Parceria
SIGMA CAMISETAS
Votação

Quem você quer entrevistar?

64% 64% [ 9 ]
36% 36% [ 5 ]

Total dos votos : 14


My worst nightmare

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

My worst nightmare

Mensagem por Delena_Somerhalder em Seg Jun 18, 2012 10:20 pm

Capa:

Titulo: My worst nightmare

Autoras: Jady Montinegro (Jady_delena) e Patricia Fernandez (Delena_Somerhalder)

Classificação: +18

Restrições: Contem cenas de sexo, linguagem grosseira e excesso de bebida.

shipper: Damon, Elena, Stefan e os outros vocês só verão lendo...

Tipo: Romance, Aventura, Drama e um pouco de comedia.

Resumo: E se Stefan não amasse Elena tanto como acha que ama? E se após o termino de um relacionamento Elena e Damon se aproximasse? E se houvesse uma pessoa determinada a acabar com a vida de Damon? E se? E se? São tantas perguntas.... Mais tão poucas respostas.
Após terminar com Stefan por causa de Katherine, Elena e Damon se aproximam. Damon, determinado a ter sua amada, começa a conquistar Elena aos poucos, até finalmente conseguir.... Mais é como dizem “nem tudo são flores”, Um novo ser sobrenatural chega a cidade determinado a acabar com a vida de Damon á qualquer custo. Enquanto isso, Stefan, está perdidos em seus sentimentos entre Katherine e Elena... Mais uma nova garota pode chegar, e mudar a vida de Stefan para sempre.

Obs: As postagens serão feitas duas vezes por semana em dias alternados.
Obs²: Gente, essa ai é a nossa primeira fic, espero que gostem... Sempre que puderem por favor comentem, sejá para criticar ou para elogiar.


Última edição por Delena_Somerhalder em Sex Ago 10, 2012 9:53 am, editado 1 vez(es)
avatar
Delena_Somerhalder

Mensagens : 227
Data de inscrição : 25/03/2012
Idade : 21
Localização : Na caminha do Kol. Junto com ele e com o Damon.

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: My worst nightmare

Mensagem por Delena_Somerhalder em Ter Jun 19, 2012 8:04 pm

Capitulo I - I'm just like her!
(Eu sou igual a ela!)



-Stefan me deixa em paz!- Gritou Elena batendo a porta da residência Gilbert na cara do vampiro.
Elena subiu para o quarto em prantos desejando apenas estar em um grande pesadelo. Quando chegou ao quarto Stefan estava sentado em sua cama.
-Stefan eu mandei você ir embora!-Elena estava com um sentimento de dor e fúria dentro de si.
-Elena me desculpe- Stefan disse com os olhos enchendo de lagrimas- Eu não queria... Eu não queria!- Ele disse com a cabeça baixa, ele deu uma breve pausa e depois de 2 minutos continuou- Eu não sei o que deu em mim!
- Mais eu sei!- Elena disse olhando para ele- Você ainda a ama! Você nunca conseguiu esquecer ela... É por isso que você se apaixonou por mim! POR EU SER IGUAL A ELA!-Elena já esta gritando quando terminou de falar.
-Elena eu amo você, não porque você é parecida fisicamente com a Katherine fisicamente e sim porque você é totalmente ao contrario dela na alma- Ele disse olhando para ela- Você nunca teria a coragem de fazer o que ela fez manipular eu e o Damon como se nós fossemos dois fantoches. Você não é ela. E eu sei disso!
De repente Elena se sentiu culpada com o que Stefan disse “ Você nunca teria coragem de fazer o que ela fez, manipular eu e o Damon como se nós fossemos dois fantoches” claro que ela podia, não só podia como fez. A diferença é que ela não ia para a cama com os dois e sim só com um. Mais o que importava não ir para a cama com os dois se ela amava os dois?
-Elena?-perguntou Stefan tirando ela de seus pensamentos.
-Stefan, por favor, vai embora- disse ela com lagrimas nos olhos.
-Elena me perdoe, por favor-Ele fez uma breve pausa.
-Stefan vai embora- ela abaixou a cabeça e sussurrou- certas coisas não tem perdão!
Quando Elena levantou a cabeça, viu que Stefan não estava mais lá, ela se jogou na cama e pegou o diário para escrever nele.

"Querido diário,
Hoje foi um dos dias que eu preferia morrer ao passar por ele, ver aquela cena me deixou tão triste mais ao mesmo tempo tão confusa com os meus sentimentos. Stefan e Katherine se beijando tão profundamente. Acho que só Stefan que não percebeu que ele querendo ou não ele ainda á ama. Foi um beijo de completo amor. Eu nunca tive esse beijo com Stefan. Mais tive com outra pessoa que eu nunca pensaria que ele mi amaria com tanta intensidade, ao toque dele eu mi arrepiei me senti a única mulher no lugar onde nos encontrávamos, eu sabia que aquele beijo fez eu me sentir uma mulher completa com todas as partes do meu coração inteiras. Nunca imaginaria que Damon fosse mi amar ou mi dar um beijo tão apaixonado e em seguido dizer -Eu amo você - e sumir nas sombras.
Eu sei que o Stefan ainda a ama. E sei que ele ainda me ama também. Mais e eu será que ainda o amo?”

Elena fechou o diário e foi até o banheiro.
Depois de um longo banho ela vestiu a 1ª camisola que viu pela frente e só depois percebeu que era a camisola mais sexy que ela tinha, da cor vermelha com decote de renda em V, com o comprimento acima do joelho, mais não estava com vontade de trocar e deitou na cama para dormir, quando ouviu alguém bater na porta.
Ela olhou o relógio e viu que já era 01h43min dá manhã. Elena foi até a porca e ficou chocada ao ver quem era.
-O que você está fazendo aqui?!- Elena viu a pessoa que estava na porta e automaticamente corou se lembrando da camisola.

Continua...

Nota das autoras: Então pessoinhas lindas, obrigada por lerem o primeiro capitulo e desculpem por ele estar pequeno. O segundo vai ser maior prometo. E não deixem de comentar, se estiver
algo de errado ou que não gostem avisa lá no tópico de comentários.

Topico de comentarios: AQUI.
avatar
Delena_Somerhalder

Mensagens : 227
Data de inscrição : 25/03/2012
Idade : 21
Localização : Na caminha do Kol. Junto com ele e com o Damon.

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: My worst nightmare

Mensagem por Jady_Delena em Sab Jun 23, 2012 10:09 pm

Capitulo II- That serve to friends.
(amigos serve para isso.)




Em rosas negras
encontro meu consolo....
Seus espinhos machucam-me
com leveza...
Porem, suas pétalas
afagam-me com carinho...



**POV Damon**
-O que você esta fazendo aqui Damon!?- Elena me olhava com uma cara de raiva e dor ao mesmo tempo. Ela estava tão linda, tão sexy... -Damon?

-Oi?- Eu disse tentando me recuperar do choque de vê-la tão sedutora e deslumbrante- Vim consolar você Leninha- Eu disse já entrando no quarto dela - afinal... Amigos de verdade não abandonam pessoas que amam- Meu deus eu preciso controlar o Damonzão... Não sobe amigo. Não sobe...

-Damon para de me olhar assim- Ela deu uma breve pausa me olhando- Você esta me deixando sem graça.

- Ah Elena, a culpa não é minha que você fica tão gostosa com essa camisolinha sexy- Eu a olhei de cima a baixo- E vamos combinar... Esse seu decote esta realçando muito mais os seus seios!- Eu disse deitando na cama dela e vendo-a ficar fortemente corada.

-Damon, eu não estou com paciência para você hoje ok?- Ela estava tão irritada que eu pensei que ela ia pegar uma estaca e enfiar no meu coração- Sai daqui vai!

-Desculpe Leninha não foi a minha intenção te deixar tão sem graça- Putz, agora me ferrei com ela- Desculpe mesmo- Concentre-se no rosto dela, só no rosto dela Damon.

-Tudo bem Damon, mais me deixe em paz tá!- Ela me olhou com os olhos enchendo de lagrimas- Vai embora- Ela disse apontando para a porta. O que eu faço agora? Eu a deixo ou não?

-Não Elena, eu vou ficar aqui com você até você se acalmar de verdade- Eu levantei e me aproximei dela olhando-a no fundo de seus lindos olhos castanhos. O que estava dando em mim? Por acaso eu virei um Sir Stefan II todo melodramático?

-Argh!- Elena virou as costas para mim fechando a porta- estou vendo que você não vai me deixar em paz mesmo- Ela deitou na cama e virou para dormir.

-Elena... - Eu não sabia o que dizer a ela- Eu não tenho as melhores palavras para acalmar e consolar você, mais amigos fazem isso certo?- Ela balançou a cabeça em um gesto de “sim”. Eu pensei que ela fosse me expulsar mais vi que o caso era mais serio do que pensava... Ela nem gritou comigo ainda.
Eu mi deitei ao lado dela e no exato momento que eu deitei ela me abraçou fortemente e eu vi que lagrimas caiam de seus olhos castanhos.

-Ah Damon- ela disse entre soluços- porque ele fez isso comigo?

-Eu não sei Elena- eu disse triste por vê-la assim- Mais eu estou aqui. Eu sempre vou estar aqui. Sempre!
Então ela dormiu entre os meus braços profundamente.

Eu precisava ir para casa, esganar Stefan. Levantei e fui em direção á janela. Não, eu não poderia deixar Elena aqui sozinha. Peguei Elena cuidadosamente no colo para não acorda-la. Pulei a janela sem fazer movimentos bruscos e a coloquei no carro delicadamente. Ela dormia feito um anjo. Acelerei o carro na rua que levava até a mansão Salvatore.

Cinco minutos depois eu cheguei á mansão e a tirei do carro delicadamente. Entrei e não vi ninguém, subi as escadas e fui direto ao meu quarto, coloquei Elena na minha cama a cobrindo. Deitei ao seu lado e ela me abraçou, depositando a cabeça em cima do meu peitoral e dormindo profundamente. Eu suspirei fundo sentindo o cheiro do cabelo da Elena e logo adormeci com Elena me abraçando e eu sentindo o delicioso cheiro dela.


**POV Stefan**
Sai da casa de Elena transtornado, como eu pude fazer isso com a mulher que eu amo? Eu sou um idiota mesmo, eu fui tão canalha, não sei como eu consegui beijar a mulher que me transformou em um monstro... Por causa dela eu acabei com a vida do meu irmão, acabei com a vida do meu próprio pai que matei por uma coisa que poderia ter achado em qualquer outro humano... Como eu pude beijar essa mulher? Eu não amo mais ela. Ou será que amo? São tantas perguntas...

- Olá Stefan- olhei para a voz doce como mel e me assustei quando vi quem era.

-O que você quer comigo? Não basta o que você já fez na minha vida toda?- Eu estava com uma mistura de fúria (querendo enfiar uma estaca no coração daquela vadia psicótica) e ao mesmo tempo amor (querendo tela nos meus braços a todo custo).

-Olha Stefan eu sinto muito mais você que me beijou- Ela disse revirando os olhos para a floresta onde nos encontrávamos- Só você que não percebeu que você me ama e que sempre vai me amar!

-Katherine eu não amo você- Ou será que amo?- quando você vai entender que eu só amo a ELENA?- já estou cansado desse papo de "você ainda a ama"... Você só ama a Elena Stefan! Apenas a Elena. Pense na Elena!

-Quando isso não significar mais nada para você- Ela disse e rapidamente me beijou com tanta intensidade... Ela verdadeiramente sabia como me deixar completamente louco. Como ela tinha esse poder sobre mim? Senti o tronco da arvore em minhas costas. Aquele beijo me lembrou de 1864 quando nós éramos um “casal”. Eu sentia tanta falta dela, do seu corpo e até mesmo do seu poder sobre mim...

-Katherine, por favor, para- eu tentei empurra-la mais não consegui- Para Katherine- Ai meu deus e agora?

-Não paro, eu sei que você me ama Stefan- Ela disse me olhando com feições leves e angelicais- E sempre amara- Ela disse isso baixo antes de desaparecer entre as arvores, eu pensei em correr atrás dela, mais eu não sou um cachorrinho dela! Não! O que eu estou pensando!Eu amo a Elena! Eu não posso fazer isso com a Elena. Porque ela Katherine é assim? Linda e doce por fora mais um demônio impiedoso por dentro. Essa mulher ainda vai acaba me deixando totalmente louco.Si eu for internado em um hospício a culpa é dela!


Continua ..


Nota das autoras: Leitoras esse não ficou muito grande mais foi com muitos esforços que eu e a Paty escrevemos...Espero que gostem é importante para nós duas e se não gostarem pode nós dizer...Se estiver com alguns erros de português não nos culpe...
Beijos Lindos s2s2




avatar
Jady_Delena

Mensagens : 282
Data de inscrição : 03/05/2012
Idade : 19
Localização : São Paulo

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: My worst nightmare

Mensagem por Jady_Delena em Sab Jun 23, 2012 10:16 pm

Topico de comentarios Aqui
avatar
Jady_Delena

Mensagens : 282
Data de inscrição : 03/05/2012
Idade : 19
Localização : São Paulo

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: My worst nightmare

Mensagem por Delena_Somerhalder em Ter Jun 26, 2012 9:04 pm

Capitulo III- The only
(O único)




"O amor é como a guerra; fácil de começar, e muito difícil de terminar."
(Ninon de Lenclos)

**Pov-Stefan**

*Flashback*

Eu acordei ao lado dela, o amor da minha vida simplesmente iria ser sempre ela.

-Bom dia meu amor- Ela disse com uma voz doce. Á Mulher mais linda que já vi... Ou tive.

-Bom dia flor- Eu disse.

-Tem que ir para o seu quarto antes que alguém entre- ela disse subindo em cima de mim.

-O.K. Vou para o meu quarto. EU TE AMO-eu disse dando um selinho demorado nela e saindo debaixo dela.

Levantei e coloquei minha calça e sai do quarto dela.

Katherine era a mulher da minha vida, eu á amo e sempre vou ama-la. Nunca ninguém a substituirá na minha vida.

**Fim do Flashback**

-Nossa que pesadelo. - Resmunguei baixinho.

-Ah amor não foi um pesadelo aquela noite!- Não acredito que ela fez isso.

-Ate aqui Katherine. Pare de manipular meus sonhos ok?- Já estava irritado com a presença dela.

-Desculpe amor, não faço mais- disse ela revirando os olhares.

Eu fui descer as escadas e percebi que alguém dormia no quarto de Damon, alguma humana. Senti o cheiro e percebi que era Elena, ela estava dormindo no quarto dele? Eu sou um imbecil mesmo! Dei uma ótima chance para Damon roubar de vez minha namorada. Encostei meu ouvido na porta e percebi que Elena ainda dormia profundamente. Se ela vir Katherine aqui ela vai me matar.

-Katherine tchau tenha um bom dia. –Eu disse á ela sem nem olha-la nos olhos.

Bati na porta e ninguém atendeu, decide entrar e vi aquela cena que nunca gostaria de ver. Ela dormindo nos braços de Damon... Senti-me um lixo naquele momento que vi Elena na mesma cama que Damon.

-ELENA?!?!- Já estava muito irritado com a cena. Damon e Elena acordaram. Elena continuou nos braços de Damon me deixando arrasado por dentro, mais com raiva por fora.

-O que você quer Stefan!- disse ela irritada também.

-Precisamos conversar.

-Também acho que esta na hora- ela saiu do quarto do Damon e foi para o meu.

**Pov-Elena**

O que eu faço agora? Meus pensamentos vinham em uma velocidade que eu não consegui controlar, minha noite com o Damon ele foi um verdadeiro amigo pra mim... Ele sempre será meu amigo.

[musica do momento: http://www.youtube.com/watch?v=8jOP3FoBevQ]

Você é tudo o que eu achava que nunca seria
Não é nada como um pensamento do que poderia ter sido
Mesmo assim você ainda vive dentro de mim
Então me diga como é que é isso?

Você é o único que eu desejo poder esquecer
O único que eu amo para não perdoar
E apesar de você quebrar meu coração
Você é o único
E apesar de que existem momentos em que eu te odeio
Porque eu não posso apagar
As vezes que você me machucou
E colocou lágrimas em meu rosto
E mesmo agora, quando eu te odeio
Dói-me dizer
Eu sei que eu estarei aqui
No final do dia

Eu não quero ficar sem você, amor
Eu não quero um coração partido
Não quero respirar sem você, amor
Eu não quero ter esse papel
Eu sei que eu te amo
Mas deixe-me dizer
Eu não quero amar você
De nenhuma maneira, não, não
Eu não quero um coração partido
E eu não quero ser a garota com coração partido
Não, não, nenhuma garota de coração partido
Eu não sou uma garota de coração partido

Há algo que eu sinto que eu preciso dizer
Mas até agora eu sempre tive medo
Que você nunca chegasse perto
E eu ainda quero colocar isso para fora

Você diz que tem o maior respeito por mim
Mas às vezes eu sinto que você não me merece
E ainda assim você esta no seu no meu coração
Mas você é o único

E sim, há momentos em que eu te odeio
Mas eu não reclamo
Porque eu tive medo de que
Você fosse embora

Oh, mas agora eu não odeio você
Eu estou feliz em dizer
Que eu estarei aqui
No final do dia

Eu não quero ficar sem você, amor
Eu não quero um coração partido
Não quero respirar sem você, amor
Eu não quero ter esse papel
Eu sei que eu te amo
Mas deixe-me dizer
Eu não quero te amar
De nenhuma maneira, não, não
Eu não quero um coração partido
E eu não quero jogar a menina com o coração partido
Não, não, nenhuma garota de coração partido
Eu não sou uma garota de coração partido

Agora eu estou em um lugar que eu pensei que nunca estaria (ooh)
Eu estou vivendo em um mundo que tudo sobre você e eu (yeah)
E eu não terei medo, meu coração partido esta livre.
Para abrir minhas asas e voar para longe, longe com você

Eu não quero ficar sem você, amor
Eu não quero um coração partido
Não quero respirar sem você, amor
Eu não quero ter esse papel
Eu sei que eu te amo
Mas deixe-me dizer
Eu não quero te amar
De nenhuma maneira, não, não
Eu não quero um coração partido
Eu não quero a garota com o coração partido
Não, não, nenhuma garota de coração partido
Eu não sou uma garota de coração partido

Nada de garotas com coração partido, não, não
Nenhuma garota de coração partido
Nenhuma garota de coração partido

-Stefan...- ele mi interrompeu.

-Amor eu sei que eu te amo e nada mais importa vamos esquecer tudo, por favor?- Eu estava totalmente apreensiva.

-Stefan, eu não posso mais esquecer, você ainda a ama e não da para falar que nada aconteceu! O que nós estamos fazendo da realidade Stefan?- Dei uma breve pausa- O Amor que deveríamos sentir não deixaria você beijar a vadia e muito menos eu dormir ao lado de Damon.- Ainda bem que só dormimos não rolou nada entre nos mais bem que .. Não Elena, Quieta.

-Claro que é amor! Sempre foi amor e sempre será- Ele dizia essas palavras com tanta certeza que eu não sabia se o que nos tínhamos era amor ou uma simples ilusão.

-Stefan eu sinto muito mais não da para continuar dessa maneira- Eu simplesmente soluçava. Mais ao mesmo tempo eu estava me sentindo libertada.

-Elena eu te entendo, tudo bem mais nunca se esqueça de que eu sempre vou amar você- Eu chorei ainda mais com suas palavras perfeitas.

-Você sempre será o meu primeiro amor Stefan... Mais às vezes o primeiro não é o que irá ficar para sempre com você.-Eu sai chorando do quarto e mi deparei com o Damon me esperando no quarto dele.

-Damon posso ficar sozinha?-Eu não sabia o que saia da minha boca mais.

-Elena sinto muito mais esse pedido vai ficar pra outro momento!- Ele parecia mi dar forças ele mi ajudando sempre.

Eu corri até ele o abraçando forte e chorando em sua camisa preta, ele mi abraçou com seus braços fortes e aconchegantes, com seus músculos a todo movimento perto de mim.

-Elena saiba que eu sempre vou estar aqui pra tudo. –Nossa, Damon Salvatore falando isso? Meu Deus acho que eu cai em outro plano de vida não é?

-Tudo bem só mi abraça forte ok?- ele foi tentar mi colocar na cama mais tropeçou em alguma coisa e nos caímos no chão.

Ele caiu em cima de mim esmagando meus seios com seu peitoral me fazendo soltar um gemido baixo de dor, foi quando reparei que ainda estava de camisola.

-Ham... Damon...Você esta encima de mim!-acusei.

-Hum desculpe Leninha, ate que essa posição e bem gostosa hein-. Abriu um sorriso malicioso e eu não aguentei e sorri também.

-Damon olha o respeito. -Esse homem ainda me deixa louca- Eu só preciso ir para a minha casa!-ele fechou a expressão.

-Eu levo Você.

-Pode ser.

Caminhamos ate o carro dele e chegando em casa avistei Bonnie saindo de casa.

-Damon obrigado- Lhe plantei um beijo no rosto agradecendo. E sai do carro dele.

Andei ate minha casa e interrompi o casal sem intenção.

-Bonnie preciso de uma amiga que me conforte pode ficar só mais 1hora?-Eu queria tanto a minha amiga ali comigo.

-Claro Elena o que aconteceu?- Ela parecia mais apreensiva que eu.

Expliquei o que tinha ocorrido, meu termino com Stefan e que o Damon parecia sempre mi dar forças para continuar.
Bonnie saiu de casa então eu decidi tomar um longo banho quente e tentar entender os pensamentos que relutavam dentro de mim.

Tomei um longo banho e peguei meu diário.

"Querido diario,

Hoje eu me senti tão feliz e triste ao mesmo tempo. Tão trancada e liberta ao mesmo... Eu dormi nos braços de Damon, e eu tenho que admitir que foi um ótimo sonho. Até eu acordar... Stefan nos viu na cama dormindo juntos e abraçados, fomos conversar e eu acabei com ele... Eu não podia fazer isso com ele, não podia fazer isso com Damon e não podia fazer isso comigo mesmo... Não vou enganar Stefan como Katherine fez. Eu não sei se ainda o amo. Não sei se amo Damon... Eu verdadeiramente não sei mais nada sobre mim e sobre a minha vida... De uma hora para outra minha vida virou de cabeça para baixo, Katherine apareceu e confundiu Stefan. Damon começou a ser meu melhor amigo, Ele me ajudou todo esse tempo, e eu sei que ele me ama! Sei que Stefan me ama! Mais e eu? Quem eu amo?

Eu vou ter que descobrir isso o mais rápido possível para não me arrepender depois. Só sei que eu vou ter que magoar um deles... Mais qual?"

Fechei o meu diário e fui em direção a escova de dente. Escovei meus dentes.

-Olá amor - Será que sempre entrara vampiros no meu quarto?.

-Oi- Eu disse meio sem jeito.

-Amor eu vou passar a noite com você? Saiba que sempre pode contar comigo vamos ter ainda nossa amizade pode ser?-E agora o que eu faço?

-Pode ser Stefan a lendo mais você e um excelente amigo- nos rimos juntos.

Depois de horas de conversa eu adormeci em seus braços, com seus músculos fortes e tentadores.

Continua...
___________
Topico de comentários: Aqui


____________________________________________________
Nota das autoras: Gente, esse ficou maior! Espero que gostem e que as Stelenas não me matem! Espero que gostem e que por favor, comentem! Os comentários de vocês são muito importantes para o andamento da fic e para incentivar cada vez mais eu e a Jady. Beijoss! Adoro vocês
Patricia.
avatar
Delena_Somerhalder

Mensagens : 227
Data de inscrição : 25/03/2012
Idade : 21
Localização : Na caminha do Kol. Junto com ele e com o Damon.

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: My worst nightmare

Mensagem por Jady_Delena em Sab Jun 30, 2012 2:43 pm

Capitulo IV- I Will Never Forget You.
(Eu Nunca Vou Esquecer Você)

"Difícil é escolher entre razão e emoção, sendo que ambos lhe trarão sofrimento, um pela falta do outro."



**Pov-Escritoras**
Elena estava chegando ao aeroporto da pequena cidadezinha para buscar Caroline e Tyler que voltavam de viagem da Grécia.

-Elena!!!- Elena viu Caroline correndo em direção dela para abraça-la enquanto Tyler estava lá trás trazendo seis malas rosa e uma mala preta.

-Oi Carol- Elena a abraçou- Nossa que saudades amiga. Tudo bem?- Caroline finalmente desgrudou de Elena.

-Tudo ótimo- Ela disse levantando a mão e mostrando um lindo anel prata com uma pedrinha de diamante e com um lindo sorriso no rosto.

-Carol eu não acredito- Disse Elena boquiaberta com o noivado da amiga.

Spoiler:

-Pois é. O Tyler me pediu em casamento logo quando chegamos á Grécia.

-Caroline Forbes você nem para me liga para me contar isso?- Elena fingiu estar chateada fazendo bico.

-É bem melhor contar pessoalmente!- Caroline olhou ao redor procurando alguém e disse- Cadê o Stefan? E a Bonnie?- perguntou Caroline histérica como sempre.

-Bonnie ficou cuidando de Jeremy que esta doente- Elena e Caroline reviraram os olhos ao mesmo tempo- enquanto ao Stefan, ele esta na casa dele... Eu acho. - As lagrimas começarão a encher os olhos de Elena.

-Elena como assim acha?- Caroline percebeu a tristeza da amiga- Elena ele é o seu namorado! Você tem que saber onde ele está!

-Carol, ele não é mais o meu namorado- Elena não aguentou e deixou escapar uma lagrima- Eu terminei com ele ontem.

-Mais Elena e você não me ligou para contar isso porque?- Carol estava histérica.

-Porque eu não quis estragar a sua viagem perfeita com o Tyler- Elena deu uma breve pausa- Que alias onde está?

-Oi Elena- Disse Tyler parando o carrinho de malas ao lado das meninas e abraçando Carol por trás. –Tudo bem com você? –Ele perguntou educado.

-Oi Tyler tudo sim e você?- Elena disse com um sorriso no rosto.

-Estou ótimo obrigado!

Eles foram até o Carro de Elena, Elena seguiu o caminho dirigindo e conversando com Caroline que estava sentada no bando do passageiro.

-Mais Elena como isso aconteceu?- indagou Caroline curiosa.

Elena contou toda a historia para Caroline que quis matar Stefan na hora por ter magoado a amiga, Mais Elena logo á acalmou... Apesar de tudo Elena não sentia raiva de Stefan. Ela queria ser feliz, e esperava que Stefan encontrasse alguém que o merece-se e que também o faria feliz.

**Pov-Damon**

Como essas mulheres demoram a voltar, nossa ate parece que foram em um salão onde eles hidratam ate as sobrancelhas. Que demora.

-Ric cheguei- Nossa aleluia ela chegou pensei que nunca fosse deixar a cachinhos dourados em casa. Eu estava no quarto dela. Ela subiu e entrou no quarto e logo eu a abracei por trás. Ela deu um berro e virou a mão na minha cara e depois colocou a mão na boca assustada

-AH, Damon que susto- Vendo a cara dela eu cai na gargalhada. Eu deveria fazer isso mais vezes- E desculpa pelo tapa.

-Está doida Elena! Não quero nem ver a sua reação quando vir o Damonzão aqui hein-Mulheres quem intende elas?

-Você está querendo me matar é?- Ela disse com a respiração ofegante.

-Pronta para pegar uma balada, cinema ou coisa do gênero?- Eu também precisava sair um pouco.

-Nossa... Damon Salvatore me convidando para ir ao cinema? Que planeta estou?-Ah qual é eu também sei ser romântico.

-Aceita ou não Leninha?

-Aceito tá feliz?

-Vamos logo vai!- Só falta ela querer si trocar e tomar...

-Vou tomar um banho e me trocar 1h no máximo.

-Mulheres...

-Me espera lá embaixo vai.

Eu desci as escadas e deitei no sofá. Depois de 1hora e 54 minutos ela voltou descendo as escadas. Ela estava com um vestido tomara que caia branco com alguns desenhos pretos, um sapato de salto preto, uma bolsinha de mão quase branca e um colar um pouco grande dourado.

Spoiler:

Ela simplesmente estava me deixando louco... "Damon se concentra toma cuidado com o Damonzão aqui" eu me repetia essa frase a cada curva que via de seu corpo.

-Leninha toma cuidado se não eu vou rasgar todo esse vestido- eu disse com um sorriso muito malicioso.

-Tomarei muito cuidado com seus instintos de animal senhor Salvatore- Ela disse com uma piscadela bem maliciosa.

-Elena Gilbert falando isso? Nossa em qual planeta estou?-Ela abriu um sorriso tentador.

-Agora vamos?-Ela estava feliz novamente... E eu admirei e provoquei cada pedacinho do seu sorriso.

-Vamos...

Chegamos ao cinema e como sempre fui um cavalheiro com ela... Eu não seria o Damon pelo qual me escondia, então tentei ser eu mesmo e nossa noite foi muito perfeita. Pelo menos pra mim. A deixei na porta da casa dela, e me surpreendi com o pedido.

-Damon pode dormir comigo hoje?-Ela disse com as suas bochechas coradas.

-Uau, mais e claro Leninha...

-Obrigada- Nos subimos as escadas e entramos em seu quarto...

-Damon eu vou mi trocar! Você quer um pijama?

-Não eu durmo de cueca. –eu disse brincando.

-Tudo bem então- Nossa ela aceitou na boa! O que esta acontecendo com a Elena?!

Ela foi ate o seu banheiro e si trocou e voltou com um pijama preto de calor. O short do pijama não muito curto, mais que já me deixava doidinho... Às vezes fico pensando em como ela tem esse controle sobre mim. Será que eu a amo? Ela me faz tão bem, depois que eu me aproximei dela eu não quis mais ser aquele Damon maníaco. Eu só quero ser o Damon que faz Elena bem, que cuida dela e que ama ela.

-Damon?- Ela disse me chamando me tirando de meus devaneios.

-Ham? Oi!- Eu estava tão desatento que ate ela notou.

-Vamos dormir - ela deu uma breve pausa- Ah eu nunca vou esquecer você Damon - ela veio e me abraçou me dando outro beijo só que esse mais perto de minha boca.

-Elena... - eu simplesmente a beijei e ela retribuiu. Foi um beijo de verdadeiro amor tanto pra mim quanto pra ela, eu amava beija-la, o beijo dela é extremamente doce e intenso. Nunca amei outra mulher desse jeito dês de 1864, ainda bem que aquilo já ficou no passado. Ela deu alguns passos para trás me puxando junto. Nós caímos na cama eu por cima dela. Uma de minhas mãos sustentava o peso do meu corpo para não machucar Elena e a outra passeando pela cintura dela sentindo sua pele macia. Ela virou ficando em cima de mim me beijando intensamente só que de um jeito mais feroz. Ela se ajoelhou na cama me puxando sem tirar seus lábios do meu e subindo minha camisa para tira-la. Ela tirou a minha camisa e jogou em algum canto no quarto. Eu fui subindo a blusa dela e ela me afastou com a mão tentando recuperar o ar com uma expressão de desapontada.

-Desculpa Damon, eu não posso. Não agora. –Ela disse decepcionada.

-Tudo bem Elena. Vem. - Eu deitei na cama e a puxei fazendo-a se encaixar perfeitamente em meus braços- Vamos apenas dormir Leninha. Minha Leninha.

-Como assim sua Leninha? -Eu me remexi na cama desconfortável com a pergunta dela.

-Bom... er, Minha e ponto final sem mais delongas! -Eu disse simplesmente.

-"Leninha" Eu gostei disso sabia? -Ela disse me encarando.

-Sabia que estamos parecendo um casal bobo? -Eu perguntei sorrindo imaginando como seria um pique Nick com a Leninha.

-Ah fazemos um casal bonito! -Ela disse sorrindo ainda em meus braços eu levantei meu tronco para encara - lá.

-Leninha é você mesmo? -Eu disse teatralmente.

-Não bobo... Isso aqui é uma ilusão ótica. -Ela disse sorrindo.

-Ainda bem que é apenas a minha Leninha e de mais ninguém! -Eu disse a encarando chegando cada vez mais perto de sua boca até que ela se aproximou mais de mim e acabamos relando nossos lábios.

-Cadê a parte do "Vamos apenas dormir?" - Ela disse sorrindo.

-Verdade, preciso me controlar mais perto de você, só que você fica colocando essas roupas provocantes com essas suas camisolas e pijaminhas decotados. -Eu disse sorrindo maliciosamente.

-Minhas roupas não são provocantes! -Ela disse simplesmente dando-me um beliscão.

-Vamos dormir antes que eu rasgue suas roupas, isso porque estou me controlando o dia todo. -Eu disse me virando dando as costas para ela.

-Ah não eu disse dormir comigo não dormir na minha cama virado para um canto qualquer! Pode virando pra mim. -Ela disse pegando no meu ombro e me virando.

-Está bem! Agora vamos dormir! -Eu disse a encarando virando para ela.

-Tudo bem... Vamos. -Ela chegou mais perto de mim e depositou a cabeça em meu peitoral sua respiração se acalmou e percebi que ela adormeceu.

-Minha Leninha! -Eu disse em voz alta e percebi que um sorriso formava-se no rosto de Elena eu soltei um sorriso e pensei "Eu estou mesmo como um bobo apaixonado?" Adormeci rapidamente estava cansado e precisava dormir.

**Pov-Stefan**

Finalmente chegar a casa e não haver nenhuma pessoa.

-Oi amor - Não acredito nisso... Eu não tenho mais paz.

-Ah não, por favor, me deixe em paz Katherine. –Eu disse á olhando.

-Não amor, vou te consolar hoje, sei que você não esta bem pelo termino com á copia.

-Uau você querendo me consolar. – O que aconteceu com a minha vida?!

-Eu não estou muito malvada nessas ultimas semanas... Eu... Bom... -Ela disse abaixando a cabeça eu pensei em me aproximar mais
tive medo de voltar totalmente meu passado em minha mente.

-Katherine... -Eu disse me aproximando ela se afastou e começou a correr de mim e disse.

-SE ME PEGAR EU TIRO A MINHA BLUSA STEFAN... –Ela disse virando para mim com cara de safada.Eu não pensei duas vezes, comecei a correr atrás dela.
Ela jogou algumas coisas em meu caminho para me atrasar até que eu a peguei.

-Ui Stefan essa posição nós usávamos muito lembra? -Ela disse sorrindo maliciosamente quando eu a peguei e a deitei no sofá da sala.

-Ah se me lembro! -Eu disse com o mesmo sorriso malicioso. -Você tem que tirar a sua blusa agora senhorita Pierce.

-Claro senhor Salvatore. -Ela disse saindo de baixo. Ela foi em direção ao radio que tínhamos a sala.

-O que você vai fazer Kath... -Ela me cortou

-Seu presente de aniversario atrasado! -Ela disse tirando a blusa devagar e sensualmente e jogando em minha face fazendo seu perfume se empreguinar no ar.

-To gostando! -O que deu em mim? Ela começou a dançar sensualmente, ela me jogou no sofá e subiu encima de mim rebolando contra mim. Ela se levantou eu permaneci sentado, ela soltou seu sapato de salto fino e o jogou para os lados.

Olhei mais uma vez para seu corpo e vi seu sutiã vermelho meia taça que tinha algumas pedras brilhantes que quando batia a luz mudavam de cor.

-Agora você vai ter o que nunca teve esse século Stefinha! -Disse ela se agachando em minha frente passando a mão pela minha região sensível soltei um gemido.

-Kath... -Eu fui interrompido mais uma vez com ela apertando levemente a minha região.

-Quieto Stefan aproveita que hoje sou apenas sua...

Ela tirou a calça revelando uma calcinha também vermelha fio dental, ela deu uma volta rebolando e eu vi que sua calcinha continha uma borboleta atrás.

-Hoje em dia as lingeries estão bem avançadas. -Eu disse apontando para sua calcinha com uma borboleta atrás.

-Amem... Não suportava mais aquelas calcinhas maiores que minha bunda, olha que minha bunda é bem grande. -Ela disse beijando meu pescoço com seus lábios molhados e tentadores.

-Concordo... Sua bunda é bem grande!

-Quem abduziu você? -Ela disse com os olhos arregalados.

-Vem cá... -Eu a puxei e a beijei ferozmente ela retribuiu. Nossas línguas se mexiam como se fossem se desgrudar de nossas bocas.

Eu comecei a me lembrar de Elena eu não podia fazer isso com a Elena eu ainda a amava apesar de tudo.

-Katherine. -Eu disse contra seus lábios. -Eu não... Posso fazer isso, não ainda. -Eu disse a afastando.

-Eu não vou dizer que entendo... Mais tudo bem Stefan eu posso esperar já esperei um século, porque não posso esperar agora? -
Ela disse se afastando pegando suas roupas e as vestindo.

-Me desculpa por não ser o que você esperava! -Eu disse abaixando a cabeça para não encara lá.

-Você é o que eu espero e sempre será. -Quando levantei minha cabeça Katherine não estava mais na sala ela havia saído como uma sombra.

Porque ela fazia isso comigo?Ela me deixava louquinho mais eu sabia que não podia fazer isso. Subi para meu quarto para tomar um longo banho. Peguei minha toalha que estava encima da cama e fui tomar meu banho. Sai do banho sentei em minha cama e comecei a escrever em meu diário.

"Querido diário.
Katherine? Katherine? Katherine? Katherine? Katherine? Katherine? Katherine? Katherine? Esse nome ronda minha cabeça de quando acordo até a hora que vou me deitar para dormir, ela esta diferente mais humana eu sei que não posso confiar, mais uma parte de mim diz que posso confiar... Mais outra lembra do monstro que ela fez eu me tornar.
Eu queria acreditar mais eu não podia, ela não me merecia ela me usou, ela e uma verdadeira vadia. Elena terminou comigo e parece que uma parte de mim morreu eternamente, que nunca mais essa parte que morreu se iluminara com o sorriso de Elena outra vez, eu pensei que seria assim quando Katherine havia ido mais não foi Elena acendeu essa chama mais será que outra pode acender? Eu quero uma vida o mais humana possível eu não queria nada de vampiros e monstros. Eu não posso. “Eu não quero ser um monstro.”


Coloquei o diário na cabeceira me deitei e demorei um tempo para adormecer mais logo adormeci.


-----------------------------------
Nota Das Autoras: Bom leitores até que esse ficou um pouquinho grandinho, espero que gostem esse esta mais Light sem muitas mortes mais a pancadaria logo começa..
Beijooos amores espero que gostem.

Tópico De Comentários AQUI
avatar
Jady_Delena

Mensagens : 282
Data de inscrição : 03/05/2012
Idade : 19
Localização : São Paulo

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: My worst nightmare

Mensagem por Delena_Somerhalder em Ter Jul 03, 2012 4:57 pm

Capitulo V- Another day of fighting
(Outro dia de luta)




Há sempre alguma loucura no amor. Mas há sempre um pouco de razão na loucura.
Friedrich Nietzsche

**POV Caroline


Acordei com Tyler me trazendo um café bem quentinho nessa manha fria... Apesar de eu não precisar de comida humana para sobreviver, eu gostava de tomar cafés da manha que Tyler trazia para mim.

-Bom dia minha loira - Como eu amava esse boy.

-Bom dia amor- tomei um gole do café que estava muito quente...

- Então você, Elena e Bonnie vão ver os preparativos do casamento?- Como assim? Ele já estava falando de marcar a data do casamento?

- Você ainda não marcou a data do casamento meu amor- Tomei outro gole de café e mordi a torrada com geleia que ele trouxe.

- Então vou marcar agora- Eu quase me engasguei, eu nunca vi Tyler tão animado para uma coisa como ele estava animado com o casamento- Que tal daqui dois meses?

-Perfeito- Ele me levantou da cama me fazendo deixar cair á torrada e me rodopiou no ar- Te amo viu meu lobisomem mais lindo do mundo.

- Também te amo minha vampira linda- Ele disse destacando bastante a palavra MINHA.

**POV Escritoras

Elena acordou e não encontrou Damon em nenhum lugar de sua cama. Ela ficou apalpando o local vazio ainda de olhos fechados mais não encontrou nada mesmo.

- Argh!- Elena ficou um pouco triste-aonde será que ele foi?- pensou em voz alta.

Elena foi até o banheiro e quando entrou se deparou com Damon pelado se enxugando. Com certeza ele tinha acabado de tomar banho.

-Damon- disse Elena tampando os olhos com a mão.

-Elena... Se você quer me ver pelado é só pedir tá!- Disse ele com a mão na cintura e com sua voz irônica de sempre- Não tenho vergonha de mostrar meu corpo maravilhoso para você!- Elena corou enquanto Damon enrolava a toalha da cintura- Não precisa fingir que entrou aqui sem querer!

-Damon não é nada disso- Quando Elena tirou a mão dos olhos, deparou-se com o vampiro á centímetros dela. - Eu só estava indo ao MEU banheiro escovar os meus dentes. - Elena estava ficando cada vez mais corada.

-Sei... Então você não quer me ver pelado?- Indagou Damon.

-Não Damon!- Elena disse e saio andando para a pia do banheiro.

-Tem medo de perder o controle é? –o vampiro entrou na frente de Elena se aproximando mais de Elena do que dá ultima vez, fazendo-a estremecer sentindo o hálito de menta do vampiro

Ele deu mais um passo de um modo que a boca de Damon quase tocava a de Elena. As pernas de Elena cambaleavam com o hálito do vampiro em seu rosto. Eles estavam quase se beijando quando o celular de Elena tocou. Elena foi ver quem era e viu que era Caroline.

- Alô- Elena disse tentando se recuperar do quase beijo á dois segundos atrás.

- Elena eu estou em pânico- Elena começou a ficar preocupada com Caroline quando a loira continuou- O Tyler marcou a data do casamento para daqui a dois meses Elena! Agente tem só dois meses para arrumar tudo!- Caroline parou para recuperar o folego e continuou- Eu preciso ver o vestido, igreja, festa, bolo, buque, decoração tudo em dois meses- Damon olhava Elena com cara de ironia- Amiga eu preciso da sua ajuda... Ajuda sua e da Bonnie...

-Carol calma ok?- eu disse calmamente- Eu acabei de acordar!

-Ok, eu vou ai mais tarde para nós irmos escolher o vestido ok?- Carol disse ainda histérica.

- Ok!- Disse Elena- Até mais Carol.

Elena desligou o telefone. Quando virou viu Damon mexendo na sua gaveta de lingerie.

-Que coisa mais sexy Leninha- Ele disse mostrando um conjunto de sutiã vermelho, com alguns detalhes pretos, meia taça com um pequeno laço no meio e uma calcinha fio dental- Gostei! Bem que você podia dormir com isso aqui algum dia né!- Elena corou ferozmente.

-Damon!- disse Elena o empurrando para o lado e fechando sua gaveta.

-Que foi Leninha?- Disse ele fazendo cara de inocente.

-Para de brincar com as minhas lingeries- disse ela- E fale mais baixo ok! O Jeremy pode acordar e escutar...

- Leninha querida já são 13h10min da tarde, o seu irmãozinho saio com a do “caldeirão” faz umas duas horas já!- Elena ficou chocada quando olhou para o relógio e se espantou com as horas.
- Nossa eu dormi tanto- Ela suspirou e disse- Estava tendo um sonho tão bom!- ela olhou para ele- E pare de zoar a Bonnie!
-E você quer me contar esse sonho Leninha?
-Não obrigada! Eu estou com fome Damon- Ela parou por um instante e continuou- Vou descer para comer algo.
- O que você gostaria de comer senhorita Gilbert?- Damon abriu a porta para ela e a deu passagem- Lembre-se que sou um ótimo cozinheiro.
- Hum senhor Salvatore... Eu gostaria de hum... Não sei- disse ela passando pela porta- Me surpreenda!

**POV Damon

Como aquela mulher conseguia me enlouquecer tanto em um simples "me surpreenda" Ela ia se surpreender mesmo se visse o Damonzão aqui! Ela ia até se assustar! Falando nele, coloquei uma cueca que eu tinha pegado no meu carro quando ouvi Elena me chamar.

-Damon?- Ouvi Elena me chamando lá de baixo.

- Estou indo!- em meio segundo já estava atrás dela, ela estava vendo o que tinha na geladeira.

-O que estava fazendo lá em cima Damon- disse ela saindo e se sentando no banco mais próximo que ela viu.

- Me recuperando- As palavras escaparão da minha boca sem eu nem perceber.

- Como assim se recuperando Damon?- Ela disse surpresa. Então resolvi abrir o jogo.

-Leninha querida, não é nada fácil controlar o Damonzão quando passa uma mulher sexy e maravilhosa de shortinhos e uma regata na nossa frente e nós não podermos agarrar!

-E quem disse que vocês não podem?- Elena estava me olhando com uma sobrancelha levantada.

- Quem é você e oque você fez com a minha Elena?- Eu disse brincando. Ate deixei escapar um "Minha Elena" o que acontece comigo ultimamente?

- Só estou brincando com você Damon- Que bosta! Bem que ela podia parar de brincar com isso.

- Leninha querida, não brinca com fogo que você acaba se queimando- disse eu com uma voz irônica e maliciosa.

-Hum... Relaxa que eu tenho um ótimo extintor de incêndio aqui- Ela disse com uma voz totalmente maliciosa apontando par si mesma- mas o que vai fazer para eu comer?

-Hum... Que tal risoto de frutos do mar já que esta na hora do almoço?- Disse eu olhando para ela.

-Gostei! Mais será que tem frutos do mar aqui?- Disse ela levantando e indo até o freezer- Tem!- Ela tirou uma bandeja de frutos do mar e começou a pegar os temperos.

- Quer me ajudar?- disse eu enquanto pegava a faca e a tabua para picar as coisas.

- Claro! Vou picar a cebola- Ela estava picando um pouco grande de mais então resolvi ajudar ela.

- Leninha você tem que cortar menor- Eu fui atrás dela, peguei a sua mão e fui guiando a mão dela ensinando a cortar- Precisa ter paciência e delicadeza- Eu encostei mais o meu peitoral em suas costas e á senti tremer. Percebi que ainda estava de cueca mais tudo bem!

- Damon... - Ela disse sem conseguir acabar a frase. Ela largou a faca e empurrou a tábua para longe da beirada do balcão. Ela virou e se sentou na beirada do balcão puxando o meu pescoço me fazendo ficar entre suas pernas para eu beija-la.

Nós nos beijamos intensamente enquanto a mão dela se passava pelo meu peitoral, o beijo começou delicado e se tornou furioso. Minha mão se passava pelas suas pernas subindo para seu quadril. Eu beijava sua boca intensamente, fazendo nossas línguas fazerem uma dança erótica, eu desci para seu pescoço e logo após para o vão entre seus seios. Eu dava beijos molhados e calorosos em seu pescoço fazendo a prender sua cabeça para trás. Eu cheguei ao seu decote a fazendo soltar um leve gemido de prazer. Ela puxou de leve meu cabelo me fazendo olha-la antes de grudar meus lábios nos dela. Minhas mãos passeavam pelo seu corpo enquanto a dela arranhava minhas costas furiosamente. Minha mão subiu para seus ombros abaixando a alça de sua regata quando a campainha tocou.

-Droga- Elena de súbito se separou de mim, arrumou-se e foi atender a porta.

Continua....



______________________
Topico de comentarios: Aqui.
______________________
Nota das autoras: Então meus amores, desculpa pelo capitulo estar pequeno... É que neste dia eu e a Jady estavamos com um grave bloqueio na mente kkkkkkk! Então sinto muito mesmo! Mais de qualquer jeito, eu espero que vocês gostem! Se gostarem comentem por favor (Os coments de vocês deixa a loira e a morena aqui feliz Very Happy ) e se não gostarem, comentem mesmo assim!kkkk. Qualquer erro de ortografia me avisem que eu vou lá e arrumo (apesar de eu revisar, alguns passa) e se não gostarem de alguma coisa no capitulo vocês me avisem que eu e a Jady tentamos melhorar no próximo capitulo. Beijoss amores.


Última edição por Delena_Somerhalder em Ter Jul 03, 2012 4:59 pm, editado 1 vez(es) (Razão : Esqueci de adicionar uma coisa.)
avatar
Delena_Somerhalder

Mensagens : 227
Data de inscrição : 25/03/2012
Idade : 21
Localização : Na caminha do Kol. Junto com ele e com o Damon.

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: My worst nightmare

Mensagem por Jady_Delena em Sab Jul 07, 2012 7:15 pm

Capitulo VI- I'm going crazy.
(Eu estou ficando louca)



Cada qual sabe amar a seu modo; o modo, pouco importa; o essencial é que saiba amar.
Machado de Assis


**POV Caroline

Cheguei á casa de Elena e com meus ouvidos apurados ouvi.

-Empata foda- esse era o Damon?

-Quieto, deve ser a Carol- Disse Elena.

-A cachinhos dourados sempre atrapalha- Ah parem de zombar de mim quando eu não estou presente para me defender. Bom quase presente. Elena abriu a porta e disse:

-Oi Carol.

-Oi Elena, temos que ver os preparativos!- Eu disse com um grande sorriso.

-Claro! Eu vou só vou me trocar e nós vamos... Entre Carol- Elena parecia mais feliz.

Eu entrei e congelei ao ver Damon de cueca

-Damon- Eu disse colocando as mãos nos olhos.

-Ah sobre isso nós conversamos depois- Disse Elena afirmando- Damon não precisa mais fazer o almoço tá!

-Ok Elena- Damon me olhou- Como se você nunca estive-se visto em momentos bem mais sexy- Damon disse piscando para mim.

-DAMON- Elena estava irritada acho que ela não queria se recordar dessa época.

-Desculpe Leninha- Ele fez um bico e uma carinha de cachorro abandonado.

-Agora estou noiva Damon, sem brincadeirinhas entendeu?- Ele ainda tem coragem de lembrar aquela época.

-Vou colocar uma calça!- Ele disse por fim e subiu rapidamente pela escada.

-Acho bom- Disse Elena. Porque ela estava com raiva?

-Carol espera aqui!- Disse Elena e subiu as escadas de dois em dois degraus.

-O.k.- eu disse por fim. Sentei no sofá e esperei.

Elena subiu atrás de Damon.

**POV Damon
Subi para colocar uma roupa já que tomei meu banho e fui fazer o almoço de Elena (que ela nem quis depois) de cuequinha Boxer preta.

-Damon, a Carol vai casar- Disse Elena abrindo á porta do quarto dela com tudo - Não de em cima dela, por favor?- Eu não dei em cima dela.

-Tudo por você Leninha- Ela deu um sorriso, pegou uma roupa no armário e foi ao banheiro se trocar.

Logo, Elena saio do banheiro com uma calça jeans, uma bota preta sem salto, uma blusa branca e um casaco preto. Terminei de colocar a minha roupa “eu sou lindo de mais. Um verdadeiro homem irresistível” pensei me olhando no espelho de Elena.

*-*

Cheguei à mansão Salvatore e me deparei com a maior bagunça. Olhei na sala e vi Katherine sentada no encosto do sofá com as pernas envolta da cintura de Stefan. Eles estavam se beijando profundamente.

-Que isso Tefinha, continua beijando a vadia psicótica?- eu não acredito! Depois de tudo o que ela fez, ele ainda tem atração por essa vaca!

-Ham? Oi!- Ele parecia que tinha saído de um show de horrores- Não é nada disso que você esta pensando- disse exaltado jogando Katherine no sofá.

-Ei amor, cuidado, eu sou frágil- Disse Kath fazendo um bico, ainda sentada no sofá.

-Eu quero que você si dane Katherine!- Ele estava muito irritado tendo a primeira discussão “amorosa”.

-Não era isso que você queria á... - Ela olhou para os lados e viu os objetos caídos no chão pela euforia deles. –á dois minutos atrás quando nós estávamos quase indo pra cama- afirmou Katherine.

-Cala a boca- De algum modo ela ainda mexia com seus sentimentos, acho que ele só não sabe qual sentimento são esses.

-Oh Casalzinho, vou para o meu quarto. –eu disse isso por fim e comecei a subir as escadas.

Cheguei ao meu quarto e deitei na cama e tentei dormir já que não consigo fazer isso quando estou perto de Elena.

**POV Elena

Caroline estava totalmente histérica na loja de vestidos de noivas, como Bonnie não pode vir já que ficou cuidando de Jeremy em casa, logo... Era eu que estava ajudando a Carol nos preparativos do casamento.

-Elena, acho que é esse!- Caroline apareceu com um vestido um pouco extravagante, na minha frente... Esse já era o 12º vestido que ela experimentava.

-Carol os outros eram lindos mais esse é perfeito! Você esta linda amiga!

O vestido de Carol era tomara-que-caia, não tão cheio, com alguns detalhes pratas pelo vestido todo. Ela estava linda, totalmente perfeita.

-Ah Elena ele é perfeito vai ser esse mesmo! – Carol estava chorando de alegria e eu fui abraça-la!

- Você esta perfeita Carol!- Eu disse olhando para ela- Mais do que você já é.

Carol terminou de tirar as medidas e eu a levei até em casa, e depois fui para a minha casa. Cheguei em casa era umas 19:00, vi que não tinha ninguém, então, resolvi tomar um banho. Terminei meu banho, sentei na cama e peguei o meu diário para escrever.

“Querido Diário,

Eu nunca vi Caroline tão linda e tão feliz como eu a vi hoje, ela está prestes a realizar um sonho que mais da metade do mundo quer algum dia realizar, inclusive eu.
Essa manhã, quando eu acordei e vi que Damon não estava ao meu lado, eu me senti tão triste e solitária como nunca tinha me sentido antes. Hoje eu percebi como o Damon faz falta na minha vida. E eu e ele na cozinha fomos uma coisa tão intensa que nem eu mesma acreditei que poderia sentir aquilo algum dia. Foi uma sensação que nunca senti com Stefan e muito menos com Matt. Essa minha aproximação com Damon esta me deixando cada vez mais confusa. E eu estava mais indecisa do que nunca em relação aos meus sentimentos.”

-Olá Leninha. –Disse Damon ao entrar no meu quarto pulando a janela.

-Ai que susto será que você pode ser uma pessoa normal e entrar pela porta? –Eu disse simplesmente.

-Eu não sou normal, minha beleza deixa isso bem claro Leninha. –Ele disse se aproximando de mim.

-Vai dormir comigo hoje? –Eu perguntei me levantando e indo até o meu banheiro tirar minha maquiagem e limpar meu rosto.

-Pedi com carinho que eu fico! –Disse ele entrando no banheiro me olhando de cima a baixo.
Eu bufei, limpei meu rosto rapidamente eu não tinha passado muita maquiagem então estava pratico para tirar, escovei meus dentes e me aproximei dele.

-Damon quer dormir agarradinho comigo hoje? –Eu disse mexendo na gola de sua camisa preta.

-Agarradinho? Bem... Er... Agarradinho? –Ele disse piscando varias vezes como se saísse de um transe.

-Sim Damon. Preciso de um amigo agora... E você esta sendo um amigo verdadeiro para mim, perder o Stefan foi difícil mais eu me sinto liberta para começar uma nova vida ao lado... –Eu parei de falar quando percebi realmente o que tinha por trás das palavras.

-Ao lado? –Ele insistiu em saber.

-Ao lado de todos que amo Damon! –Eu disse rapidamente indo em direção a minha cama, depois de alguns segundos ele se deitou também.

-Você vai dormir de roupa? –Eu perguntei apontando para sua calça de couro e sua camisa branca.

-Durmo pelado se quiser Leninha, é só pedir. –Disse Damon sorrindo maliciosamente.
-Não... é que bem... Você vai dormir desconfortável... Já sei. –Eu disse levantando-me e indo ao quarto de Jeremy, peguei um pijama que Jeremy tinha que caberia bem em Damon e voltei para meu quarto.

-Mais o que é isso? –Disse Damon quando lhe entreguei o pijama do Popeye.

-Um pijama agora vai ao banheiro se trocar e depois volte! Vai... –Eu disse empurrando-o para o banheiro.

-Mais... –Eu o cortei.

-Não tem mais... ANDA DAMON. –Eu disse batendo o pé. Ele entrou no banheiro emburrado, eu fechei a porta e escutei-o reclamando de algo.

**POV Bonnie

Eu comecei á passar mais tempo na casa de minha avó eu sentia muita saudade dela e eu queria estar com ela. E a casa, me fazia sentir a presença dela. Queria tanto que ela estivesse ainda viva e conversar com ela.

Escutei minha campainha tocar e já era tarde eu estava prontinha para ir dormir.

-Oi Bonnie. –Disse Jeremy meio sem jeito.

-Nossa que surpresa... Bom Jeremy já é noite e bem... eu ia dormir! –Eu disse sentindo minhas bochechas corarem.

-Eu vim... Na verdade eu não sei por que vim. –Disse ele com a mão atrás da cabeça.

-Quer assistir um filme Jeremy? –As palavras saiam de minha boca como se tivessem vida própria.

-Eu adoraria. –Disse Jeremy entrando.

-Escolhe o filme que eu faço a pipoca. Quer refrigerante ou cerveja? – Eu perguntei sorrindo.

-Refri... Não estou muito bem para beber hoje– Disse ele pegando um filme que parecia se de zumbi e colocou no DVD.

Coloquei a pipoca no micro-ondas. Escutei o “Pi” e estava pronta, coloquei a pipoca em uma tigela de vidro e coloquei sal.

-Aqui esta... –Eu entreguei a tigela para Jeremy que já estava com dois copos cheios de refrigerante.

-Essa será uma linda noite Bonnie. –Disse ele por fim me fazendo ficar um pouco confusa.

Minha noite com ele foi perfeita, eu realmente sentia uma coisa por ele mais eu tinha medo, quando ele ficou doente eu cuidei dele, Elena havia me pedido e ele é tão lindo e carinhoso. O filme acabou e ele foi embora.

**POV Damon

Tomei meu banho e coloquei o pijama de Jeremy. Sai do banheiro da Leninha e apareci na frente dela.

-Você fica lindo de Popeye. –Disse ela gargalhando com meu traje.

-Isso não tem graça! –Eu disse com um biquinho.

-Coloca essa sua bundinha aqui e vamos dormir. –Ela disse batendo na parte vazia da cama dela me fazendo arregalar os olhos.

-Você pode deixar a minha bundinha quieta. –Eu disse colocando a minhas mãos na minha bunda.

-Damon você acha que o Stefan está com a Katherine? –Ela perguntou abaixando a cabeça e apertando o monte de cobertas que havia na cama.

-Posso ser sincero?

-Você deve ser. –Disse ela.

-Ele está com problemas Elena. Eu o vi beijando a Katherine hoje! –Eu disse olhando-a, uma lagrima caiu dos olhos castanhos de Elena e eu automaticamente limpei.

-Eu não tenho motivos para chorar! –Ela disse se aproximando de mim.

-Leninha com o tempo tudo passa, o tempo cura todas as feridas... Deixam uma pequena cicatriz mais cura, você vai esquecê-lo é só questão de tempo. –Ela se aproximou de mim.

-Damon, você é tão fofo quando quer. –Ela disse simplesmente.

-Eu sei que sou lindo. –Eu disse fazendo-a sorrir.

-Damon você lembra-se da sua mãe? –Ela me pegou desprevenido.

-Lembro-me de poucos momentos com ela, mais do meu pai eu lembro até de suas ultimas palavras que ele disse para mim. –Eu disse olhando o teto do quarto da Leninha.

-Você deve sentir muita falta deles. –Disse Elena se aconchegando em meus braços.

-Sim eu sinto, apesar de eu nunca ter me dado muito bem com meu pai eu sinto. E da minha mãe, o pouco que eu convivi com ela foi os melhores anos da minha vida... Mais conforme se vive muito as coisas morrem Elena, mais é assim... Não tem como evitar. –Eu disse simplesmente.

-Ela devia ser linda não é? –Perguntou Leninha sorrindo.

-Ela realmente era uma das mulheres mais lindas que eu já vi em todo o mundo. –Eu disse sorrindo também.

-Algum dia você me mostra uma foto dela? –perguntou Elena.
-Se eu achar uma eu mostro- eu disse.

-Vai, vamos dormir já estamos até falando besteiras! –Disse Leninha fechando os olhos.

-Isso durma minha Leninha. –Eu disse simplesmente.

-Você não vai parar de me chamar de sua né? –Perguntou Leninha abrindo um olho apenas.

-Você será sempre minha querendo ou não! –Eu disse.

-Eu percebi boa noite meu Damon. –Eu me assustei mais percebi que ela brincava.

Mais uma vez eu dormi com Elena nós meus braços eu sei que era o bastante para alimentar um amor, mais eu queria mais do que ter ela nos meus braços eu a queria por inteiro.

**POV Tyler

Carol dormia calmamente. Eu pulei sua janela e a vi dormir eu pisquei e cadê ela?

-Se minha mãe pega você aqui estamos ferrados! –Disse Carol sussurrando em meu ouvido atrás de mim, me virei rapidamente.

-Eu estava com saudades, como foi seu dia? Escolheu o vestido? –Eu perguntei esperançoso.

-Escolhi. Nossa o vestido é lindo, perfeito amor. Vai ser um sonho esse casamento amor! –Ela disse sorrindo batendo palmas.

-Minha mãe gosta de você, mais ainda acha que tenho que casar com alguém que tenha mais “Bufunfa”. –Eu disse simplesmente.

-Eu sei como sua mãe é... Mais eu vou casar com você e não com ela. –Ela disse se sentando na cama.

-Mais ela é sua sogra- eu disse.

-Não me importo, eu amo você, é com você que eu quero casar. –Disse ela pegando meu rosto com suas mãos delicadas- Por você eu aguento qualquer coisa.

-Eu amo você minha vampira sexy– Eu disse mordendo meus lábios.

-Minha mãe está acordada Tyler! –Disse Carol espantada.

-AI MEU DEUS E AGORA? –Eu perguntei ainda mais espantado que ela.

“Caroline?” Escutei a mãe dela á chamar.

-Pula a janela.

-Da um beijinho? –Eu perguntei fazendo um bico.

-Pula logo essa merda de janela Tyler. –Disse ela me empurrando eu abri a janela e pulei mais logo escorreguei e cai de cara no chão.

-Tudo bem ai? –Perguntou Carol com a cabeça na janela.

-Vou sobreviver!

-Eu te amo. –Dizendo isso ela desapareceu.

Entrei em meu carro e segui para minha casa, minha mãe deveria estar preocupada.

**POV Escritoras.

Stefan se remexia muito na cama, ele levantou e foi para sala. No caminho ele viu o seu diário de 1864.

-Lembranças ruins. –Ele disse em voz alta.

Ele sentiu outra pessoa na casa. De repente sentiu um vento e logo foi jogado contra a parede.

-Olá Tetefi– Ele bufou e se levantou rapidamente.

-Puta que lá merda Katherine! –Disse Stefan irritado.

-Também te amo Stefan. –Disse a vampira se sentando no grande sofá.

-Olha, eu sei que você me ama, mais eu quero dormir se não se importa a porta da rua é á serventia da casa Katherine. –Katherine se sentiu queimar pelas palavras ela estava cansada de ser capacho de Stefan.

-CHEGA STEFAN! EU NÃO AGUENTO MAIS... EU VENHO AQUI NA MAIOR BOA VONTADE TE AJUDAR PELO SEU TERMINO COM Á COPIA ESCARRADA E VOCÊ ME TRATA COM QUATRO PEDRAS NA MÃO, VOCÊ NÃO CONSEGUE SUPERAR ESSA MERDA DE 1864? –Ela perguntou com raiva muita raiva.

-Katherine não é isso é que... –Ela o cortou.

-NÃO QUERO SABER STEFAN, VOCÊ É UM FROXO. –Ela disse com o dedo na cara de Stefan.

-E você quer que eu acredite que você deixou de ser uma vadia? –Stefan já estava cansado com a briga.

-Sinto muito Stefan mais eu sou assim. –Katherine disse em um tom normal com olhos focados no de Stefan.

-Eu não quero brigar com você, mais que você merece uma estaca no seu coração você merece. –Disse Stefan simplesmente.

-Legal vou embora minha paciência acabou por hoje... Boa madrugada. –Ela ia saindo quando Stefan apareceu na frente dela.

-Vai ficar brava? –Ele perguntou.

-Não Stefan, só não vou perder meu tempo com quem não quer minha presença. –Dizendo isso a vampira saiu e Stefan não teve nem tempo de dizer alguma coisa a Ela.

-Vadia dos infernos! –Ele disse com raiva.

*-*

Katherine saiu com raiva da mansão Salvatore ela queria matar alguém para destruir a raiva que tinha dentro de si.

Ela foi até o Mystic Grill, entrou e foi procurar sua vitima. Logo ela avistou um rapaz loiro de olhos azuis e com um porte físico muito bonito.

-Olá gatinho. –Disse Katherine encostando-se ao balcão e sorrindo sensualmente.

-Olá. –Disse o loiro simplesmente.

-Tá sozinho aqui no Grill?- Disse Katherine olhando para ele.

-Estou- disse o rapaz.

-Quer conhecer meu carro gato? –Perguntou Katherine roçando os lábios na boca do loiro.

-Eu iria á qualquer lugar com você–Disse ele já enfeitiçado com a beleza da vampira. Ela o puxou pela mão então os dois saíram do Grill ela procurava um lugar escuro.

-Então onde está sue carro? –Perguntou o loiro sorrindo esperançoso.

-Eu não sinto muito por isso... Mais é minha natureza sabe loirinho? –Perguntou Katherine encostando-se à parede.

-Você é muito linda. –Disse o loiro passando os dedos na face da vampira.

-Oh eu sei... Mais agora vou acabar com você! –Disse Katherine roçando os lábios no pescoço do rapaz.

-Isso acaba comigo vai gostosa. –Katherine sorriu, as veias nos olhos da vampira apareceram e ela logo mordeu o pescoço do rapaz. O sangue do loiro era tão doce e amargo ao mesmo tempo. Ela sugou cada gota do sangue dele.

-Morreu. Espero que te enterre gatinho. –Katherine jogou o corpo em meio ao beco, limpou a gota de sangue que escorria por sua boca e saio andando.


-------------------------------
Tópico De Comentários
-------------------------------
Nota Das Autoras -- Bom leitores esse está mais grandinho, espero que gostem pois deu um trabalho enorme para a Paty arrumar tudo, ela sempre arruma Razz .. Espero mesmo que gostem pois é importante... Acho que o próximo está maior ..
Beijoooooos s2s2
avatar
Jady_Delena

Mensagens : 282
Data de inscrição : 03/05/2012
Idade : 19
Localização : São Paulo

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: My worst nightmare

Mensagem por Delena_Somerhalder em Ter Jul 10, 2012 11:02 pm

Capitulo VII- The beginning of all nightmares
(o inicio de todos os pesadelos)


“E… Quando eu estou com você,
eu me sinto uma pessoa melhor.
Me sinto mais feliz. Menos… sozinha.
Menos solitária.”


**POV Elena

Acordei e sentei na cama olhando em volta, a manha era tão perfeita, calma, manhosa e muito linda.


Pensei que encontraria uma pessoa especial ao meu lado... Damon, por que eu pensava tanto nele? Eu só queria ao menos entender!


Fui tomar um banho, Afinal eu tinha que ir ao colégio. Pena que Damon não estaria lá "CALA BOCA ELENA" eu não me parava de repetir isso todas as vezes que saia o nome Damon de meus lábios rosados. Eu simplesmente não parava de pensar nele nem se quer um minuto. Sai do banho e fui ver que roupa iria vestir.


-Olá Leninha – Eu senti um maravilhoso hálito de menta falando no meu ouvido e um leve sorriso se formou em meus lábios. Eu simplesmente adorava ouvir aquele nome. Aquele nome cujo apenas uma pessoa me chamava. Virei e me deparei com um par de maravilhosos olhos azuis e uma boca á centimetros da minha. Engoli em seco, como eu queria agarrar aquele homem e não me separar dele nunca mais... “CALA A BOCA ELENA” me repite de novo e sai daquele enorme transe.


-Oi Damonzinho- Eu disse só pra variar as vezes, ainda bem que eu estava enrolada na toalha.


-Damonzinho não hein, não tenho nada de "INHO" em mim – Ele disse e abriu um sorriso totalmente malicioso.


-Achei que você ia estar pelado no meu banheiro novamente! –Eu disse simplesmente sem pensar muito bem.


-Quer me ver pelado novamente? Ou dar um “Oi” para meu amigo aqui? –Ele disse apontando para seus... Bom seus documentos digamos assim.


-Er... Melhor não, então onde esteve?- Perguntei sorrindo para ele e voltando a olhar o que iria vestir para o colégio.


-Bom fui tomar um ar... Elena estou preocupado com o Stefan eu achava bom você ir falar com ele, eu sei que isso não é normal vindo do gostosão aqui mais ele é meu irmão apesar de tudo. –Disse Damon se deitando em minha cama.


-Vou ver o que posso fazer. Você adora se deitar na minha cama né? –Quando dei por mim já estava encostada na parede e Damon a alguns centímetros de meus lábios me fazendo perder o ar.


-Você prefere que eu deitasse no sofá Leninha? –Ele disse olhando fixamente nos meus olhos. Uma mão de Damon estava em minha cintura e a outra segurando minha mão á parede.


-Damon para de ser safado garoto! –Eu disse empurrando-o, precisava ir ao colégio.


-Estragou minha ideia Leninha! –Ele disse com as mãos na cintura.


-O que pretendia fazer? –Eu perguntei com uma sobrancelha levantada.


-Nada que eu não quisesse a muito tempo Leninha. –Ele disse passando atrás de mim.


-Ok... Para de me tarar Damon. –Eu disse simplesmente.


-Eu não estou te tarando... Ainda. –Ele disse com um singelo sorriso.


Eu peguei uma calça jeans preta uma blusa de manga meio curta azul e fui para o banheiro me arrumar.


-Pode se trocar aqui... O Damonzão não liga, sabe ele até fica bem animado! –Escutei Damon dizer e logo depois ele deu uma risada travessa em seguida.


Coloquei minha roupa, passei um pouco de pó e base. Um rímel da cor preta, lápis de olho e um batom cor de boca.


“Perfeito” Pensei.


-Vai me levar para o colégio? –Eu perguntei com um biquinho para o Damon quando sai do banheiro.


-Eu estava pensando em uma coisa melhor, ficar aqui nessa cama dormindo o dia todo! –Disse ele simplesmente.


-Ah não você vai me levar para a escola sim, vamos anda. –Eu disse empurrando-o para que ele levantasse, consegui empurrá-lo até a metade da cama até que ele caiu da cama e me puxou junto.


-Porque você sempre cai encima de mim? –Ele perguntou sorrindo com as mãos em minha cintura, ele levantou seu tronco e senti a mão dele em minha coxa.


-Onde você pensa que essa sua mão vai? –Eu perguntei tirando a mão dele da minha coxa.


-Para o caminho da felicidade que não é! –Ele disse se levantando ainda comigo em seu colo. Minhas pernas estavam em sua cintura, minha respiração estava ofegante e a dele também.


-Colégio Damon. –Eu disse me soltando dele.


-Estraga prazeres. –Disse ele com um biquinho.


Desci as escadas e a casa já estava fazia peguei uma maçã, abri a porta e Damon já estava fora de casa.


-Você tem que parar de pular a minha janela! –Eu disse indo em direção ao seu carro.


-Para de reclamar.


Estávamos-nos em sua Ferrari preta para admitir eu estava totalmente me gabando dentro daquele carro lindo com um Deus ..."CALA A BOCA ELENA".


-Me dá aqui Leninha! –Ele disse roubando minha maçã.


-Obrigada por roubar minha maçã! –Eu disse simplesmente.


-Está tão gostosa essa... –Ele não continuou e mordeu a maçã.


-Essa o que? –Eu perguntei curiosa.


-Você é gostosa Leninha. –Eu arregalei meus olhos com a mudança drástica de assunto.


-DAMON. –Eu disse ainda espantada.


-Desculpe... Eu sei que o Stefan não tem essa pegada que só eu tenho. –Ele disse sorrindo.


-Você é um besta mesmo. –Eu disse sorrindo. Damon me fazia rir e me ajudava a esquecer das coisas com que lido em minha vida.


-Chegamos Leninha.- Ele disse saindo


-Obrigada Damon - Eu estava saindo do carro.


-Ei, nem um beijo de despedida querida? - Como ele tinha coragem ai esse homem em.


Eu lhe dei um beijo demorado na bochecha. Ele saio do estacionamento do colégio, tinha batido o sinal de entrada. Eu não havia visto o Stefan em lugar algum eu precisa conversar com ele... Ele faz muita falta na minha vida. Então, finalmente bateu o sinal para irmos pra casa.


Então decidi ir á mansão Salvatore mesmo sabendo que poderia encontrar Katherine eu não hesitei.


-Stefan? - Será que ele estava em casa?


-Oi Elena, só um minuto estou descendo sabe estou meio despido. -Nos rimos, eu sentia falta desses sorrisos de Stefan. Esperei alguns minutos.


Stefan estava com uma calça jeans mostrando seu tanquinho lindo e maravilhoso."ELENA ELE NAO É MAIS SEU. CONTROLE-SE O QUE ESTAVA AVENDO COMIGO EU ESTAVA CARENTE?"


-Elena? -Pelo que reparei ele tinha repetido pela segunda vez.


-Ham? Oi Stefan - Uau que lindo ele estava com seus cabelos bagunçados.


- Olha eu nem sei porque vim eu sei que estava sentindo sua falta eu preciso de um abraço Stefan!- E precisava mesmo.


Stefan me abraçou e eu comecei a me recordar do tempo que estávamos juntos ainda das noites quentes e, estava com muita saudade dessa época.


-Porque não foi ao colégio? –Eu perguntei me soltando dele e indo para o sofá.


-Não tenho motivos para ir, e realmente escola é um saco quando se vive muito tempo! –Disse Stefan se sentando ao meu lado.


Nós ficamos conversando e rindo muito pelo visto seriamos bons amigos, eu gostava muito de Stefan mais outra pessoa parecia me consumir mais e mais.


**POV Damon


Estava pensando muito em Elena. Eu sei que e a amo muito mais que amei Katherine e sei que ela não me ama, mesmo sendo muito amigos, eu a amava e faria de tudo para ter Elena ao meu lado.


Perdi a linha de meu pensamento quando esbarrei em alguém.


-Desculpe Salvatore! –Disse um homem um tanto mais alto que eu, olhos de um azul claro, seus cabelos eram pretos e um tanto bagunçados, sua pele era branca mais não muito.


-Como sabe meu nome? –Eu perguntei desconfiado.


-A cidade é pequena, e eu o conheço á muito tempo. –Ele disse colocando as mãos nos bolsos.


-Interessante. –Eu disse simplesmente.


-Meu nome e Brian - Ele deu uma breve pausa, respirou e continuou - Vim por causa da preciosa Elena dos Salvatores não e mesmo? Alias vocês dariam a vida por essa humana fútil! -Meu sangue pulsou ao ouvir a ultima palavra desse animal de teta.

Spoiler:
Gente, a foto do Brian:


-Lave a sua boca para falar de Elena... Afinal o que você quer? –Eu perguntei tentando me controlar para não arrancar a língua dele no meio da praça.


-Já levei muito tapa na cara Damon, mais dessa vez quem vai sentir dor não será á preciosa Elena, e sim o Salvatores. –Ele disse em um tom calmo.


-O que você quer comigo? –Eu perguntei um tanto exaltado.


-Ah muito tempo me fizeram perder uma coisa, agora estou aqui para pagar na mesma moeda! –Dizendo isso ele saiu andando em meio das pessoas.


Quem era esse cara?Finalmente iria matar alguém nessa cidade eu pensei e dei um sorriso um pouco demoníaco.


Fui direto a casa de Elena, e ela não estava lá... Segui então para a mansão Salvatore e a encontrei conversando com Stefan.
Cheguei e contei tudo o que tinha acontecido, Stefan parecia que precisaria de outra esquelette, e Elena parecia que precisa dormir em longos sonhos manipulados para se recuperarem.


-De quem ele fala? Quem sofrera as consequências? –Perguntou Elena se levantando e colocando a mão na testa preocupada.

-Não sei pelo o que entendi foram erros do nosso passado Tetefi. –Eu disse simplesmente.


-Mais o que será que ele falava?-Eu tenho um BURRO mastigador de pastos na família só pode.


-E Isso que estamos tentando descobrir lesado!


-Stefan Leia os seus diários quem sabe você acha alguma coisa! -Nossa aleluia uma inteligente nessa conversa


-Muito Bom Leninha!


-Muito obrigada Damon...


-Vou fazer isso agora mesmo... Mais vou demorar a descobrir, afinal, o Brian não disse que ano se passava na época!-Aleluia meu irmãozinho pensou um pouco.


-Vou pra casa tchau pra vocês.-Ah eu vou com você.


-Eu levo você- Ela abriu um sorriso lindo.


-Ok tchau Stefan - Ela lhe deu um beijo no rosto e nos fomos para a casa dos Gilbert, ela estava sorrindo.Chegamos e nos deparamos com Alaric.


-Olá Ric- Disse Elena com um sorriso que escondia alguma coisa.


-Olá, Damon o que faz aqui?-Nossa que recepção amorosa hein.


-Acompanhando a Leninha- Elena subiu e nos começamos a ter a nossa conversa de "Macho" eu claro"E á Boneca".


-Então Ric já superou a perda da nossa querida Jenna?-Tentei não soar irônico afinal ele a amava e eu o entendia totalmente.


-Sempre vou amá-la- Disse olhando para as suas mãos- Mais, a vida continua. E você continua amando Elena?


-Vou amá-la por toda a minha Eternidade... Mais chega desse papo mela cueca Ok?Quando vamos beber novamente hein?


-Complicado estou em épocas de prova. Ah fala para a Elena não faltar muito! -Ué virei pai dela?


-Qual é? Eu não mando na vida dela.


-Mais ela escuta você pense nisso Damon. -Ele saiu para o quarto de Jenna. (PS: Gente, nesta fanfic a tia Jenna morreu por um vampiro qualquer que não é citado no livro.)


Eu subi para o quarto da Leninha e percebi que ela estava em seu banho eu tinha tanta vontade de entrar dentro daquele banheiro e agarra - lá.


**POV Stefan


Eu estava louco, eram tantos diários e eu não entendi exatamente o que o Brian tinha dito para Damon.


-1872,1876,1890 Não sei por qual começo. 1864 Katherine,saudades da época que era humano.-Resmunguei.


Comecei a ler muitas diários dez do começo em que me tornei um vampiro,tentei não ler o diário de 1864...Pulei esse e comecei adiante já tinha lido 3 diários ou seja 3 anos já tinha se passado da minha transformação, no começo eu estava totalmente louco...Sedento por sangue.


As letras estavam começando a se embaralhar em minha mente então resolvi me alimentar e fui caçar.


Depois que fui caçar fui para meu quarto ler mais alguns diários e descobrir o que me esperava. Subi para meu quarto e automaticamente olhei á janela e Katherine estava sentada ali.


-O que faz aqui? –Eu perguntei com raiva dela.


-Só vim ver se você estava bem! –Ela disse simplesmente sem me olhar nós olhos.


-Sua blusa está manchada de sangue. O que aconteceu? –Eu perguntei me aproximando dela.


-Fui caçar, achei uma garota no meio do mato só que ela me enfiou uma faça na barriga! –Disse ela passando a mão aonde devia ter acertado a facada.


-Vou pegar uma blusa minha. –Fui ao meu armário e peguei uma blusa de botões. –Aqui está.


Ela tirou a regata branca que vestia. Tentei não olhar para seu corpo mais meus olhos pareciam ter vida própria.


-Mais como a garota te enfiou uma faca na sua barriga? –Eu perguntei com uma sobrancelha levantada.


-Eu não sabia que ela estava com uma faça ela tirou a faca de dentro da bota e eu não vi. –Ela disse colocando minha blusa lentamente.


-Stefan... Quando você vai entender que eu sou assim porque é preciso? –Ela perguntou depois do que eu disse em nossa discussão.


-E você tem que entender que meu amor por você não era... Não era verdadeiro. –Eu disse abaixando minha cabeça.


-Eu sei que você me ama Stefan, sempre amará. –Ela disse simplesmente.


-Posso até amar, mais 1864 nunca mais vai voltar, você teve a sua chance e á perdeu quando não quis ficar comigo, quando manipulou eu e Damon... Quando nos transformou em monstros! –Eu disse olhando fixamente nos olhos dela.


-A verdade dói não é? Eu só vim ver se você estava bem, boa noite Stefan. –Ela se aproximou de mim e me deu um leve beijo na bochecha e á vi pulando a janela.


-Essas mulheres! –Então peguei mais um diário e comecei a ler.



**POV Damon


Nós já estávamos em sua casa e ela tomava seu banho, nossa as mulheres demoram até no banho. Ela saiu com um shortinho que mais parecia uma calcinha e uma batinha não muito grande mais parecia toda a barriga dela por ser transparente. Suas bochechas estavam totalmente vermelhas quando me viu deitado em sua cama.


-AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAI - e correu para o banheiro e continuou- Damon pegue outro pijama pra mim. Já que sei que você está meio tarado hoje é bom prevenir. –Ela disse apenas com a cabeça para fora do banheiro.


-Ah não Leninha fica com esse ai vai?-Eu já sabia que ela não ia ficar com um pijaminha sexy por mim, então eu resolvei pegar um pijama mais decente.


-Obrigada Damonzinho.- Como ela adora me provocar.


-Eu não tenho nada de "Inho" principalmente o Damonzão aqui- Ainda bem que eu me garantia.


-Relaxa eu já vi mesmo- Então ela sabe que ele não e "INHO".


Ela saiu do banheiro com um pijama de rosinhas e algumas menina segurando essas rosas era de manga e calça comprida.


-Não gostei desse não- Eu disse. Ela olhou para o pijama e depois uma bela olhada em mim.


-E Você queria a camisola sexy vermelha? - Ela estava totalmente se soltando comigo. –Damon, estou preocupada com o que o Brian disse á você... –De repente o sorriso que ela tinha sumiu em seu rosto.


-É realmente eu prefiro o assunto da Camisola - Dei uma breve pausa -Elena calma, no fim tudo vai dar certo a senhorita sabe muito bem disso.


-Damon eu tenho medo de perder... - Ela parou e simplesmente eu vi que ela não estava a fim de dizer isso. -Medo de perder as pessoas importantes em minha vida, medo que todas elas morram e eu acabe sem ninguém... Sem o meu Dam...


-Elena chega não precisa falar. Quietinha deite aqui. –Eu disse batendo na cama para que ela se deitasse.- Eu juro, pela minha existência, nada nunca irá acontecer a você.- Ela olhou para mim e deu um leve sorriso.


-Espero que esse Brian seja um louco que fugiu do hospício. –Disse Elena se sentando ao meu lado e fazendo perna de índio.


-Eu adoraria arrancar a cabeça dele, ele chamou você de fútil, quase arranquei a língua dele! –Eu disse simplesmente.


-Damon, mesmo assim ele pode se redimir. –Ela disse com um sorrisinho de canto.


-Duvido muito Elena, no mundo sobrenatural temos que matar para sobreviver! –Eu disse serio e percebi que ela tremeu. –Deita aqui. –Eu a puxei e á coloquei com a cabeça em meu peitoral, fiquei fazendo cafuné nela até perceber que ela dormia calmamente.

**POV Caroline


Eu senti que alguma coisa havia acontecido. Peguei meu celular e disquei o numero da Elena, tocou cinco vezes e alguém atendeu.


-O que você quer Barbie de araque? –Disse uma voz grossa.


-Damon? O que você está fazendo com o celular da Elena? ELA ESTÁ BEM? COMO ELA ESTÁ? –Eu disse histérica.


-Cala boca, ela está bem aqui do meu lado só que está dormindo! –Ele disse sussurrando.


-Estou com um pressentimento ruim Damon! –Eu disse apreensiva.


Ele me contou tudo sobre o Brian e o que tinha falado contou absolutamente tudo.


-Mais Damon o que faremos agora? –Eu perguntei preocupada.


-O esperamos agir, ele não fará nada contra Elena e também acho que ele não sabe nada sobre você ou Bonnie e até mesmo Tyler. –Ele disse ainda sussurrando.


-Mais cuida da Elena Damon? Eu sei que você a ama e vira macho e pega logo a Elena. Você sabe que eu não gosto de você, mais quero a felicidade da minha amiga, nem que para isso ela queira ficar com você. Eu gostaria que ela ficasse com o Stefan mais ela não o ama mais... Então boa sorte. –Dizendo isso eu desliguei e me deitei.


Mais uma vez parece que nesse mundo onde comecei a viver não estaremos nunca mais seguros, tenho medo desse tal de Brian ser pior do que qualquer coisa.


Levantei, fui para a cozinha pegar um copo d’água e encontrei minha mãe.


-Olá mãe. –Eu disse simplesmente.


-Olá filha, como está? Agente vive se desencontrando, não sei quase nada da sua vida. –Ela disse ainda sentada no balcão da cozinha.


-Pois é, somos uma família muito ocupada não é mesmo? –Eu disse com raiva na voz.


-Qual é o seu problema? Eu estou aqui agora, e você não quer conversar, o que eu te fiz? –Ela perguntou se levantando e ficando cara a cara comigo.


-Não fez nada! Literalmente nada,nem o seu dever de mãe você faz –Eu disse a encarando.


-Deve ser isso mesmo, sou uma péssima mãe não sou? –Eu virei o rosto para não encará-la. –Sou uma merda de mãe, mais só eu sei o que eu passei com você para te sustentar e proteger a cidade desses demônios malditos.


-Pois é... E você sabe muito bem que eu sou um desses demônios malditos! Obrigada por me xingar mamãe! –Eu disse isso com raiva, sai da cozinha fui para meu quarto. Virei o copo de água de uma vez, deitei e logo adormeci.


**POV Katherine


Eu havia rondado a cidade toda e queria estar apenas em um lugar, um, apenas um.


Cheguei á mansão Salvatore e pelo o que percebi Stefan já estava adormecido.


Pulei a janela de Stefan e ele estava pelado.


“Ai meu Deus” eu pensei.


Muitos diários espalhados pelo chão eu queria saber o que ele tanto procurava. Olhei para sua estante de livros e apenas um estava ali intacto na estante. O diário de 1864 será que ele ainda não havia superado isso? Eu fiz para o bem de todos, se Klaus descobrisse sobre eles, Klaus não pensaria duas vezes antes de matá-los.


-Stefan... Meu Stefan. –Eu disse isso lhe dando um leve beijo na testa enquanto ele dormia.


Eu o queria pra mim, mais ele não acreditava em mim pelo meu passado, o que eu poderia fazer? Matar-me? Dizer tudo que sinto isso nunca. Enquanto eu me sentia só me ferrei não será dessa vez que vou passar se quer um sofrimento. Eu sei que não o merece, mais eu sou egoísta ao ponto de querer o Stefan? Sim eu sei que sou egoísta por querer tanto um amor.


Sai do quarto de Stefan e percebi que ainda vestia sua camisa, peguei um pedaço da camisa e percebi que estava com o perfume de Stefan... Aquele perfume que me deixava louca por ele, apenas o querendo tanto.


**POV Bonnie


Eu pensava em dormir até que meu celular tocou e apareceu a foto do Jeremy, meu coração disparou em apenas um telefona isso acontece logo agora? Ah coração colabora.


-Alo... –Eu disse simplesmente.


-Bonnie eu não conseguia dormir e pensei em falar com você quem sabe sua voz ajuda! –Ele disse com um risinho.


-Isso foi uma cantada? –Eu perguntei sorrindo.


-O que você acha? –Ele perguntou simplesmente.


-Que já e tarde... Boa noite Jeremy.


-Não desliga não Bonnie... Eu quero conversar! –Ele disse rindo.


-Então sabe da Elena? –Eu perguntei simplesmente.


-Não sei não... Como você está nessa noite fria? –Ele perguntou.


-Serio mesmo que você me perguntou isso? –Eu dei uma pausa. –Boa noite Jeremy. -Eu desliguei sorrindo, como ele fazia isso comigo? Como ele é assim?


Logo escutei um novo barulho irritante, apareceu á foto da Carol.


-Bonnie eu sei que deveria estar dormindo mais eu não consegui! –Ela disse esbaforida.


-O que aconteceu? –Eu perguntei preocupada.


-Tem um cara querendo matar um dos Salvatores! –Disse Carol ainda esbaforida.


-COMO ASSIM? –Carol começou a falar mais minha mente parecia não entender nenhuma sílaba que ela falava.


**Pov Jeremy


Essa Bonnie ainda me mata. Oh, ela é tão linda. Resolvi ir lavar meu rosto eu estava com sono mais ainda queria mexer em meu Twitter.


Lavei meu rosto eu não sabia se Elena estava em casa então abri devagar a porta dela e á vi, ela e Damon dormindo.


-Olá Jeremy! –Disse Damon abrindo os olhos.


-Bom... Como você... Er... Você não estava dormindo? –Eu perguntei um tanto confuso.


-Oooh criançinha, vai continuar se masturbando na frente do computador vendo fotos de mulheres que você ganha mais! –Disse Damon fazendo um gesto nada legal de ver.


-Eu não faço isso... Não mais. –Eu disse sorrindo.


-Todos os homens fazem... Menos eu, não preciso disso. –Ele disse se gabando ainda deitado.


-Ah claro falou o garoto de programa! –Eu disse irônico.


-Vai dormir pivete. –Ele disse simplesmente.


-Claro... Boa noite. –Ele resmungou alguma coisa mais eu não escutei.


Dei mais uma olhada no meu Twitter e percebi que não teria mais nada de interessante.


Deitei em minha cama e logo peguei no sono, mais percebi que Damon estava aflito com alguma coisa, ele estava preocupado.

Continua...

------------------------
Topico de comentários: Aqui


Nota das autoras: Então pessoinhas, espero que gostem deste caps, ele ficou até que grandinho graças a Jady que estava muito inspirada! Por favor, comentem, o comentário de vocês são muito importantes para mim e para a Jady. Não importa se o coments fo elogiando ou criticando, eles sempre são bem-vindos! Se tiver algum erro de ortografia nos desculpem, alguns sempre passam.
Beijoss Patty e Jady!
avatar
Delena_Somerhalder

Mensagens : 227
Data de inscrição : 25/03/2012
Idade : 21
Localização : Na caminha do Kol. Junto com ele e com o Damon.

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: My worst nightmare

Mensagem por Jady_Delena em Dom Jul 15, 2012 6:28 am

Esse Cáps é dedicado a Minha linda escorpiana Denise .. Maninha que amamos muito e está sempre conosco.
Ah nossa querida Léh que mesmo sem PC fez de tudo tentar ler, amamos você também flor.
E Também a nossa Isá que teve um problema mais voltou para comentar .. Amamos você manah.
Obrigada sempre e sempre .. s2s2 I love you

------------------------------------------
Capitulo VIII - Just wanted to Be In A Big Dream
(Queria Estar Apenas Em Um Grande Sonho)


"O medo de perder tira a vontade de ganhar."

**POV Elena

Acordei e não vi Damon, então, decidi tomar um longo banho. Sai do banho e me deparei com uma cena que eu pensava "O que acontece com os vampiros curiosos?”.

-Hum, OB, Absorvente caramba Leninha. -Que enxerido.

-Damon eu sou prevenida. - Estranha essa conversa.

-Mais não precisa ter quatro pacotes disso - Apontou para o absorvente -E oito disso - Apontando para o OB.

-Sou muito prevenida Ok?

-Camisinha de morango e uva! Nossa e de chocolate também- Ele abriu um sorriso muito malicioso.

-Damon eu ia adorar se não mexesse em minhas coisas intimas.

-Você tem a farmácia inteira aqui. - Ah eram só algumas coisinhas. - UI adoro morango. -Ele esticou bem o "U" fazendo um biquinho
tentador pra mim.

-Se você gosta de morango vai lá á cozinha pegar a bandeja que tem e sirva-se- Disse tirando todas as camisinhas e coisas de suas mãos.

-Eu gosto de usar morangos Leninha. -Ele disse descendo as escadas.

-O que esta fazendo Damon?- gritei.

Ele voltou com uma bandeja com morangos e um pequeno potinho de vidro de leite condensado.

-Vim te dar os morangos Leninha. -Ele se sentou na cama ao meu lado e me deu um morango com leite condensado.

**POV Damon

Realmente ela queria que eu a beija-se loucamente.Ela mordeu sensualmente a ponta do morando me fazendo esquecer ate o que ela tinha na boca imaginando eu á encostado na parede com ela grudada em mim com suas pernas em minha cintura.

-Que delicia Damon - Disse ela pegando outro na grande bandeja.

-Eu sei que sou gostoso Leninha -Ela ainda estava com o meu morango que tinha dado a ela na boca e mordeu meu dedo.

-Ai Leninha não precisa ser agressiva- Ela com certeza queria que eu fizesse a minha ideia ali naquela parede mesmo.

-Você não viu nem o começo Damonzinho- Disse ela me dando outro morango na boca.

-Estou morrendo de medo da Leninha agressiva- eu disse levantando os meus braços fazendo cara de assustado-Eu abri um sorriso muito malicioso. Ela me deitou na cama e subiu em cima de mim encaixando seus quadris nos meus. E quase derrubando a bandeja no chão. Ela olhou nos fundo dos meus olhos sentada em cima de mim.

-Eu disse que você não tinha visto nada ainda - Eu estava totalmente espantado com a sua atitude.

Eu inverti a posição e dessa vez quem estava por cima era o Damonzão aqui á fazendo soltar um gemido pela velocidade de que eu á virei.

-Odeio ser estraga prazeres mais tenho que ir a escola e dessa vez você não pode me levar! -Eu fiz um biquinho para descontrair o
clima tenso que tinha ficado.

-Hum porque não posso?

-Porque não pode... Curioso você em! –Ela disse saindo de baixo de mim.

-Sou mesmo, ainda mais para ver você totalmente nua. –Eu disse atrás dela, ela deu um pulo e me encarou abismada.

-Damon... Vou á mansão mais tarde, tchau. –Ela disse indo me dar um beijo na bochecha mais acabou pegando no cantinho de meus lábios.

-Tchau Leninha! –Eu disse fazendo cara de safado á fazendo ficar sem ar. Eu sai da casa de Elena entrei no meu carro e segui para á mansão Salvatore, descobrir o que o Stefan e as esquelesttes tinham descoberto.

-------------

-Stefan?

-AQUI EM CIMA DAMON!- Ele disse gritando.

-Não sou surdo sua besta. -Odeio que gritem comigo. Cheguei lá em cima e nunca tinha visto o quarto do Stefan tão bagunçado.

-Tudo isso e amor pela Leninha Tetefi?-Ele estava tão pensativo. -ENCONTROU ALGUMA COISA TETEFI?-Aleluia ele ouviu.

-Calma Damon,são muitos diários.-Disse ele apontando para a cômoda onde tinhas muitas diários mesmo.

-Não acredito que perdia seu tempo escrevendo "Querido diários hoje ganhei o primeiro beijo da Elena foi tão emocionante".

-Você ganhou um beijo da Elena hoje não é?-Disse ele desconfiando.

-Cala a boca seu besta. -Ah qual é, eu não sairia beijando ela.-E olha...-Fui interrompido pela campainha.- Você deve estar querendo se alimentar de um elefante não é? –eu disse com a mão na maçaneta e abri a porta-O que você quer aqui? Agora eu não perco a chance de matar você.

-Cala-se Damon,eu vou me hospedar aqui e ah não se esqueça eu posso te matar também.Eu sou um ser sobrenatural seu babaca!-
Minhas mãos estavam quase no nariz daquele animal.

-Hum e mesmo bom pra você!-Disse com a porta quase fechando em sua cara.

-Vou me hospedar aqui e ponto final.-Disse ele entrando.

-Quem deixou você se hospedar aqui?-Como eu queria jogar futebol com a cabeça dele e usar Stefan como gol.

-Controle-se, vou me hospedar aqui. -Disse ele já entrando em um dos quartos pena que esse não era o quarto do Stefan.

-Argh- Fui ao quarto do Stefan.

-Temos visita! O animal de teta Brian, esta se hospedando aqui irmãozinho. -Eu mereço.

-Não acredito. -Nem eu seu imbecil.

-Oh não diga Stefan... –Eu disse e ele logo me cortou.

-Não o mate Damon, precisamos dele. –Disse Stefan sussurrando.

-Como assim animal? –Eu perguntei sussurrando também.

-Porque se me matar, não vai saber qual Salvatore eu quero matar e se a Elena saíra viva de todo esse passado. –Disse Brian encostado na parede.

-Quem te chamou seu verme? –Eu perguntei a centímetros dele.

-Olha Damon, não existem muitos como eu, mais não me provoque pode não ser você que quero matar. –Ele disse olhando para Stefan.

-Sabia que a vingança não vale nada? –Disse Stefan.

-Ah vingança é a melhor parte da vida, a não ser que tenha amor no seu coração, á vingança não é importante, mais hoje em dia...
Onde está o amor? –Ele disse cruzando os braços em volta de si.

-Só não esqueça que se matar quem amo você vai sentir a minha vingança Brian. –Eu disse em um tom agressivo.


**POV Caroline

Eu estava acordando e Tyler estava me trazendo um café na cama como ele sempre fazia.

-Oi meu amor bom dia. -Disse ele me dando um selinho.

-Oi meu lobinho. Eu sonhei com o Matt ele me pedia ajuda eu não entendi muito bem ele tem estado distante de nós, sabe o que houve?

-Amor, ele não me explicou nada, mais eu falei com a mãe dele e ela disse que ele estava sumido não dizia onde estava mais dizia que estava bem nas formas físicas mais sentimentalmente ele não estava muito bem não. -Ele estava passando por um momento difícil e eu não estava do lado dele.

-Mais como ele esta? Onde ele esta? Á mãe dele nem isso sabe?-Eu estava totalmente gélida.

-Calma amor ele vai voltar pra nós...Tenho que me encontrar com a minha mãe..Ei Te amo Loira.

-Também meu lobo gostoso.- Ele saiu e eu resolvi tomar um banho...Mais em nenhum momento minha mente estava longe de Matt, eu estava com saudades e imagino que ele também estaria.Sai do banho e coloquei um vestido básico branco não estava muito animada para me reparar com as minhas roupas hoje quem viesse me encher o saco ia ganhar logo um "FODA-SE".

Escutei a campainha tomar e adorei a pessoa que vi atrás do batente da porta.

- EU ESTAVA COM TANTA SAUDADE! NUNCA MAIS ME DEIXE ENTENDEU? VOCÊ SABE MUITO BEM QUE EU NAO SEI LIDAR COM A
PERDA SEU LOIRO RETARDADO-Eu sei ser bem gentil quando uma pessoa volta depois de meses longe da cidade.

-Eu estava com tanta saudade de você. -Ele me abraçou forte e eu o abracei também e nós entramos para dentro de casa ainda abraçados.

-Você esta diferente Matt... Porque esteve longe esses meses hein?-Eu disse batendo o pé no chão.

-Nem imagina o que eu passei Carol. - Ele parou revirou os olhos e achou um ponto onde eu vi que não queria olhar em meus olhos-
Então eu passei por um momento muito difícil que eu não queria passar.

-Me fale Matt.

-Eu não sou mais humano Carol. -Eu não acredito que ele si tornou vampiro.-E também não sou o que você esta pensando.Eu não sei exatamente o que eu sou, mais eu posso controlar as mentes de animais e algumas pessoas que não usem a essência de uma flor!!

-Qual flor?-Eu não acreditava no que estava soando em meus ouvidos? Meu Matt não era mais humano.

Spoiler:

-O Nome dela é Luscious Lutus. -Doideira.

-Então se uma pessoa usa isso você não poderia controla-lá certo?

-Sim Carol isso mesmo então peça para a Elena e os vampirinhos começarem a tomar essa essência.Caso eu for forçado a alguma coisas eles estarem imunes a isso.

-Matt eu preciso sair com a Elena contar tudo o que aconteceu, você me espera aqui?Fique no meu quarto e não saia dela Ok? –Eu pedi com um biquinho.

-Tudo bem eu fico.

"PRECISO LIGAR PARA ELENA!!"Eu liguei e a ela e nos fomos para casa dos Salvatores.

-Oi Leninha. -Elena estava toda rosada ao velo.

-Oi Damon. -Nós duas dissemos na mesma hora e rimos logo depois.

-Temos visita.-Com um sorriso malicioso.

Um homem com um porte musculoso entrou na sala,cabelos castanhos e olhos azuis...Elena e eu paralisamos ao ver aquele homem e eu soltei um gemido baixo "UAU" tenho certeza que Damon ouviu.

-Meu nome e Brian. -Que homem gostoso.

-ENTAO VOCÊ E O TAL QUE VEM AMEAÇANDO OS QUE AMO?- Elena estava quase pulando no pescoço do cara.

-Sim sou eu. Porque incomodada? -Ele disse medindo o corpo de Elena.

-SIM ESTOU MUITO ENCOMODADA, DA PARA SAIR DAQUI SEU.. SEU... VERME!- o Tal de Brian fez cara de tédio para Elena que
deu um tapa na cara dele e uma joelhada em certos lugares.

-Leninha calma ele não vai matar ninguém, ainda bem que eu te ensinei esses golpes. -Ele disse passando as suas mãos ao rosto
dela.

-Vadia... –Disse Brian rolando no chão com a mão em seu brinquedo.

-Vadia é sua mãe. Mais ele vai embora não vai?-Damon não respondeu.

-Elena eu vou levar você e a Carol para a casa não tem boa companhia nessa casa - Damon disse olhando apenas para Elena.

-Cadê Stefan?-Perguntei.

-Esta trancada em seu quarto... Vamos garotas?

-Vamos... -Disse Elena saindo da casa e olhando para o Brian em sentido de "EU AINDA MATO VOCÊ.


**POV Elena

Estava com muita raiva, não falei com Damon o caminho todo. E logo nós chegamos à casa dos Gilbert.

-Damon o que ele esta fazendo lá?- perguntei com a voz o mais seria possível- Como você deixou ele ficar hospedado lá?

-Elena eu não tive escolha, ele entrou e disse que ia ficar- Disse Damon sem expressão nenhuma- Eu o ameacei, quase parti pra cima dele e ele não reagiu, apenas subiu para um quarto da mansão!

-Gente pare de brigar - Interrompeu Caroline ela tinha voltado- Eu tenho algumas coisas para contar a vocês sobre o Matt.

-Como chegou aqui? –Perguntou Damon.

-Putz é mesmo! O que aconteceu com ele Carol? ele anda tão sumido...- Eu disse me sentando no sofá ao lado dela.

-Bom eu tenho meus truques! –Disse Caroline sorrindo.

-Ele foi até lá em casa hoje, lá ele me disse que não era mais humano- Como assim? O Matt tinha virado um vampiro também? senti

lagrimas escorrerem dos meus olhos- Eu sei o que você esta pensando Lena, mais ele não virou um vampiro...

-Então o que o loirinho com cara de lesado é?- Damon se intrometeu... Eu tinha até me esquecido que ele estava ali!

-ELE NÃO TEM CARA DE LESADO!- Eu e Carol gritando.

-Ok então! Mas o que ele é afinal?- disse Damon.

Caroline explicou toda a historia sobre a flor e tudo, eu não estava acreditando, o Matt um ser sobrenatural também? To vendo que
todos são sobrenaturais agora!

-Hum... Então para não ser controlado pelo loirinho, eu tenho que usar ou tomar o suco dessa flor?- Disse Damon.

-Exatamente- Disse Carol.

Caroline foi embora e Damon fez um lanche com salame e queijo para mim...

-Que delicia Damon!- Eu disse quando mordi o sanduiche.

-Leninha querida, entenda de uma vez que tudo que eu faço é uma delicia- Ele disse com um sorriso malicioso.

-É mesmo Damon!- eu percebi o sorriso e disse- De comida ok?

-Quando você experimentar as outras coisas que eu faço você vai concordar comigo no “tudo de bom”- Ah com certeza vou am...
cala boca Elena!- É só você falar que eu vou fazer o que você quiser Leninha.

-Até um stripper?- Ele ficou chocado com a minha pergunta mais logo se recuperou e me olhou maliciosamente.

-O que você q-u-i-z-e-r Leninha- Ele disse se inclinando e chegando com o rosto bem perto do meu fazendo nossas respirações misturarem umas nas otras.

-Ok Damon mais eu estava brincando.- Na verdade não.. Elena calada.

-Você não sabe o que esta perdendo Leninha!-Ah o pior é que eu sei sim! Na verdade não sei exatamente, mais eu imagino! Ah já
imaginou? Aquele corpo coladinho no meu? Aquela boca na minha, aquelas mãos me envolvendo enquanto agente tran... cala boca
Elena!

Eu terminei de comer e fui lavar a louça, jogando água nele. Quando terminamos, os dois estavam encharcados, parecia que nós
tínhamos pulado com roupa e tudo em uma piscina.

-Leninha acho melhor você se secar se não vai ficar doente.

-Ok, vou subir!

Eu subi as escadas e Damon foi logo atrás de mim, abri o meu guarda-roupa e vi que não tinha mais nenhum pijama decente.

-Droga!- Disse eu pensando alto.

-O que foi Leninha?

-Eu quase não fiquei em casa essa semana, logo não tive tempo de lavar roupa, logo eu não tenho nenhum pijama decente para
dormir!-Disse eu revoltada.

-Ué, então dorme com um pijama indecente- disse ele maliciosamente- Quer que eu vá dormir na minha casa para você poder dormir
do jeito que quiser Leninha?

-NÃOO- eu disse um pouco alto de mais- qualquer coisa durmo de roupa normal!

-Não precisa gritar Leninha!- disse Damon colocando a mão no ouvido- Não sou surdo! E você é que sabe do modo que vai dormir.

-Eu não gritei... Ta bom gritei. –Eu fui para o banheiro.

**POV Damon**

Elena foi tomar banho e eu fiquei no quarto dela, deitado na cama dela, estava totalmente entediado então eu levantei e fui mexer
na gaveta do criado mudo dela, lá tinha tanta coisa.

Laçinho para cabelo, durex, mais preservativos, caramba Elena é bem prevenida mesmo, creme para as mãos, foto dela e do Stefan, foto dela com a Barbie e com a do caldeirão, fotos dos pais dela e um caderno. Na segunda gaveta tinha um grande álbum de fotos, e na capa estava escrito “eternamente vou amar vocês” com a letra delicada de Elena, eu abri e comecei a ver as fotos, tanta fotos, quando chegou quase no final eu encontrei uma foto minha fazendo careta. Eu não sabia nem que aquela foto existia.

-O que essa foto esta fazendo aqui?- disse eu lendo a legenda. Embaixo da foto estava escrito “Damon Salvatore, um amor ou um amigo?”. Ouvi Elena desligar o chuveiro e guardei o álbum. Será que ela me amava? Será que algum dia iria ter alguma chance entre nós?

-Damon? - ela disse do banheiro.

-O que foi Leninha?

-Eu esqueci a minha toalha, você pode pegar para mim?- Como é? Ela estava pedindo para eu pegar uma toalha para ela, isso
resultaria em eu ver Elena nua?

-Estou indo Leninha- disse eu pegando a toalha no armário- mais não garanto que o Damonzão vai se controlar aqui!

-Ei. -Ela disse, do banheiro ainda- é para vir com os olhos fechados.

-Ok Leninha- Eu entrei no banheiro com os olhos fechados e ela pegou a toalha da minha mão e me virou em direção a porta. Sai do banheiro e esperei ela sair para eu tomar banho.

-Pronto- disse ela entrando no quarto com um roupão gigante.

-Pra que o roupão Leninha?- disse eu.

-Porque a minha camisola não é muito decente.

-Hum entendi- disse eu- mais vai dormir com isso?

-Não, na hora de dormir eu tiro e deito debaixo das cobertas.

-Então vou tomar banho e depois vamos dormir.- disse eu abrindo o guarda-roupa da Elena.

-O que você vai pegar ai Damon?-disse ela curiosa.

-Minha malinha- tirei uma malinha de mão de dentro do armário que ela nem deve ter visto que estava ali.

-Eu não tinha visto isso ai!- falei!

-Eu imaginei.

Entrei no chuveiro e tomei um banho rápido, quando sai vi Elena colocando o roupão pendurado atrás da porta.

-Ual- eu disse olhando para a camisola rosa shock super sexy e curta dela.

-Damon...- ela disse corando violentamente.

-É eu sei... sem comentários! – disse.

Ela deitou na cama e eu deitei ao seu lado.

-Boa noite Damon- ela disse e me deu um beijo que de novo pegou no canto da boca.

-Caramba Elena!

-O que foi Damon?- ela disse um pouco assustada.

-Você! Fica me dando esses beijinhos no canto da boca.

-Ah, foi sem querer Damon!- ela disse rindo.

-Então é assim?- eu perguntei- tudo é sem querer?- eu disse fazendo bico.

-É Damon! Tudo explicido é sem querer! Você que fica virando a cara para eu beijar sua boca.

-Se é assim!- Eu disse isso e a puxei para um beijo intenso e necessitado. Nossas línguas se movimentavam rapidamente e loucamente. Minhas mãos passeavam por sua cintura e as delas estavam puxando levemente meus cabelos. Eu desgrudei minha boca na dela e ela me olhou com uma cara de “como assim?”.

-O que foi isso?- perguntou Elena ainda recuperando o ar.

-Opa, foi sem querer.- Eu disse dando um leve sorriso.

-Você não presta Damon Salvatore! –ela disse rindo.

-Posso até não prestar, mais você me ama!- eu disse ficando a centímetros de sua boca.

-amo?

-ama!- ela não parava de olhar para minha boca, e eu não parava de olhar para a dela.

-Quem disse?- ela disse perdendo a linha de raciocínio.

-sua boca querendo engolir a minha, seus olhos me fitando por inteiro, apesar de todas fazerem isso...- eu disse a deixando com ciúmes.

-Todas?- ela disse se afastando um pouco.

-TODAS- eu disse me aproximando de novo.

-Só que a diferença, é que você não ama todas! Ama só eu!- Ela disse de um jeito Katherine que me assustou mais tudo bem.

-E quem disse que amo só você?- eu perguntei.

-As mesmas características que você disse sobre mim.- ela disse. –Só que eu não roubo beijos seus!

-Não rouba porque tem medo de perder o controle.- eu disse com uma voz sexy.

-Não perco o controle- Ela disse.

-me prova?- eu disse.

Elena me beijou calmamente. Nossas línguas travavam uma imensa batalha. Suas mãos passeavam por meu pescoço e meus cabelos enquando a minha delineava todo seu corpo. Minha boca desceu por seu pescoço e depois para o vão de seus seios a fazer soltar um gemido. Elena arrancou minha blusa e a jogou em algum lugar perdendo o controle.
Eu tirei a camisola de Elena a fazendo ficar apenas com uma calcinha e um sutiã preto. Meus olhos passearam por seu corpo e voltaram para a sua boca inchada e vermelha suplicando por um beijo. Ela puxou meu pescoço e nos beijamos. Ela tirou minha calça e a jogou longe . Eu a deitei na cama beijando seu pescoço, o vão entre seus seios e sua barriga. Eu voltei para sua boaca enquanto minhas mãos passeavam por suas costas. EU fui abrir o feiche de seu sutiã e o meu celular tocou. Olhei no criado-mudo e estava a foto de um esquilo. Era Stefan.

-Atente Damon- disse Elena colocando o roupão.

**POV Caroline

Depois que voltei fui para meu quarto ver o Matt, e ele estava lá sentadinho na minha cama.

-Então pode contar mais sobre você!– Eu disse sentando-me ao lado dele.

-Eu não sei o que eu sou mais pelo o que li as pessoas que possuem esse poder se chamam moderatoris é um nome difícil mais logo
acostuma. –Disse Matt simplesmente.

-Mais você pode matar alguém com isso?

-Sim poço... Se eu controlo a mente das pessoas logo posso fazer elas se matarem. –Ele disse simplesmente.

-Matt isso é loucura. –Eu disse abismada.

-Carol, tenho que trabalhar... Tchau loura. –Ele disse ma dando um beijo e saindo pela janela


**POV Matt**

Havia uma linda garota sentada no balcão do Mystic Grill, ela era morena, com cabelos cacheados, olhos castanhos escuros, uma pele levemente bronzeada, ela era linda... Espere, eu acho que eu a conheço.

Spoiler:

-Com licença moça. -Disse eu todo educado- Eu conheço você?

-Hum... Sim!-ela disse com um grande sorriso no rosto, aquele sorriso era o dela, Vanessa- Você me salvou do Lobo na semana
passada.

-Vanessa não é?- Eu disse retribuindo o sorriso e estendendo a mão para ela.

-Sim prazer, Matt certo?- ela disse apertando a minha mão.

-Sim.

-Então... na semana passada você sumiu e não deu tempo de eu te agradecer pelo o que você fez. E alias, como você conseguiu afastar aquele lobo?- ela disse curiosa.

-É uma longa historia, que você com certeza não ira acreditar.

-Já ouvi tantas historias, que não duvido de mais nada.

Expliquei tudo para ela e ela acreditou pelo que vi.

-Que interessante. Gostei- ela disse pegando o whisky que ela tinha pedido.

-Você acreditou?- Eu fiquei chocado.

-Eu já conheci muitas coisas nessa vida, coisas que talvez você nem desconfie que possa existir.

-E o que por exemplo?- Estava curioso agora.

-Você pode não acreditar mais eu acredito em bruxos e vampiros. -Como ela sabia sobre tudo isso? Meu deus, será que ela era uma
vampira?

-Hum interessante, eu também acredito.- disse eu sorrindo.

-Que tal sairmos algum dia? –Eu perguntei sorrindo.

-Isso seria um encontro? –Ela perguntou com uma sobrancelha levantada.

-Mais é claro que não... Apenas amigos. –Eu menti, eu estava gostando dela.

-Sim Matt eu saiu com você. –Ela disse sorrindo.
Ficamos conversando sobre tudo, bebemos um pouco, dançamos e depois eu levei ela até a casa dela, era uma linda casa.


**POV Stefan**

Eu já estava em 1891 quando li algo sobre o Brian.

“Querido diário,
Eu não sei mais o que faço para controlar a fúria do meu irmão. Ele se tornou um assassino frio e sem coração. Hoje eu o vi em um bar, fiquei observando ele, até que ele saio com uma mulher, acho que ele estava passando mal e a mulher estava o ajudando. Segui eles até a uma casa, deveria ser a casa da moça, ela estava contando sobre o marido dela, chamado Brian, eu me aproximei e fiquei olhando eles pela janela, ela se virou para beber água e Damon a atacou, matando-a, vi um homem chegando e Damon largando a moça no chão, ela estava morta, o homem chorou e chorou e Damon simplesmente sumiu. Eu ainda vou transformar o meu irmão em um cara bom e não esse monstro.”

Então é isso! Vingança! Peguei o meu celular e liguei para Damon, atente, atente.

-O que foi dessa vez Stefan?-disse ele com uma voz ofegante- não tinha uma hora melhor para ligar não?

-Damon vem já pra cá, descobri coisas sobre o Brian- ele não respondeu e eu completei- rápido Damon.

-Stefan não dá estou com a Elena...

-Traga ela também.

**POV Damon

Elena estava me olhando com cara de decepcionada.

-O que está acontecendo?

-Stefan descobriu o que é... Precisamos ir a mansão. –Elena deu um pulo pegou um vestido preto e uma sandália de salto meia pata
e correu para o banheiro 5 minutos depois já estava literalmente vestida.

-Você se troca rápido quando quer. –Ela disse simplesmente.

-Vamos. –Ela havia ido em direção á porta, até que eu a puxei pela mão.

-É por aqui que vamos. –Eu a segurei na minha frente e pulamos a janela.

-DAMON! –Ela estava totalmente branca.

-Agora sim vamos. –Eu disse pegando a chave de meu carro Elena logo entrou no carro e eu também, acelerei o Maximo que pude.

-Como eu disse, você perde fácil o controle comigo. -eu disse rindo.

-Eu ia parar ok.-ela disse com bico.

-aham. Se o Stefan não tivesse ligado você estaria na cama comigo agora tranzando loucamente.-eu disse rindo.

-ok, chega desse assunto.- Nos chegamos a mansão Salvatore e Elena logo entrou.

-STEFAN? –Gritou Elena.

-Hoje a Leninha deu para de assustar. –Eu disse simplesmente.

-AQUI EM CIMA. –Stefan gritou. Eu iria ter uma dor de cabeça por causa de tudo isso.

Ele contou toda a historia do começo ao fim.

-Ele quer matar o Damon. –Disse Elena com uma expressão de medo e dor.

-Eu sou um vampiro, nada me mata. –Eu disse simplesmente.

-Damon, por favor, para, você não entende não sabemos nem o que ele é? –Elena disse. Ela logo saiu do quarto de Stefan e foi para o de Brian.

-Elena não... –Eu disse mais ela já havia entrado no quarto. Eu a segui.

-O que você é Brian? –Perguntou ela entre lagrimas.

-Ora, ora não é da sua conta lindinha. –Disse Brian se enrolando na toalha.

-Cara será que dá para colocar uma roupa, temos mulheres aqui. –Eu disse apontando para Elena e Stefan.

-Então, Damon... Está com medo? –Eu gargalhei com a pergunta do futuro morto de Mystic Falls.

-Eu não tenho medo de nada. –Eu disse seguro.

-Mais devia, afinal os diários do Stefan não dizem o que posso fazer. –Ele disse ficando cara a cara comigo.

-Não eu não devia, afinal você não basta de um cara que perdeu uma namoradinha. –Brian gargalhou.

-Graças a você ela está bem morta e agora quem sabe eu não mato a Elena. –Disse Brian sorrindo.

-CHEGA VAMOS EMBORA... VAMOS DAMON. –Disse Elena com uma voz grave me empurrando para fora do quarto.

Nós saímos do quarto dele bom “Meu quarto”. Afinal era da minha casa. Que vontade de matar o Brian.

-Damon, preciso que me leve até a Bonnie preciso descobrir mais. –Elena disse do meu lado.

-Claro Leninha.

Eu a levei até meu carro ela estava branca pálida.

-Elena você está bem? –Eu perguntei encostando-a no carro.

-Sim Damon estou. –Ela disse simplesmente.

Eu abri a porta do carro para que ela entrasse e então seguimos a casa de Bonnie.

**POV Bonnie

Eu estava em casa com o Jeremy muitas vezes ele passava noites assistindo filmes comigo, ele era doce e me ajuda com essa coisa
de bruxaria, treinávamos feitiços e tudo mais.

-Que filme será hoje? –Eu perguntei sorrindo.

Escutei a campainha tocar e Jeremy foi atender.

-Elena? –Disse Jeremy espantado.

Elena correu e me abraçou bem forte.

-Amiga aconteceu alguma coisa?

-Bonnie tem como você fazer um feitiço para proteger o Damon. –No mesmo instante Damon arregalou os olhos.

-Leninha o feitiço é para você! –Disse Damon simplesmente.

-É você que está em risco não eu. –Disse Elena o olhando furiosamente.

-Ele disse que também te mataria. –Disse Damon se aproximando de Elena.

-Mais Damon... –Damon a cortou.

-Eu não vou perder você Elena. –Ele disse segurando o rosto de Elena.

-Eu também não quero perder você Damon. –Disse Elena olhando nos olhos de Damon.

-Eu não tenho poder suficiente para fazer um feitiço para Damon, afinal ele é um vampiro e tenho certeza que nele não ira pegar o
feitiço. –Ela tirou as mãos de Damon de seu rosto e me encarou.

-Como assim Bonnie?

-Elena, minha ancestral tentou fazer isso para outro vampiro e ele morreu, não adiantou mais em você é capas que fique o feitiço.

-Então vamos o que está esperando? –Disse Damon apreensivo.

-Sim vamos, Elena eu preciso de um objeto seu. –Eu disse.

Elena tirou uma pulseira e colocou encima da mesa.

-E também de algumas gotas de sangue! –Olhei para Damon e vi que ele fez um bico.

Jeremy pegou uma faca e entregou a Elena.

-Lá vamos nós. –Disse Elena dando um leve furo no dedo.

-Espalhe o sangue envolta da pulseira. –Eu disse.

Elena espalhou o sangue e comecei a falar.

-Dilectissimi Fratres tueri volunt, quoniam et terra et omnia elementa naturae viribus defendere volo. –Eu disse pegando na mão de
Elena e alguma coisa me separou da Elena eu não conseguia concluir o feitiço.

Eu abri os olhos e Damon estava atrás de Elena.

-Então conseguiu? –Ele perguntou serio.

-Pelo visto não. –Eu disse desapontada.

-Que droga,Elena você vai dormir aqui ou na sua casa? –perguntei apreensivo.

-Vou dormir aqui, amanha eu vejo você ok? –Disse Elena.

Elena ia se virando para entrar em meu quarto até que.

-E meu beijo? –Perguntou Damon sorrindo.

-Oh eu to aqui Ok? –Disse Jeremy com uma expressão de óbvio.

Elena se aproximou e abraçou Damon forte ele entrelaçou os braços na cintura dela.

-Boa noite Damon. –Disse Elena se soltando dele e indo para meu quarto.

Jeremy pegou uma carona com Damon, logo eu e Elena teríamos nossa conversa.


**POV Escritoras

-Dona Elena que historia é aquela? –perguntou Bonnie.

-Ham?

-Você com o Damon... Bem vocês estão dormindo juntos?

-Sim nós estamos. –Disse Elena segurando o riso. Bonnie estava abismada.

-Bonnie, eu não estou transando com ele, mais ele dorme na mesma cama que eu, ele tem sido um verdadeiro amigo.

-Claro amigos que dividem a mesma cama.

-Isso ai amigos que dividem a cama. –Elena disse gargalhando.

-Mais o que você sente por ele?

-Estou tentando descobrir.

-Ok, vamos dormir amanha o dia é cheio, preciso descobrir o que o Brian é.

-Boa noite Bonnie... Pode namorar meu irmão eu deixo. –Disse Elena sorrindo. Bonnie pegou uma almofada e jogou na cara da
Elena.

-Eu não vou namorar seu irmão.

-Ah claro e eu sou o gato de botas.

-Ta parecendo sabe?

-É vamos dormir.

-Boa noite.

Elena custou a dormir, queria Damon ali com ela, mais ela tinha que entender, ela precisa primeiro descobrir o que sente pelo Damon, ela não podia fazer que nem a Katherine ela não seria uma vadia.


-----------------------
Tópico de Comentários
------------------------

Nota Das Autoras: Leitores desculpe a demora para esse cáps mais e á Paty decidimos alterar algumas coisas e ficou assim .. Espero que gostem e comentem, para elogiar ou criticar.
Beijooooooos s2s2
avatar
Jady_Delena

Mensagens : 282
Data de inscrição : 03/05/2012
Idade : 19
Localização : São Paulo

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: My worst nightmare

Mensagem por Delena_Somerhalder em Qua Jul 18, 2012 5:02 am

Capitulo IX- This is only the beginning.

Aquilo que se faz por amor está sempre além do bem e do mal.
(Friedrich Nietzsche)

[Dois dias depois]
**POV Brian

Eu sabia que aquela loira que vi com Elena tinha parentesco com minha esposa, eu odiava me lembrar, mais logo percebi que memórias vieram em minha mente.

**Flashback**

Eu estava entrando em casa literalmente feliz, finalmente havia conseguido um emprego e poderíamos ter nosso lindo filho ou filha, mais que nome eu daria a eles?

-Onde está a mulher mais linda desse mundo? –Eu perguntei colocando minha maleta em cima da mesinha de centro na sala e escondendo o buque de rosas brancas que eu havia comprado para ela.

Eu escutei um barulho de alguma coisa caindo, pareciam talheres.

-Keroll? –Eu gritei ao entrar na cozinha.

A dor me consumia, um cara de cabelos bem pretos estava a matando, ele cravava suas presas em Keroll, ela se debatia e gritava. Eu acabei me apoiando no batente da porta para não cair ao chão eu não conseguia me mover eu não conseguia fazer nada, minhas pernas não me ajudaram elas não se moviam.

Keroll me olhou no fundo dos olhos e lagrimas escoriam pelos olhos azuis dela.

-KEROLL! –Foi á única coisa que consegui gritar, o homem de cabelos pretos se virou para me encarar, sua boca estava cheia de sangue, o sangue da minha amada.

-Ora, ora. Eu não sinto muito por isso, mais ela é bem gostosa, nossa que mulher você arranjou. –Disse ele em meus ouvidos.

-Salve ela, por favor! –Eu implorei pela vida dela.

-Sinto muito, mais ela vai ser enterrada. –Disse o homem olhando para ela, toda esticada no chão. O homem não havia sugado todo o sangue dela.

Eu apenas vi um vulto e quando dei por mim já estava sozinho.

-Keroll? –Eu disse como um sussurro. Me aproximei de Keroll e o buque de rosas brancas caiu em cima da pequena poça de sangue que havia no chão. O sangue de Keroll estava manchando as rosas brancas.

Eu fiquei atordoado, eu não conseguia vê-la naquele estado, sai da casa e corri o máximo que pude.

Ele não tinha o direito, ele me tirou tudo, tudo que eu tinha.

**Fim do Flashback**

-Argh - Odeio lembrar-me do dia da morte dela ainda mais quando estou aqui para tornar justos esses anos.

-Olha só vim avisar que o seu tempo de hospedaria aqui é muito curto em. -Odeio o Damon.

-Veremos. -Segura essa Damon!

-Nós já sabemos de toda á historia, você esta aqui para vingar a morte sua lindíssima espozinha. - Senti meu coração bater cada vez mais rápido enquanto chegava o momento de matar o assassino de minha esposa.

-VOCÊ NÃO TINHA O DIREITO DE MATA-LÁ SEU...SEU...SEU- Meu sangue pulsava como a batida de um som muito alto em um lugar fechado.

-Só não entendo como está vivo ainda senhor "Vou matar você porque matou minha AMADA"- Ele disse em um tom muito irônico- Que patético.

-Você apesar de velho não e nada vivido. Eu sou um ser que se eu tocar a alma de uma pessoa absorvo essa alma e ela vive comigo pela eternidade, porem não gosto de fazer isso. Em um vampiro meu poder se amplia 10x mais. Sou mais rápido que um humano só que mais devagar que um vampiro.

-O que acontece se você tocar um vampiro?- Perguntou Damon- agora você é um X-MEM é cara?

-Vamos ver.

Eu tentei tocá-lo mais ele usou suas velocidades vampirescas senti sua presença atrás de mim. Eu me virei com a mão esticada e acabei tocando seu rosto.

-Agora sim meu trabalho está feito. –Eu disse com orgulho, finalmente ele morreria, finalmente eu me vingaria.

**POV Damon

-FILHO DA PUTA- A dor é insuportável, comecei a suar e não conseguia me mover.

-Você morrera aos poucos os efeitos são 1-Morte lentíssima... 2-Sentir uma dor como se fosse uma estaca de madeira que fura-se o seu peito a cada 5 segundos...3-Não a cura para isso. BOA MORTE DAMON SALVATORE.

-NÃÃÃÃÃÃÃO.-escutei o grito de Stefan- QUAL E A CURA?

-Só a uma cura, pergunte para os Bennett. -Pelo o que ouvi ele saiu e foi embora.

-Stefan...-Minhas palavras saíram em um sussurro. -Elena...

Ele imediatamente me colocou em minha cama, a dor era profunda em meu peito. Não parecia que era á cada 5 segundos a dor vinha e permanecia... Parecia que uma pessoa estava fazendo Moidinho de Damon.

Ele pegou o celular e discou um numero.

-Traga Elena aqui urgente Bonnie.

-Não era pra ligar para o caldeirão.

-Cala a boca Damon.

Eu me rolei na cama de tanta dor, eu não aguentava aquela dor insuportável... Não via a hora de tudo aquilo acabar.

Eu não devia ter saído da casa de Elena, eu não devia. Deveria ter ficado com ela. Porque você foi sair seu animal hein Damon? Eu deveria ter esperado ela acordar para vim expulsar Brian.

**POV Elena

Estava colocando uma roupa para ir ao colégio e a campainha tocou. Ric deveria ter aberto.

-Elena e pra você!- Fui ver rapidamente se era quem eu pensava e quando cheguei um certo desapontamento beirou meus olhos.

-Precisamos ir agora na casa do Damon e Stefan. -NOSSA.

-Mais são 8:00 da manha Bonnie.

-URGENTE ELENA, VAMOS. - Mais o que será que tinha acontecido minha curiosidade só faltou me matar ali mesmo no batente da porta de entrada da minha casa.

Já chegando perto da mansão eu já havia perguntado o que tinha acontecido umas 18 vezes e ela não queria me contar de jeito nenhum nem por um decreto.

Entramos na mansão.

-Aleluia vocês chegaram!-Ele parecia bem apreensivo.

-Desembucha Stefan. -Uau Bonnie parecia exaltada. Muito exaltada.

Ele nos contou toda á historia, e, a cada palavra que soava em meus ouvidos eu parecia perder um pedaço do meu coração. Porque eu sentia aquilo? Seria medo de perder Damon? Das nossas noites brincando, ele me trazendo morangos e lanches em minha cama, se ele morre-se iria sentir tanta saudade. De jeito nenhum! Damon não iria morrer eu não vou deixar. Eu parecia totalmente desconectada das palavras de Stefan, senti tanto medo quando ele disse que daria trabalho tirar o Damon dessa enrascada. Eu simplesmente senti medo da minha vida sem ele, seria totalmente sem graça seria como o morango que ele me deu sem o seu leite condensado, eu sentia medo de não ter mais a maleta dele no meio das minhas coisas, dele me balançando como se fosse um bebe carente todas as noites que eu tinha pesadelo ou coisa parecida. Até dele me assediando.

Estava perdida em meus pensamentos quando uma pergunta de Bonnie me chamou a atenção.

-Mais qual é a verdadeira situação do Damon? –perguntou Bonnie.
-Ele esta mal, ele esta morrendo. Só que aos poucos- ouvindo aquilo eu sai correndo vendo apenas Stefan olhando para mim. Eu subi as escadas o mais rápido possível, chegando ao grande corredor e indo até a ultima porta, abrindo-a com tudo.

-Damon?!?!- Ele estava soando e á dor parecia contaminar todos os pedacinhos de sua pele.

-Leninha. -Ele disse como um sussurro. -Que saudades de você.

-Não fala nada. Bonnie já esta fazendo um feitiço para descobrir a cura Damon. -Eu dei uma breve pausa-Eu não vou deixar você morrer. Agora deite aqui Damon.

-Qual e Leninha não precisa me embalar como um bebezinho que precisa do leitinho da mamãe.

-Cala a boca Damon. -Deitei na cama e fiz ele colocar a cabeça em minha barriga. Eu não sairia de perto dele, nunca o deixaria enfrentar isso sozinho.

-Por favor, não me deixe Damon. –Eu achei que ele estava dormindo mais ele tentou se sentar a fracassou.

-Elena eu nunca vou te deixar. –Ele disse com um sorrisinho de canto.

-Eu não quero que me deixe, nunca. –Ele começou a tremer e seu suor era gelado senti suas costelas começarem a quebrar ele se debatia, eu o abracei e por alguns minutos as costelas e todos os seus ossos pararem de quebrar.

-Damon quer uns cobertores?-Eu sentia tanto dor em ver ele daquele jeito eu não suportava a ideia de ver o homem que eu amo "CALA A BOCA ELENA".

-Sim. -A cada palavra ele parecia mais fraco. Ele gritou de dor e a cada grito muitas lagrimas saíram de meus olhos.

Peguei os cobertores e o fiz deitar em minha barriga de novo o aquecendo.

-Elena, Bonnie quer falar com você. –Disse Stefan entrando no quarto.

-Damon vou ali falar com ela Ok?

-Pode ir, eu deixou Leninha.

-Abusado. -Ele abriu um sorriso mais logo foi contaminado pela dor.

-Bonnie achou alguma coisa?-Eu estava tremendo eu torcia tanto por uma cura.
-Sim. Só que vamos ter que ir para Salém.

-HAM? Serio? -Eu não acredito no que ouvia.

-Sim, Elena as coisas que precisamos para a cura estão lá.

-Que coisas? -Pelo menos a uma cura pra isso. Senti algumas partes de meu coração voltar a se recompor mais não 100%...

-Direi lá. Vamos temos um longo caminho.

-Espere vou falar com Damon. -Entrei no quarto e pedi para Stefan nos deixar lá.

-Damon... Bonnie achou a cura e eu vou buscar com ela...Vamos para Salém.

-Tudo isso por mim Leninha? -Senti as palavras pesarem em minhas costas.

-Sim Damon... Perder você seria o meu pior pesadelo.

-Elena vamos quanto mais rápido formos melhor pra ele- Disse Bonnie olhando para a minha mão e de Damon entrelaçadas.

-Tchau Damon volto no máximo daqui três semanas. -Lhe dei um beijo no rosto e um abraço apertado. O que realmente eu sentia pelo Damon? Á um tempo atrás eu seria capaz de deixá-lo morrer para viver com Stefan...Agora nem com Stefan estou e sim salvando em partes a vida de Damon.

-Tchau Leninha- Ele retribuiu o meu abraço.

**POV Bonnie

Seria difícil ver Elena perder uma das pessoas que ela mais amava, muito difícil. Eu descobri o feitiço que poderia salvar Damon do toque do Elementors afinal eu não sabia muito bem quem ele era e muito menos o que ele era.

Fomos ate as nossas casas para fazer a mala rapidamente Elena já estava em minha casa eu ate imagino como ela fez á mala tão rápido. Eu não tinha nem colocado á primeira peça de roupa dentro da minha mala.

-Bonnie eu preciso ver o Damon pela ultima vez. –Disse Elena com lagrimas nos olhos.

-Sim Elena nós entendemos. –Saímos de minha casa e colocamos as malas no carro do Stefan.

**POV Elena

Eu não conseguia parar de chorar eu queria o Damon comigo eu queria levá-lo para Salém mais ele não iria aguentar, eu tinha medo, sofrimento. Eu não queria perde-lo, nunca.

Chegamos á mansão, eu praticamente voei até o quarto de Damon.

-DAMON? – Eu gritei entrando no quarto dele.

-Leninha. –Ele disse em um tom baixo.

-Eu queria me despedir mais uma vez. –Eu disse sorrindo ainda com lagrimas.

-Achei que já tinha feito isso. –Disse Ele se sentando na cama.

-Damon, por mais que você seja o cara mal da historia, o insensível devorador de pescoços alheios, eu não quero perder você, eu não posso perder mais ninguém. Você foi um amigo, me ajudou, me fez mais feliz. Eu não posso negar que eu tenho medo de perder você. –Eu disse me ajoelhando e colocando minhas mãos no rosto de Damon.

-Você não vai me perder, você sabe disso, você é uma garota forte vai conseguir me salvar. –Ele disse se aproximando.

Nossos lábios estavam apenas alguns centímetros, ele passou á mão no meu rosto e contornou meus lábios.

-Damon... –Ele grudou seus lábios nos meus, nosso beijo foi calmo, era um desejo tê-lo ali, nossas línguas se moviam calmas e ágeis ao mesmo tempo.

-Não pode ficar me beijando Damon. –Eu disse me afastando dele.

-É só para deixar de lembrança. –Ele disse sorrindo.

-Até daqui 3 semanas Damon.

Eu sai do quarto e fui para a sala, eu não queria deixá-lo.

**POV Caroline**

Eram 13h45min e o sinal para irmos para casa já havia tocado, meu celular começou a vibrar no bolso da minha calça.

-Bonnie tudo bem? –Eu disse ao atender o celular.

-Não, olha vou resumir tudo, Damon está morrendo e Elena está quase indo junto, estou indo para Salém com Elena e você vai conosco? –Ela perguntou totalmente calma.
Como assim Damon morrendo e Elena indo junto?

-Bonnie se eu for eu ligo mais eu preciso achar o Tyler e minha mãe está resolvendo um assassinato na cidade vizinha, não tenho certeza se ela chega a tempo de assinar os papeis. –Eu disse entrando no meu carro.

-Eu entendo se conseguir me liga. Tchau Carol amo você. –Disse Bonnie desligando.

Eu corri o máximo que pude para chegar á casa de Tyler. Finalmente cheguei eu estava pálida e tremendo. Eu não havia entendido nada.

Eu toquei a campainha e a mãe de Tyler atendeu.

-Oi Prefeita, Tyler está? –Eu perguntei ainda fora da casa.

-Não, ele disse que iria dormir fora hoje. –Então eu me lembrei “Lua Cheia” que merda hoje o mundo conspirava contra mim.

-Obrigada. –Eu disse me virando.

-Sabe Caroline, eu queria um partido melhor para meu filho, mais se ele á ama, eu não posso fazer nada, a não ser desejar que os dois sejam felizes.

-Eu entendo sua preocupação, eu o farei feliz. –Dizendo isso eu sai para o meio da floresta procurar Tyler.

Comecei a correr pela mata procurando Tyler meu celular tocou.

-Elena? –Eu perguntei triste.

-Você vem conosco? –Ela perguntou esperançosa.

-Desculpe não vou poder, eu não encontrei Tyler e minha mãe só chega amanha.

-Tudo bem eu entendo, faltam 2 horas para o voo, se conseguir chegar à cidade vizinha, nos avise.

-Sim claro.

Eu não tive tempo de pensar, precisava falar com Matt, precisava alertá-lo sobre o Brian.

**POV Bonnie

Nós estávamos no carro de Stefan ele corriam demais e eu estava com medo de batermos.

-Stefan se você me matar, eu juro que volto pra levar você comigo. –Eu disse tentando me segurar dentro do carro, cada curva eu ia para um lado do banco.

-Eu sou um piloto de fuga Bonnie. –Disse Stefan se gabando.

Elena só olhava para fora do carro, não falava nada não se mexia parecia estar imóvel.

-Elena? –Eu perguntei chacoalhando-a.

-Bonnie eu não posso, eu tenho que ficar! –Disse ela me olhando.

-Tem que ir sim, Damon não vai morrer.

Ela não disse mais nada continuou a olhar para fora do carro.

Eu sentia a dor dela, eu não gostava de Damon, mais por um amor as pessoas mudam não é mesmo?

-Stefan ela não está bem! –Eu disse sussurrando.

-Ela o ama Bonnie, só precisa saber disso! –Disse ele com tristeza nas palavras.

Ele ainda a amava, sempre vai amar até onde sei.

**POV Escritoras

Matt estava no trabalho até que ele foi atender um rapaz.

-Olá Matt. –Disse o homem.

-Olá, o que ira pedir? –Disse Matt simpático.

-Sua cabeça em uma bandeja que tal? Eu sei o que você é Matt. –Disse o homem sorrindo.

-Quem é você?

-Olha Matt o nome dele é Brian. –Disse Caroline chegando atrás do rapaz loiro.

-Prazer. –Disse Brian sorrindo.

-Posso falar com você Brian? –Perguntou Caroline.

-Claro.

Caroline deu as costas e saiu do Grill Brian foi atrás. Matt não estava entendendo absolutamente nada.

-Então o que deseja? –Brian perguntou simplesmente.

-Porque você fez aquilo com o Damon? Você não sabe o que é perdão? –Ah loira disse tentando conter o choro, ela não queria ver sua amiga perder mais um pessoa.

-Ele matou minha esposa, você queria que eu batesse palminhas para ele enquanto ele drenava minha esposa? –Disse Brian com raiva.

-É, você não sabe o que é perdão, realmente você é pior que o Damon.

-Eu sei o que é perdão.

-Espero que você seja feliz sozinho Brian, você sabe o que é amar? Perde quem amamos é uma dor, você vai matar o Damon e a Elena é capaz de ir junto, ela não iria suportar perde-lo. –Disse Carol apontando o dedo na cara de Brian.

-Sinto muito, mais ele se importou quando á matou? –Perguntou Brian olhando no fundo dos olhos da vampira, eles tinham uma química e não podiam negar.

-Eu não sei, mais se ela estivesse viva, você ainda se vingaria? –Ela se aproximou dele.

-Eu pensaria no assunto.

-Era só isso, espero que sua vida seja bem feliz. –Disse Carol dando as costas e voltando para o Grill.

Brian não queria amar alguém novamente e ele não iria.

Caroline voltou e foi falar com o Matt.

-Matt, não fale com o Brian ok? –Disse Carol.

-Eu nem sei quem ele é. Mais eu não entendi nada.

-Ele é um ser sobrenatural, até onde sei Damon está morrendo por causa dele.

-Nossa, entendo.

-Vou ver o Damon. Tchau.

***

Elena já estava indo para o embarque. Ela não tinha nada a dizer, seus pensamentos iriam apenas até Damon.

-Elena? –Perguntou Bonnie.

-Oi.

-Já deram a chamada para irmos.

-Obrigada Stefan, quando eu chegar eu ligo, prometo. –Elena o abraçou forte, parecia que ela não queria largá-lo.

-De nada, é bom mandar noticias mesmo.

Bonnie também abraçou Stefan e elas entraram no embarque.


***

Damon rolava na cama de dor, muita dor, uma dor que ele nunca sentiu, morrer lentamente é á pior coisa que ele poderia sentir.

-Ah não me diga que veio cuidar de mim? –Disse Damon ao perceber a presença de Caroline.

-Cala a boca, sim eu vim cuidar de você. –Caroline disse simplesmente.

-Estou me sentindo um bebezinho.

Caroline desceu e rapidamente já estava no quarto de Damon.

-Preciso me acostuma com suas velocidades. –Disse Damon ainda com dor.

-Quem sabe um dia. –Ah loira rasgou a bolsa de sangue e colocou na boca de Damon.

-Bom eu sei que você prefere uma universitária, mais enquanto elas não acharem a cura é isso que você irá comer.

-Obrigado. –Carol se espantou mais logo se recuperou.

-Me agradeça mais tarde.

Carol deitou na cama e colocou Damon nos braços.

-Não vai se aproveitar de mim. –Disse Damon sorrindo malicioso.

-Pode deixar eu não vou.

Damon ainda sentia dor, mais pensar em Elena o ajudou a esquecer.

-Caroline, você acha que a Elena poderia me amar? –Caroline não entendeu o rumo da conversa mais ela sabia a resposta.

-Damon eu não sei a Elena é complicada mais se ela amar você ela vai amar mesmo, até maior mesmo que o amor que ela sente pelo Stefan mais se isso acontecer e bom fazê-la feliz, se não eu mato você! –Disse Carol simplesmente.

-Eu não vou magoá-la.

-Espero.

Então a noite caiu e Stefan finalmente chegou. Caroline precisava ir queria falar com Tyler, mais ele deveria estar acorrentado nesse momento.

-Carol? –Perguntou Stefan assustado com Damon nós braços da loira.

-Er... Eu vim cuidar dele. –Ah loira ficou meio sem jeito, mais Damon dormiu, ela colocou a cabeça dele calmamente no travesseiro e o cobriu.

-Preciso falar com você Carol. –Disse Stefan.

Caroline e Stefan desceram para a sala e Stefan logo disse.

-Não sabemos, se o toque de um Elementors pode ter a cura, Bonnie diz que sim, mais seriam muito difícil elas conseguirem, não temos certeza se ele sobreviverá.

-Elena não suportaria perdê-lo. –Disse Carol preocupada.

-Eu sei, por isso temos que cuidar dele.

-Pode contar comigo sempre. Tchau Stefan.

Stefan, não queria perder Damon era seu irmão era a única família que ele tinha.

Stefan se sentou e ficou pensando durante muito tempo.

-Oh meu Stefan triste. –Disse Katherine.

-Ah olha, hoje não é um bom dia Katherine. –Disse Stefan cansado.

-Quando você vai saber o que eu quero? –Disse Katherine.

-Me diga então.

-Eu quero apenas você Stefan. –Ela disse se aproximando.

-Você me tinha mais me perdeu. –Ele se levantou e saiu do contato visual com a vampira.

-Como o Damon está? –Perguntou a vampira com tristeza.

-Como sabe?

-Tenho minhas fontes, vou ver se um dia eu consigo vim para cuidar dele.

-Tem certeza que é você mesmo? –Disse Stefan brincando.

-Tchau Stefan.

Stefan se viu sozinho na sala, ele subiu para seu quarto e foi tomar um banho.

Ele queria estar apenas em um pesadelo, querer acordar e perceber que Damon estaria na casa da Elena cuidando dela e a fazendo feliz, mas sabia que não era assim, não era apenas um pesadelo era muito mais que um pesadelo era a morte chegando e levando tudo que Stefan tinha no momento.

Ele saiu do banheiro e pulou na cama, ele queria apenas descansar apenas isso.

Stefan demorou a dormir mais logo adormeceu.


-----------------------
Tópico de comentários: aqui

--------------------

Nota das autoras: Então amores, desculpem pela demora mais uma vez, é que eu me empolguei e resolvi escrever mais um pouquinho e fui arrumar o caps. Quando eu terminei de arrumar, meu PC desligou sozinho e eu perdi tudo que tinha arrumado. Mas, espero que gostem do caps. Esse ficou pequeno tambem mais eu espero que comentem tambem! Sendo um coments para elogiar ou para criticar! Beijoss s2s2
avatar
Delena_Somerhalder

Mensagens : 227
Data de inscrição : 25/03/2012
Idade : 21
Localização : Na caminha do Kol. Junto com ele e com o Damon.

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: My worst nightmare

Mensagem por Jady_Delena em Dom Jul 22, 2012 1:23 am

Capitulo X - Will some hope after all?
(Será que a alguma esperança no fim de tudo?)


Ó doçura da vida: Agonizar a toda a hora sob a pena da morte,
em vez de morrer de um só golpe.
William Shakespeare

**POV Bonnie

Elena estava cochilando no avião quando chegamos em Salém.

Salém e uma cidade localizada nos Estados Americanos de Massachusetts no Contado de Essex.

-Elena, acorde chegamos. –Disse Chacoalhando-a.

-Ainda bem, bom vamos logo.

Elena se levantou e eu fui junto. Fomos para o nosso quarto do Hotel... Era um hotel simples e aconchegante com umas pilastras
pequenas cheias de rosas na decoração da pilastra. Esse Hotel parecia mais uma pousada do que um Hotel, mais era considerado um
Hotel.

-Elena?-Ela estava muito desatenta olhando pela janela.

**POV Elena

-Bonnie...Estou com muito medo! -Eu realmente não queria que isso estivesse acontecendo, queria estar em apenas um grande
pesadelo.

-De perdê-lo certo?-Ela me conhecia 100%.

-Sim Bonnie eu não quero perdê-lo... –Eu disse abaixando a cabeça

-Calma nos vamos achar a cura. -Ela mi abraçou e senti muitas lagrimas escorrem em meu rosto... Eu não era forte o bastante para
aguentar tanto sofrimento relacionado a ele.

A noite caiu e eu precisava de um longo banho e uma noite bem dormida, mais eu precisava beber, precisava de alguma coisa para
me fazer esquecer.

Coloquei uma calca jeans preta uma sapatilha nude e uma blusa simples branca.

-Bonnie eu vou beber alguma coisa, você vem comigo? –Bonnie se espantou.

-Você vai beber? Tipo encher a cara?

-Eu não vou ficar bêbada, só vou beber alguma coisa leve.

-Eu te acompanho nessa.

Bonnie já havia tomado seu banho também e fomos beber alguma coisa que tenha álcool.

-Me vê um Bourbon.

-Isso é seu leve? –Perguntou Bonnie.

-Isso não é o leve.

Eu tomei o whisky de uma vez só. Bonnie ainda estava abismada com a minha reação, mais eu tinha que pelo menos tentar
esquecer, eu não iria ficar bêbada, Damon precisa de mim sóbria.


**POV Damon


Eu não aguentava tanta dor, era simplesmente insuportável, ainda mais por não ter o calor de Elena comigo... Sentia tanta falta
daquela morena. De sua pele lisa... De seus cabelos lisos e macios.

-Toma aqui, saquinho de sangue para se alimentar e pelo menos ficar mais forte- Eu estava forte só não conseguia sair da minha
cama. Apenas isso.

-Muito obrigado Babá Tetefi- Ainda era muito bom zombar do Tetefi. Ele me ignorou como sempre.

-Elena me ligou e disse que chegou bem... -Eu o interrompi.

-Como ela está?-Minha preocupação era tremenda.

-Ela e Bonnie estão bem, só que as buscas pelas bruxas vão demorar bastante tempo. -Não gostei dessa parte do "Bastante
tempo".

-Bruxas?-Como assim seu animal.

**POV Caroline

Eu estava na casa de Tyler como sempre a mãe dele não estava

-Amor, vamos ter que adiar a data do nosso casamento, Elena e Bonnie estavam fora eu não poderia casar sem minhas irmãs.

-O que aconteceu Carol? -Ele não parecia ter gostado nada do que ouviu.

-Bonnie e Elena estão em Salém- Dei uma breve pausa e continuei. -Damon foi tocado por um tal de Brian que é um ser
sobrenatural que ao tocar um vampiro ele morre aos poucos isso pode durar anos ou apenas horas depende da idade do vampiro.

-Mais como assim? -Esse era um de muitos defeitos do Tyler não entender coisa nenhuma.

-Amor, querido, elas estão procurando a cura em Salém... Eu não pude ir com elas pelo simples fato de não ter encontrado você
ontem á noite se não teria ido com elas entendeu agora?

-Sim querida entendi, tudo bem, nos iremos adiar a data ate as nossas madrinhas voltarem!-Ham como assim?

-Nossas madrinhas?

-Sim amor nossas madrinhas... -Ele disse me entrelaçando em seus braços e me beijando intensamente, eu amava aquele lobinho.

Ele me encostou a parede, eu entrelacei minhas pernas na cintura de Tyler. Senti sua mão gelada em minha coxa chegando á minha
região sensível.

-Tyler? –Disse á prefeita.

-Ai meu Deus. –Disse Tyler.

-Você só sabe falar isso?

-Você tem que ir, antes que ela me mate.

-Te amo lobinho.

-Te amo vampirinha...

Eu pulei a janela dele e escutei a prefeita dizer “Quem estava aqui?” e Tyler logo disse “Bom... Er... Ninguém mãe”.

Entrei no meu carro e segui para minha casa.

**POV Elena

O fuso horário não era muito diferente de Mystic Falls... Não era tanto, mais minhas olheiras acusavam que eu ainda queria muito a
cama do Hotel.

-Bonnie vamos acorde temos muito que fazer!-Ela ainda dormia feito um anjo.

-Elena é... -Olhando para o relógio- Apenas 06:30 da manha Elena... Caramba isso e que querer tirar o Damon da Cova hein!- Eu só
queria apenas salva-lo.

-Sim Bonnie vamos...

Ela foi tomar um banho e saiu com um vestido leve já que fazia calor em Salém.

-O que precisamos para a cura?

-Precisamos de 3 bruxas, 1 você já tem!-Ela deu uma breve pausa. -Precisamos de uma da família Mithell e outra da família
Campbell...

-Então vamos procurá-las.

-Elena, aqui moram muitas pessoas não será fácil achar elas... Precisamos da ajuda das autoridades precisamos falar que somos
parentes delas. Entende por que eu disse que iria demorar semanas? -Caramba isso iria demorar mesmo.

-Não tem nenhum feitiço para isso?-Meu coração acelerou mais e mais.

-Não só conseguiria se eu tivesse um objetos delas. Ou deles- Disse Bonnie com um sorriso malicioso.

-Você não tem jeito Bonnie...

Fomos tentar achar as bruxas e ate convencer as autoridades de que éramos parentes pela diferença de cores... Foi realmente
muito complicado.

[Uma semana depois]

**POV Damon

-Stefan. -Eu disse me levantando da cama parecia que a dor tinha passado.

-Damon pode deitando ai quem deixou você levantar. -Ele disse inclinando as costas na porta do meu quarto.

-Eu estou melhor, parece que pararam de fazer moidinho de Damonzão aqui... -Ele abriu um sorriso.

-Será que elas acharam a cura mais só faz uma semana que elas estão lá!-Ele pegou o Celular e ligou para a Elena-Elena vocês
acharam a cura?

A voz doce do outro lado soou em meus ouvidos e acabei entortando o canto de minha boca.

-Não Stefan, estamos tentando achar as bruxas já faz mais de seis dias... E o Damon como está?-Eu peguei o telefone da mão do
Stefan.

-Oi Leninha estou ótimo nem parece que estavam tentando fazer picadinhos de Damonzão! -Ela soltou uma breve risada baixa.

-Damon você parece realmente bem! Esta deitada? Como se sente? -Eu estava bem.

-Leninha AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAI. -A dor voltou, ela parecia que ia e vinha á
todo momento mais foi á primeira vez que ela tinha parado e voltado.

-DAMON? DAMOOOOOON?-Eu não consegui falar mais nada. Stefan pegou o celular de minha mão enquanto eu estava caído no
tapete da sala... Como eu fui parar na sala? Acho que peguei o celular e comecei a descer as escadas e nem percebi.

-Elena a dor dele voltou vou levá-lo pra cima depois nos falamos beijos. -Ele desligou... E escutei alguém entrando na mansão.

-Olá amorzinho!-Katherine... A me poupe á vadia voltou.

-O que você quer aqui sua vadia- A dor se estendeu, parecia que estavam furando o meu corpo com estacas e jogando verbena nos
ferimentos.

-Soube que você foi tocado por um Elementors. -Ela deu uma breve pausa. -Isso não e nada bom Damon para achar a cura sua
querida LENINHA vai demorar muito. Deveria ter pedido pra eu ir.

-Katherine ele não esta bem não o provoque.

-Tudo bem. Leve ele lá pra cima que eu preciso falar com você. -Stefan tinha me deixado no quarto e eu não parava de pensar em
Elena...

A dor ia e vinha á todo momento era como uma tortura que não parava. Parecia que alguém me furava varias e varias vezes no mesmo lugar e jogava verbena e sal só pra pior e demorar para os ferimentos se curarem eu rolava e não havia nada que Stefan poderia fazer para passar a dor a não ser me embebedar para pelo menos amenizar a dor que me corroía.

**POV Stefan

-Stefan você sabe muito bem por que eu estive ausente... Não me olho com essa cara de cachorro sem dono. -Ela adorava me provocar com suas roupas. Ela vestia uma blusa regata branca que mostrava muito o seu sutiã vermelho e preto e uma calça jeans preta colada e um salto bem alto por sinal.

-Eu não estou sem dono alias, eu não preciso de uma.

Ela me beijou e eu retribuí com tudo que estava acontecendo eu não tive tempo de pensar em o que eu sentia por ela.

Ela me deitou no sofá e rasgou minha blusa.

-Uau Katherine. -Ela desceu a boca por meu pescoço e foi descendo por meu peitoral despido... Tirei a sua regata vendo um lindo
sutiã vermelho e preto.

-Eai gostou?-Disse ela com a boca pressionada em meu pescoço.

-Só vou gostar quando você tirá-lo... -Levantei rapidamente com ela a e coloquei sentada na mesinha que tinha agora era a minha
vez de deixá-la louquinha.

Coloquei as minhas mãos em seu quadril e apertei com força ela soltou um gemido dizendo "Isso Stefan continua" eu a deitei na
mesa e tirei sua calça e vi sua calcinha fio dental que fazia parte do conjunto com o sutiã ela se sentou e eu terminei de tirar o seu sapato e depois a calça então subi a minha boca por sua perna chegando á sua coxa e pulei o lugar onde ela mais queria que fosse tocado por minha boca. Cheguei á sua barriga chegando á seus seios e dei um breve beijo em casa um deles.

-Stefan? -Justo agora que merda. -NOSSA desculpe não queria interromper. -Disse Carol entrando com ela colocou a mão dela nos
olhos de Tyler e eu soltei uma breve risada.

-Vocês não tem nada melhor do que empatar a minha vida loirinha aguada?-Katherine já estava totalmente vestida.

-Desculpe, vim ver o Damon e trazer noticias da Elena para ele... -Ela disse subindo as escadas.

Katherine ficou ali comigo bebendo e conversando enquanto Caroline estava com Damon.

**POV Caroline

-Damon?!-Ele estava deitado na cama e rolando de dor.

-Fala cachinhos dourados. -Até quando estou ajudando-o ele fica me zombando.

-Trouxe noticias da Elena para você. - Ele rapidamente ficou serio e sentou na cama já que era o único esforço que ele podia fazer.

-Ela ...

-Damon ela está bem... Está quase achando uma das bruxas, ela é persistente e você sabe disso.

-Posso te agradecer agora? –Disse Damon simplesmente.

-Quando você conseguir levantar da cama você me agradece.

-Mulheres...

**POV Elena

Acordei e eu já sabia onde estava a nossa bruxa da família Campbell. Bonnie sempre era a ultima a acordar fazia 10 dias que estávamos aqui e eu não sabia quanto tempo mais Damon iria aguentar aquela dor insuportável. Todas as manhas eu acordava -na realidade eu não dormia- Sempre pensando nele, tinha ate esquecido de trazer o meu diário, eu realmente sentia uma coisa forte por Damon só não sabia o que era exatamente. Se for amor ou se era um carinho muito grande por ele ter me ajudado com o termino entre eu e Stefan... Ele foi um excelente amigo sempre me ajudando á esquecer os problemas. Ele cuidou tanto de mim que ate nos esquecemos do Brian e o que ele poderia ter feito. Porque o Brian não me machucou...

Eu estava tão distraída e fui para a janela pensar...

-Elena?-Ela chamou mais uma vez. -Elena?

-HAM? Oi Bonnie... Então vamos para a bruxa Campbell?-Ela ainda estava de pijama e eu também.

-Sim só vou me trocar e você também vai né? Não vai sair de pijama né?-Ela deu um sorriso torto pra mim.

-Com a pressa que estou não duvide muito disto. -Abri um sorriso que logo se afastou de mim e lagrimas escorreram de meus olhos.
Bonnie já não estava mais ali.

Coloquei uma roupa de frio... O tempo tinha mudado rapidamente em Salém. Bonnie tinha dito que era normal isso na cidade das
bruxas.

Nos entramos no carro alugado, e fomos para a casa da bruxa Campbell.

-Bonnie você toca a campainha hein. -Eu estava feliz por temos achado pelo menos uma bruxa da família que precisávamos. Bonnie
tocou a campainha.

-Olá posso ajudá-las?- Perguntou uma mulher que aparentava ter uns 23 anos com cabelos pretos e olhos castanhos ela ate que era
bonita.
Spoiler:

-Sim pode... Sou Bonnie Bennett- A mulher se assustou a ouvir o sobrenome.

-Uma bruxa Bennett batendo em minha porta? Isso é muito intrigante.

-Sou Elena Gilbert... -Eu estendi a mão para cumprimentá-la formalmente- Preciso muito de sua ajuda.

-Sou Tatiana Campbell, vocês parecem ser boas pessoas... Entrem. -Nos entramos e fomos para a cozinha e ela nos deu um chá...

-Um chá de Verbena... Relaxe, não sou a vadia psicótica da Katherine, infelizmente sou a copia dela. -Ela abriu um sorriso de alivio.

-Desculpe mais já cruzei com aquela vadia.

-Nos sabemos como é. - Disse Bonnie sentando na cadeira da sala.

-Então qual e o motivo da vinda de vocês?- Perguntou Tati.

-Damon Salvatore foi tocado por um Elementors e agora precisamos fazer passo a passo a cura para ele... -Eu dei uma breve pausa.-
Eu não posso deixá-lo morrer.

-Eu conheço esse feitiço, vocês tem a outra bruxa?-Disse ela pegando uma bolsa.

-Não ainda não.

-Então vamos, por que, por sorte de vocês eu conheço uma bruxa da família Mitchell.

-Nossa ainda bem muito obrigada mesmo você não sabe como isso nos ajuda.

Nos entramos no carro e fomos diretamente para a casa da terceira bruxa... Até que nos três nos demos muito bem. As conversas
sobre feitiços entre Tati e Bonnie só me deixava mais ligada em Damon...

-Chegamos, é aqui. -Disse ela apontado para uma casa meio sombria era uma mansão com paredes pretas e porta antiga todos
deveria temer essa casa.

-Nossa bem aconchegante essa casa hein?-Disse Bonnie olhando a enorme mansão assustadora.

-Apesar da "Linda decoração" ela é muito legal- Disse

-Vamos então... Estou com muita pressa-Eu estava mesmo com muita pressa.

-Nos percebemos- Bonnie e Tati disseram juntas.

Tocamos a campainha varias e varias vezes e nada de alguém atender.

-Vamos embora voltamos amanha!-Exclamou Bonnie.

-Não mesmo. -Eu disse abrindo a porta da casa.

Eu entrei e elas sussurraram baixinho "Você esta louca" olhei a casa estava totalmente escuro... Havia uma escada, deveria dar em direção aos quartos. Fui entrando e olhei na cozinha, estava cheio de teias de aranhas e alguns ratos mortos.

-O que estão fazendo aqui?-Disse uma voz que vinha das sombras.

-Nos precisamos de ajuda. -Eu disse. A mulher saio das sombras, aparentava ter uns 23 anos, tinha cabelos louros e olhos pretos e
um porte físico bonita.
Spoiler:


-Precisamos mesmo de sua ajuda Sabrina. -Disse Tati abraçando a amiga e Sabrina retribuiu.

-Já sei o porque estão aqui...E olha eu não gosto de vampiros entendeu? -Ela me disse isso olhando exatamente para mim...Será
que ela sabia o que eu sentia pelo Damon mesmo antes de mim?

-Por favor, preciso de sua ajuda- Ela me cortou.

-Olha Elena – Como ela sabia meu nome?- Não gosto de vampiros e tenho razões suficientes para deixar Damon morrer. -Disse ela
abrindo um sorriso sarcástico que me arrepio literalmente.

-Como assim?-Como assim mesmo!

-Não que seja da sua conta mais eu conto a você. -Ela se sentou em cima da pia de mármore-Quando eu tinha 17 anos eu tive uma
filha... Eu estava no parque com ela e Damon a matou por pura vingança de mim, ela só tinha apenas dois anos e ele quebrou o pescoço dela. - Essas palavras passaram em minha mente e voltavam e ia e depois voltava novamente e minhas pernas tremeram com tanta informação.

**POV Vanessa**

Eu estava no meu apartamento, de repente me bateu uma grande saudade do Matt. Coloquei uma calça legguin preta, bem colada,
até o tornozelo, um mini vestido vermelho com um decote em V não muito grande, meu colar escrito Vanny e uma bota com salto fino de cano curto. Deixei meu cabelo encaracolado caírem por meus ombros e fui para o Mystic Grill.

Entrando lá, eu fui ao balcão do bar e falei com o barman.

-Oi, me vê uma dose de tequila fazendo o favor- senti duas mãos agarrando a minha cintura e um hálito inconfundível encostando
perto da minha orelha.

-Uma moça tão linda e jovem não deveria beber uma coisa tão forte como tequila- Matt me girou na cadeira para nós ficarmos cara a
cara.

-E um homem tão lindo não deveria estar solteiro- eu estava completamente perdida naqueles olhos azuis e aqueles cabelos loiros.

-Eu só to solteiro porque ainda não sei se a garota que eu me apaixonei me ama!- Ele era apaixonado? Como assim? Eu estava com
ciúme

-Hum, e eu posso saber quem é essa sortuda?- eu disse ainda o olhando só que um pouco chateada, será que eu estava gostando do Matt?

-É você– O QUE? Eu fiquei totalmente em choque. -E queria saber se você sente o mesmo por mim.

-Matt... É claro que eu sinto! Eu só vim aqui para te ver e matar um pouco á saudades, mais eu nunca imaginei que você sentisse
algo por mim e é por isso que eu não tinha falado nada porque pensava que você não sentia nada por m..- Matt cortou o meu
discurso com um intenso e romântico beijo, o beijo era tão intenso. De repente eu ouvi palmas e todos olhando para eu e Matt se beijando e as pessoas estavam batendo palmas e assobiando.

-Eu te amo- ele me disse me olhando nos fundos dos meus olho.

-Eu também te amo.- Matt me pegou no colo e me girou umas 2 vezes enquanto ainda nos abraçamos.

**POV Damon

Caroline ainda estava comigo e meu celular tocou.

-Leninha...

-Como está Damonzão? –Disse ela feliz.

-Eu ainda estou com dor, mais Caroline e Stefan estão cuidando de mim.

Ela sorriu e eu escutei vozes atrás dela.

-Caroline? Preciso dizer muitos obrigados á ela.

-Quem está com você? –Eu perguntei desconfiado, eu escutei a voz de um homem. QUE HISTORIA É ESSA?

-Nós estamos no Hotel... Isso é ciúme Damon?

-Não... Não é que... Ah ta bom eu to com ciúme. –Admiti á ela.

-Pelo menos você ainda consegue falar, mais a dor passou?

-Ainda tenho a dor, ela nunca vai embora. –Eu disse, minha voz era fraca, saiam como sussurros.

-Achamos as duas bruxas, agora precisamos achar a cura Damon.

-Vocês são rápidas. Tudo isso é para me tirar da forca, estou me sentindo importante.

-E você é. –Disse Elena.

-Agora sim eu me sinto mais importante ainda.

-Tenho que desligar... Durma bem Damon.

Ela desligou, ela estava fazendo tudo isso por mim. Justo eu que estava decido a fazer mal a tudo que estivesse ao redor do meu irmão! Ele também me ajudava e isso era um tanto estranho.

-Toma. –Disse Carol me entregando mais uns cinco saquinhos de sangue.

-Obrigado.

**POV Jeremy

Deveriam ser umas 20h40min e eu estava pensando em ir a uma festa aqui perto, mais então me lembrei de Damon, eu sei que se
fosse lá eu iria levar chutes e pontapés de Damon, mais eu estava fazendo pela Elena.

-Então Jeremy, você vai?

-Não... Eu vou ver o Damon.

Ric logo levantou do sofá, será que ele não sabia.

-O que aconteceu com o Damon?

-Com tantos acontecimentos acho que se esqueceram de te dizer. Damon foi tocado por um Elementors, ou seja ele está morrendo.

Ric arregalou os olhos, eu entendia, pois é seu amigo estava morrendo.

-Vamos logo ver o Damon.

-Era isso que eu ia fazer ué. –Eu disse simplesmente.

Eu entrei no meu carro e seguimos para a mansa dos Salvatores.

Chegando lá eu bati na porta e Ric logo disse.

-Esqueça os bons modos garoto. –Ric entrou com tudo na casa.

“Eu tenho um tutor louco” Pensei.

-Então Stefan onde está o Damon? –Perguntou Ric ao entrar na casa.

Stefan estava com Katherine? Ok eu entendo suas necessidade de homem.

-Desculpe Stefan, mais parece que Ric deixou os bons modos pra depois.

Ric subiu as escadas e eu fiquei com Stefan e Katherine.

**POV Ric

Eu já estava entrando no quarto quando escutei vozes. Quem estava com Damon?

-Licença! –Eu disse ao entrar no quarto, e Caroline embalava Damon como um bebê.

-Shi... Eu consegui o fazer dormir agora. –Disse Carol colocando a cabeça de Damon no travesseiro.

-Entendo, vamos descer, preciso falar com todos vocês.

Caroline disse um “sim” com a cabeça e desceu. Eu dei uma olhada para Damon, era difícil vê-lo daquela maneira, ele era meu amigo
por mais que ele seja louco e impulsivo.

Ele nunca deixaria de ser meu amigo, não queria que ele morre-se.

Desci as escadas e todos estavam sentados.

-Bom... O que queria nos dizer Ric. –Disse Caroline.

-Elena talvez demore com a cura, se Damon morrer o que faremos? –Eu perguntei.

-Enterramos ou queimamos... Vocês que sabem– Disse Katherine.

Todos olharam abismados para á vampira sem coração.

-Ao contrario de você, Damon é amado Katherine. –Disse Jeremy.

-Damon não vai morrer, Elena vai achar a cura. –Disse Stefan esperançoso.

-Espero que sim.

-Olha o papo está ótimo, mais a vampira gostosa aqui vai se alimentar.

Katherine sai como um furacão.

-Seria bom se você arranja-se uma namorada menos... Menos. –Eu disse tentando achar a palavra que se combina com Katherine.

-Vadia. –Disse Caroline completando a minha frase.

-Obrigada Carol. –Eu disse sorrindo.

-Ric já que Damon está dormindo vamos embora, preciso ver meu Twitter. –Disse Jeremy sorrindo.

Eu pensei em ficar e conversar com Stefan.

-Jeremy pode ir, eu vou ficar aqui com Stefan.

-Boa noite. –Disse Jeremy saindo da casa.

-Então Stefan... Tentar cuidar de Damon não deve ser fácil.

-Não é fácil, mais ele é meu irmão não posso deixá-lo morrer, isso seria ridículo.

-Eu entendo.

-Superou a perda da Jenna? –Perguntou ele em um tom calmo. Caracas! Tanto ele quanto Damon já me perguntou isso.

-Quando se perde alguém, esse amor fica com você pela eternidade.

**POV Escritoras

Damon se remexia inquieto na cama, ele não queria deixar as lembranças surgirem em sua mente, logo as lembranças se tornaram
sonhos.

**Sonho**

Eu estava esperando-a no lugar de sempre, estava encima de uma pequena montanha, ali era o cantinho onde eu e ela sempre nos
encontrávamos.

“Onde está essa mulher?” Eu pensei.

-Olha temos que achar outro lugar, subir essa montanha cansa. –Disse ela.

Ela vestia um lindo vestido azul claro de mangas ele era liso não havia muitos detalhes, apenas alguns bordados na região dos seios, seus cabelos estavam lisos como sempre e deram um ar angelical a sua face, os olhos dela brilhavam como o sol um brilho mais que escondia muita tristeza por trás.

-Eu sei que você adora essa montanha.

-Eu adoro essa montanha mesmo, ela me lembra de liberdade.

Eu a puxei, ela se chocou contra meu peito, eu segurei seu rosto com uma das mãos e a outra estava em sua cintura á prendendo contra mim.

Ela me puxou mais como se fosse me beijar mais logo sai dos meus braços com uma risada de vitoriosa.

-Eu quero um beijo! –Eu disse com um biquinho me aproximando.

Ela se aproximou de mim, colocou a mão em minha nuca e selou seus lábios no meu.

Nosso beijo foi calmo, foi apenas um beijo de necessidade e amor.

-Então já contou a sua mãe? –Eu perguntei me deitando na pequena montanha, ela se sentou ao meu lado.

-Ela não vai aceitar, eu falei de você para ela e ela disse para não me aproximar dos Salvatores, ela disse que vocês eram perigosos.

-Acho que sua mãe anda bebendo demais. –Eu disse sorrindo para ela.

-Ela não anda bebendo, coitada dela.

-Eu sei como sua mãe é, mais você já tem 19 anos, ela deveria entender que está ficando velha para casar.

Ela me deu um tapa no ombro, ela sorriu e não tinha como não sorrir.

-Eu não estou velha, minha mãe não quer me casar tão nova, ela e meu pai são estranhos. –Disse ela com uma careta.

Ele olhou para ela, ela era radiante, ele a amava, era doce e carinhosa uma verdadeira paixão para toda a vida.

**Fim Do Sonho**

-Merda, odeio sonhar com ela. –Disse Damon um tanto alto demais.

-Com quem? –Perguntou Stefan, que estava de chinelos com uma calça de moletom lendo um livro.

-Vovozinho Tetefi! Adorei o modelito. –Disse Damon sorrindo.

-Sonhando com quem?

-Primeiro amor, primeira namorada. –Disse Damon com uma careta.

-Katherine? –Sugeriu Stefan.

-Katherine não foi minha primeira namorada, você conheceu a primeira, mais sabe não to a fim de lembrar-me dela.

Stefan tentou lembrar quem era mais não conseguia.

-Eu entendo poxa, toma mais uma garrafa.

Stefan entregou mais uma garrafa de Bourbon para Damon que virou com tudo e começou a tomar grandes goles.

-Vai com calma, daqui a pouco eu tenho que assaltar um banco para te bancar. –Disse Stefan se sentando na poltrona ainda lendo o livro.

-Só faltavam os óculos para combinar ainda mais de vovozinho.

Damon virou para o outro lado da cama não querendo falar mais nada.

-Tudo bem, entendi... –Disse Stefan saindo do quarto.

Damon demorou a pegar no sono, mais ele precisava dormir para não acabar morrendo mais rápido.

***

Jeremy estava em sua cama rolando de um lado para o outro.

“Estou parecendo um frango, fico virando de um lado para o outro” Pensou Jeremy bufando logo em seguida.

Ele pegou seu celular e discou o numero de Bonnie.

-Alo. –Disse uma voz cansada e com sono.

-Bom dia.

-Serio mesmo Jeremy? As 5:37 você me liga?

-Estava com saudades de você.

Bonnie se sentiu corar do outro lado do Telefone.

-Também estou com saudades.

Jeremy não deixou de se sentir feliz, a morena havia dito que estava com saudades.

-Como está Elena?

-Ela está triste, sentindo muito medo, eu não tenho certeza se vamos achar a cura. –Disse Bonnie temendo pela amiga.

-Ela não iria suportar tremenda dor.

Jeremy temeu pela irmã e até mesmo sentiu-se ruim por Damon.

-Nós sabemos, por isso vou fazer o possível e o impossível para salvar Damon.

-Eu entendo... Bonnie... Er, quando você volta?

Jeremy estava meio sem jeito, ele era tímido.

-Não sabemos... Jeremy eu preciso descansar, beijos.

Bonnie desligou o celular. Jeremy não queria que sua irmã sofresse mais, logo agora que ela estava tão feliz, muito feliz com Damon.

Jeremy virou para o lado e percebeu que estava na hora dele dormir e conseguir acordar depois para ir ao colégio.

Não demorou muito e Jeremy já estava dormindo.

Continua...


-------------------------------------------
Tópico De Comentários
-------------------------------------------

Nota Das Autoras: Pessoal nós desculpem pela demora, e por postarmos trade, Rolling Eyes , Espero que gostem desse cáps, até que está grandinho, comentem para elogiar e até mesmo para dizer se não gostaram e coisa a tals ..Esperamos mesmo que gostem, e quero comentários rum' bounce
Atenciosamente Jady e Paty, .. Beijooooooooooooooooooooos s2s2 I love you
avatar
Jady_Delena

Mensagens : 282
Data de inscrição : 03/05/2012
Idade : 19
Localização : São Paulo

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: My worst nightmare

Mensagem por Delena_Somerhalder em Ter Jul 24, 2012 11:12 pm

Capitulo XI- Maybe I loved him
(Talvez eu o amava)



"A distância faz ao amor aquilo que o vento faz ao fogo: apaga o pequeno, inflama o grande."


**POV Elena

Eu já estava acordada, dês de que cheguei aqui em Salen não conseguia mais dormir, meus pensamentos iam e vinham até Damon, era como se nossas mentes estivessem ligadas, eu sei que estou confusa mais eu não posso deixar ele ir assim, e se não acharmos a cura? E se Damon morrer? O que eu vou fazer? Realmente muitas perguntas e nenhuma resposta para me confortar, ele me ajudou, nós viramos amigos.

Eu sempre soube o que ele sentia por mim mais quanto mais longe ele ficava mais tristeza havia dentro de mim, eu não podia perdê-lo não ao menos sem dizer o que eu sinto, alias o que eu sinto?

Damon me ajudou sempre, eu realmente estava ficando louca ou estou louca, como posso ser tão confusa assim? Como posso não entender meus próprios sentimentos? Se o coração é meu... Porque eu não consigo entendê-lo.

Bonnie começou a se remexer na cama e logo levantou.

-Bom dia Bonnie, vá se trocar, temos realmente que tirar o Damon da cova. –Eu disse simplesmente.

-Meu Deus, oh mulher apreçada.

Bonnie entrou no banheiro e foi tomar seu banho. Eu vestia um vestido branco simples sem muitos detalhes e uma sapatilha bege.

Não demorou muito e Bonnie saiu do banheiro com uma calça jeans preta toda colada uma sapatilha também preta e uma bata vermelha, seus cabelos estavam soltos formando lindos cachos.

-Vamos? –Eu perguntei.

-Sim, Elena, vamos.

Saímos do hotel e fomos para a casa de Sabrina, bom se é que aquilo é possível de ser chamada “uma casa”.

Demorou uns 15 minutos para chegar. Toquei a campainha e Sabrina atendeu.

-Olá Elena. –Disse Sabrina.

-Oi Elena. –Disse Tati atrás de Sabrina.

-Bom temos muito que conversar. –Disse Bonnie.

Eu entrei na casa, Bonnie entrou logo atrás.

-Sabrina eu sei como e doloroso perder quem amamos... E você sabe que não e fácil pra eu admitir quando Damon e importante pra mim. -Nesse momento vi Tati esbarrando em uma coisa. “MUITO ESTRANHO.”

-Tá Elena eu te ajudo satisfeita?-Senti um alivio em meu peito.

-Não imagina o quanto – Eu disse suspirando aliviada.

-Posso conversar em particular com você Elena- perguntou Sabrina.

-Sim pode.

Fomos para fora da casa, eu temia a conversa que teríamos.

-Elena... –Eu a cortei.

-Olha, eu sei que perder uma filha não é fácil, eu não tenho filha mais tenho um irmão que depende de mim.

-Minha filha se foi, eu aceitei isso á muito tempo, o pior é saber que foi quem você ama que matou minha filha.

Ok ela estava certa.

-Eu... Bom eu lhe agradeço por me ajudar, e ajudar Damon.

-Eu aceito, mais logo que isso acabar, não quero Damon na minha frente, certo?

Certo ela não gostava mesmo de vampiros.

-Certo.

Nós voltamos e começamos a conversar.


**POV Tyler


Acordei e fui fazer um café para a minha loirinha afinal ela merecia isso todos os dias. Quando entrei na cozinha eu realmente queria ser um AVESTRUZ e enfiar a minha cabeça em um buraco.

-Tyler o que faz aqui?-FODEU.

-Xerife Forbes... Eu ham... Eu bem eu vim aqui... Ham...- E agora o que eu faço.

-Eu entendi Tyler. Mesmo que vocês se casem eu ainda não me acostumei com a minha garotinha casando com um lobo e ela uma vampira casando com 18 anos em um corpo de 17 anos. -Pelo menos ela não e contra o meu casamento com ela.

-Desculpe Xerife?

-Tá desculpado genrinho, pode levar agora o seu café luxuoso para a Carol. Tchau. -Ufa medo.

Carol finalmente acordou e eu dei pra ela uma uva molhado no champanhe.

-Aonde descobriu isso amor?-Ela disse me dando outra.

-Uma vez eu estava brincando com o meu pai eu era pequeno e derrubei uma uva no
Champanhe dele e eu peguei a uva e percebi que era delicioso.

-Falei com Elena, ela já tem as duas bruxas agora ela disse que vai para o segundo passo- Isso e muito bom.

-Qual seria o segundo passo? –sou um lobo curioso...

-Ela disse que Bonnie só vai contar a ela quando estiver com as bruxas. -Uau Bonnie era dura na queda.

-Então tá né. -Eu disse me arrumando. -Amor preciso voltar para casa. Te amo loira.

-Te amo moreno... -Eu dei um beijo demorado e sai da casa dela.

**POV Bonnie

Já aviamos saído das casas das meninas e já era noite em salen. Estávamos em nossas devidas camas relaxando um pouco devido ao dia cheio.

-Bonnie... Porque temos que ser tão confusos?

-Confusão é uma coisa que passa, o tempo é um remédio muito bom, ele pode tanto nós confundir como nós ajudar.

-Todo vez que eu acordo, uma pessoa especial vem a minha mente, porque ele amiga?

-Talvez seja ele que você ama.

-Talvez eu o amasse mesmo, ou amo. –Ele se remexeu inquieta.

-E o Stefan?

-Nós terminamos á meses e Damon me ajudou, tanto Stefan quanto eu não sentimos mais aquela paixão.

-Eu entendo, sei como é.

-E o Jeremy?

Soltei um suspiro.

-Jeremy... Bom esse nome me assombra, essa pessoa me assombra.

-Admita Bonnie você gosta dele.

-Admitir que gostamos de alguém não é fácil, você sabe como é.

-Boa noite Bonnie.

-Boa noite Lena.

**POV Escritoras

Já era noite em Mystic Falls, Stefan estava apenas cuidando de Damon e Damon cuidando para não morrer.

Stefan á todo momento era chamado para dar sangue para Damon.

Damon sabia que seria difícil, ele deveria tomar mais cuidado com quem quer que fosse matar.

-Vovozinho preciso de mais sangue. –Disse Damon e Stefan já estava no quarto.

-Você precisa é de um banho.

Stefan foi até o banheiro e ligou a banheira jogou alguns saís de banho e outras coisas que Damon tinha.

-O que você vai fazer? –Perguntou Damon arregalando os olhos.

-Você precisa tomar um banho, está todo soado e sujo de sangue.

-Ah, mais eu consigo lev... –Na tentativa de levantar Damon caiu e a dor não passava a nenhum momento ele sempre sentia as estacas no seu corpo.

Ele se sentia queimar como se a verbena entrasse e penetra-se no seu corpo e continuava lá, firme e forte.

-Vem.

Stefan o apoiou em um dos seus braços e o levou até o banheiro.

-Bom agora você tira á roupa! –Exclamou Stefan.

-Cara isso é muito gay Tetefi.

-Calado... Tira logo essa roupa.

-Tampa os olhos.

-O QUE? –Disse Stefan indignado.

-Eu não quero que você saia gritando que nem uma garotinha quando ver o Damonzão aqui.

Stefan não disse mais nada colocou suas mãos nos olhos ainda indignados com a atitude do irmão.

Damon teve dificuldade para tirar sua roupa, cada peça de roupa que ele tirava doía mais em seu corpo.

Ele cambaleou até a banheira mais com muito esforço e dor conseguiu chegar á banheira, se ele fizesse muitos movimentos á dor aumentava e ele não suportava mais.

-Pronto Tetefi.

Stefan abriu os olhos e Damon já estava na banheira com os olhos fechados apenas relaxando.

-Bom eu vou descer quando terminar me avise.

Damon não respondeu, ele queria pensar na Elena e todos os seus momentos, de repente veio um filme a sua mente do seu primeiro amor até a Elena, de todas as garotas ele nunca imaginou que amaria logo a Elena.

Deveriam ser umas 02h40min da madrugada e Damon ainda estava na banheira.

-Stefan acabei. –Disse Damon.

-Pensei que ia pagar de sereia ai á madrugada toda.

-Tetefi fecha os olhos.

Stefan bufou mais colocou as mãos nos olhos.

-Não vale espiar.

Damon mais uma vez bufou ao levantar enrolou a toalha e cambaleou e Stefan segurou.

-Você parece um bebê. –Disse Stefan segurando o irmão.

-E você parece um gay querendo olhar meus brinquedos aqui. –Disse Damon apontando para sua região sensível.

-Calado.

Stefan colocou Damon deitado, ele se cobriu com vários e vários cobertores e edredons e jogou a toalha para Damon.

-Vai dormir, falei com a Elena e amanha ela liga pra você.

Stefan saiu do quarto e Damon só conseguia pensar em Elena, a dor que ele sentia não havia palavras para descrever era simplesmente uma dor como se ele fosse triturado varias e varias vezes, a queimação era como se colocassem verbena no seu corpo de minuto em minuto.

Então depois de beber cinco garrafas de whisky Damon dormiu.

**POV Elena

Me levantei aos pulos e tomei um banho rapidamente. Bonnie já havia acordado e também já estavam prontos...

-Bonnie vou ligar para o Damon. -Eu disse pegando o celular e discando o numero eu já tinha ele de cor e já havia umas 100 ligações minhas para Damon.

-Tudo bem, vou tomar café.

**POV Damon

Eu estava com muita dor, e essa dor aumentava cada vez mais, mais eu não podia morrer, não antes de ver Elena uma ultima vez, eu não podia mais negar, eu verdadeiramente amava Elena Gilbert, e esse amor por ela crescia cada vez mais. Elena era a minha maior fraqueza, se acontecesse algo com ela eu simplesmente me matava. Eu a amo muito, Nunca amei ninguém como eu á amo, nem mesmo Katherine. O meu celular tocou e eu vi no visor uma foto da Elena sorrindo e logo atendi.

-Alo? Elena?- Eu ouvi a respiração dela e tive certeza que era ela.

-Oi Damon! Tudo bem com você? Você melhorou um pouco? - Eu tinha até me esquecido da dor.

-Elena, tudo indo, na verdade não melhorou nada, pelo contrario, só pioro!- eu tossi e a voz dela se tornou preocupada.

-Logo logo eu volto, já encontrei as outras 2 bruxas, agora falta pouco. -Ela deu uma breve pausa e disse- Estou com saudades, e sinto a sua falta.

-Elena eu preciso que você saiba que eu já fiz coisas horríveis em Salém, logo não tenho certeza que as Bruxas vão concordar quando descobrirem que é para mim o feitiço... -Elena me cortou e disse.

-Damon eu sei o que você fez no passado. -Elena disse com a voz firme.

-Não Elena, você não sabe. Você não faz idéia do monstro e canalha que eu fui. - ela não tinha como saber.

-Damon, eu sei que você matou a filha da Sabrina Mitchell. Eu entendo tudo isso e eu disse que era para você o feitiço, e elas concordarão.

-Como concordarão? Não foi só com Sabrina que aprontei, mais quando chegar aqui eu te conto tudo e espero que não fique chateada comigo! -Ela parecia ter ficado curiosa.

-Elas entenderão que você é muito importante para mim e concordarão. Espero que me explique mesmo Ok?- Eu odiava contar meu passado horripilante...

-Ok!- eu tossi de novo.

-Damon, vou ter que desligar, tenho que sair com Bonnie agora, beijos, se cuida- Ela disse.

-Se cuida você Elena, e volta logo, sinto falta de você Leninha, e de te irritar- ela me cortou.

-Tchau Damonzão!

Elena desligou o telefone e a dor tomou conta e mim novamente, e a única coisa que eu tentava pensar era em Elena. Apenas Elena já que quando pensava nela a dor amenizava.

[ 2 dias depois]

**POV Elena

Eu estava me trocando, coloquei um vestido preto e uma bota. O tempo em Salém era muito estranho uma noite estava um frio de matar e outro dia estava calor de nadar em uma piscina. Bonnie disse que era por causa da influencia das bruxas... Já que elas podiam sentir a natureza.

-Bonnie, vamos buscar elas? -Ela já estava pronta terminando o sua torrada.

-Elena... Tem uma coisa que você precisa saber que o Damon fez! -Eu já imaginava que não iria gostar disso.

-Ele disse que iria me contar quando voltássemos para Mystic Falls...- O que será que ele tinha feito que iria me deixar com tanta raiva?

-Eu não vou passar na frente dele então... - E melhor o Damon me contar mesmo.

-Ok, vamos então...

Entramos no carro para irmos buscar as bruxas e eu só sabia que o feitiço ia ser feito em Mystic Falls... Apenas isso Bonnie tinha relevado não sei o porquê tanto suspense para mim...

Bonnie e eu chegamos na casa da Tatiana que eu preferia chamar de Tati...

-Oi Tati Preparada?-Disse Bonnie abrindo a porta pra ela.

-Com certeza... -Disse ela sentando no banco do carro... Bonnie e ela tinham uma afinidade e tanta e de novo eu fiquei olhando pela janela do carro e lembrando-me de Damon novamente... Talvez eu o amava, já não sabia muito o que era isso...Faria 3 meses que eu e Stefan não estávamos mais juntos, bastante tempo já.

Chegamos na casa de Sabrina...Aquela casa me dava arrepios muito arrepios como ela conseguia viver ali, ela sim era uma bruxa dos filmes de terror. Sabrina chegou e entrou no carro.

-Oi Sabrina. -Eu disse... Parecia que ela tinha visto um fantasma.

-Vamos logo com isso Ok? -Realmente ela estava com mais pressa que eu.

-Sabrina, nos vamos ter que ir para Mystic Falls... -Agora o bicho vai pegar.

-Eu já imaginava... Só que eu vou faço o feitiço e volto como se nunca tivessem visto vocês na minha vida! -Ela estava morrendo de raiva de ter que ajudar DAMON SALVATORE.

-Vou ligar pra ele. Saber como ele esta- Eu disse pegando o celular e vi Tati e Sabrina revirarem os olhos...Era estranho ver Tati com essa cara, Sabrina eu ate entendia mais a Tati não. Disquei o número...

-Alo Damon? -Eu disse com a voz baixa demais.

-Oi Leninha tudo bem?

-Sim e você como esta?-Como eu queria que ele me disse-se um "Sim".

-Não muito... Mais a dor vai e vem, isso que é ruim- Eu senti um aperto no meu coração.

-Damon eu estou com as bruxas aqui e estamos indo para o segundo passo, Bonnie não me disse ainda o que é, então, quando eu souber eu te ligo e depois do segundo passo eu já vou estar ai do seu lado...- Eu disse com um sorriso mesmo que ele não visse eu estava meio feliz por haver uma cura e estar quase voltando pra casa.

-Obrigado Leninha... Ei beijos na...-Eu o cortei.

-Damon sem indecências. -Homens...

-NA BOCA LENINHA!-Ele soltou uma risada maliciosa.

-Tchau Damon, seu sem vergonha. -Eu desliguei o aparelho e me surpreendi com a pergunta inesperada.

-Como ele esta Elena?-Perguntou Tati...

-Ele não esta nada bem... -Eu disse olhando para minhas mãos que segurava o meu celular.

-Ele deveria morrer aquela praga. -Disse Sabrina me fritando com os olhos.

Minha vontade era de voar no pescoço dela, mais sabia que precisávamos dela então nossa briga ficaria pra mais tarde.

-Chegamos ao local aonde iremos nos reunir!-Disse Bonnie olhando pra mim com um sorriso e por traz dizia "Acalme-se Lena tudo vai ficar bem amiga".

-Ótimo vamos logo com isso Bonnie. -Eu disse... Sem que as outras escutassem.

Entramos em uma casa abandonada muito assustadora... Com velas para todo canto parecia que nós não éramos as únicas a ter usado essa casa para algum feitiço importante... A casa era térrea e não avia nenhuma mobília... Não era tão assustador quanto á casa de Sabrina, mais era assustadora.

-O segundo passo precisamos de um... -Bonnie deu uma breve pausa- Precisamos da morte de um homem. -Matar uma pessoa inocente isso partiu mais ainda meu coração...

-Bonnie serio?- Eu perguntei revirando os olhos.

-Sim Elena...
-Então vamos logo com isso como mataremos esse homem?-Bonnie arregalou os olhos.
-Elena você esta bem?-Disse ela colocando a mão em minha testa. -Você terá que matar esse homem. Só a pessoa que o vampiro ama pode matar o humano. -Não acredito mais se era por ele...

-Bonnie eu farei de tudo para salvar Damon...

-E você ainda tem duvidas sobre aquilo que conversamos ontem?

-F.E.R.R.O.U - Eu disse fazendo uma careta para ela.

- Elena nos temos que levar o sangue desse humano qualquer para Damon tomar!

-Ok... Bonnie e agora o que faremos?-Eu perguntei disfarçando.

-Precisaremos procurar uma flor que só existe uma... Esse e o terceiro passo... Elena lembrando que são quatro passos... -Pelo visto eu iria ficar mais duas semanas aqui.

-Só falta mais dois... Bonnie precisaremos de todas as bruxas para ir procurar a flor? –perguntei.

-Sim precisamos por que só as três bruxas podem quebrar a barreira que impedem outras pessoas de pegar a flor.- Cada coisa nesse mundo sobrenatural.

**POV Jeremy

Estávamos eu e Ric indo á mansão Salvatore, Ric como amigo de Damon queria ver se ele já tinha melhorado.

-Ric eu acho que eu gosto da Bonnie- Eu disse sem pensar.

-Serio?

-Aham. Mais eu não sei exatamente o que eu sinto por ela- Eu estava confuso, não sabia se o que eu sentia por ela era um amor como irmãos ou como namorada.

-Você namorando a melhor amiga da sua irmã que é uma bruxa. –Disse Ric dirigindo e fazendo careta. -cuidado em! Se você magoar ela é capaz dela colocar fogo em você. – Ric deu uma risada extremamente alta.

-Mais eu não sei... E se ela não gostar de mim!- eu disse pensando.

-Você nunca vai saber se não falar para ela.

-Ok. Quando ela voltar á primeira coisa que vou fazer vai ser falar com ela sobre isso. –E a coragem pra isso onde fica?

-Assim que si fala um homem de verdade... -Ele falando de homem e eu apenas pensando em Bonnie.

-Será que ligo pra ela?-Perguntei com o celular na mão e muitas duvidas em minha cabeça...

-Sim ligue agora... -Eu disquei o numero dela.

-Alo... Jeremy?- A voz dela parecia assustada.

-Sim... Ham... Bonnie... He... Tudo bem com você?-Eu gaguejei todas as palavras praticamente.

-Sim Jer e você?

-Ótimo estou indo para a casa do Damon... Ric quer ir dar uma força para o amigo... Eai como esta Elena?-Eu perguntei para saber mesmo de minha irmã.

-Ela esta bem estamos indo para o Hotel e amanha vamos para a floresta entre a divisa de Salém para procurarmos uma flor que Damon ira ter que tomar. -Pelo menos ele não iria morrer.

-Isso e perfeito. -Disse Alaric perto do telefone.

-Xio quieto tá estragando!!!- eu disse um pouco alto de mais.

-Estragando o que?- Ela perguntou. E novamente eu acabei me perdendo em meus pensamentos.

-Bom é nada não, Bonnie, tenho que desligar beijos Gata!-Eu desliguei.

**POV Bonnie

Eu ouvi bem? GATA ele mi chamou de GATA?...

-Eu ouvi essa ultima parte hein Bonnie. -Disse Elena abrindo um sorriso malicioso... Chegamos no Hotel depois de deixar as meninas em suas casas...

-Quietinha Lena... Mais eu adorei.-Eu me joguei na cama e pensei "AI AI estou apaixonada".

-Bonnie vou tomar banho e depois ligarei para o Stefan. -Ela disse entrando no banheiro com a sua toalha. Caramba Elena gostava de ligar para eles...

**POV Elena

Tomei meu banho e liguei para Stefan...

-Stefan Como estão as coisas ai?-Ele bufou.

-Damon está ruim, Elena, ele piorou!- Meu coração apertou e bateu aceleradamente em meu peito.

-Onde ele esta e o que aconteceu?-Eu disse muito afobada.

-Elena ele grita o seu nome, vocês vão demorar...?

-1 semana no máximo, eu acho, ele esta dormindo?- Eu só queria falar de Damon no momento.

-Eu o embebedei novamente ele gritava tanto mais tanto que não aguentei e dei três garrafas pra ele... -Nossa pelo visto as coisas estavam muito ruins.

-Stefan cuide dele. Por favor, beijos, preciso dormir amanha acordo as 05h para resolvermos logo isso!-Eu desliguei.

-O que ouve Elena?-Eu não aguentei e chorei nos braços de Bonnie...

-Ele pi..pi.pi..piorou Bonnie eu preciso que resolvermos isso logo!-Eu soluçava algumas palavras.

-Amanha acordaremos bem cedo...

Eu deitei em minha cama e precisava mesmo de um sono que eu sabia que não teria... Eu só pensava nele e se ele não aguentar? E se ele morrer antes de eu chegar? E se ele morre-se sem pelo menos disser o que sinto por ele?...Eram tantas perguntas.

**POV Stefan

Damon não parecia nada bem... Eu não queria perder o meu irmão e acho que Elena também não queria perder o vampiro que amava. Eu estava com medo apesar das brincadeiras que Damon fazia me zombando pelos esquilos por parecer "CREPUSCULO" da vida falando que eu era o Edward e a Elena era minha Bella... Muito nada a ver. Apesar de tudo Damon me fazia de um modo mais feliz muito mais feliz... Com os nossos passados obscuros Elena também realmente não se importou com os nossos passados.

-Stefaaaaaaaaaaaaaaaaaaaan. -Damon me gritou não acredito que as três garrafas não tinham feito ele dormir.

-Fala Damon. -Ele estava sentado que milagre e esse?

-Eu não aguento mais ficar em casa vamos sair daqui!-Ele disse levantando e caindo.

-Não Damon, você não aguenta nem levantar...Pode ficando ai. -Eu disse forçando ele a deitar na cama.

-Não, eu quero sair.

-CALA A BOCA VOCÊ NÃO VAI E PONTO FINAL CASSETE.-Eu disse irritado hoje eu não estava com paciência...

-Calma Tetefi toda essa raiva é porque os esquilos estão em extinção em Mystic Falls?-Era típico do Damon.

-Calado. -Eu disse colocando meu dedo indicador na boca dele.

-Isso e muito gay sabia?-Disse ele com meu dedo pressionando.

-Também achei Damon!-Eu disse tirando o dedo. Damon tossiu fortemente...

-Essa tosse dos infernos. -Disse ele jogando o travesseiro em mim.

-Calma Damon, Elena volta no máximo em 1 semana!-Ele abriu um sorriso que foi substituído pela tossi novamente.

-Menos mau...Como el...ela esta?-Ele gaguejou.

-Está bem e ela parecia estar morrendo de saudades de você!-Eu disse com a voz muito baixa eu ainda gostava da Elena, por pior que seja ela foi o meu melhor amor.

-Bom isso e muito bom... Placar **Stefan = 0 e Damon = 01**- Já estava demorando.

-Isso ai pode contar pontos com Elena...-Eu não me importo.

-Você não liga mais pra ela não é?-Ele tossiu mais um pouco e depois mais um pouco E DEPOIS mais um pouco.

-Eu deveria?-E sai do quarto...

Fui para meu quarto e tomei um banho longo e gostoso. Peguei uma cueca boxer branca.

-Ui sexy amor. -Katherine a agora não.

-O que você quer aqui Katherine?-Eu estava com muito sono e queria dormir.

-Só vim fazer uma visitinha para o Stefinha e para você... -A não acredito no que ouvi.

-Katherine vai embora, por favor, estou cansado...- E estava mesmo não era mentira.

-Ta bom TA BOM, eu vou tchau Stefan. - Ela foi embora.

Deitei em minha cama e peguei o meu diário na cabeceira.

“Querido diário.

Eu não sei mais o que fazer para Damon conseguir se controlar ou simplesmente acabar um pouco com a dor dele. Ele estava pirando com aquela dor, Estou com medo de algum dia ele sair para a rua matando todas as pessoas que ele ver pela frente.

Estou com medo de que Elena não chegue a tempo, de que a poção não de certo. Por mais que eu não queira, Damon é meu irmão, e eu o amo, ele é a minha única família, não quero que ele morra. Espero que Elena chegue a tempo. Hoje dei três garrafas de whisky para ele, ele dormiu por algum tempo mais logo acorda. Eu não vou perde-lo. Elena não vai perde-lo. Eu não vou deixar Damon morrer.”

Coloquei o diário na mesa e adormeci...

**POV Damon

Elena parecia feliz correndo pela casa com umas cinco crianças a rodeando e eu percebi que eram os filhos de Bonnie só queria saber quem era o pai? Será que o Jeremy virou MACHO?...

-Amor chega de correr atrás deles vem cá. -Eu a puxei para meus braços e segurando em sua cintura.

-Eu gosto dos meus sobrinhos. -Disse ela com a voz ofegante não sei se era por causa da minha presença que a deixava assim ou por estar correndo a Maratona com os filhos de Bonnie.

-Bonnie e uma bruxinha ela sabe o que fazer, quanto a você, tem que comparecer como mulher não é?-Eu abri um sorriso malicioso que ela amava.

-Comparecer... Eu já não compareço o suficiente queridinho. -Disse ela saindo dos meus braços e indo para nosso quarto. Já era noite e ela se preparava para um banho.

-Posso tomar com você Leninha?

-Não quero ver você sentadinho ali com um óculos e lendo um livro de romance! -Ela disse olhando para minha calça já jogada no chão.

-Serio mesmo? -Eu disse com a sobrancelha levantada já saberia que era verdade então fiz o que ela disse... Ela foi para o banho e eu estava lá lendo o livro com um óculos que eu tinha dez de pequeno.

-Isso sim e um homem lindo e maravilhoso. -Ela só estava de toalha, como ela adora provocar!

-Elena...

-Eu sempre quis ver você parecendo um vovozinho sabia?-Ela confessou.

-Mais eu nunca serei e você sabe muito bem disso amorzinho.

-Não estraga você estava lindo sentadinho ali...- Eu a cortei

-Estava não estou mais?-Eu disse fazendo um bico...

-Sempre esteve. -Disse ela beijando meu biquinho sexy e ela se deitou.

-Damon eu sempre vou te am...

Eu acordei, não sabia que aquilo tinha sido um sonho queria tanto que fosse verdade ela sempre do meu lado...

Peguei meu celular.

-Oi Leninha como esta a madrugada?-Ela parecia estar se espreguiçando.

-Bem Damon e a sua?-Será que eu contava sobre o sonho?

-Sonhei com você. -Confessei.

-Conta tudo Damon...

-Nos estávamos conversando e eu levei você no bosque e eu acordei. -Eu menti não contaria que sonhei com Elena dormindo na minha cama.

-Esse não foi o sonho Damon... Eu sei quando você mente... -Ela era a única que sabia dos meus defeitos ou todos eles por que eu sempre me fazia não importar. Mais com ela não era assim

-Eu conto quando você voltar amor. -Eu estava mesmo LUCIDO eu estava a chamando de AMOR o que ouve comigo?

-Damon você esta me chamando de amor? Você esta bêbado?-Ela parecia estar preocupada.

-Elena eu sei ser muito romântico... Nunca duvide do que sou capaz de fazer. -Ela deu uma risada.

-Damon só falta mais dois passos para voltarmos e eu estar ai cuidando de você, eu sei que tem resistido para não ir embora e me...-Ela deu uma breve pausa-Enfim Damon vou dormir que hoje o dia vai ser muito complicado...Vou ter que procurar a sua cura no meio da floresta.

-Uau minha Leninha vai pagar de Indiana Jones. -Ela soltou uma risada.

-Damon boa noite... Ah eu quero que me conto o sonho mesmo hein!-Ela disse desligando o celular.

Eu tentei voltar a dormir e pelo menos quem sabe no sonho eu a teria só pra mim.

**POV Matt

Eu estava trabalhando como sempre, faltava dois minutos para o meu expediente acabar e eu queria sair logo e ver a Vanny, ah eu estava louco para vê-la.

-Olá Matt. –Disse uma voz atrás de mim.

-Pensei que eu passava na sua casa mais tarde.

Ela sorriu e balançou seus longos cabelos negros, seus cachos eram perfeitos.

-Vamos, eu quero ir ao cinema. –Disse ela me puxando.

-Eu não vou com essa roupa, espera aqui vou me trocar.

Eu fui para o vestiário e coloquei uma calma jeans azul e uma blusa em “V” preta, arrumei um pouco meus cabelos.

“Agora sim eu to gostoso” Pensei.

-Vamos? –Eu perguntei pegando a por trás, ela conversava com a prefeita.

-Sim vamos, tchau Prefeita. –Disse Vanny.

Nós entramos no meu carro e seguimos para o pequeno cinema que havia na cidade.

Chegamos, nós saímos do carro e fomos para a bilheteria.

-Então qual é a sessão? –Perguntou uma moça.

-Eu acho que Batman? –Eu perguntei para Vanny.

-Pode ser.

-Aqui estão! –Disse á mulher entregando um pequeno papel eu dei o dinheiro a ela e seguimos para comprar a pipoca e o refrigerante.

-Pipoca nadando na manteiga hein moço. –Disse Vanny com uma piscadela.

-Que historia é essa de piscar para o cara ali?

Eu estava com ciúme? Sim eu estava.

-Oh isso é ciúme?

-Não... Não é ciúme.

-Você sabe que eu amo só você. –Disse ela me dando vários selinhos em cada pausa.

-Moça aqui está, muita manteiga. –Disse o moço com uma piscadela também.

Ah tá de sacanagem? Serio mesmo?

-Oh carinha engomadinho, ela é minha viu. –Eu disse simplesmente.

-Ok, vamos assistir esse filme.

Vanny pegou a pipoca e eu o refrigerante, ela ria á todo momento da minha cara.

Nós assistimos ao filme, foi um momento ótimo ao lado dela eu sentia que podia ser um amor verdadeiro.

-Então como lindos adolescentes você me deixa em casa e me dá um beijinho. –Disse ela na porta de sua casa.

-Ah só porque eu queria dormir com você. –Eu disse com um biquinho

Ela fechou os olhos e eu dei um breve selinho, ela me segurou e começamos um beijo, nossas línguas se moviam e o simples toque era especial desci minha mão por suas costas e a encostei na porta de sua casa, ela deu um leve puxão em meus cabelos.

Logo sua mão desceu para minhas costas, ela colocou sua mão dentro da minha camisa arranhando minhas costas.

-Matt... Está cedo para isso ainda. –Eu fiz um biquinho.

-Eu sei.

Eu dei mais um selinho nela, Vanny estava ofegante.

-Boa noite amor. –Dizendo isso ela entrou em sua casa.

Oh mulher viu... Eu entrei no meu carro e segui para minha casa.

**POV Elena

As palavras "Amor" "Minha Leninha" rondaram a minha cabeça ele tinha tanto efeito sobre mim... Eu já sabia o que iria fazer quando volta-se para Mystic Falls...Pensei tanto em Damon aquela noite e dei uma breve cochilada e fui acordada os berros.

-ELENAAAAAA VAMOS LOGO ANTES QUE DAMON NÃO AGUENTE MAIS!

-COMO É QUE BONNIE?-Perguntei no mesmo tom de medo que ela havia estampado em seu rosto.

Continua....
------------------------------------
Tópico de comentários.
------------------------------------

Nota das autoras: Então leitores, esse capitulo ficou grandinho até. Espero que vocês gostem e espero que vocês comentem! Seja para elogiar ou para criticar. A opinião de vocês é muito importante para mim e para a Jady! Beijoss amores!
Patty!
avatar
Delena_Somerhalder

Mensagens : 227
Data de inscrição : 25/03/2012
Idade : 21
Localização : Na caminha do Kol. Junto com ele e com o Damon.

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: My worst nightmare

Mensagem por Jady_Delena em Dom Jul 29, 2012 11:53 am

Bom amores, desculpem a demora para postar mais ouve alguns problemas a Paty dormiu aqui em casa esse sábado e acabamos curtindo demais a noite e não postamos,
Como o era sábado e o meu dia de postar e o dia de postar ( terça) é o dá Paty ..
Para não haver complicações nos dias das postagens pois ..
Terça e Sábado são ótimos dias para postar ..
Então o próximo cáps sai sábado que vem ..
Desculpem amores ..
Beijoos e a Paty manda beijos tbm kkk' .. s2s2
avatar
Jady_Delena

Mensagens : 282
Data de inscrição : 03/05/2012
Idade : 19
Localização : São Paulo

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: My worst nightmare

Mensagem por Jady_Delena em Dom Ago 05, 2012 6:55 pm

Capitulo XII - I'm afraid of losing you
(Tenho Medo De Te perder)


“Eu sempre fui muito seguro.
Conheci o amor de verdade.
Fiquei com medo .
Quase caí.
Porém…
Em você…
Me segurei.”
— Eduardo Abati


**POV Elena

-Bonnie me explica essa historia direito!- Eu disse com muita raiva por ela não ter me contado todos os passos.

-Ok Elena... Os passos são 1-Achar as bruxas... 2-O humano que só pode ser morto em Mystic Falls e pela pessoa que o vampiro ama...3-Achar a flor...4-Fazer o um feitiço para transformar a flor em um suco e juntar com o sangue do humano e o sangue da
duplicata.

-MOLEZA, vamos logo procurar essa flor então...

Peguei meu celular, abri a agenda telefônica e cliquei no numero de Sabrina.

-Sabrina procure um humano e leve ele ate nós na floresta- Eu disse firme e desliguei- Pronto problema resolvido vamos logo com
isso!- Eu estava realmente segura dos meus atos.

-Como sabe que ela irá achar o humano?

-Eu não sei só que se ela não for... Ai sim ela vai conhecer a verdadeira Elena que esta quase pulando pra sair desse corpo.

-E qual seria ela?- Eu olhei com uma sobrancelha levantada.

-A que grudaria nos cabelos dela a bateria a cabeça dela no asfalto!- Eu realmente estava muito firme hoje.

-Uau, falo a exterminadora de bruxas- Disse Bonnie pegando a sua bolsa e saindo comigo para fora do Hotel. Havia mais de quatro
semanas que estávamos em Salém por mais que a cidade seja linda eu queria o meu Damon.


**POV Matt

Acordei e só pensava em Vanny até que a campainha tocou.

-Vanny?-Eu perguntei

-Cheguei.

-Bom dia. -Eu disse seguindo ela até o meu quarto.

-Vem me pegar amor. –Disse correndo para o meu quarto me fazendo ficar confuso. Mas, corri atrás dela.

-Mais o que isso significa?

-Que talvez esteja no momento perfeito.

-Momento do que?- Aquela mulher me deixava muito confuso.

-Disso- Ela disse se aproximando e me beijando. Eu já havia entendido. Aquele era o momento que eu tanto esperava. O nosso
momento.

Eu a peguei no colo, ainda a beijando e ela automaticamente cruzou as pernas em volta de minha cintura. Eu á coloquei
delicadamente na minha cama a fazendo ofegar pelos nossos beijos.

Beijei a intensamente e apaixonadamente, descendo a minha boca pelo seu pescoço e dando demorados beijos no meio do decote de seu vestido preto. Aquela mulher me deixava simplesmente louco.

**POV Vanny

Ele beijava delicadamente o meu pescoço, descendo devagar para o meu decote. Aquelas sensação que eu sentia com ele eram únicas, sensações que eu nunca havia sentido antes.

Ele era tão perfeito, carinhoso e romântico.

O beijei intensamente enquanto arranhava as costas dele, já que ele tinha acabado de acordar e estava de cueca boxer tava bem mais fácil e ia adiantar bastante tempo.

Eu estava totalmente louca para senti-lo dentro de mim. Ele começou a desfazer o laço do meu vestido preto. Ele terminou de tirar o laço de meu vestido e abaixou delicadamente a alça fina dele presa em meus ombros.

Ele tirou meu vestido delicadamente e o jogou no outro canto do quarto. Ele trilhou beijos molhados e demorados no meu corpo todo, fazendo se formar em mim grandes sensações calorosas e deliciosas no meu corpo;

Eu me virei me encaixando encima dele mordi seus lábios inferiores dando leves puxões enquanto o beijava.

-Van... –Ele não terminou sua frase quando minha mão passou pela sua região intima, rapidamente tirei a cueca dele e joguei em algum lugar.

Comecei a descer minha boca pelo seu pescoço fazendo movimentos circulares com a língua, ele se retorcia e gemia meu nome me deixando louca para tê-lo. Subi de volta para beijar sua boca e ele me virou ficando em cima de mim.

Ele apertou meus quadris e eu soltei um leve gemido. Nós estávamos arrepiados pelo choque que nossas peles causavam ao se encostarem.

Ele me virou ficando em cima de mim.

-Vou deixar você louca– Disse ele colocando a mão nós meu seio e dando leves apertadas enquanto beijava minha boca.

-Isso me deixa louca. –Eu disse gemendo no ouvido dele.

Ele passou sua mão por minha coxa dando algumas apertadas, então nós sentamos na cama comigo em seu colo cruzando as pernas
em sua cintura, ele deslizava sua mão por minhas costas procurando o feixe do sutiã.

-Merda. –Disse ele contra meus lábios, estávamos tão ofegantes que não conseguíamos nem falar, eu estava totalmente molhada, ele me torturava.

-Que foi?

Quando reparei meu sutiã já estava voando pelo quarto.

-Nada não. –Disse ele com um sorriso malicioso.

Ele estava com as mãos em minhas costas beijando minha barriga e subindo para meus seios me fazendo prender minha cabeça para trás. Ele chegou com sua boca em meu seio esquerdo dando um leve chupão me fazendo gemer.

Ainda estávamos sentados, sua mão estava em meu pescoço e ele deu um leve puxão em meu cabelo.

Eu me deitei, senti sua mão passar em minha região sensível até que ele tirou minha calcinha que já estava encharcada. Ele desceu sua boca por minha barriga e depositou um beijo molhado três centímetros acima da minha virilha pulando onde eu mais queria que sua boca estivesse tocando.

Ele desceu até meus pés dando beijos molhados deixando uma trilha de fogo por onde sua boca passava. Ele dava beijos na parte de dentro da minha coxa e finalmente chegou onde eu queria.

Onde eu mais queria ser tocada por ele, sua língua fazia movimentos circulares e cheios de prazer em minha região sensível me fazendo apertar os lençóis brancos com minhas mãos.

Puxei seus cabelos fazendo-o chegar até minha boca, ele me beijava loucamente.

-Camisinha! –Disse ele como se ele se lembra-se de algo.

-Ah tem uma na minha bolsa. –Que tortura, ele se levantou e começou a correr pelo quarto procurando minha bolsa. Ele viu minha bolsa na cômoda do quarto dele e foi mexer nela...

-Bolsa de mulher é uma droga. – disse ele jogando tudo no chão e pegando o pacotinho de preservativos.

Ele pulou na cama e me entregou o pacotinho, eu coloquei a camisinha nele e ele me beijou intensivamente.

Ele encaixou meus quadris nos seus s e então finalmente ele se conectou em mim, Eu o beijava entanto fazíamos movimentos
frenéticos para frente e para trás.
Eu o virei ficando por cima dele rebolando em cima dele o fazendo gemer. Ele intensificou as investidas até que eu gritava de prazer.

-Matt. –Gritei a cada investida mais rápida que ele dava.

-É eu sei... sou ótimo de cama. –Disse ele em mais uma investida, até que ele caiu ofegando ao meu lado.

-Ótimo de cama e metido.

-Vai falar que não gostou? –Perguntou ele ficando encima de mim novamente.

-Sim eu gostei. –Eu disse ofegante puxando seu pescoço para mais um beijo.

-Já tomou café da manha hoje?- Ele perguntou me olhando no fundo dos olhos.

-Não! – eu disse fazendo um bico.

-Então vou fazer um café bem gostoso para nós. –ele disse levantando e indo para a cozinha ainda pelado.

Eu fiquei ali deitada na cama pensando em tudo que nós fizemos. Será que havia sido cedo de mais? Não... Com certeza não. Aquilo
só foi mais uma prova que eu realmente amo Matt. E é ele o homem certo para mim.


**POV Alaric

Estava na estrada escutando um musica do Queen - 'We Will Rock You'. E indo á mansão Salvatore para ver o Damon... Tinha que
ser amigo dele e tomar umas garrafas de whisky...

Vi um corpo jogado no meio da estrada. Parei meu carro e fui ver quem era. Uma moça totalmente arranhada e com uma mordida
de vampiro no meio de seus seios... Aquilo era realmente selvagem.

Ela estava quase nua, ela estava com a blusa rasgada e várias marcas de mordidas que não parava de sangrar.

-Moça?-Tentei acorda ela umas três vezes mais ela não abriu os olhos. Então decidi á pegar nos braços e á levar para a casa dos
Gilberts.

Cheguei á casa dos Gilberts e fiz um curativo em seus ferimentos. Coloquei-a na cama de Jenna que agora era minha e a cobri. Ela era realmente muito bonita.

[Passaram-se dois dias]

-Onde estou?-Morena de cabelos curto e olhos castanhos... Ela era linda muito linda nunca vi uma cidade como essa onde só
aparecem mulheres gatas.
Spoiler:

-Oi sou Alaric... Você estava jogada no meio da estrada e eu peguei você e bom aqui estamos, esta dois dias desacordadas como se sente?-Perguntei lhe dando um copo de água.

-Melhor...Eu me lembro de uma pessoa cravando os dentes em meu pescoço e ele sugava meu sangue!-Já imaginava, Damon não seria, Stefan muito menos.- Vampiros malditos. –ela sussurrou.

-O que foi que disse? –perguntei. Como ela sabia sobre os vampiros?

-Nada não!- ela disse fugindo do assunto.

-Você disse sobre os vampiros... como sabem deles? –perguntei.

-Já trombei com um algumas vezes- ela respondeu.- Mais e você? Como sabe deles?

-Era para eu caçar eles... Mais acabei virando amigo de alguns. –eu disse indo á cozinha para pegar uma agua para mim.

-Ual.. Um caçador de vampiros amigo de vampiros.. irônico não?- ela disse.

-Você não sabe o quanto.

Ela tinha uma conversa muito gostosa, ficamos horas conversando em pé mesmo, nenhum dos dois queria sentar no sofá, ficamos apenas bebendo whisky no balcão da cozinha.

Até que de repente ela me agarrou e me beijou, eu retribui o beijo, estava louco para fazer aquilo dês que a havia encontrado na estrada.

Ela desceu sua boca pelo meu pescoço rasgando minha camisa.

Ela me empurrou para a parede.

Ela desceu sua boca macia pelo meu ombro eu a girei e ela já estava sem roupas então não tive muito trabalho...

-Vamos subir ok?-Eu disse puxando a mão dela.

-Não aqui mesmo. -Ela me puxou para o chão e eu estava em cima dela... Depois ela veio pra cima de mim e rebolou em mim e eu soltei um gemido.

-Nome?-Realmente eu estava quase transando com uma pessoa que não sabia o nome.

-Marcely. -Disse ela mordendo meus lábios e aprofundando o beijo...

Ela tinha um aroma doce sua pele era macia e lisa seu corpo UAU. Corpão de parar o transito... Ela era simplesmente perfeita.

-Não, agente não pode fazer assim. -Ela disse quando eu havia desabotoado os botões de minha calça.

-Tudo bem que tal nos conhecermos?Melhor?-Ela abriu um sorriso malicioso.

-Perfeito Alaric... -Eu a cortei.

-Me chame de Ric. -Eu abri um sorriso sexy.

-Tudo bem,mais tenho que ir pra casa... -Disse ela levantando.

-Eu te levo Celly. -Ela me olhou com cara de tipo "Meu apelido não e esse".

-Gostei do apelido.

-Então com o que trabalha?

Ela caminhou até o carro delicadamente.

“Que mulher gostosa” Pensei.

-Meus pais me deixaram uma herança, realmente só viajo pelo mundo.

Nos conversamos e acabamos nos conhecendo um pouco mais,foi divertido conhecê-la ela realmente era muito gata e eu estava
encantado...

**POV Elena

-Bonnie, nos não achamos aquela bendita flor ainda! Já está amanhecendo de novo e nada dessa flor... Que droga.

Eu já estava furiosa queria voltar logo pra casa, estava longe á 1 mês e 3 dias e me perguntava como será que Damon está aguentando tanto aquela dor?

-Elena calma ele ira aguentar... Nosso humano já esta trancado na casa de Sabrina, a flor e a nossa única coisa... Você ira ver ele de novo.

Bonnie disse essas palavras e eu só queria entender como EU ainda tinha aguentado ficar tanto tempo longe dele, talvez fosse a voz dele que me confortavam todas as madrugadas que ele me ligava e conversamos durante horas, ele me contando tudo que já fez de bonito por pessoas.

Ele era realmente puro aos meus olhos só que ele não deixava as pessoas vê-lo só não entendia o porquê de tantas mascaras.

Eu sentia tantas saudades dele, da sua voz, sentia falta de tudo que vinha dele ate a suas próprias brincadeiras que me faziam passas muita vergonha.

-Eu sei que está por aqui Lena... Só não sei onde!- Exclamou Bonnie batendo os pés.

-Calma você vera o Jeremy de novo amiga. -Ela me empurrou brincando.

-Ai Lena...

-GEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEENTE achei uma caverna!- Disse Tati correndo ate nós.

**POV Damon

A dor continuava muito forte eu odiava aquela dor...

Recebendo visitas como se eu estive-se morrendo, mais quem sabe eu esteja mesmo e nem vou poder me despedir de Elena... Como eu sentia saudade delas 1 mês e quase 4 dias praticamente.

Parecia passar a eternidade sem ninguém ao meu lado.

Simplesmente eu sentia falta das suas investidas em me deixar louquinho sem intencionar, da sua linda camisola sexy em seu corpo.

Eu simplesmente seria capaz de deixá-la.

De ser feliz com o homem que ela quisesse sem interferências minhas... Será que algum dia eu iria tê-la só pra mim? Será que algum dia ela irá me dizer "Damon sempre serei sua"

Seria muito bom ouvir aquelas palavras.

Meu celular tocou, apareceu a foto da Elena sorrindo e eu rapidamente atendi.

-Oi Leninha tudo bem?-Ela soltou um sorriso, em Salém já era noite.

-Damon, nós achamos uma caverna mais não sabemos se a certa... Sabrina acha que não e essa a caverna onde está a flor... Ela
acha que a Tati esta nos enrolando por isso Bonnie disse que elas vão amanha olhar a caverna e falaram pra eu descansar. -Elena
bufou com a parte de DESCANSAR.

-Está muito cansada amor?-Acho que ela ainda não se acostumou com o "Amor" que eu a chamava.

-Não Damon. -Eu coloquei o braço atrás da cabeça e fiz um bico.

-Não minta pra mim Leninha.

-Tá bom... Estou só um pouco cansado... Mais e você como está?-NADA BEM! Á dor a cada segundo aumentava em meu peito.

-Nada bem, a dor vai e volta e isso só piora. Como já disse, parece que me torturam... É como se fossem 100 pessoas que me odeiam e cada uma delas enfiando uma estaca em meu peito de uma vez só.

Não consigo nem levantar da cama. E ainda fico suando como se estive-se em uma sauna.

-Damon acho que chego ai em menos de alguns dias e quando eu voltar tudo vai ficar bem.As bruxas disseram que vão levar você para um bosque e terá que cercar você com um triangulo de fogo entre Eu você e o humano.

-Porque o humano?- Eu não entendi porque um humano.

-Porque precisamos de um sangue humano... -Eu a cortei.

-E PORQUE VOCÊ?-Eu disse tentando entender será que eu vou ter que matar Elena?

-Caramba Damon você e lerdo viu... Você irá tomar o extrato da flor misturado com o sangue humano e logo depois me morder...

-MORDER VOCÊ, ESTA LOUCA! PIROU NA BATATINHA ELENA?-Serio mesmo isso eu não acreditei nas palavras dela.

-Assim que será feito Damon e nada de batatas... Você ira me morder e acabou, ponto final - Depois que eu pego fama de mau eu que sou o culpado.

-Mais...- Ela me cortou

-Sem mais Damon.

-Elena- De novo ela me cortou...

-Sem mais e nem Elena...

-Poxa Elena você e persistente quando quer viu!- Eu não queria morde-la, provar só sangue dela ia me dar vontade de tomar todos os dias.

-Sei disso...Como você adora me ligar de madrugada não ligue hoje, preciso ter uma boa noite de sono. Beijos Damon...- Eu não queria desligar mais ela realmente estava cansada e eu não queria ser um peso demais pra ela... Já não gostava de ver ela assim ainda mais me ajudando.

-Beijos Elena...

Tentei adormecer já que essa dor não me largava...


**POV Elena

Desliguei meu celular... Eu não queria desligar, mais eu precisava para amanha estar bem disposta se caso fosse aquela caverna onde se encontrava a flor...

-Elena. -Bonnie deu uma breve pausa. -Admita pra você mesmo que você o ama Lena.

-Já admiti Bonnie, só que o meu medo e ser magoada por ele... - Algumas lagrimas desceram por meu rosto.

-Não chore Lena... Ele te ama. -Disse ela confiante.

-Queria que ele mesmo fala-se isso em meus ouvidos.

Bonnie virou de lado ela percebeu que quem poderia me ajudar era apenas ele... Damon... Eu adormeci profundamente.

**POV Bonnie.

Acordei e me arrumei rapidamente eu sabia que o caso de Damon era urgente, não por ele mais sim por Elena... Eu não gostava nenhum pouco dele.

Peguei meu celular.

-Sabrina esta pronta?

-Sim Bonnie pode vim já...

Peguei meu carro as casas eram perto então demorei 20 minutos para chegar ate a casa mal-assombrada da Sabrina. Eu buzinei e ela saiu.

-Oi Sabrina tudo bem?

-Sim estou ótima e você Bonnie?-Ela já estava indicando o lugar para eu estacionar o carro, não era tão próximo a sua casa mais dava
para ir a pé.

-Perfeita, vamos logo antes que a Elena nós mate.

-Não antes de conseguimos salvar Damon. -Disse Sabrina sorrindo.

Nós saímos do carro para começar a andar Sabrina já sabia onde era a caverna então em menos de 10 minutos já tínhamos chegado.

-Preparada Bonnie?-Era tenebroso, havia pedras e muitas folhas na entrada

-Se não for agora não será nunca. -Eu estava com medo pela primeira vez na vida.

Entramos na caverna estava tudo muito escuro... Sorte que Sabrina levou lanternas.

-Estou com medo Sabrina. -O medo tomou conta de mim quando ela acendeu as luzes morcegos voarão para fora da caverna
fazendo um barulho assustador de bater de asas.

-Morcegos odeio essa praga!-Disse ela fazendo uma careta engraçada soltei um riso sem querer.

-Realmente, em Salém se é capaz de viver a vida do Salsicha e do Scooby Doo. -Ela também riu e eu cai em cima de alguma coisa.

-Bonnie...Machucou?-Eu parecia ter caído em um corpo. UM CORPO... Soltei um berro e levantei rapidamente e olhei o que era.

-Nossa, um veado morto! Como ele morreu aqui?-Perguntou ela indecisa.

-Não sei mais sabemos que aqui a flor não esta...

-Vamos mais adiante, quem sabe isso é só uma armadilha.

Ela começou a andar e quando olhei estava sozinha.

-Sabrina?

Eu estava apavorada onde estava?Como assim ela se perdeu?

-Aqui em baixo. –Disse ela com a cara no chão, literalmente á cara no chão.

-Você caiu encima de um HUMANO? –Eu disse apavorada.

-Não não, é um rato que tem na minha casa Bonnie, é claro que é um humano anta. –Disse ela como se fosse obvio.

-Está vivo?

-Já está em decomposição,

-Que nojo, mais como ele não saiu da caverna?

-Não me pergunte que eu não sei. -Disse ela já indo em direção a saída.

Achar um veado e depois um humano não era fácil, eu estava com medo mais finalmente estava segura fora daquela caverna que
me dava arrepios.


**POV Jeremy

Eu sentia tanta saudade da Bonnie... Eu não sabia se ela gostava de mim mais eu gostava dela... Pensei em ir ao Grill fazer uma visita ao Matt mais liguei pra ele e ele havia dito que não iria trabalhar. Maldade comigo, preciso beber alguma coisa.

-Ric? Esta em casa?-Perguntei descendo as escadas.

-Saindo para um encontro. -UAU.

-Encontro com quem?-Nem sou curioso.

-Marcely... Nossa ela e tão gostosa Jeremy...

-Quero conhecer a tal gostosa que você diz-Ele abriu um sorriso malicioso.

-Com certeza. -disse ele saindo em direção a porta. Ele saio, fechou a porta mais logo a abrio de novo e disse para mim com os olhos
entreabertos- ela é minha em!- e saio porta á fora.

**POV Damon

-Damon acorde amor está na hora antes que o seu pai nos veja aqui no celeiro. -Disse ela me acordando com um selinho.

-E mesmo! Nem acredito que fizemos isso aqui junto com as vacas!-Eu disse me espreguiçando.

-Que isso amor elas nem repararam em nós. -Disse Katherine com um sorriso malicioso.

-Tenho certeza que sim. -Eu disse a agarrando e ficando por cima dela á beijando.

-Assim que eu gosto... Meu gostoso. -Gemeu ela enquanto eu descia minha boca por seus ombros até chegarem eu seus seios com
beijos longos e calorosos.

-Eu sei como você gosta... -Ela gemeu mais quando passei minha língua em seu pescoço.

-Eu sei que você sabe, Daaaaaaaaaaaaamon- Disse ela alongando as letras de meu nome em um gemido gostoso de ouvir,ela me
jogou no chão e subiu em cima de mim rebolando em cima de mim me deixando louco...

-Termina logo com isso vai Katherine. -Ela passou suas mãos em minha virilha ela sabia que ali era meu ponto fraco desceu com a
boca pelo meu tanquinho despido me fazendo gemer totalmente. Ela subiu de volta e me olhou nos olhos.

-Damon eu te amo para sempre seremos nos três. -Disse ela me beijando e sumiu.

**

-Que merda outro sonho... Devem ser os efeitos dos poderes do X-MEM lá. Se pelo menos fosse com Elena eu teria gostado... Opa como teria gostado.

**POV Elena

Já havia acordado a mais de 5 horas e nada de Bonnie e Sabrina nem ao menos um telefonema de Tati... Será que ligo pra ele?Ou espero ele me ligar?Ligo ou não ligo?QUER SABER que se dane. Peguei meu celular e disquei o numero que estava em minha mente todas essas 5 horas.

-Alo Damon esta tudo bem com você?-Eu disse com a voz baixa toda vez que eu ligava pra ele saberia que ele não estaria bem mais mesmo assim havia esperança em meu peito.

-Leninha a dor amenizou mais quanto mais sinto sua falta mais ela volta e dói em meeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeu. -Ele deu um grito que quando ouvi minhas mãos apertaram o celular.-Peito...

-Chama o Stefan agora pra ele te dar garrafa de whisky agora Damon. -Eu disse autoritária.

-Não quero mais beber Leninha você sabe que quando eu bebo eu falo coisas maliciosas pra você. E tenho certeza que você não vai querer me matar quando chegar aqui amorzinho. -E era melhor mesmo.

-Então ta Damon,mais olha, é bom você se segurar, estou quase voltando, Bonnie esta quase achando a flor.

-Esse "ACHA" ou esse "ESTOU QUASE" é que prejudica o Damonzão. -Como ele gosta de se gabar.

-Ok ok... Daqui 3 dias dou firmeza pode ser?-Espero que ele tope.

-Vou cobrar Leninha e de madrugada ainda ligo pra você!- Ele deveria ter aberto um sorriso malicioso com certeza.

-Porque você gosta de me ligar de madrugada?-Eu realmente não entendia.

-Simplesmente porque só mais inesperado na madrugada querida... Porque você acha que a luz do meu quarto na madrugada
sempre estava ligada?- REALMENTE eu não gostei dessa ultima parte.

-Você deveria estar fazendo o dever de casa. -Única escapatória que veio em minha mente...

-Isso com a professora gostosa Leninha. -AH CARAMBA DAMON, CONSEGUI ESTRAGAR.

-Damon não preciso saber dos detalhes sórdidos Ok? Não gosto de idéia de você... -Eu já ia falar besteira pra ele, coisas que não
deveriam ser ditar por um celular.

-Desculpe Leninha... Mais que ideia?- Ele parecia curioso.

-Bom... Eu disse ideia? Eu não disse nada relacionado á ideia Damon. –Eu disse tentando não me enrolar mais ainda.

-Falou sim... Não muda de assunto.

-AH QUE SACO NÃO GOSTO DA IDÉIA DE VOCÊ SER UM GALINHA. –Eu disse um tanto alto demais, pelo menos consegui me safar.

-Eu não sou um galinha– Disse ele com uma voz de ofendido.

-Sim claro. Você galinha? Quem te disse um absurdo desse?

-Uma morena que quer meu corpo nu na cama dela. –Senti minhas bochechas corarem com a ousadia dele.

-Ainda bem que você sabe. –Merda eu falei isso mesmo? O que está havendo com você Elena? Bebeu garota?

-Admitiu que quer meu corpo nu! Tudo o que san Stefan não fez nesses tempos você quer fazer comigo! Que isso em Lena... você também quer usar e abusar do Damon... –Disse ele gargalhando.

-Bonnie chegou, beijos até mais tarde.

Eu disse desligando e mentindo.Bonnie não havia chegado,mais eu estava com medo, minhas pernas bambearam de medo de dizer as coisas que sentia por ele, eu sentia medo de falar o que sentia e ele falar "Querida sou DAMON SALVATORE não me apego" isso iria me desmoronar,Bonnie diz que ele me ama mais será que ele já não disse isso para outras?Ou eu estava apenas enganada? Eu tinha medo de Perdê-lo.

[ duas horas depois]

Bonnie havia chegado finalmente...

-Então Bonnie...

-Alarme falso Lena, iremos continuar procurando Elena. -Não acredito.

-Não Bonnie impossível, como assim? –Eu não aguentei tremenda dor. Senti algumas lagrima formarem enxurrada nos meus olhos.

-Entramos na caverna achamos um veado morto e um humano, mais nada da flor.

Eu soluçava logo eu que achava que iria voltar para Damon, e percebo que está mais longe do que isso.

E se ele não aguentar? O que eu farei sem ele na minha vida?

-Você precisa ligar para o Damon. –Disse Bonnie enxugando minhas lagrimas, peguei meu celular e liguei.

-Finalmente ah mulher mais gata me ligou. –Disse ele com uma voz fraca.

-Como você está Damon? –Tentei parar de chorar mais não consegui eu soluçava.

-Porque você chora amor? –Perguntou ele com uma voz calma e reconfortante.

-Achei que Bonnie havia achado a caverna certa mais não era. –Eu disse quase como um sussurro. Eu estava parecendo aquelas
crianças que ficou sabendo que o cachorrinho morreu.

-Elena você é forte, você vai conseguir achar essa flor, ou acha que vai me enterrar ou me queimar assim tão fácil?

-Espero que sim, você está bêbado?

-Culpe o vovozinho Tetefi. –Sim ele estava bêbado.

-Vocês não tem jeito mesmo, parecem duas crianças brigando.

-Tenho que fazer o papel de irmão mais velho.

-Mais você sabe muito bem que vocês se amam.

-Eu não amo homens.

-Ele você ama, admita Damon.

-Ta bom Leninha, ele é meu irmão eu amo ele. SATISFEITA? –Ele destacou a palavra.

-Muito satisfeita, bom vou dormir e nada de me ligar de madrugada.

-Minha safadeza só aparece na madrugada! –Disse ele como se fosse óbvio.

-Eu sei disso, guarde ela para quando eu estiver com você. –COMO É QUE É ELENA?

-Você bebeu Elena?

-Bom... Er... Ham... Eu... Ah todo mundo tem seu lado mais safado.

-Ainda bem que o seu só aparece comigo. –Disse ele se gabando.

-Preciso dormir Damon, beijos boa noite.

Eu desliguei o celular e deitei na cama.

-Como é Elena? –Perguntou Bonnie indignada.

-Vamos dormir.

Eu me virei para o lado de nossas camas, o dia tinha sido um tanto agitado e eu logo peguei no sono.

**POV Stefan

Eu estava no meu porão pegando algumas bolsas de sangue para Damon.

Sangue, aquela sedo pulou em minha garganta, não, não posso.

Subi rapidamente para o quarto de Damon. Logo entrei e ele ainda soava muito, sentia muita dor, acho que não á nem como
explicar tremenda dor.

-Damon?

-Sabe Stefan, quando nossa mãe morreu. –Eu o cortei.

-Não quero saber disso.

Ele me olhou e ignorou.

-Quando ela morreu, eu encontrei uma garota.

-Que garota? –Eu não sabia onde essa conversa ia dar, mais era á primeira vez que Damon se abria comigo.

-Ela era linda, minha primeira namorada, primeiro amor. Até que ela me largou. –Disse Damon olhando para a janela como se ele se lembra-se do passado.

-Eu pensei que fosse Katherine seu primeiro amor!

-Não, Katherine só me ajudou a esquecer do primeiro amor.

-Ela é uma vadia. –Eu disse com uma careta.

-Pelo menos nisso concordamos.

Eu sentei na poltrona do quarto de Damon e peguei um livro para ler.

-Vai dormir, é tarde.

Ele se virou para dormir. Ver Damon daquela maneira doía muito em mim, poxa ele era meu irmão apesar de ser um crápula
fantasiado de Damon, eu não vou o deixar morrer.

Depois de longas horas Damon pegou no sono eu sai do quarto dele e fui para o meu tomar um banho.

Cheguei no meu quarto tirei minha roupa, liguei o chuveiro e entrei a água era quente e deliciosa.

-Stefan?

-Ah to no banho espera ai. –Calma ae... quem estava no meu quarto?

Escutei a porta do banheiro ser aberta e logo estava encostado na parede do Box com Katherine medindo o meu corpo.

-Katherine nã... –Ela começou a me beijar furiosamente.

Eu desci minha mão por suas costas tirando sua regata preta mostrando um sutiã preto e branco.

Eu a empurrei para a outra parede do Box á molhando com a água do chuveiro. Sua pele e seu cabelo já estavam encharcados com a água do chuveiro caindo sobre nós enquanto eu estava quase tirando a roupa dela.

Ela me puxou mais para perto, eu desci minhas mãos até seus quadris dando uma forte apertada.

-Stefan... –Gemeu ela contra meus lábios, ela arranhou minhas costas e sangue começou a escorrer.

Eu a encostei na parede e comecei a desabotoar sua calça jeans preta molhada.

Ela desceu sua mão para meus quadris e apertou com força.

-Que bundão. –Disse ela com seus lábios pressionados em meu pescoço.

-Katherine, eu não vou transar com você. –Eu disse largando ela e saindo do Box. Pegando uma toalha para mim.

-Por quê? –Disse ela com um biquinho se apoiando na parede do boxe encharcada. Isso que dá entrar em chuveiros alheios.

-Porque você é uma vadia e não me ama.

Katherine saiu do banheiro toda molhada, colocou a sua regata e logo sorriu.

-Tá carente é? Eu só não digo o que eu penso porque eu sei que nunca mais terei você, mais não custa tentar.

-Quando você vai parar com isso?

-Parar de te amar? Ham... NUNCA. Mais o que me prende aqui não é você. –Disse ela simplesmente.

-O que te prende aqui?

-Não é da sua conta Stefan. –Dizendo isso ela saiu pela janela literalmente toda molhada pela água.

“Ah vai se ferrar também” Pensei.

Me deitei na cama e logo peguei no sono.

__________________________


Tópico De Comentários

__________________________


Nota Das Autoras : Gente desculpa mesmo toda essa demora, mais as aulas voltarão e está meio difícil mexer no Forum e até mesmo no Msn, peço desculpas pela demora, .. Acho que esse já está meio grandinho, espero que gostem, e comentem apara elogiar e criticar.
Beijooooooooooooooos s2 I love you
avatar
Jady_Delena

Mensagens : 282
Data de inscrição : 03/05/2012
Idade : 19
Localização : São Paulo

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: My worst nightmare

Mensagem por Delena_Somerhalder em Qua Ago 15, 2012 8:08 pm

Capitulo XIII- Again away from you.
(Mais uma vez longe de você)


Eu posso ser dura
Eu posso ser forte
Mas com você, não é assim

Há uma menina
Que se importa
Atrás desta parede
Que você simplesmente atravessa

Me lembro de todas aquelas coisas malucas que você disse
Você as deixou correndo pela minha cabeça
Você sempre estava lá, você estava em toda parte
Mas agora eu queria que você estivesse aqui
Todas aquelas coisas malucas que fizemos
Não pensamos a respeito, apenas fomos na onda
Você sempre estava lá, você estava em toda parte
Mas agora eu queria que você estivesse aqui

Droga, droga, droga
O que eu faria para ter você
Aqui, aqui, aqui
Eu queria que você estivesse aqui
Droga, droga, droga
O que eu faria para ter você
Perto, perto, perto
Queria que você estivesse aqui

Eu amo o jeito que você é
Essa é quem eu sou, não tem que se esforçar
Nós sempre dizemos "diga como isso é"
E a verdade é que eu realmente sinto sua falta

E me lembro de todas aquelas coisas malucas que você disse
Você as deixou passando pela minha cabeça
Você sempre estava lá, você estava em toda parte
Mas agora eu queria que você estivesse aqui
Todas aquelas coisas malucas que fizemos
Não pensamos a respeito, apenas fomos na onda
Você sempre estava lá, você estava em toda parte
Mas agora eu queria que você estivesse aqui

Droga, droga, droga
O que eu faria para ter você
Aqui, aqui, aqui
Eu queria que você estivesse aqui
Droga, droga, droga
O que eu faria para ter você
Perto, perto, perto
Queria que você estivesse aqui

Não, eu não quero deixar pra lá
Eu só quero que você saiba
Que nunca vou querer deixar pra lá

(Deixar pra lá oh oh)

Não, eu não quero deixar pra lá
Eu só quero que você saiba
Que nunca vou querer deixar pra lá

(Deixar pra lá, oh oh)

Droga, droga, droga
O que eu faria para ter você
Aqui, aqui, aqui
Queria que você estivesse aqui (queria que você estivesse aqui)
Droga, droga, droga
O que eu faria para ter você
Perto, perto, perto
Queria que você estivesse aqui

Droga, droga, droga
O que eu faria para ter você
Aqui, aqui, aqui
Eu queria que você estivesse aqui
Droga, droga, droga
O que eu faria para ter você
Perto, perto, perto
Queria que você estivesse aqui


**POV Damon

Já havia passado um dia dês de que falei com Elena, eu estava com muita dor e não pude nem pegar o celular para ligar.

-Damon toma mais um saquinho de sangue!- Disse Stefan aparecendo com o cabo de um vassoura e o saquinho pendurado na ponta.

-Tudo isso e medo de começar a arrancar cabeças?-Eu sempre irei zombar dele ate na minha morte, afinal irmão mais velho...

-Damon você precisa tomar uns 100 desses e eu não quero ficar assaltando o hospital- Eu revirei os olhos.

-Eu mesmo posso-A dor não me deixou levantar me fazendo colocar a mão no peito-Não posso não... Pode ir assaltando mais lá, vai.

-Damon você tem tido sonhos do seu passado ou do futuro que você queira ter?-Como ele sabia disso.

-Tenho por quê?-Como ele sabia disso?

-Isso são os efeitos do poder do Brian ele me disse isso.

-Você foi atrás daquele otário Stefan?-Eu estava pulsando de raiva.

-Sim, para saber o porquê você gritava o nome da Katherine e Elena! -Como e que é?

-EU GRITO O NOME DELAS??.

-Sim, grita e não e nada agradável pra você. Ele disse que isso era uma forma de você esquecer a dor sonhando com quem já amou ou ama, e Damon isso só piora a situação.

-Se piorar mais melhora... Mais como assim?-Realmente não entendi.

-Porque isso é como se fosse uma piora no seu estado e acelera sua morte... -Disse ele olhando para o chão- E se Elena não chegar a tempo estamos ferrados.

-Ai eu morro e já era, pega outro saquinho pra mim Tetefi- Joguei o saco vazio para perto dele e só faltava ele gritar que nem uma garotinha do quarto. Ele estava saindo quando o chamei- Ei Tefinha... Relaxa tá. Se eu morrer eu venho te atormentar todas as noites. Eu e as esquilet’s que você já matou! –Ele revirou os olhos e saio andando.

**POV Caroline.

Acordei me vesti e fui rapidamente ver Damon, ele nunca, foi com a minha cara mais mesmo assim eu precisava ajuda-lo.

-Stefan! Damon como está?-cumprimentei Stefan e subi sem ele me responder.

-Damon, posso entrar? Está vestido?-Eu perguntei com as mãos nos olhos.

-Não. Estou só de cuequinha-Eu entrei ainda com as mãos nos olhos-Claro que pode estou de roupa sua mula.

-Para de me xingar seu banana... Vim ajudar você...

-Não preciso de ajuda- Ele me cortou.

-Cala boca Damon- Peguei um balde na cozinha com agua de temperatura ambiente e um pano para tirar o suor dele.

-Porque faz isso por mim Caroline? -Ele me pegou de surpresa com a pergunta

-Damon, porque eu sinto que posso te ajudar... E você é importante para Elena, você faz bem a ela e ela á você. E eu acho muito bonito um amor desses.

-Obrigado Carol-Damon dizendo OBRIGADO, que mundo estou?

-De nada, mais nunca magoe Elena... Se não eu arranco sua cabeça fora! -Ele abriu um sorriso.

-Ui a loirinha tem força. –ele disse levantando as mãos em um sinal de rendição.

-Quietinho... -Eu disse colocando a toalha em sua testa e fazendo-o levantar e sentar na poltrona, alguém precisava trocar aquela roupa de cama estava encardida e muito suja.

-Carol... O que você acha que Elena sente por mim?-Eu parei na frente dele ajoelhei.

-Damon, olha eu não sei, mais se você não fosse importante pode ter certeza que ela não ligaria pra você todos os dias. Ou não perderia o sono dela já que você liga pra ela todas as madrugadas.

-Como sabe disso?- Damon estava meio lerdo e eu ainda não sabia como ele tinha aguentado tanto tempo.

-Sou amiga dela... Agora deite essa bunda ai, descanse e durma.

-Tá bom, tá bom, tá bom, estou deitando- Ele era uma boa pessoa só que não queria demonstrar quem ele realmente era.

-Caroline, porque faz isso por mim? Eu praticamente sou um imbecil com algumas pessoas!-Ele disse olhando para o chão, realmente o que havia com Damon? Parece que perto da morte ele sente medo de si mesmo.

-Olha Damon, você é um imbecil mais sabe... Eu sinto que você e uma pessoa boa você só deveria se importar mais com as pessoas ao seu redor.

-Isso não responde minha pergunta, mais pode deixar pra mais tarde então...- Ainda bem...

-Agora deita ai e dorme...-Ele se deitou e virou de lado.

**POV Elena

-Bonnie você não acha suspeito a Tati ter achado essa caverna e de repente não ser essa?- Era muito suspeito mesmo.

-Acho Elena, mais você saberá o porque quando Damon contar a você, agora temos que dormir porque amanha você ira conosco achar a outra caverna, ainda a mais duas para olharmos. Duas ou três. -Não acredito, mais uma vez longe de você.

-Tudo bem eu vou, mais não confie nela Bonnie- Eu dei uma breve pausa- Bonnie quero voltar logo pra casa não aguento mais ficar aqui.

-Nós sabemos que você quer voltar para o seu Damon. -Eu ouvi direito?

-Meu Damon?

-Elena, pense... Damon não esta mais se alimentando de pessoas inocentes, ele não leva mais garotas pra casa dele... -Eu a cortei.

-Talvez porque ele esteja doente Bonnie. -Eu disse revirando os olhos.

-Não, isso já faz mais de meses Elena. Se toca meu, ele te ama poxa, e você ainda tem medo de perdê-lo?

-Pior que tenho... Bonnie vou para o banho depois agente continua esse momento entre amigas- Eu soltei uma risada e ela me acompanhou...

Entrei no chuveiro e resolvi tomar um banho gelado para simplesmente esquecer o que me assombrava... Porque eu tinha tantas duvidas sobre ele?
Talvez eu não o conhecesse realmente...

**POV Caroline

Eu ainda estava com Damon dormindo ao meu lado então resolvi ligar para Elena.

-Alo - Aquela voz não era de Elena.

-Bonnie?

-Sim ela esta no banho. -Ela deu uma breve pausa- A ela saiu tchau Carol beijos amiga.

-Oi Carol tudo bem?- Disse ela com a voz apreensiva.

-Sim estou aqui com o Damon, ela esta dormindo- Ela deu uma risada.

-E como ele está?

-Quando ele dorme a dor passa.Só que Stefan disse que ele tem sonhos estranhos...Do futuro que ele quer,e do passado tenebroso dele.-Ela parecia ter ficado nervosa com isso.


-Sonhos com Katherine? -Ela estava com raiva pela a vadia ser mencionada.

-Eu odeio essa vadia, mais ele tem sonhos com você também.

-Não vejo a hora de voltar para minha casa minha família e salvar Damon, está tão difícil Carol eu não sei quanto tempo irei suportar. –Elena parecia ter começado a chorar.

-Lagrimas não vão resolver o seu problema, fique forte eu vou ajudar o Damon até você voltar para ele Lena.

-Eu não posso perdê-lo Bonnie, não irei suportar perder ele.

-Elena pare de chorar. Você sabe que contos de fadas não existem, mais podemos torná-los realidade, sempre existe um final feliz para alguns que o mereça.

-Obrigada Carol.

-Tenho que desligar porque ele esta tendo outro pesadelo, ele me diz que são todas as noites, volta logo amiga!!-Eu disse desligando.

-Damon acorde...

**POV Tyler

Estava andando pela mata, afinal noite de lua cheia eu precisava me acorrentar.

Comecei a correr porque a lua já estava quase no seu ponto alto...

De repente cai em um corpo, uma mulher ruiva de cabelos lisos...

-Julia? –Perguntei tentando acordar. Eu a conhecia como isso foi acontecer logo com ela?

Julia era uma menina doce e meiga nunca faria mal a ninguém.

Quem será que havia feito isso com ela? Ela estava com uma mordida de vampiro no pescoço fui olhar os sinais vitais.

-Eu sinto muito Julia. –Eu disse quando percebi que ela estava morta.

Resolvi deixar o corpo dela ali, a Xerife Forbes iria encontrar o corpo e depois resolveria a situação com o conselho.

Eu sabia que havia um novo vampiro na cidade, e iria falar com Stefan amanha bem cedo.

Continuei correndo até chegar ao lugar e comecei a me acorrentar e liguei para Carol.

-Amor, estou aqui me acorrentando chegarei tarde hoje.

-Estou aqui com o Damon,vou dormir aqui pra dar uma força pro Stefan ele precisa caçar. –Dormindo? DAMON?

-NADA DISSO PODE IR PRO QUARTO DE HOSPEDIS. -Eu tava furioso.

-Tyler, nada de ciúme. Ele não consegue nem levantar da cama.

-A lua está quase no ponto auge tenho que desligar. Amo você loirinha.

-Amo você lobo mal.

Eu desliguei o celular e tomei alguns goles do mata lobo, não era fácil de achar mais eu e Caroline conseguimos dar um jeito.

E os efeitos começaram a aparecer... A dor como sempre horrível mais eu já havia me acostumado com ela.

Não era nada bom ser um lobo, mais eu tinha que conviver com isso.

**POV Brian

Já havia passado um mês e cinco dias que eu havia tocado Damon, eu fazia de tudo para acelerar o processo só que não era fácil.

Quando eu o toquei eu senti o amor que ele sentia pela humanazinha recalcada. Realmente era um amor verdadeiro e difícil de ver nos dias de hoje.

Era um amor que ele poderia sobreviver a qualquer coisa a menos uma.

O medo de perder um ao outro.

Cheguei à minha casa e encontrei Stefan na frente.

-O que você quer aqui? -Eu não gostava de ambos os Salvatores

-Só vim avisar... Para de acelerar o processo se não eu mato você sem a piedade que eu tenho dos outros. -Até parece.

-Vai sonhando vampiro falsificado. Você deveria ter piedade de si próprio.

Ele se remexeu e ficou cara a cara comigo.

-Para de acelerar o processo ou... –Eu o cortei.

-Ou o que? Vai me matar? Se liga Stefan! Eu sou mais forte, a sua sorte é que eu não sou tal malvado assim ou já teria feito picadinho do Damon.
Eu quero que ele sinta tudo o que eu senti.

-Eu sinto muito pela sua ficante, namorada, noiva, esposa ou sei lá o que aquela garota era sua, mais bem que você mereceu.

Senti raiva pulsando em meu sangue.

-Eu mereci? Eu deveria era ter absorvido a alma da Elena, mais eu não queria aquela vadia da Elena conversando comigo e caminhando a eternidade comigo.

-Vadia é a sua noiva. Não acelere o processo ou eu arranco a sua cabeça do corpo.

-Vai ver se eu to na esquina vai.

Eu entrei em minha casa e fechei a porta na cara de Stefan.

Parecia que tinham feito uma festa em minha casa e não me convidaram.

Haviam roupas jogadas por todo o canto, panelas no chão, moveis arrastados, minhas bebidas jogadas em todo o lugar.

“Poxa justo a minha bebida” Pensei.

Ligue a TV, sentei no sofá e bebi alguns goles de whisky.

**POV Elena

[Passam-se 2 dias]

Acordei com a ligação de Damon,ele sempre me ligava no mesmo horário... A foto dele apareceu na tela do celular...Uma foto bem atraente por sinal.

-Damon? -Eu tava morrendo de sono.

-Oi Leninha então como está? -Ele perguntou com a voz baixa... Deduzi que foi por causa da dor e pelo sofrimento.

-Bem obrigada, mais e você como está? -Perguntei e já sabia a resposta mais sempre é bom ficar atenta com as coisas que acontecem com as pessoas que amamos.

-Estou com dor ainda, mais ainda da pra falar um pouco com você. -Metido.

-Que história e essa de você sonhar com a Katherine? -Ele suspirou.

-Quem te contou uma coisa dessas Leninha? -Ele estava querendo briga é isso?

-Não trabalho com nomes. Mais pode falando que história e essa? -Eu estava irritada por ele ter sonhado com aquela...

Não quero nem imaginar, mais quero saber isso sim.

-São os efeitos dos poderes daquele animal de teta. -Damon e suas piadinhas, quando eu estava prestes a passar pelo celular e dar uma porrada nele...

-DAMON sem desculpinhas,não gostei de você sonhando com aquela vaca leiteira.NÃO GOSTEI PODE PARANDO DE SONHAR COM ELA...

-Porque todo esse ciúme Leninha? -Ferrou pra mim agora...

Senti minhas pernas tremerem.

-Não mude de assunto Damon, SO NÃO GOSTEI ALIAS ODIEI Ok? -Eu estava borbulhando raiva dentro de mim.

-Calma amor... Eu não gosto de sonhar com ela, mais não posso impedir. -E tenho que admitir ele estava certo.

-Ta bom. Amanha nós vamos entrar na segunda caverna,e ver se a sua cura está lá.

-NADA DISSO LENINHA,você não vai em caverna nenhuma não...-Ele bufou e eu soltei uma risada.

-Eu sou a única aqui que está fazendo coisas por você...Então calado entendeu?!?! -Ele bufou novamente não tinha gostado nada da idéia.

-Sim senhora. -Ele riu e não tinha como não acompanhar o Damon em uma risada calorosa.

-Muito bom, vou dormir Damon... Beijos e pode indo dormir também...-Ele me cortou.

-Você poderia parar de mandar em mim,sou mais velho tenho mais idade...Tem que respeitar os mais velhos Leninha.-Ele adora provocar.

-Você está parecendo um velho rabugento, Damon beijos até amanha-Eu desliguei o celular...

Damon sonhando com a Katherine isso não era nada bom, aquela vadia... Fez sofrer dois rapazes lindos que não mereciam isso.

Stefan era diferente um namorado gentil e certinho, cuidou de mim, eu sabia que Stefan era o homem certo para mim.

Mais não até conhecer Damon, depois que conheci Damon tudo mudou, minha vida ficou mais intensa e perigosa. Ele era o homem errado para mim... Mais era o homem que eu queria.

Eu não sei quem é o certo para mim, mais é só arriscando que sabemos.

Custei a pegar no sono, mais amanha iria ser um dia que precisaria de todas as minhas forças.

Então quando menos percebi adormeci.

**Pov Escritoras

Damon se remexia muito pela dor, ele não via á hora de ver a sua Elena.

Ele acordou e decidiu não dormir mais para não ter pesadelos.

-Carol? –Ele perguntou vendo a loira toda torna na poltrona de seu quarto.

-Pesadelos?

-Não, mais acho que vou... –Damon sentiu seu estomago revirar até que ele acabou vomitando sangue.

-Poxa, não tinha como avisar antes?

Carol correu até Damon e o tentou segurar para ele não cair da cama.

-Que droga virei humano agora? –Perguntou ele limpando sua boca. Carol correu até a cozinha e pegou um pano limpo.

-Deve ser um dos efeitos de Brian. –Disse Carol limpando a sujeira no quarto de Damon.

-Eu deveria pensar mais em quem matar.

Damon se sentou na cama e Carol terminou de limpar.

-É deveria, vai vamos anda pode dormindo.

Damon bufou.

-Porque todos estão querendo mandar em mim? Não sou mais um bebezinho. –Disse Damon cruzando os braços e fazendo bico.

-Porque eu estou cuidando de você, então me respeite.

-Que saco, boa noite Carol.

Damon virou para o outro lado mais ele só pensava em Elena apenas ela.

Sua Elena, que ele tanto amava, mais ela nunca soube disso, então ele pensou em tomar uma decisão e contar tudo o que sentia a ela.

“Eu seria fraco se conta-se” Pensou ele, com razão pois todas que ele amava acabavam largando ele ou se interessando pelo irmão.

Ele não queria ser fraco, amar é ser fraco. Mais ele não podia apenas desligar o botão, ele seria mais fraco ainda.

Ele queria dizer tudo que sentia pela primeira vez em muito tempo ele queria ser feliz e ter uma vida, mesmo que seja pela eternidade.

Se fosse com a Elena seria muito mais que a eternidade, ele apenas queria ser feliz.

“Todos tem o direito, porque eu não tenho?” Se perguntou, porque ele não tinha esse direito, ser feliz com ela?

Eram tantas perguntas.

É como se estar na morte e não saber quais são as respostas para suas perguntas, nem as perguntas para suas respostas.

Damon apenas queria que tudo que ele sentia, essa dor fosse embora e o abandona-se.

Ele suportaria sentir essa dor nem que seja para a eternidade, mais morrer nunca, ele não poderia deixar Elena.

“Eu não vou dar a ela uma vida normal” Pensou ele mais uma vez. Sim ele era egoísta ao ponto de tornar ela uma vampira e a ter para sempre com ele.

Damon sabia muito bem que não era isso que ela queria. Ele sabia que se ele vise-se isso ela o odiaria para sempre mais ele não iria suportar tremenda dor de vê-la em um caixão.

Os pensamentos tomaram conta da cabeça de Damon, mais ele logo se concentrou e adormeceu.

***

Stefan estava deitado apenas esperando amanhecer para ir caçar, ele não queria ir à madrugada caso Carol precisa-se de ajuda com Damon.

Realmente por mais que Damon seja frio e calculista Stefan sabia que isso era apenas uma mascara para não se deixar levar pela humanidade.

Como sempre, Katherine aparecendo e não aparecendo. Essa mulher deixava realmente Stefan balançado mais ele sabia que era errado se deixar iludir por ela.

Katherine não era de ninguém. Na realidade nunca fora de Damon ou de Stefan, ela sempre fazia o que queria quando bem entendesse.

Stefan também sabia que perder Elena não seria nada fácil.

Ele já estava superando sua perda, afinal ele tinha ela perto não? Mais ele ainda á amava, não era o fim do mundo perder alguém que amamos.

O difícil é saber que essa pessoa te amou mais logo deixou de te amar.

Stefan estava deitado em sua cama como sempre sem nenhuma roupa.

“Ah eu amo dormir pelado” Pensou ele com um sorrisinho singelo.

Ele logo se recordou dos tempos de crianças.

*Flashback*

Eu estava sentado próximo á grande campina perto de minha casa, venho aqui para pensar.

-Stefan? –Perguntou uma voz atrás de mim.

-Aqui!

-Poxa não tinha um lugar mais longe de casa não Tetefi?

Damon se sentou ao meu lado.

-Esse lugar me lembra da mamãe! –Eu confessei com certa tristeza.

Não era fácil saber que ela morreu e eu apenas tinha um pai e não uma mãe que contaria historia de criança para eu dormir.

-Faz sentido!

-Como assim Damon?

-Ela me trazia aqui e nós brincávamos!

Era como se ela estive-se comigo, naquele momento era como se eu senti-se sua presença.

-Do que brincavam?

-Fica atrás de mim Tetefi. –Damon levantou e eu fiquei atrás dele, eu não estava entendendo nada.

Damon abaixou e ficou em forma de sapinho.

-Mais o que é isso? –Eu perguntei incrédulo.

-Pula cerca. Agora você pula apoiando suas mãos nas minhas costas e depois fica na mesma posição que eu estou! –Disse Damon sorrindo.

Eu fiz o que Damon mandou mais algo deu errado e eu acabei caindo.

-Mais nem isso você sabe fazer direito? –Perguntou Damon me olhando. –Machucou?

Eu tentei levantar mais olhei e meu joelho sangrava. Comecei a chorar.

-Você chora demais para um garotinho de 8 anos Tefinha.

Damon correu até um riacho que havia perto de nós, uns 10 minutos depois ele voltou com sua camisa molhada.

-Isso arde. –Eu disse entre soluços.

-Ninguém mandou querer dar um beijo no chão!

-Você que inventou essa brincadeira assassina.

Damon me levantou e meu joelho já não sangrava mais.

-Vamos se não o papai ira dizer que estou te levando para o mau caminho. –Disse Damon imitando uma voz grossa como se fosse nosso pai.

Nós rimos uma risada calorosa e divertida.

*Fim Do Flashback*

Stefan começou a sorrir por causa de sua lembrança, mais logo percebeu que aquilo não passava apenas de uma lembrança.

***
Damon se revirava parecia que ele estava entrando em mais um de seus pesadelos horríveis. Realmente Brian é um ser muito poderoso.

Até Damon percebeu que estava em um lugar diferente.

Ele estava com Elena, estavam sentadas perto de uma montanha, parecia mais um precipício, mesmo assim o lugar não deixava de ser lindo.

-Então Leninha como estão os preparativos para o aniversario do nosso filho? –Damon disse passando o braço atrás da morena fazendo-a arrepiar pelo toque.

-Precisamos enviar os convites e tudo ficará perfeito amor! Os filhos da Carol estão grandes não é mesmo? –Perguntou ela sorrindo por ser madrinhas de todos, ela e Bonnie.

-Aquelas pestinhas sumiram com o meu sapato poxa! –Disse Damon com um biquinho.

-Não reclama, você sabe que é difícil ser pai ou mãe!

-Então é isso? Vai me trocar por essa? –Surgiu uma voz triste vinda do nevoeiro, apenas o porte físico da pessoa aparecia em meio de tanto nevoeiro.

Elena se agarrou mais próximo de Damon.

-Quem está ai? –Perguntou Elena com uma voz tremula.

-Primeiro amor, primeira namorada, primeira de tudo em relação ao Damon!- disse a voz.

-Eu não quero mais nada com você! –Disse Damon tomando a frente de Elena.

A garota saiu das nevoas estava toda machucada, Seu lindo vestido branco de seda simples estava com algumas partes manchadas de sangue.

-Vai me abandonar? –Perguntou a garota olhando diretamente nos olhos de Damon.

-Você me largou, você me abandonou! –Disse Damon com raiva.

-Ele é meu agora. –Disse Elena olhando apenas para Damon.

Damon se sentiu feliz ao saber que Elena o defenderia de tudo, até de uma garota que nem ao menos sabia o nome.

Elena não iria perder Damon, não nesse momento.

-Prefiro morrer ao escutar isso!

A garota se aproximou mais da ponta do precipício olhou para Damon e logo olhou para Elena, ela se virou ficando de costas para a ponta do precipício.

-Eu não suporto vê-lo com outra, eu te amo, eu tive razões para te deixar, nada mais importa. Só saiba que eu te amo.

Sem mais a garota se jogou, Damon apenas fechou com força como se ele volta-se no tempo.

Damon escutou em seus próprios sonhos.

“Damon acorde está tendo outro pesadelo” Disse uma voz feminina.

Ele abriu os olhos cansados, ele possuía olheiras e não conseguia ao menos levantar de sua cama.

A dor ainda persistia mais ele tinha que aguentar, não era aguentar por ele e sim por Elena.

-Nunca mais grite ok? –Disse Carol totalmente descabelada.

-Eu gritei o que?

-Não faço a mínima ideia, mais eram palavras desconexas, eu não entendia nada.

-Pesadelos, ah é horrível ter.

-Ainda bem que eu não tenho! –Disse Carol com um sorriso.

Damon começou a tossir e logo vomitou sangue.

-Serio mesmo?

-Desculpe. –Disse Damon gargalhando por vomitar no sapato da loira.

-Poxa esse sapato era caro! –Disse ela com um biquinho.

-Ah eu não tenho culpa se pareço um humano. –Disse Damon limpando sua boca.

-Enfim Elena me mandou um SMS enquanto você dormia dizendo que é para você ligar para ela. –Dizendo isso Carol saiu do quarto deixando Damon sozinho.

Damon não pestanejou pegou seu celular e discou o número de Elena.

-Alo? –A voz doce disse do outro lado.

-Boa madrugada Leninha?

-Como se sente? –Ela sabia que a resposta não era boa, ela tinha que saber de qualquer modo.

-Ainda sinto essa dor maldita mais e você como está?

-Com sono! Damon eu estou com medo. –Disse Elena contendo o choro.

-Medo do que? –Damon estava mal mais não pela dor física e sim porque ele já havia aceitado a ideia de morrer, mais não a de deixar Elena.

-Não quero perder você, eu não posso, não suportaria tanta dor – Algumas lagrimas escorreram de seus olhos mais outras ela segurou.

-Você não vai me perder, você vai conseguir me salvar. Você sabe que vai conseguir. –Damon sentiu como se fossem arrancar seu coração.

-Espero. Então sonhou com alguma coisa? –A pergunta pedou Damon de surpresa.

-Sonhei mais foi mais um pesadelo do que sonho.

-Conte-me.

-Ah não. –Disse Damon com um biquinho mesmo que ela não visse ele estava fazendo biquinho.

-Conta logo!

-Eu sonhei que eu e você bom...Er...Bom... Que estávamos casados. –Disse Damon com suas bochechas corando levemente.

-Oh serio? Sempre sonhei em casar. –Confessou Elena.

-Fechou então, quando marcamos a data?Brincadeirinha. –Disse Damon sorrindo.

-Seu bobo.

-Boba.

-Lesado.

-Cabeça dura.

-Gostoso...

-Eu sou gostoso? –Perguntou Damon se gabando.

-Não... O morango que estou comendo!

-Me trocou pelo morango? Você sabe que eu faço muito mais que esse morango!

-E como faz!

-Como é?

-Tenho que desligar Damon... Boa noite.

Ela desligou o celular, e Damon pensava apenas em Elena com um lindo sorriso estampado no rosto.

Sim ele parecia um bobo apaixonado como se havia questionado á tempos atrás.

***

Matt estava trabalhando e Brian entrou no Mystic Grill.

“Merda” Pensou Matt.

“Justo na minha mesa? Ta brincando?” Pensou ele mais uma vez.

Matt tinha que servir Brian ou não teria mais trabalho.

-O que deseja?

-Só um lanche de frango com creme especial e um chopp.

-Cara o que você ainda faz aqui? –Perguntou Matt indignado.

-Matando Damon!

-Mais você não o tocou?

-Eu tenho que terminar o processo, se eu não terminar o processo Damon ficara vegetando, já que ele não tem alma ele ficaria em estado vegetativo!

-Eu sei que perder alguém não deve ser fácil mais vingança não leva a nada.

-Imagina sua linda e preciosa Vanny sendo morta por um vampiro e você vendo tudo?

Por um momento Matt imaginou, mais logo percebeu que era besteira imaginar.

-Deve ser doloroso! Mais mesmo assim não explica o fato de ser o malvado de toda á historia.

-Explicam sim, todos fazem loucuras por amor. –Dizendo isso Brian saiu do Mystic Grill e foi embora.

“Ele nem comeu!” pensou Matt.

Ele achava esse Brian um cara legal, mais mesmo assim sabia que havia algo errado no seu passado, uma coisa um tanto estranha e sombria.

Matt não via a hora de chegar de casa e ver Vanny e comer pipoca com a morena.
**POV Katherine.
Estava deitada em uma enorme cama de casal que havia na casa que eu havia invadido. A casa estava á venda mais já estava imobiliada. Estava totalmente entediada, queria ir ver Stefan mais não ia ser a cachorra que vai atrás dele. Já tenho apelidinhos demais em minha lista. Levantei da cama com a minha camisola, coloquei uma calça jeans preta, uma bota de salto fino preta com salto vermelho, uma regata branca e uma jaqueta preta também.

Sai da casa e fui para á Praça de Mystic Falls, estava faminta e queria matar alguém também. Estava já á duas semanas sem matar ninguém, só vivendo de bolsinhas de sangue. Eu queria sangue fresco, queria ter o prazer de caçar minha preza. Estava andando pensando em Stefan e em toda minha eternidade e trombei com um homem moreno e de olhos cor de mel. Eu cai no chão com o impacto. Ele era bonito até. Uma preza perfeita para mim.

-Ah! Desculpe moça- ele disse me ajudando a levantar.

-Que isso. Eu que estava em outro mundo. –eu disse com uma voz doce e meiga.

-Posso te pagar uma bebida para compensar esse tombo que te causei? –ele perguntou.

-porque não?- eu disse.

Nós caminhamos até o Mystic Grill conversando sobre nossas vidas. Ele era solteiro e de outra cidade. Acho que não faria muita falta.

Nós bebemos um pouco até que veio o pedido que eu tanto esperava.

-Posso te acompanhar até em casa Katherine? – ele disse com um sorriso sincero no rosto.

-Será uma honra. –eu disse sorrindo.

Nós caminhávamos pela rua, a rua estava totalmente vazia. Aquela seria a hora. A hora mais esperada da noite.

-chegamos Katherine- ele disse me olhando.

-Você até que é gatinho- eu disse com uma voz sexy passando a unha por debaixo da sua camisa polo azul.

-Gatinha é você. - ele disse. Eu o puxei pela gola da camisa por um beijo. Um beijo feroz e necessitado. Um beijo que Stefan nunca havia me dado.

Eu desci minha boca para seu pescoço e as veias de meu rosto se destacarão em minha pele levemente bronzeada. Eu cravei meus dentes e o moreno gritou e se debateu entre eu e a porta. Ele parou de se debater e já estava morto. O corpo do cara caiu do meu lado e eu limpei a pequena linha de sangue que se formara em minha boca.

-E agora vem a pior parte. Desovar o gatinho em algum lugar. –eu olhei para o corpo e fiz um bico- é... você com certeza era gatinho.

Eu agachei e peguei o pé do cara e sai puxando até a floresta calmamente. Já era umas 3 horas da manha e não tinha ninguém nas ruas de Mystic Falls. Fui até um rio que tinha dentro da floresta e simplesmente joguei o corpo lá.

-Tchau gatinho- eu disse fazenoso um movimento de tchau com a mão e vendo o corpo ser arrastado pela correnteza.

Caminhei lentamente pela floresta para voltar para casa. Ouvi alguns barulhos de folhas sendo remexidas e olhei em volta. Eu sentia que estava sendo observada. Parei onde estava e olhei em volta. Nada alem de arvores. Deveria ser simplesmente algum esquilo ou algum outro animal andando por ai. Voltei a andar e senti um vulto passando por perto de mim.

A floresta tinha sido preenchida por uma grande nuvem de neblina. Eu não estava enxergando praticamente nada. O vulto passou por mim novamente mais desta vez mais perto de mim.

-Katherine- eu ouvi uma voz soando no ar enquanto o vulto brincava comigo.

-Quem está ai? –eu perguntei já assustada. Aquela voz me era familiar mais eu não conseguia saber quem era.

-Katherine...- a voz disse desta vez á centímetros do meu ouvido. Eu pude sentir o hálito da pessoa atrás de mim. Eu me virei e não vi nada alem de neblina.

-QUEM ESTÁ AI?!- eu gritei dessa vez. Eu estava com medo. Estava com uma sensação estranha, o clima fresco da floresta tinha se transformado em um clima frio e assustador.

-Seu pior pesadelo- disse o vulto passando por mim novamente.

Eu comecei a correr para longe dali. Á neblina havia passado e eu conseguia ver tudo novamente, á não ser a sombra que me perseguia. Ela passava por mim enquanto eu corria. Senti mãos me empurrarem contra uma arvore. Mãos firmes e fortes. A coisa me empurrou em direção á uma arvore me fazendo bater as costas com o impacto e depois cair ao chão.

Meus olhos giravam, não conseguia ver nada direito, minha visão estava embaçada e meus olhos pesavam.

Á única coisa que vi foi um par de botas pretas antes de perder a consciência definitivamente.

**POV Jeremy.

Já deveria ser torno de 22:00 hs em Salén. Estava com saudades de falar com Bonnie e também queria saber como Elena estava. Então, resolvi pegar o telefone e ligar para Bonnie. Procurei o numero na agenda e cliquei em ligar. Arrependi-me de ter ligado e resolvi desligar o telefone quando a voz doce dela atendeu.

-Alo? –Disse a voz de Bonnie do outro lado da linha.

-Er.. Oi Bom. –Eu disse meio sem jeito. Eu nunca sabia o que dizer para Bonnie. Ela me deixava totalmente sem graça.

-Oi Jer tudo bom? –ela disse com a voz meio sem graça.

-Tudo sim e com você?

-Estou bem. Mais... er.. Qual é o motivo da ligação Jer?- Ela perguntou meio confusa.

-Ué.. Tem que ter motivos para ligar para a mulher mais linda do mundo? –eu disse me arrependendo depois. “eu sou um idiota mesmo só pode” eu pensei batendo a palma da mão na minha testa.

-Como é que é Jer?- ela disse com a voz um pouco alegre.

-Er... nada não amor- Merda! Estou dando uma brexa atrás da outra, as vezes o Damon tem razão de me chamar de idiota.

-Amor?- ela disse confusa.

-ham? Que? Então Bonnie... E Elena como está?- eu estava preocupado com Elena. Não devia estar sendo fácil para ela.

-ah Jer... ela está sofrendo. Está cada dia mais difícil para ela ficar longe de Damon. - ela disse.

-Ah.. Então é só do Damon que ela sente saudades?- Eu disse brincando e rindo. Bonnie também deu uma risada gostosa e cansada.

-Ela está sentindo saudades de todos Jer. Nós duas estamos. –Ela disser um pouco decepcionada.

-Mais e ai. Vocês já sabem quando voltam? –eu perguntei esperançoso. Queria que Bonnie voltasse logo. Queria tanto vê-la.

-Nós ainda não sabemos Jer. Está muito complicado aqui achar a flor.

-Entendi. E essa flor é muito necessária? –eu perguntei já sabendo a resposta.

- É o principal do feitiço Jer- ela disse com voz de obvio. – Mais e você? Como está? Alguma novidade? E o Ric? Ele esta bem?

-Calminha ae gata! Vamos por partes. Eu estou ótimo, alem da saudade de vocês. O Ric está bem. As novidades são primeiro que o Ric está quase namorando com uma garota que ele conheceu á 3 dias. –eu disse rindo.

-Serio? Só o Ric mesmo para isso. –ela disse dando uma gargalhada.

-e a outra novidade é que pelo o que eu sei Damon vomitou sangue em um dos sapatos de veludos mais caros de Caroline. Por ele ter vomitado sangue não é legal, mais pelos sapatos de Caroline eu ri.

-Ela nem deve ter tido vontade de matar ele né? – Ela disse rindo novamente. –Do jeito que conheço a Carol ela deve ter tido um ataque.

-é... pelo o que Stefan falou ela teve sim depois que saio do quarto.- eu disse.

-Bom Jer. Eu vou dormir ok. Amanha vamos em mais duas cavernas e eu preciso estar bem.

-ok. Boa noite bonn.

-Boa noite Jer. Fique com deus e qualquer coisa ligue.

-Beijos Bonn. Dizendo isso eu desliguei o telefone.

Desci para a sala e liguei a TV. Coloquei no canal que estava passando Naruto. Deitei no sofá e comecei a assistir naruto. Estava legal de mais. É.. eu pareço uma criança mesmo. Fiquei lá assistindo e logo adormeci no sofá mesmo.

continua....
--------------------------------
Tópico de comentários: AQUI

--------------------------------
Nota das autoras: Então meninas... mais uma vez me desculpe pela demora... Eu e a Jady estamos meio ocupadas esses dias ai e por isso á demora. Er.. á partir de hoje, as postagens serão feitas de Quarta-Feira (Eu posto) e de Sabado (a Jady posta), para eu e ela termos mais tempo para postar e tambem para vocês terem mais tempo de comentar e talbs. Então é isso. Espero que vocês gostem, e por favor comentem por favor, mesmo que seja para criticar okey. O comentário de vocês incentiva eu e a Jady á continuarmos á escrever. Então.. Boa leitura pessoinhas e beijinhos.
Patty.
Ps: esse ficou bem grandinho vai meninas! kkkkk
avatar
Delena_Somerhalder

Mensagens : 227
Data de inscrição : 25/03/2012
Idade : 21
Localização : Na caminha do Kol. Junto com ele e com o Damon.

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: My worst nightmare

Mensagem por Jady_Delena em Qui Ago 23, 2012 7:54 pm

Capitulo XIV - I would do anything for you
( Eu Faria Tudo Por Você)



"E se tu olhares, durante muito tempo, para um abismo, o abismo também olha para dentro de ti."
Friedrich Nietzsche


**POV Katherine

Eu sentia minha cabeça latejar, era estranho pois já deveria ter curado.

Eu abri meus olhos, não queriam se abrir estavam pesados e cansados.

Aquela voz em minha mente foi um tanto estranha eu a conhecia mais não sabia de quem era.

Porque essa pessoa mal assombrada estava fazendo isso comigo?

Eu tive medo de me levantar e dar de cara com a tal “Pessoa misteriosa”

Procurei meu celular na mata e logo achei um papel enroscados nós meus fios de cabelo.

“Estranho, muito estranho meu cabelo virou papelaria agora?” Pensei.

“Katherine , Oh linda Kath você suspeita quem eu sou eu, sei disso. Seu pior pesadelo? Ah que nada serei bem pior que isso pode
deixar, mais eu farei você sofrer com calma, você lembra do passado? Do que me fez passar? Acho que não pois você é velha demais e tenho certeza que não tem memória para lembrar de mim, na verdade você já sabe quem eu sou, só não quer admitir para si mesmo isso.

Até mais Kath.”

Não era quem eu pensava, ou será que era?

Decidi não pensar em mais nada sobre a assombração, mais não tinha como, os pensamentos iam e vinham na minha mente.

Logo sai da floresta e fui em direção a mansão do meu amor.


**POV Stefan

Eu estava faminto, queria qualquer animal. Corri pela floresta e me alimentei de dois alces muito grandes. Precisava voltar para casa.
Mais antes disso fui até o mercado. Chegando lá, fui direto a sessão de bebidas, peguei oito garrafas de Bourbon e duas garrafas de tequila.

Fui diretamente ao caixa.

-Olá- disse a caixa com um sorriso no rosto.

-Olá- disse eu educadamente.

-Deu 700,00 dólares senhor- a atendente falou assustada com o valor.

-Obrigada- passei o cartão na maquininha e paguei.

Cheguei á mansão Salvatore e fui direto ao quarto do Damon, quando entrei, Damon estava dormindo e Caroline também. Precisava dormir um pouco, deitei na cama e logo adormeci.

[*Passaram-se 4 horas*]


“Querido Diário,

Eu não sei mais quanto tempo Damon vai aguentar. A viagem de Elena e Bonnie a Salém está demorando muito. Elas já estão em lá
a um mês e 5 dias, isso porque elas falarão que só ia ficar lá 3 semanas.Damon só piora, e agora para ajudar toda a situação, Damon tem sonhos do futuro e com a Elena, durante a noite ele grita o nome de Elena e da Vadia da Katherine. Em 2 dias Damon tomou 8 garrafas de Bourbon e 3 de tequila sozinho. Elena sempre ligava para ele, e parecia que enquanto eles estavam conversando, a dor dele amenizava um pouco.E como se ainda não bastasse tudo isso, Katherine não para de me atormentar e fazer visitinhas chatas de sempre. Ela estava me deixando louco, eu não sabia oque sentia por ela... e com essas visitinhas constantes dela, eu só ficava mais e mais confuso. Mais eu não amo a Katherine. Eu não posso amá-la."

Coloquei o diário na mesinha e fui tomar um banho muito quente. Sai e enrolei a toalha na cintura.

-Olá Stefan. -Eu mereço?

-Ah... Qual é você não tem nada melhor pra fazer Katherine? -Que perseguição... Ela se sentou na minha cama.

-Se você fala por eu estar aqui no seu quarto e você de toalhinha. -Ela deu uma pausa mediu meu corpo-Não eu realmente não tenho.

Eu fiquei em silencio apenas olhando-a ela estava sangrando na coxa e como sempre deve ter sido outra vitima dela.

-Stefan é bom você ficar esperto, tem algum ser sobrenatural na cidade e não está pra brincadeira.

Katherine se aproximou de mim e passou a mão pelo meu peitoral nu.

-Eu devo acreditar em você? –Eu perguntei apenas olhando-a, suas mãos brincavam em meu peitoral, ela me puxou para baixo e
logo disse em meu ouvido.

-Não precisa acreditar se não quiser.

-Como sabe que tem alguém novo?

-Ele me fez uma visitinha na floresta, e não foi nada legal... Tome cuidado Stefan.

-Ok eu tomo, agora saia daqui, tenho que cuidar de Damon.

-Vou ver o Damon.-Disse Katherine indo até lá não hesitei em deixá-la ir.


**POV Damon

Acordei com os gritos de Katherine o que aquela vadia fazia aqui?Eu estava tão bem dormindo!

-QUEM MANDOU VOCÊ ENTRAR AQUI EM LOIRINHA. -Disse Katherine jogando um vaso em direção a Carol.

-CALA A SUA BOCA SUA VADIA PSICOTICA! ELE ESTA DOENTE E EU VIM AJUDA-LÓ DIFERENTE DE ALGUMAS PESSOAS AQUI. -
Disse Carol jogando um dos meus sapatos.

-CHEGA VOCÊS, eu to quase morrendo e vocês ficam brincando de SAPATEIRA e JARDINEIRA?. -Eu estava irritado ninguém merece agora com os gritos de uma vadia e uma loira com a voz irritante.

-Damon olha o respeito. -Disse Carol abaixando o outro sapato que estava na sua mão esquerda.

-É concordo com essa dai. -Disse Katherine apontando com desleixo para Carol.

-Cala a boca Katherine, ela me ajudou mesmo, diferente de você e se não se importa... Eu gostaria de tentar tomar um banho sem
ver vasos sapatos voadores. -Eu disse apontando para elas. Tentei me levantar e consegui, Carol me ajudou ate a minha banheira... -

-Vai me dar banho é? -Soltei um sorriso malicioso.

-Obvio que não Damon, só vou ligar a banheira e depois você se vira e quando acabar e colocar uma roupa eu volto. -Ela estava ligando a banheira.Eu percebi que eu me sentia um bebezinho.

-Obrigado Carol. -Eu pensei em parar de ser grosso com ela... Ela estava me ajudando, mais eu ainda vou zombar dela afinal aqui e o Damonzão.

-Apesar de você estar na morte ainda zomba das pessoas, eu não entendo. Porque isso Damon? -Me surpreendi com a pergunta dela.

-Porque eu já vou morrer triste por deixar Elena sozinha. Se for para morrer, que eu morra em grande estilo e feliz!

Ela logo saiu do meu quarto e eu tentei me equilibrar mais estava um tanto dolorido.

Meu banho estava calmo mais a dor ainda era insuportável.

Eu não saberia o quanto mais eu aguentaria aquela dor, era como se mandassem me matar pela pessoa que mais amo, e quanto
mais eu aguentava e tentava ser forte e ficar bem, mais a dor voltava e aumentava como se fosse energia de 250 VOLTES.

Acabei meu banho eu até consegui levantar e coloquei uma bermuda já que ia ficar em casa mesmo,não havia problema.

-Loirinha Pode entrar. -Eu disse em um tom suficiente para ela ouvir da sala.

-Aqui está! –Disse ela me entregando uma garrafa de whisky.

Eu peguei a garrafa da mão dela e logo abri.

-Essa aqui e das boas em. -Eu disse olhando pra garrafa fazendo Carol rir. -Toma comigo?

-Porque não? -Ela pegou um copo que estava na minha cabeceira. -As vezes e bom beber um pouquinho.

-É o que eu sempre digo para o Tetefi.

Até que ela era legal,ficamos conversando durante bastante tempo,já que o namoradinho dela estava acorrentado,ela ficava me
fazendo companhia.


**POV Elena

Acordei e Bonnie já estava pronta.

“QUE MUNDO ESTOU EM QUE BONNIE ESTA ACORDADA?” Eu ri ao levantar.

-O que aconteceu Lena?Teve algum sonho erótico com o Damon?

Acho que ela bebeu e não me chamou, ela estava alegre. Dês de que chegamos em Salém ela não estava tão alegre como hoje.

-Bonnie você esta bêbada?Ou foi pra uma balada ontem e não me levou?! -Nos rimos fazia tempo que nós não riamos com vontade.

Mais eu só estava rindo pelo fato de Damon ter me esperado tanto tempo.

-Nenhuma nem outra, temos mais dois cavernas para dar um "Oi",então vamos logo que eu não aguento mais essa cidade... -Disse Bonnie com ar de deboche.

-Muito bom, vamos logo então só vou me trocar e já saímos. -Eu disse pegando uma calça jeans preta e uma blusa preta com um bolero branco e uma bota preta, já que íamos pra uma caverna não iria colocar uma roupa clara.

-Vamos Lena? -Eu já estava totalmente pronta. -Não vai ligar para o Damon?

-Vamos logo, ligo pra ele quando voltarmos. -Eu estava muito segura hoje.

Havia uma esperança dentro de mim, que me levantou da cama e estampou um sorriso em meu rosto.

Eu queria apenas ele, porque eu não podia tê-lo? Eu podia... mais porque eu tinha que ser tão complicada?

“Você é burra Elena, burra, burra” Pensei batendo minhas mãos na minha cabeça.

-Elena você está bem? –Perguntou Bonnie com uma cara de espanto.

-Apenas pensando, vamos? –Eu perguntei abrindo a porta do carro e entrando.


**POV Alaric

Eu estava em um bosque com a Marcely já era o nosso terceiro encontro. Aos meus olhos ela era perfeita em tudo que fazia... E o
melhor, com ela eu podia ser eu mesma, sem nenhum tipo de segredos sobre vampiros.

-Então aceita uma uvinha na boca Ric? -Ela era carinhosa sexy e sedutora ao mesmo tempo.

-Você ainda pergunta? -Eu disse pegando a uva com a boca. -Tenho uma pergunta para te fazer Celly. -Eu estava pronto pra isso...
Realmente eu queria estar.

-Faça. -Ela era tão segura de si.

-Você é uma pessoa linda, maravilhosa e muito meiga comigo, e me dá carinho e atenção. –Ela ficou seria o sorriso que ela tinha logo
desapareceu.

-Estou gostando, continue. –Disse ela ainda seria mais seu olhar dizia alguma coisa que eu não desvendava.

-Você chegou a um momento difícil, eu havia acabado de perder á minha ex-namorada. Eu estava sozinho, solitário.

Celly logo perdeu seu sorriso.

-Mais você me fez sentir novamente, me fazendo perceber que a vida não é apenas lamentar você me fez amar novamente. Celly
quer namorar comigo? –Eu perguntei acariciando seu rosto.

-Lógico que quero seu bobinho. –Disse ela dando vários selinhos em mim e com algumas lagrimas nos olhos.

-Nada de selinhos. – eu disse isso e ela me olhou confusa. Eu a puxei pelo pescoço com um sorriso travesso e a beijei.

Eu a beijei calmamente, nossas línguas se entrelaçavam calmas a cada toque eu me sentia mais vivo, eu me sentia feliz.


**POV Damon

[*Sonho*]

Eu estava sentado no meio da floresta eu havia acabado de voltar do exército... Havia muitas guerras, muitas mortes, muito sangue em minhas mãos.

Eu pensei em voltar pra casa, mais resolvi ficar um pouco perto de um lago que eu sempre ia com Stefan... Mais Katherine veio atrás de mim

-Oi Damon como tem passado, servindo o exército? -Ela era perfeita seu andar era de parar qualquer homem para olhá-la, ela andava
com uma extrema leveza, como se flutuasse.

-Muitas mortes docinho. -Ela adorava meus apelidos fofos. Sou muito romântico, todas as mulheres gostam de carinho. –E Stefan?
Como esta o seu namorado? -Eu não era ciumento, mais quando se tratava dela ai sim eu era.

-Só existe você pra mim Damon, Stefan é só um passatempo em minhas mãos. -Eu soltei uma risada travessa e calorosa e a envolvi em meus braços fortes.

-Jura pra mim que eu sou seu homem? -Minhas palavras saíram calma e baixa. Eu tinha medo de perdê-la.

-Eu te amo Damon, como nunca amei ninguém você sempre será o meu homem por toda minha eternidade... Nunca o abandonarei,
por você eu seria capaz de perde a coisa que mais prezo em minha eternidade. -Eu a soltei de maus braços.

-Qual é a coisa que você mais preza?!?!. -Ah pergunta saiu sem eu ao menos perceber.

-Um dia você descobrirá. –Disse ela me dando beijos molhadas em meu pescoço.

[*Fim Do Sonho*]

-Damon você esta sonhando de novo acorde...-Ela me chacoalhou.

-O que foi Carol?!?! -Eu estava meio desnorteado. Tinha acabado de acordar com uma pessoa me empurrando, me fazendo quase
cai da cama.

-Você estava sonhando com a vadia depenada. -Eu soltei uma risada pela parte do "DEPENADA".

-Isso não e sonho e pesadelo. -Ela sorriu...

-Elena me ligou e disse que estava indo para a segunda caverna... -Odiava a ideia em que Elena estava em uma caverna.

-Não gosto dessa ideia... -Eu fiz um bico.

-Elena de certa forma sabe se proteger!-Eu vou matar a Carol.

-Não sabe não! Ela e só um BEBEZINHO nesse mundo sobrenatural. -Ela sorriu novamente. Ela só sabe rir é? A Barbie já estava me deixando irritado com essa despreocupação com a Elena.

-Ela também faz parte dele Damon, já se esqueceu? -Resmunguei baixo.

-Sim me esqueci... -Ela me cortou.

-Damon tenho que ir, já cuidei bastante de você. Talvez amanha eu volte.Tchau.-Ela me deu um beijo no rosto.Ta ela era bem
carinhosa comigo.

-Tchau...

Peguei a garrafa de Bourbon, que eu tinha. Aquela bebida era muito forte e aquela dor não me largava parecia chiclete no sapato.

Tomei a garrafa toda e tentei dormir novamente.

Eu não aguentava mais dormir e ficar parado, era horrível lutar e não deixar o Brian simplesmente me levar para as profundezas.


**POV Elena

Bonnie, Tati, Sabrina e eu estávamos no meio da floresta procurando a bendita caverna... Eu não gosto de matos...

Bonnie havia achado alguma coisa, não parecia com uma caverna.

Era uma entrada estreita só dava para passar uma pessoa por vez.

Primeiro foi Sabrina depois eu e Tati veio em seguida, Bonnie era a ultima. Uma coisa brilhava no final da caverna.

-Meninas olhem. -Disse Sabrina apontando para uma curva havia duas entradas uma havia luz outra era totalmente escura.

-Precisamos nós dividir. Eu e Sabrina, Bonnie e Tati. -Eu disse puxando Sabrina para a caverna escura. -Vamos nessa aqui já que só
tem duas lanternas. Bonnie se você achar alguma coisa nós avise. -Ela entendeu perfeitamente o que eu dizia...

-Ok... -Disse Bonnie entrando na caverna onde havia uma brecha de luz.

Sabrina e eu entramos com as lanternas... Nesses lugares tinha muitas teias de aranhas e insetos nojentos.

Acendemos as lanternas e andamos por media uns cinco minutos chegamos ao final da caverna e não havia simplesmente nada.

Ah tristeza veio em meus olhos e Sabrina reparou nas lagrimas escorrendo em meus olhos.

-Tenho certeza que está na outra caverna Elena. -Disse ela enxugando minhas lagrimas com seus dedos.

-Como tem tanta certeza? -Eu não sabia se podia confiar.

-Minhas ancestrais falecidas me disseram que o Damon e uma boa pessoa com você e elas me ajudaram a localizar a flor única que só
pode ser pega por você. -Verdade ou mentira? Só saberia disso quando fossemos para outra caverna.

-Bom ouvir isso... -Era bom ouvir que a flor poderia estar lá. Ruim era saber que Damon só era uma boa pessoa quando esta comigo.

Eu já imaginava que não poderia mudá-lo eu gostava dele do jeito que ele é.


**POV Bonnie

Havia pontos de luz em algumas partes da caverna... Estranho a caverna não tinha buracos para entrar luz mais havia luz... Tati tropeçou e quase caiu.

-Tudo bem Tati? -Ela estava com uma expressão de assustada.

-Sim.

Continuamos andando e mesmo que não houvesse buracos tinha luz na caverna, eu não entendia exatamente o porque disso tudo.

Chegamos no final da caverna e não havia nada,nem se quer um rato morto ou outro veado.

Suspeito, essa flor deveria estar curtindo com a minha cara.

-Elena não vai gostar nada. -Eu pensei alto.

-Como se ela precisasse gostar ou não. -Disse Tati com deboche.

-Olha Tati... Eu sei de toda a sua história, sei do que você fez com Damon e ele com você... Só que ele ama Elena e ela o ama... ENTÃO se você fizer alguma coisa dar errado nesse feitiço eu mato você entendeu querida?E você sabe muito bem que uma bruxa Bennett e muita mais forte que a da sua família.

Ela chegou mais perto de mim ficando cara a cara.

-Mais forte?Não me mate de rir Bonnie, você sabe muito bem que eu sou á mais forte aqui, se sabe sobre á minha história deve saber que não estou sozinha!

-E você acha que eu estou? –Eu á empurrei com o ombro e logo voltei para o começo da caverna

Elena estava sentada em uma pedra junto com Sabrina, pelo visto elas não acharam a flor.

-Não acharam?! -Perguntou Tati.

-Ta vendo alguma coisa comigo Tati? -Disse Sabrina com raiva.

-Vamos já anoiteceu e amanha nos encontramos para procurar a outra. -Ela tinha piscado para Sabrina eu não entendido aquela piscada.

-Tem um porem! –Disse Sabrina.

-E qual é? –Eu perguntei.

-Tem cavernas subterrâneas, então vamos demorar a achar, se não estiver na outra, estaremos ferradas.


**POV Damon

[*Sonho*]

Eu havia acabado de chegar em casa,tinha ido comprar um presente para Leninha. Ela ia adorar aquele lingerie vermelha com detalhes brancos.

-Leninha? -Escutei um choro vindo do quarto. -Elena! -Eu escutava muito soluço vindo do quarto subi rapidamente e encontrei Elena no chão chorando.

-O que aconteceu amor?! -Ela me entregou uma foto.Eu me assustei com aquela foto.

-VOCÊ DEVERIA TER ME CONTANDO OU MELHOR NÃO DEVERIA TER FEITO!-Gritou Elena levantando e tirando minhas mãos do seu joelho.

-Elena, eu fiz isso antes de tudo acontecer entre agente, por favor não faça isso! -Eu disse quando ela estava fazendo as malas. -
Lena...-Ela me cortou

-Cala a boca Damon, você não deveria ter feito isso comigo.Na foto você já estava com a aliança.-Eu olhei na foto e eu estava com uma garota de cabelos ruivos. Estávamos beijando loucamente pelo o que eu lembrava.Eu não deveria ter feito isso com Elena.

-NÃO ELENA. Eu não estava com aliança e montagem essa foto. Eu fiquei com essa garota sim, mais muito antes de me casar com você, muito antes de te amar. -Ela desceu com as malas e quase caiu.

-Calma Elena,não faz isso comigo,com você,com nós.-Ela correu pra cozinha seus olhos estavam cheio de lagrimas, seus olhos já estavam vermelhos de tantas lagrimas.

-Damon...-Ela estava apertando com força as mãos no mármore da pia da cozinha.-Eu faria tudo por você,mais não suporto perdê-lo.

Ela abriu a gaveta da cozinha e pegou uma faca.

-Me dá essa faca! –Eu disse com medo dela fazer alguma burrice.

Ela enfiou a faca em seu coração e no mesmo instante senti minhas pernas bambearem e meu coração sentir a mesma dor que ela.

Ela não podia fazer isso? Era a pior dor do mundo, era tanto física quando a dor dos sentimentos.

[Fim do Sonho]

-NÃOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO ELENA...

Eu acordei ao gritos e o Stefan veio correndo para meu quarto.

-O que esta havendo Damon? -Perguntou ele assustado,senti o suor de minha testa queimar.

-Pesadelos com Elena. -Senti uma lagrima escorrer dos meus olhos. Eu não queria perdê-la nem em sonhos ou pesadelos.-Ela se matou na minha frente.

-Damon foi só um pesadelo... Não e verdade.-Ainda bem que não era mesmo.

-Minha sorte que não era mesmo.

-Ainda sonha com a vadia?

-Esse Brian é um cara muito forte, seu poder faz com que eu tenha pesadelos e sonhos que eu sei que não vão se tornar realidade.

Stefan se sentou na cama me encarando.

-Como chegou a essa conclusão?

-Olha... Eu tenho vários pesadelos com á Elena, sonhos do meu passado com Katherine, acontecimentos que tive com o meu primeiro amor.

-Porque não diz o nome dela? –Perguntou Stefan.

-Não vale a pena lembrar-me dela, ela me fez mal. Mais e você Stefan como tem estado com Katherine? –Stefan estava com uma expressão de espantado.

-Ela é uma vadia, não ama á ninguém ponto!

-Pelo menos nisso agente tem razão.

-Boa noite Damon.

Stefan saiu do meu quarto.

Eu ficava vendo aquela cena em minha cabeça todo o tempo,Elena se matando em minha frente, não era bom eu não queria ver
algum dia ela fazer isso, nunca.

Eu á amava era simples mais ao mesmo tempo complicado.

“Ela é complicada” Pensei e logo um sorriso se estampou em meu rosto.

Lembranças me vieram em mente...

**Flashback**

Eu estava andando pela avenida principal de Mystic Falls.

Eu estava sozinho, voltar para minha antiga cidade não era bom, memórias vinham e iam á minha mente.

Lembrar de Stefan, meu pai, Katherine e todos ao meu redor na época em que eu era apenas um garotinho, ou quase um homem.

“Você é lindo Damon” Pensei soltando um sorriso.

Parei no farol na faixa de pedestres quando vi uma garota morena dirigindo em seu carro escutando uma musica um tanto melosa.

-Katherine?- eu disse estreitando os olhos.

A garota no carro era igual á Katherine, mais como assim? Era a Katherine?Mais Katherine estava na tumba. E alias, Katherine nunca usaria cabelo liso, uma das coisas que ela mais prezava era deixar seus cachos perfeitos e definidos intactos. Pensei em investigar mais fiquei com receio de ser Katherine.

Se fosse ela, porque ela não estaria na tumba? Porque ela não teria me procurado? Eu estava confuso.

Mais eu não entendia, mesmo sendo uma pessoa fisicamente igual é ela, não parecia ser Katherine, mesmo assim eu estava chocado,
como ela era tão parecida assim? Porque ela era tão parecida assim? Eu não entendia realmente mais nada da minha eternidade!

Clones existem? Não claro que não existia, mais eu realmente não entendia nem ao menos como ela era tão parecida com ela, o
amor da minha vida.

E se fosse ela? E se ela era uma pessoa diferente agora?

Eu estava com medo, não tecnicamente medo de me apavorar era um medo bom de sentir, mais ao mesmo tempo ruim.

“Sim eu vou investigar, mais o que você virou Damon, investigados de garotas gostosas?” Pensei, logo sorri.

Eu a segui e reparei que ela ia em direção ao colégio de Mystic Falls.

-Bonnie! –Disse ela abraçando uma garota no estacionamento do colégio.

Eu apenas observava de longe, e apenas escutando.

-Tudo bem Lena? –Perguntou á amiga dela abraçando-a.

“Essas pessoas são tão melodramáticas” Pensei mais uma vez.

Um garoto loiro passou na frente delas e olhou rasteiramente para a tal de “Lena”

-Matt? –Chamou a garota.

-Agora não Elena. –Disse o rapaz passando por ela e apenas cumprimentando a tal de “Bonnie”.

Elas entraram no colégio, passou um tempo eu resolvi entrar mais fui barrado pelo segurança.

-O senhor não pode entrar. –Disse o segurança moreno e bem forte por sinal.

-É mesmo porque não posso? –Eu disse sarcástico.

-Apenas pessoas autorizadas.

Eu cheguei mais perto do segurança olhei no fundo dos olhos e disse:

-Você vai me deixar entrar e não dirá nada a ninguém.

-O senhor ira entrar e não direi a ninguém.

-Bom trabalho.

Eu entrei no colégio e todos já estavam em suas devidas salas.

“Escola é um saco” Pensei.

Eu me escondi no banheiro feminino apenas esperando a tal de Lena.

Mais será que eu falo com ela ou não? Melhor não, vou apenas observar mesmo.

Eu estava sentado em uma das privadas até que escutei alguém entrar, logo fiquei em pé para ninguém perceber que havia alguém
ali.

-Bonnie eu não aguento mais isso! –Disse a morena chorando ela pronunciava as palavras com certa dificuldade.

-Calma Elena, ele vai te entender. – Então era esse o nome dela. Elena.

-Acabei de perder meus pais, Jeremy está se tornando um drogado de primeira, Matt não olha na minha cara e pra melhorar eu estou sozinha.

-Você não está sozinha, você tem á mim e Jenna, acalme-se no final as coisas se resolvem!

Como assim? Ela perdeu os pais? Uma garota tão nova perder os pais não deve ser fácil.

“Damon o que está havendo com você? Você está se deixando sentir, não faça isso seu idiota” Pensei mais uma vez.

-Eu não quero perder mais ninguém Bonnie. –Disse Elena ainda chorando.

-Enxugue essas lagrimas, elas dão rugas!

-Você está parecendo a Caroline assim.

-Pelo menos ela tem razão.

Elas saíram do banheiro e eu sai do reservado.

Essa não era a Katherine realmente, Katherine não era assim, ela nunca choraria e essa garota parecia ter uma vida, com nada
sobrenatural relacionado.

Eu sai da escola e esperei a tal garota no estacionamento, eu estava escondido, era melhor ela não me ver realmente.

Passarem-se algumas horas e o sinal bateu logo vi alguns alunos saírem e a morena, uma linda morena sair da escola, ela estava seria
e com uma expressão cansada.

-Noite das meninas hoje? –Perguntou uma loira ao lado da morena.

-Desculpe Carol, não estou no clima.

-Tudo bem então, bom dia Elena.

A morena entrou no carro e logo saiu da região da escola.

Eu a segui para ver aonde ela iria. Ela tinha apenas uma vida normal, eu sabia que não era á Katherine, a garota tinha família e irmão,
Katherine não faria isso e não seria doce e meiga.

Eu sabia que por ela ser realmente idêntica a Katherine iria atrair Stefan até aqui. Decidi então me hospedar em um lugar ou ficar
apenas na redondeza apenas esperando o momento certo de me vingar de Stefan. A pessoa que eu mais odeio nesse mundo, a
pessoa que tirou tudo de mim, da minha humanidade até Katherine.

**POV Escritoras.

Jeremy estava ainda dormindo no sofá , Ric tentava preparar uma coisa que se chama-se de “Café da manha” mais ele não tinha seus
dotes culinários muito avançados.

Ele escutou alguém entrar na casa e logo pegou a faca.

-Ric? –Disse Celly entrando na cozinha vendo Ric com a faca na mão em posição de ataque.

-Oi amor como vai?

Ric abaixou a faca e tentou disfarçar. Celly não entendia nada.

“Porque ele estava com a faca?” Pensou ela.

-Tudo isso é medo de ser assaltado ou de um vampiro entrar aqui? –Perguntou Celly sorrindo.

Ric foi se espreguiçar e acabou derrubando a panela onde se encontrava água um tanto quente.

-Ai... Ai... Ai... –Disse Ric com o dedo na boca.

-Oh seu cabeçudo, coloca gelo! –Ric abriu o freezer e pegou alguns gelos.

Ela pegou uma pequena bacia jogou os gelos lá e depositou água.

Ric logo colocou a mão na bacia.

-Ah que alivio. –Disse Ric com uma expressão prazerosa.

-Sua sorte é que não queimou tanto assim.

-Oh bando de matracas eu quero dormir! –Disse Jeremy levantando. -Bom dia Ric, Elena.

Jeremy logo subiu as escadas.

Ric começou a rir pela confusão do garoto.

-ELENA? –Gritou Jeremy descendo as escadas.

-Não é a Celly. –Disse Ric ainda rindo da cara do garoto.

-Poxa me desculpa é que eu acabei de acordar e achei que fosse minha irmã.

-Tudo bem... Você deve sentir saudades da Elena, eu entendo. –Disse Celly esticando a mão para cumprimentar Jeremy.

-Oh o prazer é meu senhorita. -Disse Jeremy depositando um beijo na mão da garota de um jeito sedutor.

Ric se intrometeu no meio deles falando “ ou ou ou ou” e logo disse com as mãos para o alto.

-Olha, você não é papa anjo! –Disse para Celly. –E você é meu baby, como se fosse um filho , nada de roubar minha namorada! –
Disse para Jeremy.

-Desculpa ai oh “Ciumento de primeira”. –Disse Jeremy sorrindo. –Vou me arrumar para a aula.

-Concordo com o Jeremy. –Disse Celly.

-Vamos para o colégio meninas? –Disse Jeremy descendo rapidamente.

-Você se arruma rápido! –Disse Celly sorrindo como sempre.

Ric pegou sua maleta para a aula.

-Claro.

Eles seguiram para o colégio e Celly para sua linda mansão.


**POV Tyler

Eu estava no colégio no meio da aula de física quando senti meu celular vibrar.

-Da licença! –Eu disse saindo da sala.

Caroline me ligava. Realmente porque ela não estava no colégio?

-Oi meu amor! –Eu disse.

-Oi, bom eu estou com Damon ainda mais talvez eu chegue no segundo turno amor!

-Tudo bem, mais não se atrase estou com saudades!

-Te amo lobinho. –Dizendo isso ela desligou o celular e eu logo voltei para a aula de física.

Minha sorte era que nossas vidas pareciam estar se ajeitando eu poderia ter uma vida não tão normal com Caroline mais ela era uma vampira eu era um lobo, como poderíamos ter uma vida normal?

Não teríamos, poderíamos tentar ter uma vida de verdade.

Comecei a prestar atenção na aula e realmente estava um tédio.


__________________________________

Tópico De Comentários
__________________________________

Nota Das Autoras : Bom pessoinhas lindas que eu e a Paty tanto amamos , enfim , desculpem mais uma vez a demora para postar está um tanto difícil postar os dias corretamente , mais vamos tentar ..
Espero que gostem desse Cáps , ele é apenas uma entrada para o próximo , Razz ..
Beijoos amores espero que gostem >.<
avatar
Jady_Delena

Mensagens : 282
Data de inscrição : 03/05/2012
Idade : 19
Localização : São Paulo

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: My worst nightmare

Mensagem por Delena_Somerhalder em Qua Ago 29, 2012 10:57 pm

Capitulo XV- I'll see you again.
(Eu o verei novamente)



"O amor calcula as horas por meses, e os dias por anos;
e cada pequena ausência é uma eternidade.
(John Dryden)

**Pov-Sabrina**

Eu estava caminhando pelas ruas de Salém e encontrei Tati.

-Oi Tati tudo bem? -Ela estava sentada em um banco perto de um bar.

-Sim e você Sabrina? -Ela deu uma breve pausa- Porque você quer ajudar tanto aquela vaca da Elena? -Eu revirei os olhos e sentei ao seu lado no banco.

-O amor deles é puro, ela não sabe disso ainda... -Ela me cortou.

-Dane-se o amor deles. -Eu a cortei

-Já faz 30 anos Tati. Supere isso, você não cansa de reviver o passado? -Eu disse cruzando as pernas.

-Eu já estou vivendo ele indo para Mystic Falls. –Mulheres... Quem entende?

-Só não impeça Elena de achar essa bendita flor. Quero parar de brincar de CAÇAS AO TESOURO. -Ela sorriu.

Eu sai de lá e fui em direção ao Hotel onde Elena e Bonnie estavam hospedadas.

-Sabrina o que faz aqui? aconteceu alguma coisa? -Perguntou Bonnie assustada.

-Vim dar um aviso a Elena. Ela está? -Bonnie indicou pra eu entrar e eu entrei.

-Sabrina pode falar... -Disse Elena com o celular nas mãos.

-Tati, ela é vingativa, tomem cuidado com ela... Ela fará de tudo para não conseguirem achar a flor, então fiquem espertas. -Bonnie me olhou desconfiada- Relaxem, eu quero acabar logo com isso.

-Menos mal. Obrigada Sabrina.

-Ah mais uma coisa. Tati tem 56 anos só que ela fez um feitiço de reversão para não envelhecer... Ela e muito vivida e sabe de muitas coisas...

-Obrigada mais uma vez Sabrina. - Disse Bonnie.

-Eu vou indo até amanha.

Eu sai de lá e fui em direção a minha casa muito "HOSPITALEIRA".

**POV-Elena**

UAU, Tati era muito velha, mais ainda sim continuava linda. Bonnie me explicou e disse que ela envelhece só que por dentro, porque ela não tem poder suficiente para ficar imortal por completo.

-Melhor temos cuidado com ela mesmo... -Disse Bonnie comendo uma bolacha... Todo esse tempo e eu não tive tempo nem de comer, mais também eu não sentia fome...

Peguei meu celular e liguei pra Damon.

-Alo? Leninha como vai você? -Ele parecia melhor pela sua voz doce e melodiosa estar normal.

-Estou indo, e você como está? -Eu perguntei com entusiasmo na voz.

-A dor parou um pouco mais os pesadelos doem mais que a facada que ficam dando em mim. -Senti um aperto no meu coração, como se alguém pegasse e pisoteasse meu coração.

-Qual foi o pesadelo dessa vez?- Eu estava curiosa para saber.

-Você se matou na minha frente. -As palavras deles pairaram em minha cabeça...

-Damon foi só um sonho, eu nunca faria isso você sabe muito bem que eu... -Eu me dei conta do que ia dizer.

-Sei muito bem do que? -Ele parecia curioso.

-Você saberá quando eu chegar Damonzão. -Eu tentei virar o jogo para não acabar falando o que não deveria.

-Ah não mais eu quero saber agora! –Disse ele com alguns risos.

-Só quando eu chegar.

-Estou de mal. - Percebi Damon bufar através do celular.

-Oh está de mal de mim?

-Sim, você me maltrata! Não me dá amor!

-Mais é claro que te dou amor.

-Não me dá não.

Como assim Damon estava fazendo brincadeirinhas comigo?

-Posso te dar amor quando eu chegar? –Eu perguntei e logo percebi que me entreguei totalmente.

-E como seria isso? Se envolver sutiã da Leninha voando eu aceito! –Disse ele com mais risos travessos.

-Quando eu chegar você entenderá... Vou dormir, boa noite Damonzão.

-Boa noite Leninha, gostosinha. –Disse ele por fim.

Deitei na cama e adormeci estava muita cansada não aguentava mais essa cidade.

**Pov-Damon**

Leninha, Leninha, eu ainda provo pra você do que sou capaz. A dor havia voltado novamente e eu não suportava mais... O Brian ficava forçando para acelerar o processo de morte e quanto mais eu resistia mais doía.

Elena... Aquele nome me assombrava... Eu a amava mais não saberia se poderia tê-la, era horrível a sensação de você amar uma pessoa e perceber que você depende dela pelo sorriso estampado no meu rosto.

**Pov- Sabrina**

Eu odiava Damon Salvatore, mais vi que o mesmo amor que eu sentia por minha filha, Elena sente por ele. Se eu me vingar, deixando-o morrer eu vou ser o mesmo monstro que ele. Levantei da minha enorme cama e fui tomar um banho, logo Bonnie e Elena passaria aqui para nós irmos pra a 3ª Caverna. Acabei de tomar meu banho, coloquei uma camiseta preta, um short jeans escuro e um all star cano médio. Desci para tomar um leite e comer uma torrada. Terminei meu leite e minha torrada e ouvi alguém bater na porta.

-Oi Sabrina- Disse Elena e Bonnie.

-Oi querem entrar ou já vamos?- Eu disse com um sorriso.

-Já vamos- disse Elena aflita- não sei quanto tempo Damon pode aguentar.

Entramos no carro que Bonnie e Elena alugarão e fomos até a casa da Tati. Fomos conversando no caminho sobre a vida de Elena antes dos Salvatores.

**Pov-Tati**

Eu não queria ajudar aquela vaca e o Damon. Ele me magoou tanto. Ouvi o carro de Bonnie chegando e sai de casa e entrei no carro delas.

-Oi meninas- eu disse fazendo um sorriso forçado olhando apenas para Sabrina. Não queria nem se quer olhar para a cara daquela vaca da Elena.

-Oi Tati- disse as três meninas dentro do carro.
-Essa caverna é muito longe daqui?- Já estava cansada de ajudar tanto o Damon.
-Não é a uns 10 minutos de carro e depois mais 20 minutos andando.
-Aff.- eu disse.

**Pov-Matt**

Estávamos eu e Vanny no Mystic Grill como eu estava de folga resolvi sair com a minha namorada, eu pedi uma Coca-Cola e ela também. Eu avistei Caroline e Tyler e os chamei para sentar conosco.

-Pessoal essa aqui é a Vanessa minha namorada. Vanny esses são Caroline e Tyler.

-Prazer Vanessa, mais pode me chamar de Vanny.

-Prazer- disse Carol e Tyler

-Você nem pra me falar que estava namorando em cara. -Disse Tyler com um enorme sorriso.

-Ah nem tive tempo de falar com você. -Eu retribui o sorriso.

-Fico feliz que você esteja namorando Matt. -Disse Carol. Era tão estranho apresentar a minha namorada para a minha ex-namorada.

-Obrigada. -Disse eu e Vanny juntos.

-E ai Vanny, me conte mais sobre a sua vida. -Disse Carol com um sorriso enorme.

Vanny e Caroline começaram a conversar alegremente eu me aproximei do ouvido do Tyler e disse.

-Essas duas ai vão ficar três horas conversando cara. - ele concordou comigo e eu e ele ficamos prestando atenção na conversa das meninas.

**Pov-Bonnie**

Finalmente chegamos ao lugar. Era uma caverna bem dentro da floresta. Eu, Elena e Sabrina fomos conversando alegremente durante o caminho enquanto Tati continuava emburrada. Eu tinha vontade de matar essa vaca.

-Bom então vamos entrar?- disse Elena indo na frente.

-Vamos.- disse eu, Sabrina e Tati ao mesmo tempo.

Entramos na caverna, ela era escura e com bastantes morcegos. Nela havia algumas pinturas nas paredes, não conseguia entender elas. Era uma coisa meio estranha.

Pareciam histórias antigas, uma coisa eu havia entendido, era á historia da flor, pelo que entendia.

Continuamos andando, morcegos voavam por cima de nossas cabeças ás vezes nós fazendo soltar alguns gritinhos ardidos. Finalmente chegamos ao fim da caverna. Lá havia uma mesa de pedra pequena e redonda, com uma linda flor metade vermelha e metade branca.

Ela parecia uma rosa, uma grande rosa com um vidro envolto decorado com algumas plantas secas que davam um ar antigo no vidro grosso.

-Achamos! -Disse Elena eufórica.

-Finalmente. -Disse eu.

-ACHAMOS. –Disse Elena pulando de alegria.

-Vamos logo. –Disse Tati com deboche.

“Vou degolar essa vaca” Pensei e logo sorri.

Todas nós andamos mais apenas Elena continuou. Alguma coisa bloqueava nossa entrada, como se fosse uma parede invisível.

-O que foi?- disse Elena- Por que vocês não vêm?

-Não podemos. -Disse Sabrina.

-Porque? -Perguntou Elena.

-Porque é como eu disse, apenas a pessoa amada pelo vampiro pode pegar a flor. - Disse Bonnie.

-Então isso quer dizer que Damon me ama? -Elena fez uma cara de indignação.

-Parece que sim. -Disse Tati impaciente e com raiva. -Pegue logo isso Elena.

-Ok.

**POV- Elena**

Nós finalmente achamos a flor.

A flor que iria salvar o Damon. O MEU Damon. De repente todo o momento que eu já passei com ele me veio á cabeça, dês de á primeira vez que eu vi ele até o Adeus que dei para ele antes de vir para essa cidade. Damon era um vampiro mal, mais agora, era tão carinhoso comigo.

Ele mudou, ele mudou por mim. Lembrei-me dele me consolando quando briguei com Stefan, Dele me chamando de “Leninha achocolatada” durante uma semana inteira, dele pelado no meu banheiro, das piadinhas irritantes que eu amava e o principal, dos nossos beijos cheios de amor, luxuria e caricias.

Tudo o que eu já vive com ele eu me lembrei. E agora eu tenho certeza.

Eu amo Damon Salvatore. E ele é e sempre foi o cara certo para mim.

Aproximei-me da Flor tirando o pesado vidro de cima dela. Era uma flor tão linda.
Dei a volta na mesinha e vi algo escrito em uma letra e linguagem estranha.

"A rosa mostra que apesar de delicada, é cruel e traiçoeira com seus espinhos. O vermelho significa o sangue da humana, o desejo do vampiro por seu sangue, mais acima de tudo, á paixão de ambos os lados, uma paixão que é capaz de enfrentar tudo e todos. E o branco significa paz na vida de cada um, se ambos não permanecerem juntos o equilíbrio ficara alterado, eles podem até se separar, mais o que a natureza e o amor uni nada é capaz de separar, dois corações que se completa. ”

A flor era linda. Ela parecia uma rosa, só que metade branca e metade vermelha.

Spoiler:


Eu a peguei delicadamente e de repente veio em minha mente Damon dizendo que me amava, e que sempre iria me amar.

Eu finalmente salvaria o homem da minha vida, isso era perfeito.

Meu coração saltitava, parecia que iria sair do meu peito, Damon não iria mais me deixar ele iria estar comigo para sempre.

Eu estava até com medo de tocá-la, ela era tão perfeita, tão luminosa.

Algo em volta dela brilhava, ela emitia uma luz vermelha em volta. Sim eu estava muito mais que feliz. Finalmente eu voltaria para casa, para minha vida, minha família e o principal, salvaria o homem que amo.

Coloquei-a na caixa que eu tinha levado e sai da barreira.

-E então?-Disse Bonnie me olhando.

-Ela esta aqui! -Eu disse batendo na caixinha.

-Posso vela? -Disse Sabrina. -Sempre quis ver essa flor.

-Claro. - Eu disse abrindo a caixa.

-Ela é tão... Linda. -Disse Taty. Eu nem lembrava que ela estava ali.

-É mesmo. Agora vamos sair daqui. - Sabrina disse indo na frente.

Durante todo o caminho eu fiquei pensando em Damon. Deixamos Tati e Sabrina em casa. Tati queria ficar com a flor para mantê-la em segurança mais eu disse não.

Não ia deixar a flor de Damon nas mãos dela. Eu ia manter essa flor segura. Eu faria tudo para mantê-la em segurança. Cuidaria dela com a minha vida.

Cheguei no Hotel eu segurava aquela caixa e Bonnie sorria alegremente.

-Feliz Lena? -Perguntou Bonnie.

-Não imagina o quanto. Bonnie eu quero chegar de surpresa na casa de Damon... -Ela arregalou os olhos.

-Mais e Stefan? -Peguei meu celular e liguei para Stefan.

-Stefan achei a flor, mais não diga nada ao Damon quero chegar de surpresa. -Stefan sorriu pelo que percebi.

-Sua sorte e que eu estou caçando se não ele ouvia. -Ufa.

-Como você está? – Eu estava eufórica eu queria correr, gritar, pular, dançar, beber e muitas outras coisas.

-Estou ótimo. Eu sabia que você conseguiria.

-Eu vou me deitar, boa noite Stef.

-Beijos Elena...

Eu desliguei o telefone.

Essa seria uma noite bem dormida já que eu não tinha isso dês de que cheguei aqui. Eu finalmente o verei novamente.

**Pov-Damon**

Acordei na mesma hora de sempre para ligar para Elena mais fiquei na duvida se ligaria ou não. Ela mexia comigo de um modo que eu não entendia.

-Elena?

-Oi Damon você esta bem? -Ela parecia com muito sono.

-Indo e você? -Ela suspirou.

-Indo também. -Eu não senti firmeza na voz dela.

-Está bem mesmo Elena? -Minha voz saiu firme e preocupado.

-Eu não disse que estava bem... -Senti um aperto no meu coração mais não pela doença que se manifestou em mim, e sim pelas palavras que soaram em meus ouvidos.

-Elena volta logo, sinto sua falta amor. -Eu estava com uma coisa diferente em mim, parecia que eu não ia mais durar muito nesse mundo.

-Também sinto muito a sua falta Damon. -Ela disse em um tom baixo demais.

-Como? Não entendi amor. -Eu entendi mais queria ouvir novamente.

-Ah qual e Damon? Eu sinto muita a sua falta ok? -Ela soltou uma risadinha e eu também.

-Agora sim deu pra escutar gata... -Ela me cortou.

-Gata? Gata Damon? -Ué um apelido fofo. Apesar que eu não era romântico só quando estava inspirado.

-Você prefere quais apelidos?-Hoje eu estava inspirado.

-Ah... Tem o Leninha e amor.

-Eu sei que você ama quando eu te chamo de “Gata”. –Eu disse simplesmente.

-Você é muito safado.

-Leninha vou Mimi... Beijos gata.

-Boa noite gostoso.

Peguei uma garrafa de Whisky e tomei ela todinha para tentar relaxar e dormir já que não parava essa dor insuportável.

**Pov-Elena**

Ele desligou o telefone...Eu só pensava nele do jeito que ele era comigo...

E ele era assim apenas comigo.

Deitei na cama e suspirei como uma garotinha apaixonada era assim que me sentia com ele uma garotinha apaixonada por um vampiro gostoso e sexy, "ELENA CALMA RESPIRA FUNDO, RESPIRA." eu me repetia isso umas 24 vezes para que o meu cérebro entendesse.

[*Sonho de Elena*]

-Pra onde está me levando Damon?!?!.-Eu perguntei com uma venda nos olhos e ele me guiando por tráz.

-Você já vera querida... E chegamos. -Disse Damon tirando a venda de mim.

Eu abri os olhos vi um lugar lindo. Uma fazenda com cavalos, galinhas e outros animais. Era perfeito ainda mais com a companhia dele.

Havia patos de todas as cores, animais por todo o canto. O vento era puro e calmo ele sorria como nunca, estávamos felizes.

-Damon isso e lindo amor... Eu não sabia que gostava de fazendas! -Ele sorriu pra mim.

-Eu gosto de mato... E aconchegante...-Eu o cortei.

-Vem quero entrar logo para ver... E eu quero andar a cavalo amor. -Eu fiz um bico e ele me deu um selinho.

-Presente de aniversario Leninha... -Esse Damon adorava me surpreender.

-Obrigada gostoso... -Ele me cortou.

-Eu sei que sou gostoso amor. -Ele disse entrando na casa comigo.

A casa era perfeita tudo era claro com ar de paz no local, parecia que tinha sido feita ontem.

-Quero te mostrar nosso quarto. -Ele passou a mão por meu quadril descendo ate minha coxa para me carregar.

-Damon eu sempre vou amar você.

-Eu te amarei eternamente Elena. –Disse ele me dando um beijo calmo e romântico, nossas línguas se moviam calmas e gentis.

[*Fim Do Sonho*]

Acordei ofegante, aquele sonho me dava muita saudade do Damon.

Sentia saudades do seu corpo, do seu cheiro, seu hálito, seu jeito de ser comigo.

Eu me levantei e coloquei uma roupa, eu precisaria ir á algum lugar alto.

Precisava fazer o que tinha em mente.

Sai do hotel, era uma noite estrelada e perfeita, lindas estrelas se destacavam no céu, era um vento calmo mais ao mesmo tempo agitado, pessoas passeavam, se amando se abraçando.

Realmente Salém era uma cidade onde não havia nada de mortes.

Havia florestas onde estávamos. E muitas montanhas, para minha sorte.

Então logo depois de uma praça, onde havia um lindo parquinho tinha uma entrada não muito grande mais sim era uma entrada para á floresta.

Eu precisava fazer isso.

Deveriam ser umas 5 horas da manha, eu não havia pegado meu celular, para não ser incomodada.

Passarinhos cantarolavam para todo o canto, encontrei um riacho mais não era isso que procurava.

Eu avistei uma espécie de uma montanha não muito grande, mais dava para olhar a cidade por inteiro.

“Ok... Era grande” Pensei e logo sorri.

Subi a montanha com certa dificuldade. Chegando lá apenas uma pessoa me vinha á mente.

-EU CONSEGUI PORRA. –Gritei mais logo coloquei a mão na boca pelo palavrão que havia escapado.

Era tanta felicidade mais tanta que eu não podia explicar, essa felicidade me possuía. Meu corpo tremia de tanta felicidade.

Pareciam correntes elétricas que a todo o tempo me faziam tremer.

-Eu consegui... Consegui. –Eu comecei a pular e rodopiar pelo pico da montanha.

-Damon é só meu. –Eu disse ainda pulando quando percebi que escorreguei e sai rolando da montanha.

Comecei a rir, ainda bem que não havia me machucado.

-Desastrada como sempre.

Continuei deitada no chão apenas olhando as estrelas e sentindo a brisa um tanto gelada.

Fiquei pensando apenas em Damon, eu o amava não tinha mais nada que eu poderia fazer... Bom tinha e eu iria fazer.

Era um sentimento que eu pensei que não poderia existir, são momentos pequenos que se tornavam especiais.

A noite ainda estava linda e perfeita, quando me dei conta eu parecia estar em uma espécie de sonho ou lembranças.

*Flashback*

Eu estava entrando na mansão Salvatore.

Entrei na mansão e logo vi Damon, sim eu tinha que admitir ele era um pedaço de mau caminho.

-Olá Elena. –Disse Damon se aproximando.

-Oi é... Onde está o Stefan? Ele disse que iria me levar.

-Esquece ele, vem. Eu quero te levar a um lugar.

-Aonde irá me levar? –Eu disse com medo, Damon de certa forma era malvado, e me deixava com insegurança.

-Vem comigo? –Perguntou ele com um biquinho.

Eu estava com medo.

-Tudo bem, eu vou... Mais nada de me levar para o outro lado do mundo.

Ele me puxou pela mão e começou a correr como uma pessoa normal. Vindo de Damon sim era muito estranho.

Um sorriso se estampou no meu rosto e eu não entendia o motivo desse sorriso.

-Onde estamos indo? –Eu perguntei curiosa, ele me guiava pelo meio da floresta e estava tudo muito escuro, já era noite.

-Você gosta de nadar Elena?

-Sim eu gosto, mais estou sem biquíni. –Eu disse simplesmente.

Já fazia um tempo dês de que havia terminado com Stefan, mais sim éramos amigos, afinal não tinha porque não ser.

Ele estava na minha frente me guiando pela mão, até que eu tropecei e cai.

-Opa, Leninha você é muito distraída. –Disse Damon se agachando para ver o estrago, eu havia tropeçado em um tronco.

-Eu acho que está sangrando. –Eu disse tentando levantar minha calça jeans, mais não adiantou nada a calça era apertada e não iria subir.

-Eu te carrego.

-É só um machucadinho Damon. –Eu disse tentando me levantar mais logo me apoiei nele para não cair.

-Ah claro machucadinho é? –Ele não disse mais nada passou a mão pela minha coxa e me puxou para seu pescoço.

Eu acabei me perdendo em seu olhar, um olhar que apenas ele sabia fazer.

Ele começou a me carregar, ele olhava apenas para meus olhos.

-Leninha, prepare-se para ficar encantada.

Ele me colocou no chão e realmente eu me encantei.

Uma linda cascata se formava, pedras faziam desenhos maravilhosos e indefinidos.

A água parecia estar caindo sincronizadamente, o barulho da água batendo nas pedras poderia formas uma linda canção de ninar.

Haviam peixes na água cristalina , lindos peixes de varias cores e tamanhos.

Era um lugar perfeito.

-Leninha? –Perguntou Damon como se me tira-se de uma espécie de transe.

-É... Perfeito Damon.

-Eu sei... Esse lugar existe á séculos.

-Como assim?

-Minha mãe me trazia aqui, ela realmente era uma aventureira, amava me levar para lugares perfeitamente lindos como ela.

-Ela era realmente uma excelente mãe.

-Então Leninha vai nadar comigo? –Disse Damon tirando a blusa sensualmente.

-Vamos nadar pelados? –Eu perguntei meio desnorteada pela ideia. Mais de um certo modo gostando da ideia.

-Isso é uma ideia perfeita. Topa? –Ele sorriu descaradamente.

-Não... Eu não vou nadar. –Eu disse virando a cara para Damon. Realmente pensar com Damon sem camisa era um sacrifício.

-Vai me fazer nadar sozinho?

-Não eu nado com você.

“ELENA VOCÊ ESTÁ LOUCA?” Pensei, ah mais porque eu não iria viver?

-Não vai curtir a vida Leninha? Vai ficar parada ai enquanto sua vida passa e você não curtir as melhores coisas do mundo?

-Não, eu vou curtir todas elas.

Eu tirei minha blusa, e Damon praticamente me fitou com o olhar.

-Acho que era melhor trazer um biquíni da próxima... –Disse Damon tentando não me olhar.

-Como disse Damon? –Eu disse me aproximando para me apoiar nele, minha perna ainda doía.

-Eu disse que eu amo passarinhos Leninha. –Vou fingir que acredito.

-Ainda dói a perna? – Perguntou ele. Eu desabotoei minha calça olhando apenas para Damon, ele deixou escapar um pequeno gemido de seus lábios rosados.

Eu tirei minha calça e a deixei em um canto qualquer.

-Realmente eu amo passarinhos. –Disse Damon olhando para meu corpo.

Eu vestia um sutiã branco e roxo, ele possuía pedras e rendas por ele todo, a calcinha era lisa com babadinhos nas laterais.

Damon tirou sua calça revelando uma cueca boxe vermelha.

-Passarinhos? Nossa eu amo passarinhos. –Eu disse com o dedo indicador na boca.

Damon passou a mão pela minha coxa e colocou seu braço atrás de mim.

-Você ainda está sangrando! –Avisou-me, levantando e me levando até a água.

-Está doendo.

Ele entrou na pequena cascata, a água estava gelada. Damon me deitou sobre a água me fazendo boiar.

Damon passou a mão pela minha perna chegando em minha coxa me fazendo-me arrepiar aos seus toques.

-Logo sutiã branco Leninha! –Disse ele balançando a cabeça negativamente.

-Oi? –Eu não estava entendendo nada.

-Esta transparente seus lindos seios. –Disse ele olhando no fundo dos meus olhos.

-Não tenho culpa, você não me avisou que íamos nadar. –Eu disse sorrindo maliciosamente.

-Leninha safada... Estou gostando, não quer deixar ela mais safada não?

-Quem sabe um dia.

Ele me colocou gentilmente no chão todo cheio de grandes pedras. Ele começou a se distanciar de mim e logo deu um mergulho.

“Que homem perfeito” Pensei e logo sorri.

Senti alguma coisa na minha perna e logo fui puxada para baixo.

Abri meus olhos em baixo da água gelada e cristalina e vi Damon com um lindo sorriso. Eu subi para a superfície.

-Damon? –Eu perguntei o procurando.

-Oh Leninha está com saudades é? –Perguntou ele atrás de mim eu logo me virei assustada.

-Então Damon... Conte-me sobre você! –Ele levou uma de suas sobrancelhas e eu logo sorri.

-Bom... Eu sou o cara malvado. –Disse ele sorrindo e fazendo uma careta de mau.

-E porque você é assim?

-Ser bonzinho é muito chato, eu sou alegre e divertido.

-Ok... Não quer me contar, vou fazer Belém belem. –Eu disse dando-lhe as costas.

-Oh não, se não vou ficar magoado. –Disse ele pegando em minha cintura e me jogando para cima.

-Aiiiii.

-O que foi? Machucou? Aonde? –Perguntou ele me apalpando.

-Você me jogou para cima, meu corpo todo saiu da água. Eu estava com medo de você não me pegar.

-Leninha eu sempre vou estar aqui em baixo para te pegar, nunca vou te abandonar.

-Promete? –Eu disse com um biquinho.

Damon chegou mais perto de mim nossos hálitos eram um só com a aproximação. Ele passou a mão no meu rosto depositando-a em meu pescoço, ele desceu mais sua mão chegando á minha cintura quase em meu bumbum.

-Sim Leninha, eu prometo.

Eu depositei minha mão em seus cabelos negros e molhados, o espaço que continha não existia mais, ele me puxou e nossos lábios se tocaram.

Nossas línguas se entrelaçavam calmas e ágeis ao mesmo tempo, o beijo não era de necessidade era um beijo romântico e carinhoso com paixão e amor.

*Fim Do Flashback

Não era um sonho, era uma lembrança que eu tinha. O sol começava a dar as caras e eu tinha que voltar para o hotel.

*POV Damon

Eu não conseguia dormir, aquela noite estava sendo mais longa que o normal.

A dor estava horrível, ficava mais forte a cada minuto, só pensava em Elena apenas ela.
Pensei em ligar para ela mais fiquei com receio de ligar.

“Vai lá Damon, liga seja homem” Eu me incentivei.

Peguei o celular e disquei o número.

-Alo? –A voz dela estava diferente.

-Leninha... Onde você estava? –Ela parecia sorrir.

-Não é a Elena... E a Bonnie.

-CADE ELA? –Eu perguntei preocupado.

-Eu não sei... Eu dormir e não sei onde ela foi.

Meu coração acelerou.

-Quem mandou você dormir? Ninguém mandou você dormir! Estou indo para Salém agora!

-Ufa... Ainda bem que você não virá mais, Elena chegou.

-Damon? –Disse uma voz fina e doce.

-ONDE A SENHORITA SE METEU? QUER ME MATAR DO CORAÇÃO? Fiquei preocupado. Vai que algum vampiro tarado e pervertido ataque você! Pensa que sou o único vampiro tarado e pervertido?

-Calma Damon eu fui tomar um café. –Sim ela estava mentindo eu sentia as mentiras em suas palavras.

-Você está mentindo... Onde estava?

-Eu digo quando chegar em casa.

-Quando volta? –Eu perguntei esperançoso.

-Acho que só daqui 2 semanas.

-Estou com saudades Elena...

-Também estou com saudades... Muita aliais.

-Leninha eu vou dormir... Essa noite está sendo muito longa. Parece que o sol não irá raiar amanha.

-Damon ele vai raiar, e você verá ele vaiar. Boa noite.

Ela desligou o celular.

Não existiam mais mentiras eu á amava, era fato. A saudade que eu sentia era tão grande que não cabia mais dentro do meu peito.

Eu sei que pareço um bobo romântico pensando assim, mais eu era um bobo e ela me deixava romântico, dizem que romantismo tem hora, momento e lugar e sim eu acho que exista.

Elena, Elena e Elena era apenas ela que pairava em minha mente. Quando fecho meus olhos á imagem dela me vem á mente.

Se isso não é amor o que é então?

Continua...
---------------------------
Topico de comentarios: AQUI

---------------------------
Nota das autoras: Pessoinhas, mais uma vez mil desculpas pelo atraso, é que tanto eu quanto á Jady andamos muito ocupadas e não estamos tendo tempo nem de escrever nem de arrumar os caps. Espero que gostem desse capitulo e por favor comentem, o comentário de vocês é muito importante para mim e para a Jady. Se tiver algum erro de ortografia nós desculpe, é que como eu disse, não tive muito tempo de arrumar e arrumei á lá ca$@&*¨ kkkkkkkkkkkkkkkk
beijoss meus amores.
Patty.
avatar
Delena_Somerhalder

Mensagens : 227
Data de inscrição : 25/03/2012
Idade : 21
Localização : Na caminha do Kol. Junto com ele e com o Damon.

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: My worst nightmare

Mensagem por Jady_Delena em Qua Set 05, 2012 11:15 pm

Capitulo XVI - The middle order to our nightmares.
(O Meio Do Fim De Nossos Pesadelos)



"Eu sei que um dia nós estaremos juntos novamente , pode nao ser amanha .. ou pode nao ser semana que vem , mais um dia vamos nos unir novamente e juntos seremos mais fortes do que esse mundo inteiro que nos separa !"


**Pov-Elena**

Eu não acordei eu praticamente PULEI da cama.

-BONNIE, BONNIE, BONNIE... Acorda caramba. -Eu a empurrei da cama.

-Calma Elena as malas já estão prontas... -Eu a cortei.

-ESTAMOS ATRASADAS... -Eu disse indo pro banho. Tomei o banho rapidamente.Coloquei um vestido preto decote em "V" e uma sandália meia pata.

Bonnie entrou no banho e saiu rapidamente logo depois de mim.

-Pega aquelas ali. -Eu disse apontando para as malas. -Que eu pego essa daqui.

Colocamos as malas no carro alugado e seguimos para o Aeroporto...

Encontramos as meninas e elas foram conosco para Mystic Falls.

Entramos no avião seguindo para a cidade vizinha e eu estava muito ansiosa para ver o meu Damonzão


**Pov-Stefan**

Estava caçando, correndo a uns 200 km por hora tentando pegar a pantera que ia a minha frente, quando tropecei em algo e bati
na arvore que estava em minha frente, quebrando-a. Voltei e vi que era um corpo no chão, com uma enorme mordida no pescoço.
Uma mordida de vampiro. Tirei o cabelo loiro do rosto da garota e percebi que eu a conhecia.

-Sarah- eu disse pensando alto. Ela sempre foi tão legal, garota da escola, coitada, não merecia morrer assim. Mais eu não podia fazer
mais nada por ela.

Fechei seus olhos ainda aberto e a deixei ali. Estava havendo muitas mortes em Mystic Falls, e eu não faço a mínima ideia de quem seja.

Continuei correndo e consegui-me alimentar da pantera que eu estava caçando. Mais ainda sim eu não estava satisfeito. Mais não me importava, tinha que voltar para casa e cuidar de Damon, logo Elena chega. E finalmente ela vai chegar e todo esse pesadelo vai acabar.

Pensei em passar no mercado e comprar mais Whisky para Damon mais acho que ainda havia em casa... Katherine, aquele nome entrava e saia de minha mente porque ela ainda mexia um pouco comigo?

Ela foi á culpada pelo meu termino com Elena, não gostei da ideia de perder a mulher da minha vida. Mais agora ela era da vida do meu irmão ou sempre foi? Eram muitas perguntas que iam e voltavam na minha cabeça


**Pov-Damon**

Acordei e parecia bem, mais a dor em meu peito ainda continuava eu rolava na cama com a dor insuportável em meu peito... A dor apenas aumentava cada vez mais que eu queria lutar para ficar do lado de Elena. A mulher que eu amo. Escutei Stefan chegando.

-STEFAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAN.-Eu gritei para o exterminados de esquilos.

-Não sou surdo Damon. -Ele disse subindo rapidamente.

-Preciso de mais uns 10 saquinhos de sangue! -Eu estava com fome ele desceu e pegou pra mim.

-Toma, está aqui... -Ele me entregou os sacos de sangue e fui tomando.

-Damon daqui a pouco preciso sair para resolver uma coisa. Carol vir para ficar com você!

-Preciso de babá agora? -Eu não gostava da ideia de ter alguém sempre comigo.

-Precisa sim. -O Celular dele tocou. -Preciso ir tchau Damon. Carol já chegou.

-Olá Damon...


**Pov-Elena**

Nos já havíamos chegados na cidade em que Stefan ia nos buscar. Só espero que ele não tenha vindo com o seu carro vermelho. É lindo mais é muito chamativo.

-STEFAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAN.-Eu disse gritando no meio do aeroporto corri e o abracei... Ele
retribuiu.

-Estava com saudades de você Elena. -Eu soltei ele para nos apresentar as bruxas.

-Tati e Sabrina. - Tati parecia encantada com Stefan Salvatore.

-Olá meninas. -Disse ele em uma voz doce e charmosa.

-Bom vamos que eu tenho um vampiro pra cuidar... -Eu disse puxando Stefan.

-Elena relaxa nós vamos salvar Damon. –Disse Sabrina andando logo atrás de mim.

Eu queria tanto vê-lo que nem ao menos me dei ao trabalho de responder.


**Pov-Damon**

-Porque esta com essa cara de felicidade Carol?.-Eu perguntei com uma sobrancelha levantada.

-Você vera o porquê Damon... -M.E.D.O da Carol.

-Ui medonho...

-Não e medonho você ira adorar Damon. -O que será que ela me escondia?.


**Pov-Elena**

Chegamos a mansão Salvatore todos em silencio para a surpresa dar certo. Eu chegando subi rapidamente para o quarto de Damon,
chegando lá vi que ele estava dormindo e se mexendo muito.

-Elena... - Ele disse meu nome baixo, mais eu consegui ouvir. Eu estava tão feliz por vê-lo, tinha sentido tanta a sua falta. Eu me
aproximei dele e disse.

-Damon?-Eu disse fazendo carinho em seus cabelos pretos. Ele abriu os olhos e ficou pasmo a me ver.

-Elena?- ele disse piscando umas três vezes- Elena!- Ele sentou na cama ainda cobrindo as pernas e eu sorri para ele.

-Oi meu amor. - Eu disse- consegue levantar para me dar um abraço?

-Er.. Até consigo mais é que tipo... Eu estou pelado, mas por mim tudo bem você ver o Damonzão. Se quiser pode até usar ele. -
Ele disse com aquele sorriso malicioso perfeito. Eu não acredito que mesmo em seu leito de morte Damon faz piadinhas. Levantei-me
e fui ao guarda roupa dele pegar uma calça para ele

- Não abra isso. -Já era tarde, eu já tinha aberto. Abrindo o guarda-roupa eu vi uma foto minha colada na porta escrita “Minha amada Leninha”.

-Damon o que é isso? -Ele levantou e fechou a porta do guarda-roupa.

-Não é nada. -Ele disse e então percebi que ele estava pelado na minha frente.

-Damon... Er, você esta pelado.-Eu disse ficando rosada.

-Ah desculpa Leninha, esqueci que você pode se assustar com o tamanho do Damonzão aqui.- Disse com um grande sorriso malicioso
no rosto, pegando a calça dele e vestindo-a.-Vem cá.- ele me pegou pela cintura e me deu um forte abraço.

-Vem cá você agora, eu cuido de você.-Eu sentei na cama dele e ele deitou ao meu lado.

-Eu senti tanta a sua falta Leninha- ele disse e começou a tossir- merda! Pensei que poderia dar um tempo essa maldição.

-Respira. Eu já volto. -Eu disse saindo do quarto, desci até na cozinha e peguei um pano e subi correndo as escadas. Chegando lá sentei na cama e ele colocou a cabeça na minha barriga e se ajeitou, ficando no meio das minhas pernas. Passei o pano no rosto dele, ele estava tão soado.

-Agora você vai ser minha babá Leninha?- Ele disse dando pausas para tossir.

-Vou ser o que você quiser Damon.

-Até uma Stripper?- Ele disse rindo. Eu dei uma leve tapa nele.

-O que você quiser de decente. -Eu disse sorrindo para ele. Eu gostava tanto dele -Ei agora eu lembrei, você tem que me contar
sobre o sonho que você teve comigo lembra?-Eu olhei para ele e ele fingi-o roncar. -Nem vem você não vai conseguir me enrolar!

-Tá bom... -Eu fiquei em choque. Eu nunca tinha imaginado ele de vovô com óculos e um livro de romance, lendo em nossa cama. E
eu dividindo uma cama com ele? Ual.

-Que sonho lindo Damon. - eu limpei o suor que estava em sua testa.

-Eu também acho. - ele sorrio para mim. Eu gostava daquele Damon, o Damon sensível e romântico, mais eu tenho uma grande
queda pelo Damon Sexy e animal. Eu amo os dois Damon na verdade.

-Damon durante a viagem você me disse que tinha que me contar algo e que eu ia ficar com raiva... O que era Damon?- Eu disse
mordendo os lábios, eu não queria ouvir a resposta mais precisava saber.

-Em 1962 eu conheci uma bruxa chamada Thatiane Campbell, ela se apaixonou por mim no nosso primeiro encontro. Ela pensou que
eu estava apaixonado por ela, mais eu nunca estive. Quando eu já estava cansado de Salém, eu apenas disse “hey Tati, estou indo
embora, foi bom te conhecer” e fui embora, pelo o que eu fiquei sabendo, ela chorou durante três meses por mim, e acho que nunca superou muito bem isso.

-E porque você achou que eu ficaria bravo com você Damon?-Eu disse calmamente.

-Pois eu a fiz sofrer!-Disse Damon.

-Damon... - eu segurei o rosto dele obrigando-o a olhar para mim- Eu sei que no passado você era um cara totalmente diferente do
que você é hoje, mais isso é passado. Eu não ficaria brava com você por isso. Não foi certo oque você fez. Mais eu não vou ficar
brava com você pelo o seu passado. Eu não faço parte do seu passado, logo não tenho como exigir nada de você.

-Mais faz do meu futuro-Ele pensou alto.

-Eu estou feliz por estar aqui do seu lado de novo, senti a sua falta. E logo, logo nós vamos fazer esse feitiço e acabar com esse
pesadelo. E sim eu faço parte do seu futuro Damon.

-Assim espero Leninha. -Ele girou para o lado vazio da cama e deitou, eu também deitei ao seu lado e ele simplesmente dormiu e
logo depois eu dormi. Nós ficamos um de frente para o outro e ele me abraçou e eu fiquei sentindo o maravilhoso odor de seu
perfume.

[*Sonho de Damon*]

Acordei em uma praia eu não sabia onde estava eu nem lembrava o que tinha acontecido.

-Olá queridinho. -Disse Katherine do meu lado direito.

-Olá amor. -Disse Elena do meu lado esquerdo.

-O que fazem aqui? -Eu não entendia mais nada disso tudo.

-Eu estou aqui para ter o meu Damon novamente. -Disse Katherine se aproximando de mim.

-Eu sou da Elena e você sabe muito bem disso Katherine. -Eu disse autoritário.

-Então eu vou mata-la e ver você pegar todos os pedacinhos do seu coração. Se você não me ama, não amara mais ninguém... Nem
Elena. -Disse ela pegando Elena e quebrando o pescoço.

O movimento foi tão rápido que só percebi quando vi Elena caída no chão,
meu coração se partiu em cubículos, lagrimas tomaram meus olhos. Corri ate Elena...

Ela não respirava eu me desesperei descontroladamente...

Ver Elena morta era como perder uma coisa que amamos e perceber que você era o culpado pela morte de uma garota que você sempre amara que sempre ira fazer você rir ate nos momentos mais complicados da vida de um vampiro, ela seria capaz de ir a Salém para salvar a sua vida sem ao menos você pedir e dizer obrigado. Ela era perfeita e você perder a perfeição de sua vida seria uma dor que eu não queria sentir.

[*Fim Do Sonho*]

-ELENAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA.-Eu gritei soando.

-Damon tudo bem o que houve? Eu estou aqui calma amor. -Ela disse puxando meu rosto.

-Pesadelos por culpa do retardado do X-MEM. -Ela sorriu e eu acompanhei o sorriso.

-Deite aqui Damon. E tente voltar a dormir sem pesadelos ok?.-Ela me colocou em seus braços.

-Você e uma excelente babá Leninha. -Ela sorriu. –Só falta a roupinha sexy... – Eu olhei para cima e á vi corando.

-Quietinho e durma.

Pela primeira vez eu adormeci sem pesadelos alguns...


**Pov-Escritoras**

A noite demorava a passar. Para Elena pareciam séculos, para Stefan não era apenas uma noite era muito mais que isso, Damon iria
ser salvo e isso já bastava para Stefan.

Além de tudo Stefan e Damon eram irmãos e se amavam mesmo amando as grandes mulheres de ambas as vidas.

Elena acabou acordando, ela percebeu que Damon ainda soava muito então se levantou e foi para a cozinha da grande mansão.

Elena viu alguém sentada no sofá.

“Logo agora” Pensou Elena olhando mais para a pessoa e vendo quem era.

-Oi Elena. –Disse Tati.

-Oi...

Ambas não se gostavam.

-Como está Damon?

-Olha Tati... Eu sei o que Damon fez, e eu sinto muito. –Apesar de tudo Elena á entendia, perder alguém que amamos não é fácil
nem nunca foi.

-Sente muito? Obrigada, mais de pessoas que sentem pena de mim eu estou rodeada.

-Tati... –Tati a cortou.

-O que me dói mais é saber que ele ama você, uma garota de 17 anos que não sabe nem ao menos o que é amor. –Dizendo isso
Tati subiu as escadas se nem ao menos esperar uma resposta da morena.

Elena não queria mais discutir só queria cuidar de Damon e salvá-lo de todo o mal que o rondava.

Foi até a cozinha pegou um pano e molhou. Subiu as escadas e logo chegou ao quarto de Damon.

Ele estava acordado olhando para a janela.

-Damon?

-É tão bom saber que vou ser salvo. –Disse Damon simplesmente.

-Eu nunca o deixaria morrer Damon. Ontem eu lembrei de um dia em que nadamos em uma cascata... Lembra?

-Foi difícil controlar o Damonzão...

Elena sorriu. Estar com Damon era uma das melhores coisas da vida e para Damon era o mesmo, a única diferença é que para ele
literalmente é para sempre, ele nunca esqueceria nenhum momento com a morena.

Damon queria quebrar aquela barreira e dar um grande beijo em Elena, mais ele sabia que não era o momento.

Elena apenas pegou o pano e colocou na testa de Damon.

-Obrigado Leninha. –Disse Damon passando seu polegar nas bochechas da morena.

-Durma Damon.


***

Caroline estava em sua cama apenas pensando no dia de amanha.

Seria um dia bem turbulento.

Ela escutou pedrinhas sendo jogadas em sua janela.

“Tinha que ser ele.” Pensou Carol, ela se levantou e foi abrir a janela.

-Amor... –Disse Tyler já pulando e entrando pela janela.

-Lobinho, então como est... –Tyler puxou-a pela cintura e tascou um beijo eufórico e sedento na loira.

Ela depositou sua mão na nuca de Tyler e ele colocou sua mão na bunda de Carol.

“Mão boba.” Pensou Carol.

-Boas noticias? –Perguntou Tyler.

Como sempre ele era o atrasado.

-Elena está em Mystic Falls e salvará Damon. –Disse Carol sorridente.

-Nossa... Isso é muito bom... Mais porque toda essa felicidade? –Perguntou ele com ciúme e desconfiado.

Sim ele achava que Carol sentia algo por Damon.

-Estou feliz assim porque Elena finalmente encontrará paz em sua vida coisa que ela nunca teve antes de Stefan e nem depois de

Stefan e não terá com Damon disso eu sei.

-Porque sabe sobre isso?

-Em uma vida sobrenatural não tem como ter uma vida normal.

-Seria bom se tivéssemos uma.

Carol se deitou na cama e por um momento imaginou ela correndo atrás de seus netos totalmente velinha com a pele enrugada e
sendo feliz com Tyler ao seu lado, e sim ele parecia um papai Noel.

-É seria, mais sabe que não vamos ter.

-E o nosso casamento como fica?

Carol pulou da cama e ficou histérica como sempre.

-MEU DEUS... EU ESQUECI TOTALMENTE.

Tyler sorriu com a gritaria da loira.

-Meu amor tem tempo... Relaxa.

-Mais eu preciso ver, as rosas que ficam na igreja, o Buffet, seu terno, os padrinhos entre outras coisas.

-Carol... –Disse ele se aproximando. –Se acalme eu estou aqui, eu te ajudo.

-Eu te amo lobinho.

-Te amo vampira sexy.


***

Bonnie havia saído da mansão á algumas horas, era madrugada e estava um tanto perigoso com as mortes.

Ela pensou em dormir na sua casa mais não estava afim de ver o seu pai essa madrugada, então ela foi dormir na casa da sua avó
que agora era apenas sua e de mais ninguém.

Ela entrou acendeu as luzes e pensou apenas em descansar afinal Salém era linda mais ela gostava de sua casa.

Foi só se sentar no sofá e a campainha tocou.

“Quem será uma hora dessas?” Pensou ela.

-Oi Bonnie. –Disse ele apenas sorrindo.

Bonnie viajou nas estrelas olhando apenas para o sorriso do garoto.

-Oi... O que faz aqui? –Perguntou Bonnie bocejando.

-Vim te colocar pra dormir. –Disse Jeremy sorrindo já entrando na casa da bruxa.

-Ham?

-Então... Suba e vá tomar um banho, vou preparar alguma coisa para você comer.

-Não vai me dar um abraço?

Jeremy apenas voltou alguns passos, puxou-a e abraçou rodopiando e tirando os pés dela do chão.

A cada toque um do outro arrepios surgiam sem ao menos explicações para aparecerem.

Jeremy foi em direção á cozinha e pensou em o que iria preparar para Bonnie comer.

Bonnie já estava ligando o chuveiro, ela não tinha pijamas decentes na casa de sua avó.

Ela não demorou muito e logo desceu as escadas de sua casa.

-Ual... –Disse Jeremy ao olhar a morena. Bonnie vestia uma camisola branca de seda totalmente colada em seu corpo, um decote
em “V” realçava os seus seios.

Jeremy imaginava loucuras com a morena.

“Eu e Bonnie em um quarto ou até mesmo na cozinha... Nossa” Pensou ele deixando escarpar uns gemidos.

-Porque está gemendo Jeremy? –Perguntou Bonnie corando.

-Bom... Er... É que... Você está linda Bonnie. –Disse ele olhando para qualquer canto menos os olhos de Bonnie.

-Obrigada Jeremy... Então o que fez para eu comer? –Perguntou ela sorrindo.

Bonnie estava tão rosada que já parecia um tomate.

-Bom senhorita, eu fiz um “Sanduba a lá Jeremy” –Bonnie não conseguiu disfarçar e logo soltou uma gargalhada.

-Se o Chef é uma delicia imagina o sanduba. –Disse Bonnie um tanto alto demais.

-Como é Bonnie?

Jeremy se aproximou mais ficando cara a cara com a bruxa.

-Que... Nossa olha como essa casa está uma bagunça. –Realmente Bonnie não sabia disfarçar perto de Jeremy.

-Nem está tanta bagunça assim. –Bonnie deu graças por Jeremy acreditar.

Jeremy foi chegando mais perto, e cada vez mais perto até que...

-Jeremy está sentido? –Perguntou Bonnie.

-Estou sentindo e estou adorando... –Disse Jeremy com uma voz cheia de excitação.

Bonnie não estava entendo nada.

-JEREMY ESTÁ PEGANDO FOGO. –Disse Bonnie olhando para o sanduba do Jeremy na frigideira totalmente torrado.

-PUTA MERDA... –Disse Jeremy correndo com o pano de prato para apagar o pequeno incêndio até que ele parou e pensou.

E ficou lá pensando e Bonnie apenas gritando.

-Bonnie você é uma bruxa... Dá pra você apagar isso. –Disse Jeremy como se fosse óbvio.

-É mesmo...

Bonnie disse algumas palavras que Jeremy não entendeu e o pequeno e incêndio se apagou.

-Ok... Você nunca mais cozinha.

-Foi apenas um acidente de percurso.

-Estou com sono... Vamos dormir?

Jeremy sabia que não ia conseguiria nada com a morena essa noite então tentou se controlar.

Eles subiram para o quarto de Bonnie... Ela passou na frente de Jeremy e ele apenas olhou para... Bom para a bunda de Bonnie.

Ela se deitou na cama e Jeremy ficou apenas olhando.

-Vai ficar ai olhando ou vai deitar comigo?

-Bom... Eu estou de roupa e não trouxe meu pijaminha do Popeye.

-Popeye? Fica de cueca. –Disse Bonnie simplesmente.

-Serio? Posso? Pode mesmo? Não vai brigar? –Perguntou Jeremy sorrindo.

-Pode mais eu vou fechar os olhos... – Bonnie colocou a mão nos olhos e Jeremy começou a tirar a roupa.

Ele tirou os sapatos depois á camisa e as meias. Bonnie não aguentou e tirou a mão dos olhos.

-Ok... Danadinha, eu sei que você quer me ver de cueca.

Jeremy desabotoou a calça e a deixou cair teatralmente até o chão.

Bonnie abriu a boca, sim ele era perfeito com seus músculos e seu peitoral e seus documentos.

“Bonnie se controla” Pensou ela respirando fundo.

Jeremy se deitou na cama e logo se cobriu com o imenso edredom.

-Boa noite Jeremy.

-Boa noite gata.

Bonnie dormiu profundamente e Jeremy apenas pensando loucuras com a morena, mais ele sabia que amava Bonnie.


***


Elena dormia e Damon apenas a observava, ele tinha um sorriso perfeito estampado em sua face.

Aquele era um dos melhores momentos da sua eternidade, mesmo estando com a dor em seu peito e todas as partes do seu corpo
ele estava com uma esperança que não podia lhe tirar o sorriso.

Ele tinha Elena, e agora ela o tinha e isso era o suficiente para viver.

Ou apenas tentar viver.

Ele não queria se lembrar dos momentos que ele o cara malvado de tudo.

Mais ele sabe que sempre será o cara malvado e isso é um de seus maiores defeitos, não era defeitos era apenas Damon e ninguém
é perfeito.

Mais ele sabia que Elena e ele eram perfeitos quando estavam juntos e mesmo separados sim sempre serão perfeitos.

Damon precisava de sangue, mais ele não queria acordar Elena.

Ele segurou na cômoda e logo tentou levantar mais caiu.

Elena se assustou e acordou esbaforida.

-DAMON? –Gritou ela procurando-o na cama.

-Aqui em baixo. –Disse Damon todo estatelado no chão levantando apenas uma mão que Elena via.

Elena levantou da cama e correu para o lado de Damon.

-O que você estava fazendo? –Perguntou ela tentando levantá-lo.

Elena conseguiu levantá-lo e ele se sentou na cama.

-Preciso de sangue, mais eu não queria te acordar. –Disse Damon com um biquinho. –E eu já estou cansado de ficar aqui no quarto.

-Tudo bem... Eu te carrego.

-Mais...

-Cala a boca.

Elena passou um de seus braços na cintura do vampiro, ele passou um de seus no pescoço da garota. A mão dele estava quase
encostando no seio da morena.

-Olha essa mão ai em Damonzão!- ela disse sorrindo.

-Não irei fazer nada. Sou um anjo.

Elena soltou uma risada maliciosa e conseguiu carregá-lo até chegar á sala, foi um grande esforço mais ela conseguiu.

-Sente-se... Vou pegar um saquinho de sangue. –Disse Elena sentando Damon.

Ela foi até o freezer lotado de saquinhos. Pegou um e logo subiu para onde Damon estava.

-Aqui está Damo... –Ela tropeçou na perna da poltrona e Damon a puxou para seu colo para que ela não caísse e se machuca-se.

Eram apenas olhares naquele momento. Os olhos de Damon foram de encontro aos da Elena.

Apenas eles que importavam, Elena se arrepiou pelo mão do vampiro em sua cintura e uma outra a sua coxa.

Era apenas o momento deles.

Damon apertou a coxa da morena fazendo-a se arrepiar mais ainda.

Eles se amavam não tinha como negar.

Elena subiu sua mão para o peitoral de Damon fazendo o saquinho de sangue cair.


***


Matt estava saindo do Grill e viu uma morena linda encostada em um carro preto.

Ela vestia um vestido preto e um, sobretudo preto também, e uma linda bota cano médio preta de veludo com o solado vermelho.

-Ui... Está me seduzindo assim. –Disse ele para a morena.

-Gostou do look mais ousado? –Perguntou ela sorrindo.

-Sim gostei... Minha casa ou sua casa Vanny?

Ele puxou a morena pela cintura e a rodou ficando desta vez ele encostado-se ao carro.

-Nada disso... Não é dia disso. –Disse Vanny percebendo a intenção do loiro com a pergunta obscena.

-Sua malvada. –Disse Matt com um biquinho.

-Vamos...

Eles entraram na caminhonete e seguiram para a casa de Matt.

-Como está o colégio amor?

-Está ótimo, tenho prova amanha.

-Estudou?

-Não tive tempo.

-Ok... Quando chegarmos vamos estudar.

-O QUE? –Perguntou Matt indignado.

Vanny apenas olhou para Matt e ignorou o loiro. Até que eles chegaram e ela logo saiu do carro e já foi entrando na casa de Matt.

-Vanny não está falando serio... Está? –Perguntou Matt entrando em sua casa e vendo a morena procurar algo.

-Onde estão seus livros?

Matt pegou sua mochila de escola e tirou dezenas de livros.

-Mais existem tantas coisas para fazermos aqui... Nesta sala... Sozinhos... Sem livros... Sem roupa. –Disse o loiro dando uma pausa a
cada ideia que vinha a sua mente.

Vanny sorriu mais ela sabia que precisava se controlar, não era dia disso e Matt precisava estudar.

-Não... Temos que estudar. –Disse Vanny firme.

Matt aceitou a proposta mais seria um de seus estudos mais prolongados.

Ele então tirou sua camisa preta sensualmente deixando a morena sedenta por ele.

-Bom... Então, qual matéria é a prova?

-História... –Disse Matt chegando mais perto e cada vez mais perto dela.

Vanny foi pegar o livro na mesinha de centro, ela se abaixou e empinou sua bunda. Matt arregalou os olhos e ainda imaginava
loucuras com a morena naquela posição.

-Então... Vamos estudar. –Disse Vanny com um sorriso de vitorioso.

Matt se sentou e Vanny pulou no colo dele ainda sorrindo. Matt acabou não se controlando com as investidas da garota.

“Poxa, não é todo dia que a Vanny senta no meu colo... Se controla Mattzinho.” Pensou ele, mais ele logo percebeu que o seu
“brinquedinho” já estava ereto.

-Matt o que é isso? –Perguntou Vanny.

-Bom... Esse ai é o Mattzinho, você o conhece muito bem. –Disse Matt sorrindo maliciosamente.

-Matt!

-Não tenho culpa se você está sentada no meu colo e rebolando.

-Não estou rebolando! –Disse ela firme.

-Não, não... Que isso. –Disse Matt irônico.

-Enfim vamos estudar.

Eles estudaram e estudaram até dizer chega... Por fim assistiram a um filme e ficaram lá apenas curtindo a alegria de se amarem.


***

Damon ainda segurava uma das pernas de Elena. Até que ela o puxou e entrelaçou seus lábios aos dele.

O beijo era calmo, tinha necessidade mais naquele momento o amor importava, eles se desejavam e queriam apenas curtir um dos
melhores de muitos momentos que passará.

Damon sorriu entre o beijo e Elena não pode deixar de apreciar cada pedaço de seu lindo sorriso.

-Elena... –Disse ele já planejando o que iria dizer depois.

-Não diga nada...

-Mais eu preciso.

Elena sorriu, ela não queria que aquele momento acabasse ela queria ficar com ele ali, por séculos e séculos, anos e anos e assim por
diante.

-Que tal me dizer quando tudo acabar? Quando você estiver melhor e voltarmos a ter uma vida meio normal. –Sugeriu Elena. Ela
apenas queria esperar um tempo, ele precisava ficar bem para que ela também ficasse.

-Leninha...-ele disse com uma sobrancelha levantada.

-Damonzão...- Ela disse com um enorme brilho nos olhos.

-está bom, você venceu. –Disse Damon por fim, ele sabia que iria perder para a morena mesmo.

-Vamos dormir?

-Sabe... Você não caiu de propósito no meu colo não né? –Perguntou Damon desconfiado.

-Que indecência, eu nunca faria isso. –Elena fez cara de anjo e Damon roubou um selinho dela.

-Epa. –Disse Damon com tom de ingenuidade.

-Seu safado... Vem. –Disse ela puxando um dos braços de Damon e o carregando até a escada.

Era difícil levá-lo mais ela iria conseguir afinal ela é forte. Depois de um tempo ela chegou no quarto com ele.

-Você ainda está soando.

-Odeio esse Brian.

Elena se sentiu queimar por dentro, lembram-se dele lhe trazia uma das priores coisas que o ser humano pode sentir, sim o ódio.

-Falando nisso... Onde ele está?

-Stefan às vezes faz ronda na casa dele, Stefan diz que não vê ninguém e nem ao menos um barulho.

Elena deitou Damon e logo o cobriu.

-Espero que ele esteja bem longe.

-Então Leninha... Vai dormir com essa roupa ai? –Perguntou Damon sorrindo maliciosamente.

-Ok... Eu durmo de calcinha e sutiã.

-SERIO? –perguntou Damon esperançoso.

-Claro...

Damon sorriu.

-Feche os olhos Damon. –Disse ela autoritária.

-Tá brincando né? –Ele sabia que não iria ganhar mais uma vez da morena então fechou os olhos.

Elena tirou sua roupa e Damon abriu os olhos.

-Ai sim hein... –Disse Damon sorrindo. Elena se sentiu corar furiosamente.

Ela pulou para baixo das cobertas.

-Você abriu os olhos... Isso é jogo sujo. –Elena virou de costas para ele.

Damon a abraçou e logo disse.

-Sempre vou estar aqui para te pegar Elena.

-Eu me lembro disso. –Disse ela sorrindo.

-Boa noite amor.

“Amor” Essa palavra ainda rondava a mente de Elena, não era sempre que Damon estava tão romântico, mais todos tem os seus
momentos e Damon tinha os seus e Elena sabia que era apenas com ela.

Então eles dormiram e Damon apenas pensando em como seriam os seus dias.

Ele até esquecerá de que se Elena volta-se era porque havia achado a flor e sim ele finalmente iria ser salvo e pela mulher que mais
amava.


Continua...


_________________________________________

Tópico De Comentários

_________________________________________
Nota Das Autoras: Bom meus amores espero que gostem desse, desculpem a demora para postar mais serão de 4 em 4 dias se de não é certeza.
Comentem precisamos saber a opinião de vocês é muito importante .. Bom é isso espero mais uma vez que gostem..
Ah e se estiverem muito grande nos diga .. Ok? Nós nem percebemos se está muito grande kkk'
Beijos amores s2s2
avatar
Jady_Delena

Mensagens : 282
Data de inscrição : 03/05/2012
Idade : 19
Localização : São Paulo

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: My worst nightmare

Mensagem por Delena_Somerhalder em Ter Set 11, 2012 11:01 pm

Capitulo XVII - I'll never lose you.
( Eu nunca vou perder você.)


"Às vezes temos que segurar as lágrimas bem forte.
Não porque não queremos chorar e sim pra não demonstrarmos fraqueza."
**Pov-Elena**

Estávamos eu e Damon sozinhos no quarto, ele estava dormindo e eu estava simplesmente olhando para ele.

Ele acordou e disse:

-Oi Leninha. Dormiu bem?

-Melhor impossível e você? -Eu disse retribuindo o sorriso.

-Com você aqui do lado qualquer um dormiria bem. - Ele tirou uma mecha de cabelo dos meus olhos.

-Eu senti tanta a sua falta Damon.

-Eu também Elena, não posso ficar sem você. - Ele disse acariciando o meu cabelo- Como você consegue me deixar tão vulnerável quando estou perto de você?

-Eu tenho os meus encantos Damon. -Nós dois rimos.

-E esses encantos funcionam exatamente comigo!- ele disse- Elena eu preciso saber, o que você realmente sente por mim. Eu não posso ficar sem saber, eu preciso Elena.

O que eu iria dizer agora? Eram muitas duvidas. Eu sabia que realmente o amava e ele me amava mais é certo?

-Eu te amo Damon, tentei negar até agora isso mais eu te amo.

Damon arregalou os olhos. Por incrível que parece ele estava rosado.

Ele se esticou até a sua cômoda e pegou uma caixinha vermelha.

-Elena, eu amo você. Queria te fazer um pedido.

-Então faça.

-Elena Gilbert, você gostaria de namorar comigo?- Ele abriu uma caixinha e lá tinha um anel meu deus! Eu estou em choque. Não conseguia dizer nada.

Ele me amava e finalmente havia me dito isso.

-Elena?- Ele disse me tirando de um enorme transe.

-oi? Damon eu nem sei o que dizer- eu percebi uma pequena magoa no seu olhar. -Alias, sei sim. É claro que eu aceito namorar você. Eu te amo pode não ser simples, mais eu te amo, demorei a perceber, você foi o único que estava comigo nós momentos difíceis, foi um verdadeiro amigo e eu meio que me apaixonei pelo seu jeito onde havia compaixão. Você pode ser o cara malvado e até mesmo o safado- eu de uma pausa soltando uma risada pelo nariz- mais sempre haverá um Damon que apenas eu conheço, haverá um Damon que eu amo e sempre vou amar.

-Eu amo todas as Elena’s que tem em você. Eu não queria sentir, nem muito pior, me apegar a você, eu sempre soube que seria o Stefan, você havia me dito isso, mais eu percebo agora que eu não posso mais ser sempre o cara malvado, eu gosto de ser ele mais eu também gosto de ser o cara romântico e que sabe o que a sua amada quer.

-Você romântico?

-Ah sabe... Eu sei ser romântico, mais prefiro ser o safadão. Então como estamos?

-Namorando...

- Eu te amo sabia?- Ele disse colocando o anel no meu dedo.

-E eu mais ainda.

Eu deitei ele na cama e subi em cima dele.

-Que isso Leninha? Assim você vai quebrar a minha ingenuidade!

-Como se você tivesse alguma. - Eu o beijei sedutoramente, nossas línguas estavam se entrelaçando uma na outra como se aquilo fosse necessário para sobreviver.

E alguém entrou no quarto.

-Oi Elena- disse Stefan entrando com uma expressão muito espantada por me ver encima do Damon. - Bonnie, Tati e Sabrina querem falar com você.

-Poxa será que ninguém deixa agent... -Ele parou pela dor, ver ele naquele estado só me fazia chorar mais pelos cantos.

Damon sofrendo era a mesma coisa que eu sofrendo, pareciam que arrancavam meu coração.
-Damon quieto já venho amor. -Eu disse lhe dando um beijo na testa.

-Um beijo amor? -Ele fez um bico irresistível pra mim.

-Guarda esse biquinho pra depois. -Eu disse com uma cara maliciosa e ele rapidamente captou o que eu quis dizer.

-Opa isso e comigo mesmo. -Ele sorriu.

Eu desci as escadas e vi Bonnie e as meninas na cozinha sorrindo.

-Oi meninas o que aconteceu?-Bonnie e Sabrina sorriram pra mim com cara de “DANADINHA” e Tati apenas olhando com cara de taxo.

-Então nós vamos hoje fazer o feitiço para Damon. – Aleluias vão fazer essa droga!

-E aonde irá ser?- Eu perguntei calmamente.

-Ah 5 km floresta dentro. - Disse Sabrina.

-O lugar do feitiço foi onde nasceu o primeiro Elementors, só assim poderíamos quebrar o poder que está dentro de Damon.

-Ok então. Vou falar com o meu... Com Damon. -Eu quase falei meu namorado tenho que me concentrar mais sobre esse aspecto de ninguém saber no momento.

Subi as escadas e vi Lion, o humano que iria morrer para salvar Damon..

-Lion... Eu sinto muito pelo o que você ira fazer por mim.

-Tudo bem Elena, eu já perdi o amor da minha vida por culpa de elementor’s é eu não quero que você perca o amor da sua vida por culpa de um deles. -Eu o abracei e alguma lagrima desceram de meus olhos.

-Eu sinto muito mesmo, eu não quero que você morra.

-Elena, Brian matou a minha esposa, eu não tenho mais razões para viver. Eu ando nesse mundo apenas sozinho, solitário ninguém da minha família está vivo, não tive tempo nem de ter filhos com minha amada.

-Eu sinto muito mesmo. Mais eu faria tudo pelo Damon.

-Eu sei como é minha namorada era uma vampira e ela morreu por culpa do Brian, ele gostava da minha esposa mais ela me escolheu. -Ele dizia aquelas palavras com dor, os olhos deles brilhavam água.

-Eu sinto muito mesmo ainda mais porque você será... Será morto por mim. -Ele sorriu.

-É muito bom morrer pelas mãos de uma garota tão linda.-Eu o abracei.

-Até Lion. –Eu disse saindo dos braços dele, virando as costas e sorrindo mais triste ao mesmo tempo, era difícil ver um humano morrer por causa do meu amor pelo Damon, mais era mais doloroso saber que Damon possa morrer.

Cheguei no quarto do Damon

**Pov-Damon**

-O que está fazendo Leninha? -Eu disse me levantando mais acabei sentando novamente pela dor que eu sentia. Soltei um rugido.

-Damon está tudo bem com você?-Elena voltou com um shortinhos na metade da coxa e uma blusa regata branca que dava para ver todo o seu sutiã preto rendado com strass. Eu me distrai medindo o seu corpo lindo e esbelto. -Damon? -Perguntou Elena me tirando do transe.

-Oi... Bom... Claro porque não estaria? Tenho uma namorada, mais não qualquer namorada e sim a que eu amo!-Eu disse colocando os braços atrás da cabeça.

-Ok... Eu vou na minha casa levar minha mala ver Jeremy e o Ric estou com saudades dele...-Não gostei nada da idéia.

-Ah Leninha fica aqui comigo.-Eu disse fazendo um bico que ela deu um selinho demorado e eu a agarrei mesmo debilitado eu tinha forças pra deixar ela louca.

-Damon eu tenho que ir e nã... -Eu a beijei intensamente deslizando minhas mãos ate suas pernas. Ela puxou meus cabelos com muita força e eu soltei um gemido.

-Isso Leninha assim que é bom... -Ela saiu de cima de mim e disse.

-Sinto muito amor... Eu sei que você quer, mais não está em condições pra isso amor... -Eu a cortei.

-Ah qual é Leninha o DAMONZÃO aqui consegue tudo que eu desejo. -Eu sorri maliciosamente e ela sentou em meu colo.

-Eu tenho que ir... Tchau MEU Damonzão- Ela me deu um selinho e sai do quarto.

Ela falando MEU DAMONZÃO as palavras delas entraram na minha mente eu sorri como um garotinho apaixonado

"O que esta havendo comigo em ESSE Damon que está sorrindo Ta louco é?" Pensei sorrindo.

Eu não me entendia ela mexia de um jeito dentro de mim que eu não sabia identificar mais eu sabia que um dia eu iria perdê-la.

Eu tinha medo de um dia imaginar minha vida sem a minha Leninha.

Eram coisas tão simples que fazia meu amor por ela ser mais forte que tudo.

**Pov-Elena**

Sai com Stefan da Mansão Salvatore...Damon....Damon...Damon e mais Damon. Esse nome... Essa pessoa... Apenas ele em minha vida, eu não tinha mais duvidas... Será o Damon o homem da minha vida!

-Então Elena alguma novidade? -Stefan estava meio sem jeito por falar comigo.

-Stefan, você sabe que não precisa ser assim... Podemos ser amigos ok? -Stefan abriu um sorriso.

-Eu só estou meio em jeito... Mais sempre seremos amigos e eu sempre vou te proteger.

-Muito obrigada Stefan. -Eu disse abraçando ele.

-Elena! Estou dirigindo sua doida.

-Desculpe, Foi sem querer. Estou namorando Stefan... -Eu abri um sorriso ele me retribuiu o sorriso.

-Muito bom Elena parabéns. -Ele parecia ter superado o que havia acontecido a alguns meses atrás.

-Obrigada.

-Senhorita Gilbert chegamos.-Ele disse sorrindo.

-Obrigada novamente.-Eu disse saindo do carro.

Entrei em casa e parecia haver alguém no sofá e outra pessoa no banho.

-AII MEUS DEUS FANTASMA...-Gritou Jeremy se abaixando e pegando uma almofada.

-Jeremy sou eu... -Tarde de mais Jeremy jogou a almofada. -Poxa Jeremy sou eu!

-Desculpe Lena... Eu tava meio assustado com o filme de terror... Vem cá Lena. -Ele me abraçou e eu retribui.

-Estava com saudades seu cabeça oca. –Eu disse ainda abraçando-o.

Escutei alguém descendo as escadas.

-Jeremy sabe se tem ovos ca... -Ric estava de toalha.-Elena...Bom...Eu vou colocar uma roupa mais decente. -Ele subiu correndo as escadas. Eu gargalhei e Jeremy me acompanhou.

-O Ric esta namorando Lena. -Eu sorri.

-Ual eu preciso me atualizar nesta casa. E que bagunça a essa aqui? Salgadinho ate onde penduramos o casaco! Eu não posso mesmo abandonar vocês.

-Desculpe Elena não sabia que tinha chegado. -Disse Ric descendo as escadas.

-Tudo bem Ric... Eu cheguei ontem. -Ric e Jeremy se espantaram.

Ric me abraçou mesmo espantado, vê-los era perfeito ainda mais sabendo que eles estavam bem, isso já me reconfortava.

-E DORMIU AONDE? -Perguntaram os dois de uma vez só.

-Quarto do Damon serve pra vocês? -Eu disse com uma sobrancelha levantada.

-Já ate sei o que aconteceu. -Disse Jeremy sentando no sofá com uma cerveja.

-Não aconteceu nada disso que você imagina. -Ric sorriu. -Preciso voltar para Damon...Vou cuidar dele e talvez faremos o feitiço essa madrugada.

-Elena eu não vou poder acompanhar o feitiço, tenho provas para corrigir e acho melhor eu não ir mesmo, quanto menos pessoas melhor. –Disse Ric com a mão atrás da cabeça meio desconcertada.

-Eu vou com vocês... Ah ontem eu vi a Bonnie, nós dormimos na casa dela. –Disse Jeremy maliciosamente.

Eu fiquei muito feliz pela minha amiga, e realmente pareciam que as nossas vidas estavam se acertando.

-Oh... Que fofo, já até sei o que rolou.

-Não rolou nada disso, sua maliciosa. –Disse Jeremy.

-Até de madrugada meninos.

Eu sai de casa, peguei meu carro e fui em direção a mansão Salvatores eu queria ficar perto do Damon alguma coisa muito forte me puxava para ele.

**Pov-Damon**

Eu não queria ficar distante da Leninha ela era tudo que eu precisava...

Eu parecia estar ficando meio dramático e romântico,mais qual o problema nisso eu tenho que ser tudo que minha Leninha deseja...

Só que e meio difícil não ser romântico com ela, eu simplesmente era o Damon de 1864 que seria capaz de ir ao Japão ou China pela pessoa que não poderia viver sem... Ou pela Elena no caso. Por ela eu fazia absolutamente tudo em minha vida ou eternidade?

Eu não me via divido ou com duvidas, eu sempre fiz as cosias por impulso sem me importar com opiniões ou amor de alguém eu queria destruir meu irmão por termos que dividir a mesma garota e por ele me transforma no que sou hoje.

Mais no que realmente eu sou hoje? Quem saiba eu descubra com a Leninha sempre do meu Lado.

**Pov-Elena**

Eu cheguei á mansão Salvatore e fui direto para o quarto de Damon passei pela sala como um furacão eu não queria falar com ninguém só queria o meu Damon.

Cheguei no quarto do Damon.

-O que as bruxinhas de Hogwarts queriam com você? -Eu sorri pela piadinha.

-Avisar que elas iram salvar a sua vida hoje Damon. -Eu disse com uma sobrancelha levantada.

-Leninha...-Alguém entrou no quarto.

-Damon precisamos ir, levanta essa bunda dai e vamos logo com isso.

-Não da com você no quarto...-Como assim Damon bebeu mais do que necessitava?

Stefan se aproximou de mim e sorriu.

-Levanta logo essa bunda dai caramba.-Stefan puxou as cobertas de Damon e então.

-AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH...-Eu gritei.

-Caramba Stefan não queria que ela se assustasse com o tamanho do Damonzão...-Eu o cortei.

-Toma isso aqui.-Eu joguei alguma coisa e não vi o que era.

-UM SUTIÃ LENINHA! SERIO? -Eu não sabia o que joguei.

-Desculpe sem querer. -Ele levantou e ficou atrás de mim. Ele colocou a mão dele em minha barriga me abraçando por traz.

-SEM INDECENCIAS, ESTOU AQUI POXA. -Gritou Stefan...Pegando meu sutiã que eu havia jogado para Damon.

Damon passou pela minha frente e pegou uma jaqueta de couro com uma regata branca e uma calça jeans preta.

-Vamos? -Ele terminou de colocar á roupa e perguntou com a mão estendida para mim.

-Claro... Stefan larga meu sutiã. - Eu peguei a mão dele com força mais logo tive que soltar por ele ter caído e Stefan pegado ele no colo e carregando ele até o local pelo que presumi.

-Eu iria entregar seu sutiã a você poxa. –Disse Stefan carregando Damon pelo enorme corredor.

Desci as escadas e vi todo o pessoal, Jeremy, Bonnie, Caroline, Tyler, Sabrina, Tati e Lion.

Eu tinha que admitir, Lion era um moreno de olhos verde lindo.

-Obrigado a todos pessoal. -Disse Stefan com Damon nos braços.

-Nunca me senti tão gay na vida. -Disse Damon com cara de preocupado.

-Quieto Damon...-Eu disse autoritária

-Quieto nada! Eu estou me sentindo um saco de batatas ambulante!- Disse Damon.

[*20 minutos depois*]

**Pov-Escritoras**

Uma ruiva e um loiro estavam planejando algo, eles estavam em uma estrada esperando apenas a pessoa certa.

-Você vai ter me jogar encima do carro cabeção! –Disse a ruiva autoritária.

-Olha o respeito! –Disse o homem loiro.

-Então o plano continua o mesmo? –Perguntou á ruiva. Suas roupas estavam rasgadas, estava com uma faca apunhalada em sua barriga próxima a região do útero.

-Sim o plano continua o mesmo.

O loiro colocou uma agulha na jugular da ruiva e apertou jogando todo o liquido da agulha no organismo dela.

Então ela desmaiou.

Um carro se passa pela ponte onde eles se encontravam.

O loiro esperou apenas o momento certo para jogar a ruiva encima do carro.

Ele esperou... Esperou, até que... O homem loiro jogou o corpo da garota que fez um grande barulho com o impacto do corpo ao capo do carro.

-AI MEU DEUS. –Gritou o rapaz que estava dentro do carro, ele freou bruscamente e o corpo da ruiva rolou o capo do carro e caiu na estrada.

Ric saiu do carro e foi em direção á garota.

Ele colocou sua mão no pulso da garota e ele viu que ela estava viva, ele pensou em tirar a faca, mais se tirasse iria sangrar mais então decidiu deixá-la na barriga da garota.

“Que mulher gostosa” Pensou Ric quando se deu conta que ela estava praticamente nua.
Ric á colocou no carro dele e seguiu para sua casa.

-Essa é a minha garota. –Disse o loiro em voz alta atrás de uma árvore apenas observando seu plano correr como planejado.

Ric chegou a sua casa, bom, casa da Elena e do Jeremy mais ele era da família então já era sua.

Ele pegou a ruiva delicadamente, fechou a porta do carro e entrou na casa.

-Vamos entrando... –Disse Ric cantarolando uma parte de uma musica que ele adorava.

A ruiva deu graças por ele ter cantarolado essa musica, ela já começava a acordar.

Ric colocou-a deitada no sofá e foi pegar o kit de primeiros socorros que ele havia comprado em caso de emergências.

Quando Ric voltou á ruiva não estava mais lá.

“Vampiro, como você é burro Ric.” Pensou ele.

-Olá Ric... –Disse a ruiva sorrindo.

-Quem é você? –Perguntou Ric. Ele tirou uma estaca de dentro de sua blusa.

-Oh amorzinho... Você não vai precisa da estaca.

Ela se aproximou de Ric e ele foi para trás, ela se aproximou mais até que ele se encosta-se á e na mesa de jantar.

-Sabe... Vai ser um desperdício fazer o que eu vou fazer com você... –Disse a ruiva sorrindo e roçando seus lábios no pescoço de Ric.

Ok... Ric não podia negar ela era muito linda.

-Vai me matar é?

-Não só quero que você de um aviso a Elen... –Ela foi interrompida com a estaca próxima ao seu coração.

Ric correu até a escada e subiu rapidamente mais acabou dando de cara com a Ruiva.

-Eu sou muito velha para apenas uma estaca amorzinho.

Ela deu uma rasteira em Ric e logo ficou encima dele se encaixando perfeitamente nele.

-Nem vêm, sou comprometido. –Disse Ric.

-Oh que peninha, posso matá-la também? –Perguntou á ruiva rebolando encima de Ric fazendo-o soltar alguns gemidos baixos.

-Nem pense nisso...

-Diga a Elena que os jogos começaram. –Disse a ruiva roçando seus lábios nos de Ric.

-Então é você que está matando aquelas pessoas? –Perguntou Ric virando á ruiva. A ruiva levantou e andou sedutoramente e devagar raspando a estaca que Ric havia acertado nela na parede. Ric já havia levantado.

-Acertou, mais não sou só eu. – Dizendo isso a ruiva virou e foi em direção de Ric, roçou os lábios nos dele e mordeu seu pescoço. Ric urrou de dor e a ruiva o jogou da escada o fazendo rolar escada abaixo e caindo desacordado no pé da escada.

Ela desceu as escadas devagar e sedutoramente pulando o corpo de Ric no chão e saiu da casa.

-Precisava seduzir o cara? –Perguntou o loiro.

-Precisava sim... E dei o recado não dei? –O loiro assentiu. –Então não reclama.

Dizendo isso eles entraram no carro do loiro e foram em direção á estrada.


**Pov-Elena**

Nós chegamos ao local onde iria ser feito o feitiço. No local tinha umas 30 tochas formando um circulo perfeito, tinha dois cálices pratas, um com a flor dentro e vazio.

-Por aqui.- disse Bonnie.

-Elena, Damon, Lion, Bonnie e Thaty, se posicionem.- Disse Sabrina.

Bonnie puxou Lion e eu para os pontos que estavam marcados na terra de branco que no final formava um triangulo. Stefan deixou Damon em pé na ponta do triangulo, eu do lado esquerdo e Lion do lado direito. Damon estava com o olhar fixo em mim.

Spoiler:

-O feitiço vai funcionar assim. – Começou Bonnie atrás de Damon- Elena ira matar Lion, e derramar o sangue do mesmo no cálice a direita de Elena, ou seja, o cálice vazio. Damon irá beber o sangue que esta nesse cálice com o extrato da flor, e logo após mordera e tomara um pouco do sangue da duplicata. Esse processo irá ocorrer enquanto eu, Sabrina e Thaty estivermos falando coisas que vocês não entenderão- ela sorrio- Estão todos prontos?

Todos assentiram que sim. Então ela, Sabrina e Thaty começarão a falar palavras que eu não entendia.

-Táimid ag agairt an fórsa an domhain, an solas na gréine, sholas na gealaí, an Starlight agus an chumhacht an uisce chun cuidiú linnbhaint as an sú an bláth, rud a chiallaíonn sé leighis agus slánú arvampire.- Disse Bonnie, Tati e Sabrina ao mesmo tempo.

-Mate o humano Elena- disse Sabrina com a voz firme.

Eu não queria matar o humano mais eu precisava de Damon pra mim eu queria telo só pra mim.

Foi difícil imaginar minha vida sem Damon, eu não queria perdê-lo e também não queria matar o humano mais era preciso, era o certo para mim e para Damon vivermos em paz.

-Desculpe por isso Lion mais não posso viver sem ele...-Eu fechei os olhos e enfiei a estaca de prata bem fina em seu coração ouvi ele gritar e ajoelhar em meus pés e ele disse.

Eu comecei a chorar, eu matei um humano. Era errado mais ao mesmo tempo era certo, não posso viver sem Damon.

-Tudo bem Elena eu te perdoou e viva o seu amor. -Ele disse morrendo peguei a estaca e estava lotada de sangue e deixei pingar 10 gotas no cálice.

Mais lagrimas se escorreram de meus olhos e Damon apenas me olhava com a mesma expressão de dor que a minha.

Mais era ele ali, meu Damon, apenas ele que me daria forças. Eu sequei minhas lagrimas e sorri para Damon.

“Está tudo bem meu amor” Eu sussurrei para que apenas ele pude-se ouvir.

Ele assentiu com a cabeça me mandando um beijo.

Continua...
-----------------------------------
Tópico de comentários: AQUI

-----------------------------------
Nota das autoras: Então pessoinhas lindas que eu amo, mais uma vez desculpe pela a demora, não estamos tendo muito tempo para arrumar os caps e tambem para escrever mais. Esse caps ficou pequeno mais é apenas uma entrada para o proximo capitulo. O desenho que eu coloquei em spoillers foi apenas para vocês terem uma ideia de como é as posições deles (não desenho bem nem no paint vey!). Eu espero que gostem e por favor comentem okey! A opinião de vocês é muito importante.
PS: Amores, amanha eu respondo todos os comentários direitinho de vocês, é que eu estou morrendo de dor de cabeça e não to bem, entrei só para postar o caps mesmo. Beijos meus lindos (as).
avatar
Delena_Somerhalder

Mensagens : 227
Data de inscrição : 25/03/2012
Idade : 21
Localização : Na caminha do Kol. Junto com ele e com o Damon.

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: My worst nightmare

Mensagem por Jady_Delena em Dom Set 16, 2012 7:53 pm

**Continuação**


**Pov-Elena**

-Leis na fola ó na cúiseanna daonna casadh an bláth sú le fórsaíosnádúrtha.-Disseram elas com os olhos virados mostrando toda a parte branca.

De repente os triângulos pegaram fogo eu tentei me esquivar mais alguma coisa me puxava para dentro.

-Pegue a faca dentro do cálice e corte o talo da flor para derramar o liquido dela no cálice do sangue do Lion. –Eu não tinha
reparado na faca mais á encontrei, cortei o talo da flor e derramei o suco dela no cálice do sangue de lion.- Agora dê para Damon
beber. -Disse Tati ainda com os olhos virados.

Eu peguei o cálice dei para Damon tomar.

Ele sorriu para mim, mais seus olhos estavam vermelhos seus dentes vampirescos aparecendo.

Isso era normal? Bonnie dissera que era normal, pois todo o seu corpo estava se curando.


**Pov-Damon**

Peguei o cálice de Elena os olhos dela estavam cheios de lagrimas. Passei meus dedos no rosto dela secando todas ás lagrimas.

Bebi o liquido que havia no cálice. Desceu queimando em minha garganta como se fosse verbena... A dor pairou em meu corpo todo
eu sentia minhas veias saltarem de mim. Meus olhos latejarem eu cai sobre os triângulos me retorcendo.

A dor era horrível até mesmo pior que a de Brian.

-Damon... -Elena disse com os olhos já com lagrimas.

-Leis a dhéanamh ar an vampire ól na fola an duine agus na bláthanna dó deoch fuil na dupicada.Eu agairt cabhair ó gachwitches le
haghaidh an nóiméad sin.-Disseram todas bruxas.

-Morda Elena Damon. -Disse Bonnie com a voz muito firme.

Elena virou de costas pra mim e afastou o cabelo mostrando seu pescoço lindo e delicado. Eu não queria mordê-la mais ela insistiu tanto que eu fizesse isso, não queria ver meus dentes gravados nas veias dela.

-Faça Damon. - Ela disse apertando um pouco minha perna.

Eu mordi seu pescoço. O sangue dela era doce, gostoso e viciante eu a senti comigo do meu lado me ajudando como a Elena de
sempre fazia.

-Damon... -Ela disse com a voz fraca e percebi que era a hora de parar.

Eu senti minha vista ficar escura e eu levantei com Elena junto, eu parecia bem, Mas alguma coisa me puxava para o fundo era como se eu luta-se para conseguir viver e desistir de viver.

Meus músculos se retorciam e eu podia sentir cada parte dos músculos.

Comecei a sentir correntes elétricas passarem por meu corpo, a dor havia parado, sentia minhas veias pularem, meu coração
bombear sangue como nunca.

Eu não via mais nada e senti meu corpo mole e então eu cai.


**Pov-Elena**

Eu via Damon caindo senti um aperto maior que tudo no meu coração.

Eu escutei uma voz familiar.

-NÃOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO. -Brian gritou mais ele não conseguia entrar.

-Sinto muito chegou tarde . -Eu disse com voz fina.-Felizmente você não fará mais nada contra Damon.-Ele escorregou de tanta
tristeza.

-Eu fiz isso por vingança por ele ter destruído minha vida... Ela era perfeita.

Eu senti raiva em mim, muita raiva... Eu apenas queria que acaba-se, que Damon ficasse bem e comigo, sempre comigo.

-E você sabe como seria a minha vida sem o Damon? -Ele levantou uma sobrancelha em meio de lagrimas.

-Eu não quero saber como ela seria.

-Por isso você é oco por dentro Brian... Você só tem vazio dentro de si. Você não merecia o amor dela, nunca mereceu. Você não
sente nada, não tem piedade.

-Claro que eu sinto... Você não sabe de nada Elena. –Disse Brian levantando.

-Eu sei que eu o amo e nunca vou deixá-lo e sei também que você não merecia a mulher que tinha.

-Vadia... –Disse Brian com lagrimas em seus olhos azuis.

-Elena vou tirar Brian daqui. -Disse Carol.

Stefan pegou Damon e fomos em direção a mansão Salvatore.

-Será que o feitiço funcionou Bonnie? -Eu estava indecisa.

-Pelo menos ele não está soando mais. -Bonnie abriu um sorriso.

Chegamos á mansão Salvatore e Stefan colocou Damon no sofá.

-Elena vou arrumar as minhas malas e cair fora dessa cidade... -Disse Tati subindo.

-Damon está acabando com as minhas costas. -Disse Stefan se espreguiçando.

-Adeus Elena. -Disse Tati saindo da casa.

-Tchau Tati... –Disse Sabrina.

-Para um vampiro você esta muito fraco Stefan- eu disse.

-Vou levá-lo para o quarto . -Stefan pegou Damon do Sofá e subiu para o quarto. Eu subi logo em seguida.

-Obrigada Stefan- eu disse.

-Disponha Lena, quando ele acordar e depois que vocês conversarem me avise. -Ele disse saindo do quarto.

Eu deitei ao lado de Damon o olhando e acariciando seu cabelo. Eu sentia tanto medo de perde-lo.

Levantei da cama e peguei a minha bolsa. Lá estava o meu diário que eu havia pegado quando passei na casa dos Gilbert.

“Querido diário,

Sei que tenho me afastado bastante. Alias, tenho grandes motivos para isso.Damon foi ameaçado e tocado por um elementors (um
elementors é um ser que ao tocar em uma pessoa ele suga a alma da pessoa, mais se tocar em um vampiro, ele mata o vampiro aos poucos.), para conseguir a cura dele eu tive que ir para Salém, isso mesmo, Salém, a cidade das bruxas. Fiquei um mês e 3 semanas longe de Damon e de todas as pessoas que eu amo.
Agora eu sei, eu amo Damon Salvatore. Eu matei um homem por ele. Para salvá-lo. Eu faria tudo pelo Damon. Logo quando voltei
ele me pediu em namoro e me deu um lindo anel, me dizendo a única frase que eu queria ouvir “Eu amo você Elena”. Ele me disse isso pela 2ª vez, mais dessa vez ele não desapareceu, ele ficou ali comigo. Logo depois nós fizermos o feitiço e ele desmaiou.
Eu não poderia perder ele. Não desse jeito. Agora eu estou aqui, do lado do homem que eu amo e que sempre irei amar.

Eu amo você Damon.”

-Elena? -Disse Damon acordando.

-Oi meu amor. Como esta se sentindo? -Eu disse fechando o meu diário e o colocando na cômoda ao lado.

-Estou bem melhor Leninha. Até o Damonzão esta mais feliz. -Ele deu um sorriso malicioso com os olhos fechados.

Eu deitei embaixo do braço dele apoiando a minha cabeça e uma mão no peito dele e ficamos alguns minutos em silencio.

-Obrigado. -Disse ele sussurrando.

-Pelo o que?- Eu não estava entendendo mais nada daquela conversa.

-Por não me deixar morrer. -Eu levantei e olhei para ele, ele ainda estava de olhos fechados.

-Porque eu deixaria você morrer? -Eu disse olhando cada traço de seu rosto perfeito.

-Elena eu já te machuquei muito, já te fiz sofrer bastante, eu vivo sou uma ameaça, eu já matei pessoas inocentes... -Eu o cortei.

-Eu não posso mudar o seu passado. Eu sei o que você fez no passado, mais o que eu não posso fazer nada para mudá-lo. Escuta
uma coisa Damon, Eu nunca deixaria você morrer meu amor- eu disse calmamente o olhando- Pode apostar que não antes de usar
um pouquinho o Damonzão ai. –Ele deu uma risada rouca.

-Que isso Leninha, pensei que nós estávamos tendo uma conversa seria.

-Ninguém consegue ter uma conversa seria com você. -Eu disse com uma sobrancelha levantada.

-Mais depois que você usasse o Damonzão, você me deixaria morrer? - ele fez um bico e eu não resisti e beijei aquele lindo bico.

-Nunca, jamais, vou deixar você morrer. E se algum dia você morrer, eu morro junto. Porque eu sempre vou fazer de tudo para te
proteger. Eu não imagino mais a minha vida sem você. -Eu disse com os olhos cheios de lagrimas mais tentei segurar.

-Porque você faria tudo isso por mim? Pois na verdade, eu tenho que te proteger, e não você me proteger- Ele disse.

-Porque quando se ama alguém, você faz qualquer coisa por essa pessoa, até mesmo dar a vida por ela. -De repente eu vi que eu estava chorando.

-Eu também te amo Leninha, Minha Leninha- ele levantou rápido e me deitou na cama me dando um beijo feroz e demorado.

-Você precisa descansar a Bonnie avisou que você demoraria a ficar bem... -Ele me cortou.

-Você vai ficar comigo todos esses dias Leninha? -Ele sorriu pra mim.

-Claro amor sempre... Agora durma vai... Ah, Tati foi embora da cidade.

-Que bom.-Disse Damon sem hesita.

-Ei dormi vai amor...

Ele se aconchegou nos meus braços e eu nos dele nossa noite foi calma,sem pesadelos.


**Pov-Stefan**

Eu estava com sede muita sede minha garganta latejava por sangue.

-Gente vou caçar .-Eu disse levantando do sofá.

Eu sai da minha casa e fui floresta a dentro...Eu sentia falta de algo mais não sabia o que realmente era.

Avistei um coelho e pensei “Não muito pequeno pela minha vontade” então eu vi um alce e seria aquele mesmo.

-Essa dieta não e nada apetitosa.-Serio ela nunca iria me deixar em paz?

-O que você quer Katherine?-Eu estava cansado dela aparecer todo momento e quando queria.

-Eu só quero você Stefan. -Ela veio me beijar mais eu saio, eu não queria ter Katherine comigo.

-Só que eu não quero você - Ela me cortou.

-Você sempre me amou Stefan, sempre amará. Essa e a lei da eternidade. -Eu nunca tinha ouvido tanta besteira de uma vez só.

-Você é extremamente ridícula... -Ela me cortou novamente.

-Mais eu não ligo para o que você pensa ou deixa de pensar Stefan. -Ela se encostou na pedra que tinha atrás de nós.

-Você vai querer discutir? Ok! Então por onde eu começo? Pela parte de você me seduziu e depois fazer meu irmão também cair
nessa sua lábia de vampira vadia? Ou que tal pela parte de você ter sumido de repente e só ter aparecido depois de mais de 100 anos? Ou que tal pela parte de você NUNCA ter me amado Katherine? Você não vale nem o que você come. -Eu cuspi aquela frase.

-Eu como sangue amorzinho e sangue não vale nada mesmo.-Ela piscou pra mim.-Na verdade eu bebo sangue não é. –ela disse
pensativa- Tchau Stefan. -Ela me deu um selinho demorado que eu não imaginaria que depois de tudo que eu havia dito ela ainda
faria aquilo.


**Pov-Escritoras**

Caroline puxava Brian pelo pé arrastando-o floresta á dentro.

-Quem mandou você aparecer no feitiço hein? –Disse Carol com raiva.

-Ah qual é loirinha me solta vai! –Disse Brian simplesmente.

Ele estava com raiva mais ele não iria machucar Caroline, ele precisava ao menos saber o parentesco que ela tinha com a sua esposa.

-Se não quiser morrer, me solta. –Disse ele por fim jogando Caroline longe.

Ela se aproximou com suas velocidades vampirescas e ficou cara a cara com Brian.

Ele estava encantado por ela, apenas querendo beijá-la.

“Seu idiota serio mesmo que vai pegar toda a família?” Pensou Brian.

Sim ele tinha ficado com mais de uma das mulheres da família Forbes.

-Então vai machão me mata! –Disse Caroline com os braços abertos.

Carol sabia muito bem o seu parentesco com a esposa de Brian, afinal ela sabia de a sua arvore genealógica.

Brian não iria tocá-la ele não podia.

Ele ainda sentia raiva por ter falhado mais ele apenas bloqueio sua mente querendo não pensar nesse assunto, ele pensaria depois e
pensaria também em como voltar á ativa.

Ele foi ao intuído de tocá-la mais se esquivou.

-Foi o que pensei, homens são fracos. –Disse Caroline dando as costas para o moreno.

Brian se aproximou de Carol, puxou-a pela cintura.

-QUE ISSO TÁ LOCO! Eu sou noiva e muito bem noivada. –Disse Carol saindo dos braços de Brian.

-Ah confessa você não resiste a mim. –Disse Brian malicioso apenas medindo o corpo da loira.

-Não confesso nada não... –Disse Carol dando as costas. –Bom você está entregue, tchauzinho. –Disse ela dando um tchau com as
mãos e logo sumindo no meio da mata.


***

Celly já estava chegando á casa de Ric para lhe fazer uma surpresa.

Ela saiu de seu carro e logo foi entrando na casa de Ric.

-Ric? Amor? Cheguei... –Disse ela entrando casa.

Ela fechou a porta de entrada e quando se virou deu de cara com Alaric no chão e um pouco de sangue.

“Não... Não me diz que é isso.” Pensou ela esbaforida e correndo até o corpo de Ric.

-Ric... Meu amor. –Ela se aproximou de Ric e viu a mordida no pescoço.

Ela pegou a mão de Ric para ver se ele estava com o anel.

Sim ela sabia de tudo, Ric havia contado tudo para ela.

“Ainda bem.” Pensou Celly mais aliviada.

Mais quem havia feito aquilo com Ric? Porque fizeram isso? O que eles queriam? Muitas perguntas pairavam a mente de Celly mais
não havia nenhuma resposta.

Celly se sentou na escada apenas esperando Ric acordar.

Depois de algumas horas Ric começava a acordar.

-Ai... –Disse Ric com a mão no pescoço.

-Aleluia, então vai me explicar o que houve? –Perguntou Celly preocupada.

-Eu estava indo para o Grill e um corpo foi lançado contra meu carro, era uma ruiva.

-Vadia... –Disse Celly com ciúme.

Ric contou toda a historia e tudo que havia acontecido.

-ELA DEU ENCIMA DE VOCÊ, AGORA A VADIA MORRE! –Disse Celly descendo do degrau que estava sentada e indo para a sala de estar.

-Meu amor, calma eu sou inteiramente seu. –Disse Ric se gabando.

-Acho bom mesmo mais que eu mato a vadia eu mato! –Disse Celly se sentando no sofá.

-Eu não vou dizer nada a Elena, e não quero que você diga. –Disse Ric.

Ele não queria que a Elena se preocupa-se com algo, Ric iria descobrir o que estava havendo e antes de tudo ele mataria a vampira
sanguessuga.

Elena merecia uma vida feliz já estava mais que na hora da garota ter um pouco de paz e viver feliz ao lado de Damon.

Ela já havia sofrido tanto. Perda de seus pais, a perda da Jenna, seu irmão se drogando e Damon semi-morto.

Já era o suficiente para uma pessoa aguentar. Ela merecia ser feliz.

-Ric? –Perguntou Celly como se o tira-se de um transe.

-Oi... Bom eu estava pensando na vida de Elena. Promete que não conta a ninguém sobre isso? –Celly não podia concordar com
isso.

Era errado, Elena deveria saber, por outro lado Ric tinha razão.

-Eu não prometo, um dia você vai contar... Ok? –Disse Celly.

-Ok senhorita.


***

Bonnie estava quase dormindo no sofá da mansão Salvatore.

Ela estava fraca, fazer um feitiço desse porte cansaria qualquer um.

-Bonnie? –Perguntou Jeremy ajoelhado na frente da morena.

-Me leva pra casa! –Exigiu a morena com os olhos fechados.

Jeremy pegou Bonnie no colo e a carregou até a porta.

-Sabrina me ajuda aqui. –Disse Jeremy pedindo para que ela abrisse a porta.

-Boa noite Jeremy. –Disse Sabrina quando viu o garoto sair com Bonnie nos braços.

Sabrina estava totalmente inteira pelo menos por fora mais por dentro estava totalmente acabada.

Jeremy colocou Bonnie sentada no banco da frente e a levou para sua casa.


*Sonho*

Eu estava correndo de alguém, não sabia quem era nem ao menos onde estava.

Minhas pernas estavam cansadas de correr e a cada segundo a pessoa estava mais perto de mim.

Eu fui lançada contra uma árvore e escutei uma risada familiar.

Sim era ele.

-Bonnie... Bonnie... Bonnie... –Disse a voz ainda rindo.

-Eu sei o meu nome não precisa repetir papagaio. –Eu disse com raiva.

O homem me puxou pelos cabelos e começou a me arrastar.

-Quem mandou salvar o vampiro Bad Boy hein? –Eu sabia quem era...

-Eu mandei salvar Brian... E como você está no meu sonho? –Perguntou Bonnie assustada.

-Oh Bonnie como você é burra... Quem você acha que foi o primeiro Elementors a nascer?- Não podia ser... Como assim?

-Garanto que não foi você...

-É não foi mesmo. O primeiro Elementors era um membro de minha família, ah ele era muito poderoso, mais eu o matei e o poder
dele veio para mim. Quando se mata um Elementors a força, rapidez do outro que você matou vem toda para você.

-Por isso é uma raça tão extinta. –Eu disse quando ele me jogou contra outra parede, já estava fraca e não iria aguentar muito
tempo.

-Por isso mesmo...

-Porque não consegui matar o Damon tão rápido? Já que se diz muito poderoso!

Ele se aproximou de mim e me olhou sedutoramente.

-Alguma coisa dentro de Damon é mais forte que eu... Não sei dizer o que é, mais isso existe com ele dês de que ele nasceu é
apenas uma coisa que vem de dentro.

Ok eu já entendi... Damon também era muito forte.

-E o que seria?

Ele foi se aproximando praticamente indo me beijar eu me esquivei.

-Oh Bonnie como você é lerda, se eu soubesse já teria ido acabar com isso que Damon tem.

Eu me remexi e logo acordei no carro de alguém.

-Jeremy? Isso é um sonho? –Perguntou Bonnie meio desconexa.

-Não é sonho amor... Você estava... Bom gemendo algumas coisas. –Bonnie sentiu suas bochechas corarem.

-Coisas?... Que coisas?

Jeremy sorriu um sorriso com covinhas.

-Você disse “Jeremy gostosão”... –Ele olhou-a maliciosamente e Bonnie não pode deixar de rir.

-Eu sei que não foi isso.

-Não foi mesmo... –Disse ele rindo.

Bonnie não podia mais negar eu gostava da companhia dele.

-Onde está me levando? –Bonnie ainda estava tonta pelo seu sonho com o Brian.

-Sua casa... Seu pai ligou e disse que quer vê-la, estou lhe levando para a casa dele.

-Não... Por favor, me leve para qualquer lugar menos para lá. –Bonnie não queria ver seu pai, não depois da briga que tiveram
quando Bonnie ia viajar para Salém.

-Calma Bonnie... O que houve? –Jeremy ficou preocupado com a morena.

-Eu briguei com ele e não estou a fim de haver outra briga.

-Entendo eu te levo para casa.


***


*Sonho*

Eu corria. Minhas perninhas corriam o Maximo que podia. Ela estava atrás de mim ela ia me pegar.

-Damon? Eu estou te vendo. –Disse ela correndo em minha direção.

-Ah... –Eu disse correndo.

-TE PEGUEI... –Gritou ela quando pulou em mim e rolamos pela grama.

-Ah mamãe você é má... –Eu disse com um biquinho.

-Porque eu sou má?

Ela se levantou foi atrás de uma árvore e voltou com uma cesta estranha.

-O que é isso?

-Colhi hoje cedo. Eu e seu pai estávamos namorando e pegamos essas amoras pra você! –Disse ela me dando aquele treco estranho
na boca.

-Mamãe o que é “namorar”? – Eu disse com a boca vermelha das amoras. Ela deu uma gargalhada e passou suas mãos macias em
meu cabelo preto.

-Namorar é apenas amar... Você se sente nas nuvens, faz coisas bobas, ri com a piada mesmo não tendo graça se foi àquela pessoa
que contou. Você sente seu corpo mudar perto dessa pessoa... Você apenas á ama de uma maneira diferente.

-Até que esse treco estranho é gostoso mamãe... Mais me diga o que é namorar?

-Bom eu estava esperando você me perguntar uma coisa mais difícil... –Desafiou-me.

Ela queria mudar de assunto.

-Mamãe o que é namorar? Me responda ou eu faço Belém-belém.

-Oh... Eu respondo... Namorar é... É... Quando você colhe amoras com alguém. –Hã? Isso era um tanto estranho.

-Não quero colher nada com ninguém não... –Eu disse fazendo um biquinho.

-Ah vai sim... Você será um garoto bom... Deixa pra lá.

-Mamãe e seus pensamentos estranhos.

-Damon me prometa que fará de tudo para proteger sua família? –Ela perguntou com lágrimas nos olhos.

Eu sequei suas lagrimas com minhas mãozinhas.

-Como assim mamãe?

-Me prometa apenas.

-Prometo mamãe... Farei de tudo para proteger nossa pequena família.

-Isso mesmo Damon, nunca deixe nada destruir o elo dos Salvatore.

-Mas como assim mamãe? –Eu perguntei um tanto confuso.

Ela se remexeu, um breve silencio pairou e eu não entendia mais eu sabia que ela estava me escondendo algo.

-Nunca deixe nada separar nossa família, espero que você seja sempre esse garotinho, revoltado, mais que seja esse garoto que a
mamãe tanto ama e nunca deixe de sentir, não vale a apena virar uma pedra Damonzinho.

-Ah mamãe eu não sou “inho”... Eu ainda vou crescer.

Ela sorriu para mim e desapareceu como se fosse uma fumaça.

-Mamãe! –Eu perguntei correndo e apenas correndo para achá-la, eu a procurei como um cão que fareja seu dono mais nada dela
então desisti e deitei.

Fechei meus olhos.

__


Damon acordou, ele tinha esse sonho varias e varias vezes. E a todo o momento ele se lembrava de tudo que sua mãe havia dito e
ele se arrependia por não ser o que ela queria, ela o amava e ele sabia disso.

Ele se virou para o lado de Elena e ela já estava acordada.

-Te acordei Leninha?

-Sim acordou... Estava tendo pesadelos?

Damon sorriu e deu um breve selinho em Elena.

-Não... Bom estava sonhando com a minha mãe!

-Como ela era Damon?- ela disse se remexendo e se ajeitando no travesseiro.

-Ela tinha olhos azuis um azul mais escuro que o meu mais era um azul intenso que só ela possuía. Suas sobrancelhas eram finas e realçava seus olhos grandes. Seu nariz era fino e pequenininho, os cabelos dela eram um de um preto perfeito com algumas voltas no final, não era totalmente liso formavam algumas ondas por ele. Sua boca era carnuda mais não tão grande proporcional ao seu rosto. A pele dela era macia como pêssego e possuía um cheirinho de mamãe especial.

Elena se virou para o teto imaginando sua sogra.

-Como ela era linda. –Disse ela.

-Sim ela era

-Então Damonzão... O que faremos amanha? –Elena subiu em cima de Damon se encaixando perfeitamente nos quadris do vampiro.

-Ui... Adoro essa posição! –Exclamou Damon passando sua mão na coxa da morena e puxando-a mais para si.

-Mais pensando bem... Como Stefan nasceu loiro? –Perguntou Elena mordiscando a boca do vampiro.

-Hum... Ele puxou minha avó por parte de Pai, ela era loira com olhos verdes e seu cabelo vivia bagunçado... Mais mesmo assim acho
que o Stefan é o alienígena da família.

-Stefan não é um alienígena! –Disse Elena sorrindo.

-Ah é sim...

-É não...

-Vem cá... –Damon a puxou e a virou ficando por cima dessa vez.

O beijo era apenas calmo, suas línguas entrelaçando de uma maneire generosa e farta.

-Que tal comermos um doce? –Perguntou Damon ofegante pelos beijos com a morena.

“Eita mulher gostosa.” Pensou ele sorrindo maliciosamente depois.

-Mais Damon você não está 100% ainda... –Ele a cortou.

-Eu sobrevivo a isso meu amor!

Elena levantou com uma camisola simples sem muitos detalhes, preta, rendada deixando o vampiro louquinho para tê-la.

Ela desceu as escadas e Damon estava logo atrás apenas com uma calça de moletom realçando seus quadris.

Elena chegou á cozinha e apenas se sentou no balcão.

-Então o que você irá fazer?

Damon abriu a geladeira e deu uma rebolada para a morena.

Elena apenas olhou para todo seu corpo e ela apenas queria tê-lo exatamente da mesma maneira em que Damon a queria.

-Vai ficar rebolando mesmo? –Perguntou Elena fitando Damon.

-Talvez eu pare quando você começar! –Damon olhou-a maliciosamente com seu sorrisinho de canto.

-Seu safado...

-Que tal brigadeiro?

-Adorei a idéia amor!

Damon pegou uma panela jogou leite condensado um pouco de chocolate em pó bem forte e manteiga. Ligou o fogo e começou a mexer.

-Damon... Como tem essas coisas aqui? Bom você toma sangue o tempo todo e Stefan sai para caçar. Como tem alimentos
humanos aqui?

Damon sorriu. Ele deveria contar a Elena?

-Bom... Er... Toda noite eu levanto e como algo que não seja sangue.

-Por quê?

-Ah não sei... É uma coisa que eu fazia dez de criança.

Damon sorriu por um breve momento lembrando-se de um de seus momentos.


*Flashback*

Eu estava pronto para dormir, pijaminha no corpo e já havia escovado os dentes.

-Damon, Stefan apague as luzes. –Eu e Stefan rimos e já planejamos o que fazer.

-Damon eu não sei se quero fazer isso.

-Vai amarelar Tetefi? –Eu perguntei desafiando-o.

-Não... Vamos logo com isso.

Eu esperei... Esperei... Esperei até que já estava na hora de por o plano em pratica.

-Acorda Tetefi... Está na hora.

Stefan estava tão branco que parecia um fantasma.

-Ok...

Abri a porta devagar para não ranger tanto mais mesmo assim parecia que estávamos fazendo coisas erradas.

E não estávamos? Talvez sim, talvez não, depende do ponto de vista.

Caminhamos pelo enorme corredor da mansão Salvatore, até que Stefan derrubou um vaso.

-Você tem problemas? Caracas Tetefi.

-Sem querer não querendo.

Eu ignorei e continuei andando pelo enorme corredor.

Chegamos ao quarto de minha mãe e meu pai e logo achamos o que procurava.

-Aqui está... –Disse Stefan me entregando o frasco.

Peguei o frasco e logo fiz o que queria... Meu pai iria adorar.

-Vamos Tetefi...

Sai do quarto de meus pais e seguimos para o meu quarto e de Stefan.

-Você acha que ele vai brigar? –Perguntou Stefan.

-Não... Sei lá. –Eu disse simplesmente.

[Dia Seguinte]

Eu já estava pronto para o café... Stefan já havia decido.

-Bom dia... –Eu disse ao chegar á mesa do café.

Toda minha família estava lá, até mesmo meu pai.

-Papai, estão te chamando lá fora! –Disse Stefan com suor em sua testa.

-Licença. –Disse meu pai ao sair da mesa.

Ele saiu, eu sai atrás seguido de Stefan.

-Bom dia Senhor Salvatore. –Disse o carteiro.

-Bom dia Peter.

Percebi que o carteiro olhava para o pé de meu pai e ria descontroladamente.

-Porque ri?

-O senhor pinta as unhas? –Disse Peter ainda rindo.

-Hã?

-Suas unhas do pé estão pintadas!

Meu pai olhou para seu pé e logo percebi que ele soltava fogo pelas ventas.

-DAMON! –Gritou meu pai correndo para dentro de casa!

Eu ria tanto... Mais tanto que nem me importei com o castigo que viria a ter.


*Fim Do Flashback*

-Damon? –Perguntou Elena.

-Oi! –Disse Damon simplesmente.

-Em que mundo estava?

Damon sorriu para Elena

-Lembranças.

Elena sorriu e continuou mexendo o brigadeiro...

“Como Elena foi parar ai?” Pensou Damon.

Ele deduziu que ela havia ido até ali enquanto ele se lembrava de suas artes como pequeno.

-Leninha... Obrigado!

-Hã?

Damon se aproximou da morena pegou-a no colo e a encostou na parede próxima ao rall de entrada.

-Obrigada mais uma vez por não me deixar morrer, você me ajudou, fez com que eu me senti-se mais humano mais feliz, apaixonado, fez com que eu apenas senti-se. Eu nunca pensei que poderia sentir algo maior do que já senti meu amor por você é maior do que os outros que senti. Você não me deixou morrer, e, bom... Eu não sei muito o que eu sinto mais eu seria capaz de qualquer coisa por você, até mesmo te largar para ter uma vida normal mais eu só faria isso se um dia você me pedi-se e eu realmente acha-se que seria o momento de deixá-la ter a vida mais humana possível. Hoje eu percebo que todas as pessoas que eu matei faz de mim o que eu sou hoje, eu sei sou um assassino mais eu só fazia isso para acabar com a dor que eu sentia, gosto de ser o cara mal, mas gosto de fazê-la feliz e eu quero isso, apenas fazê-la se sentir feliz. Ok eu sei eu sou um crápula matei a filha da Sabrina, magoei Tati e acima de tudo te magoei em vários momentos... Dizendo coisas que não devia, fazendo coisas que nunca pensei que faria com a mulher da minha vida. Por um momento eu pensei que nunca mais sentiria porra nenhuma, e como disse você me fez sentir Elena. Você foi á razão, minha solução, a luz no fim do túnel nesse caso no meu coração.

Elena estava boquiaberta com a declaração do vampiro.

-Damon... Não importa quantas pessoas matou eu sei muito bem no mundo em que eu vivo e nesse mundo existe apenas você,
você apenas. Eu sei que não é certo sair por ai matando pessoas nem muito menos crianças, mas eu sou o seu presente e o
passado é o que nos define mais não é o que seremos para toda a vida... Ou eternidade.

-E faz do meu futuro... Houve uma época que foi insuportável ver você com Stefan. Eu estava ficando louco, saia pelo mundo
atordoado. Ta eu sei vindo de mim é estranho mais poxa eu tenho sentimentos agora, e por incrível que parece não quero perde-
los.

Eles sorriam e se perderam no sorriso de cada um.

-Apenas não me abandone Damon, eu nunca iria querer uma vida normal amando você! Sim eu sonho em ter filhos ter uma família,
eu escolhi você e por isso esses sonhos foram jogados de lado e eu realmente não me importo contando que eu tenha você todas as noites me abraçando e me esquentando.

-Sinto muito, não queria que perdesse nenhum de seus sonhos.

-São apenas sonhos Damon, tem muitos outros que eu posso ter... Incluindo viver com você.

Damon acabou com o silencio apenas selando seus lábios nos da morena.

Quem importa se ele estava meloso? Ele realmente não ligava quando o assunto era a Elena, ele apenas queria ser qualquer pessoa
por ela até mesmo um cara romântico mais sim claro um romântico safado.

Elena realmente gostava de todos os Damon’s que havia dentro dele e não se importava se ele fosse apenas o cara mal ou um cara
romântico.

Eles apenas queria que toda essa história de morte e vingança acaba-se e eles poderiam viver ou pelo menos tentar permanecer vivo
em um mundo tão... Sobrenatural.

Era apenas um beijo para o momento calmo mais intenso.

Damon passou suas mãos na perna de Elena ofegando-a, ela puxou os cabelos do vampiro deixando ele louquinho para tê-la.

Damon sentiu a presença de mais alguém e parou de beijar a morena.

-Serio mesmo Stefan? –Perguntou Damon.

-Vejo que você está bem hein... Desculpe interromper mais achei estranho escutar a voz de Damon.

-Tudo bem Stefan não foi nada.

Elena sentiu suas bochechas corarem... Era estranha aquela cena, ela se pegando com o irmão do seu ex... Sim era estranho.

Stefan já havia se conformado e agora ele decidiu que não iria ser sempre o cara certinho ele queria curtir.

-Então Tetefi... Alguma esquelette a vista?

-Não... E você alguma universitária gostosa? –Elena arregalou os olhos.

-Olha, eu amo vocês... Mais não preciso saber o que vocês comem, inclusive sobre o que Damon come. –Disse Elena tentando
apagar sua imaginação.- E eu estou falando em duplo sentido em!

-Quem é você é o que fez com a minha Leninha?

-Sinto muito... Não preciso saber sobre o que passam por suas gargantas! –Ela deu uma pausa e logo continuou. –Alias essa minha
frase não caiu muito bem.

-Hã? –Perguntaram Damon e Stefan juntos por não entenderem a malicia da garota.

-Como vocês são lerdos.

Elena colocou o brigadeiro em um prato pegou três colheres, entregou para Damon e Stefan e logo começou a comer.

-Está gostoso... Quem fez? –Perguntou Stefan colocando mais uma colher farta em sua boca.

-Nós. –Disse Damon passando um pouco de brigadeiro no nariz de Elena.

Elena pegou um pouco e passou na testa de Stefan eles riam até que Stefan usou suas duas mãos para pegar o brigadeiro, passou
sua mão direita em Elena e a esquerda em Damon.

-Pronto agora todos estão lambuzados. –Disse Stefan.

-Culpa do Damon...

Eles ficaram ali conversando por toda a noite apenas rindo das coisas que Damon fazia com Stefan quando eram pequenos... Elena
se sentia feliz e por muitos motivos não queria que esse dia acaba-se.

Stefan estava feliz mais ainda sim sentia falta de alguma coisa mais não sabia nem identificava o que era... Ele sabia que não era
Katherine mais era relacionado.

Damon queria apenas fazer sua Elena feliz, ela feliz era a mesma coisa que ele feliz.

Afinal quando se ama é capaz de tudo pela pessoa, ser uma coisa que não é e fingir ser alguém pela qual saberia que ela se
apaixonaria.

Continua...


_______________________________

Tópico De Comentário

_______________________________

Nota Das Autoras: Bom pessoainhas que amamos demais .. Espero que tenham gostados e tentamos fazer de tudo para postar no dia, até que foi no dia certo, Bom eu e a Paty queremos agradecer por esses meses maravilhosos ao lado de vocês e espero que não nós abandonem .. kkkk' .. Esse está muito grande e se cansarem podem ler no outro dia porque olha realmente eu estava empolgada e a Paty tbm .. kk' Peço desculpa pelo tamanho espero que gostem, queremos a opinião de vocês mesmo que o comentes esteja pequeno o importante é saber se vocês gostaram e querem a continuação .. cheers
Beijos meu amor s2s2 .. Até ..
avatar
Jady_Delena

Mensagens : 282
Data de inscrição : 03/05/2012
Idade : 19
Localização : São Paulo

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: My worst nightmare

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum