conveniente porque só fazia com que eu me sentisse mais e mais culpada. Eu sempre disse que odiava Katherine por ela ficar com os dois, que nossa semelhança era apenas física, e que a historia não estava se repetindo. Nunca estive mais enganada, eu era como Katherine, na verdade até pior porque eu não admitia. Mas isso não justifica o que Damon fez comigo, como ele pode me deixar ali daquele jeito? “Faça sua escolha Elena” àquela voz soava em minha mente. Stefan sempre foi minha primeira opção, ele era a opção segura, com ele nunca havia duvidas, mas acho que foi justamente esse modo previsível de mais que nos afastou. Damon era o irmão mau, por amis que ele tenha sofrido muito, o que ele faz não justifica seus atos, porem era seu jeito irônico e imprevisível que despertava em mim a antiga Elena, aquela que morrera junto com meus pais no acidente, fora a beleza descomunal de Damon, que mulher não se perde naqueles olhos, aquele corpo perfeitamente esculpido pelos anjos? Como aquele homem podia ser tão gostoso?

Eu queria ir para casa, tinha muito no que pensar, sai do laboratório e fui chamar Damon. Ele estava conversando com Ric.

_Damon, eu quero ir para casa, vamos?

_Só mais uma dança?

_Certo.

Ele estendeu o braço, fomos de braços dados até o meio da pista, começou a tocar When I Look At You – Miley Cyrus.

Entrelacei a mão no pescoço de Damon, ele me segurou pela cintura:

Everybody needs inspiration
Everybody needs a song
A beautiful melody
When the night's so long
Cause there is no guarantee
That this life is easy
Todo mundo precisa de inspiração
Todo mundo precisa de uma canção
Uma bela melodia
Quando a noite é tão longa
Porque não há nenhuma garantia
Que a vida é fácil


Yeah, when my world is falling apart
And there's no light to break up the dark
That's when I, I, I look at you
When the waves are flooding the shore and I
Can't find my way home anymore
That's when I, I, I look at you
Sim, quando meu mundo está caindo aos pedaços
Quando não há luz para quebrar a escuridão
É quando eu, eu, eu olho para você
Quando as ondas estão inundando o litoral e eu
Não consigo encontrar o meu caminho de casa
É quando eu, eu, eu olho para você


When I look at you
I see forgiveness
I see the truth
You love me for who I am
Like the stars hold the moon
Right there where they belong and I know
I'm not alone
Quando eu olho para você
Eu vejo o perdão
Eu vejo a verdade
Você me ama por quem eu sou
Como as estrelas seguram a lua
Bem ali, onde elas pertencem e eu sei
Eu não estou sozinha


Yeah, when my world is falling apart
And there's no light to break up the dark
That's when I, I, I look at you
When the waves are flooding the shore and I
Can't find my way home anymore
That's when I, I, I look at you
Sim, quando meu mundo está caindo aos pedaços
Quando não há luz para quebrar a escuridão
É quando eu, eu, eu olho para você
Quando as ondas estão inundando o litoral e eu
Não consigo encontrar o meu caminho de casa
É quando eu, eu, eu olho para você


You, appear, just like a dream to me
Just like kaleidoscope colors that
Cover me
All I need
Every breath, that I breathe
Don't you know?
You're beautiful
Você parece como um sonho para mim
Como as cores de um caleidoscópio
Provam para mim
Tudo que eu preciso
Cada respiração que eu dou
Você não sabe
Você é lindo


Yeah yeah...
Yeah, yeah...

When the waves are flooding the shore
And I can’t find my way home anymore
Thats when I,
I I look at you
I look at you
Quando as ondas estão inundando o litoral e eu
Não consigo encontrar o meu caminho de casa
É quando eu,
Eu, eu olho para você
Eu olho para você


Yeah yeah...
Oh oh...
You appear just like a dream to me...
Yeah, yeah...
Oh, oh...
Você apareceu como um sonho para mim...


Ficamos ali, nos encarando até a música terminar. Quando a música terminou, nos entreolhamos, e Damon pigarreou. Tirando-nos do transe em que estávamos.

Foi quando eu pensei ‘’O certo, pode ser o errado?’’, será que e u fiz a escolha certa? Ou escolhi o mais fácil. A resposta definitivamente eu não conseguiria descobrir ali, com aqueles olhos azuis me encarando.

Fomos de mãos dadas até o carro, nenhum de nós falou algo durante todo o caminho, quando chegamos Damon desceu e abriu a porta para mim, e voltou ao personagem:

_Boa noite senhorita Gilbert. Foi uma noite agradável – disse enquanto me dava um beijo na bochecha.

_Igualmente senhor Salvatore. – respondi doce enquanto entrava em casa.

Entrei, fechei a porta e escorreguei sentando no chão, afundei minha cabeça entre os meus joelhos, tentando entender meus sentimentos. EU estava confusa, decidi simplesmente dormir um pouco. Levantei-me, subi as escadas, entrei no quarto e fechei a porta, coloquei meu pijama, e deitei-me. Adormeci rapidamente.

Quando acordei no outro dia, já eram 11h30min. Estava com preguiça do cozinhar, decidi almoçar no Grill.

POV Damon

Não consegui dormir nada durante a noite. Fiquei o tempo todo pensando em Elena, nos seus olhos, no seu cabelo, na sua boca...Não dava mais isso tinha que parar, resolvi ir para o Grill beber.

Cheguei lá, pedi um uísque e sentei-me no balcão, tomava a bebida até que percebi algumas meninas me ‘’dando mole’’. Eu estava com fome, elas dariam um bom almoço. Elas eram três, uma loira, uma morena e uma ruiva. Sempre tive uma queda por morenas, então, escolhi ela, passei perto e sorri para ela, ela veio até mim, e comprei-lhe uma bebida, uma tequila, deixei-a bêbeda. Ela se aproximou e me beijou, o bar estava vazio, ninguém parecia se importar. Ficamos ali nos beijando por um bom tempo até que ouvi alguém pigarrear, a única pessoa que não queria que me visse ali.

_Olá Damon. –Disse Elena irônica.

_Elena não é o que parece – Disse tentando me explicar.

_Não, Damon, é exatamente o que parece. Acabou, acabou antes de começar, porque SEMPRE SERÁ O STEFAN. Noite passada foi um erro, não se preocupe não se repetirá. – Ela disse aparentemente muito nervosa, enquanto saia do Grill.

O que eu fiz? Elena finalmente tinha me dado uma chance e eu estraguei tudo. Eu sempre estrago tudo, eu sempre soube ela era boa de amis para mim, eu sempre daria um jeito de fazer tudo errado, afinal àquele era eu. Como meu irmãozinho conseguia acertar tudo? As palavras de Elena soavam na minha mente “Sempre será o Stefan”, “Noite passada foi um erro.” Cada uma daquelas silabas eram como facadas, doía, como doía, sempre será o Stefan, porque eu continuava tentando? Aproveitei que já havia estragado tudo e levei as três garotas para casa, aquele seria um longo dia.

POV Elena

Eu não acreditei, quando vi Damon com aquela garota percebi que havia feito à escolha correta, afinal eu preciso de alguém constante, seguro, e Damon, nunca seria daquele jeito. Eu não entendia porque estava tão surpresa, aquilo parecia tanto com Damon. Para ele, noite passada fora apenas mais um de seus jogos. Eu era só mais um jogo para ele.

Quando cheguei em casa, deparei-me com uma foto minha e de meus pais, foi naquela noite, na noite em que meus pais morreram que minha vida virou de cabeça para baixo. Na noite em que Stefan me salvara. Seria tão mais fácil se eu tivesse morrido com eles naquela noite, eu sentia tanta falta da minha mãe em momentos como esse, dos seus conselhos, do seu abraço e suas palavras reconfortantes. Lembrei-me de Matt, com ele sempre fora bom para mim, como ele sempre me acolhera, como nos divertíamos, quando minha vida era apenas vida, quando meu namorado não era um vampiro, que tinha um irmão também vampiro, quando eu não sabia que era uma cópia, quando eu não sabia que era adotada, quando minha melhor amiga não era uma bruxa. De certa forma eu culpava Stefan por tudo aquilo, mas não era culpa de ninguém, era apenas minha. Eu já estava no meio de tudo aquilo, somente não sabia, Stefan abriu meus olhos.

Daquele dia em diante, eu sabia “AALWAYS GONNA BE STEFAN”.

POV Damon

Eu estava definitivamente enlouquecendo, chamara as três garotas de Elena, eu não acredito que a magoei, eu não a merecia. Tomei uma decisão, não iria atrapalhar a vida de Elena por nem mais um dia, eu iria para a cidade dos pecados, onde pudesse esquecer de tudo isso, YES BABY, I'M GOING TO VEGAS!

avatar
Isabela Somerhalder

Mensagens : 69
Data de inscrição : 29/09/2012
Idade : 24

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Night Of Sins – Noite dos Pecados – PARTE 1

Mensagem por Isabela Somerhalder em Dom Out 07, 2012 12:10 am

Gente, minha criatividade entro na onde do feriado comigo, to sem inspiração nenhuma, não queria deixar vocês sem nada no fim de semana. Então escrevi (com custo) esse MINI CAPITULO. Assim que conseguir posto mais.
Espero que gostem.
XOXO

----------------------//----------------------

POV Damon:

Escrevi um bilhete:

“Querida Elena,
Eu te amo, sempre amarei, porém eu não mereço você, mas meu irmão merece.
Gostaria de te pedir perdão por todo o sofrimento que lhe causei.
Não precisa mais se preocupar, você nunca mais me verá.
Amor, Damon.”

Coloquei-o na janela do quarto dela, e fui direto para o aeroporto. Eu iria esquecer Elena, então eu tinha que ir para a cidade dos pecados, eu tinha que desligar minhas emoções. E Las Vegas, com certeza era o lugar perfeito.

Entrei no avião, não olhei para traz, somente sentei em meu acento na primeira classe, que estava ao lado de uma loira muito gostosa. Iriam ser longas e divertidas férias.

_ Oi. – disse ao me sentar, estendo a mão. – Damon Salvatore.

_ Sofia Hellfriz. – Ela disse sem tirar os olhos do livro que estava lendo.

_ O que é que você está lendo? – fingi-me interessado.

_Hamlet, William Shakespeare. – Ela disse, finalmente olhando para mim.

_ “A gota de mal na verdade apaga muitas vezes a nobre substancia a ponto de ela própria ficar desgraçada”. – recitei.

_UAU – foi tudo que ela conseguiu dizer.

_Acontece que sou um grande fã de Shakespeare. – rimos.

_Então, Damon, o que você vai fazer em Las Vegas?

_Estou de férias, e gosto e cassinos. E você, Sofia?

_Afogando as magoas do ex.

_Podemos fazer isso junto? Destruí meu quase relacionamento com o amor da minha vida. – disse debochado.

_ Claro. – ela disse rindo.

POV Elena:
_Acordei, havia um papel no beiral da minha janela, peguei-o, e li:

“Querida Elena,
Eu te amo, sempre amarei, porém eu não mereço você, mas meu irmão merece.
Gostaria de te pedir perdão por todo o sofrimento que lhe causei.
Não precisa mais se preocupar, você nunca mais me verá.
Amor, Damon.”

Uma lágrima escorreu pelo meu rosto, não sabia o que fazer, eu estava chateada com Damon, mas não queria perde-lo. Já havia perdido tantas pessoas não suportaria perder mais uma. Eu iria procurar Stefan. Lembrei-me, Stefan não sabia. Aquilo seria mais difícil do que pensei.

Liguei para Bonnie, se havia alguém que sempre me entendia com certeza era ela.

_Bonnie, preciso conversar você pode vir aqui? – disse em prantos, estava desesperada.

_Claro Elena, estou a caminho. – ela disse desligando o telefone.

Bonnie chegou, contei tudo para ela, desde a noite em que o Damon disse que me amava e então tentou me fazer esquecer, até o bilhete.

_E então Elena, você ama ele? Ou ama o Stefan?


avatar
Isabela Somerhalder

Mensagens : 69
Data de inscrição : 29/09/2012
Idade : 24

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: FORGIVENESS AND LOVE

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum